Lista de espera do ProUni aceita inscrições até amanhã


Começa hoje (15) e vai até amanhã (16) o prazo para participar da lista de espera do Programa Universidade para Todos (ProUni). A adesão deve ser feita através da página http://siteprouni.mec.gov.br/ .

Podem participar da lista de espera os candidatos que não foram selecionados na primeira opção de curso feita na hora da inscrição em nenhuma das duas chamadas regulares do programa.

Além disso, podem participar aqueles que foram selecionados para a segunda opção, mas cuja turma não foi formada. Esses estudantes concorrem a vagas para a primeira opção de curso.

Podem concorrer a vagas para a segunda opção de curso aqueles cujas turmas da primeira opção não foram formadas ou as bolsas da primeira opção não foram disponibilizadas. A relação dos candidatos em lista de espera será divulgada no dia 18.

Todos os candidatos participantes da lista terão que comparecer, entre os dias 19 e 22 de julho, às respectivas instituições para apresentar a documentação para comprovação das informações prestadas na inscrição.

A lista de espera será usada pelas instituições de ensino para preencher as vagas que, após a primeira e a segunda chamadas, permanecerem disponíveis. Ao todo, serão ofertadas para o segundo semestre deste ano 169.226 bolsas de estudos em instituições particulares de ensino superior, sendo 68.087 bolsas integrais, de 100% do valor da mensalidade, e 101.139 parciais, que cobrem 50% do valor da mensalidade.

As bolsas integrais são destinadas a estudantes com renda familiar bruta per capita de até 1,5 salário mínimo.

As bolsas parciais contemplam os candidatos que têm renda familiar bruta per capita de até 3 salários mínimos. O ProUni é voltado para  candidatos que não tenham diploma de curso superior e que tenham participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018.

Além disso, os estudantes precisam ter cursado o ensino médio completo em escola pública ou em instituição privada como bolsistas integrais.

É preciso ter obtido ainda nota mínima de 450 pontos na média aritmética das notas nas provas do Enem. Também podem se inscrever no programa estudantes com deficiência e professores da rede pública.

Vigilância nas escolas e alunos como mediadores seriam a saída para inibir violência


Agressões a educadores e alunos, roubos, bullying e atentados vêm comprovar uma já antiga afirmação: a violência cotidiana vem minando as nossas escolas. De acordo o Diagnóstico Participativo da Violência nas Escolas, 69% dos estudantes afirmam ter presenciado alguma situação de violência em ambiente escolar. Para reverter esse quadro alarmante, a maioria dos Estados vem desenvolvendo ações de segurança ostensivas e buscam em soluções com o intuito de melhorar a convivência escolar, apontadas por especialistas como mais eficazes para enfrentar o problema a longo prazo.

Um ano depois que a lei federal 13.663/2018 obrigou expressamente o poder público a desenvolver ações para combater todos os tipos de violência nas escolas —da agressão ao bullying—, as ações desenvolvidas pelos Estados envolvem medidas difusas que vão da criação de aplicativos para controlar a presença do aluno na escola e instalação de sistemas de vigilância 24 horas até ações de educação socioemocional e mediação escolar.

Há três anos, o Distrito Federal implementou um formulário online preenchido em parceria com a Polícia Militar para identificar os principais tipos de violência que acontecem nas escolas e pensar soluções para reduzir as estatísticas.

Os dados são mantidos em sigilo, mas sinalizam que as turmas de Ensino Fundamental e da Educação de Jovens e Adultos (EJA) são as mais violentas, conta a secretária executiva de Educação do DF, Janaína Almeida, sem citar cifras específicas. Uma pesquisa do Sindicato dos Professores do DF lança luzes sobre o tamanho do problema: segundo o levantamento, 97% dos profissionais que atuam em escolas públicas já presenciaram situação de violência dentro das instituições.

Para reverter o cenário, o Distrito Federal tem apostado em medidas polêmicas, como um regimento escolar rígido, que permite por exemplo a revista aos pertences dos estudantes por funcionários das escolas. “Em relação à parte pedagógica, reformulamos o regimento escolar com um rigor maior para a disciplina. Também teremos uma nota para o comportamento. O estudante que se sai bem e que tem uma conduta elogiosa, recebe pontos. Nós acreditamos que assim acabaremos com a cultura da impunidade. Correndo o risco de perder pontos e influenciar na nota final, acreditamos que o estudante mudará sua conduta”, explica Janaína. As novas regras começam a valer no segundo semestre deste ano. A secretária também conta que será implementado um aplicativo para que os pais possam monitorar o tempo que os filhos permanecem na escola através dos registros de entrada e saída nas instituições por meio de um cartão personalizado com um código de barras.

Ilhéus: exposição de Arte Sacra fica em cartaz até o dia 30


Após missa solene do Dia da Cidade realizada na Catedral de São Sebastião, na manhã de sexta-feira (28), visitantes prestigiaram a abertura da Exposição de Arte Sacra. A iniciativa destaca projeto de 500 anos de Ilhéus e integra o calendário de comemorações de 485 anos de fundação. O ato contou com a participação do prefeito Mário Alexandre, que destacou a importância de se manter viva a história das artes sacras.

“Ilhéus é uma cidade de muitas histórias, ninguém pode negar. Muitos são os registros documentados para se manter viva suas raízes, e aqui, valorização da cultura sacra com peças que fazem parte de acervos particulares e acervos das principais instituições religiosas. Vamos trabalhar para que estas raízes se perpetuem e se mantenham vivas em nossas memórias”, ressaltou Mário Alexandre.

Segundo informações da curadoria da mostra, as obras de grandes artistas vão do século XVI ao XIX, com peças pertencentes aos acervos particulares e da Igreja Matriz de São Jorge. A Exposição de Arte Sacra ficará 30 dias de cartaz e deve reunir, até dia 27 de julho, das 8 às 12h e das 13 às 17h, apaixonados por cultura sacra, devotos e apreciadores de imagens e esculturas.

Durante todo o período colonial, a arte sacra foi predominante no Brasil, e anos mais tarde, modernistas e contemporâneos também aderiram ao estilo. A iniciativa é elaborada pelo Centro de Estudos e Pesquisas de Olivença e Ilhéus (CEPOI), Diocese do município, Instituto Nossa Senhora da Piedade e apoio da Prefeitura e demais patrocinadores.

Instituto do Autismo está sendo construído em Feira de Santana


As obras de construção do Instituto do Autismo, em Feira de Santana, já foram iniciadas. De acordo com o site Bom Dia Feira, parte da estrutura de alvenaria do equipamento já está sendo levantada.

Segundo informações dos censo realizado em escolas, creches e centros de referência, em 2016, cerca de 736 pessoas foram diagnosticadas como portadoras do espectro do autismo em Feira de Santana.

O Instituto do Autismo terá consultórios médico e odontológico, salas de terapia ocupacional, psicopedagogia, salas de cultura e multiuso, biblioteca, cozinha, refeitório e sala para aulas de karatê.

Ex-vereador de Itabuna é preso no Costa do Cacau


Acusado de cobrar R$ 1 mil para agilizar a cirurgia de uma paciente, Clóvis Loiola, ex-presidente da Câmara de Vereadores de Itabuna, foi preso na terça-feira, 2, no Hospital Regional Costa do Cacau, em Ilhéus (a 462 km de Salvador), no sul da Bahia.

De acordo com informações do site Ubaitaba Urgente, no momento da prisão, o político estava com R$ 500,00, o que seria metade do valor cobrado da mulher.

Um mandado de prisão já havia sido aberto por estelionato contra o vereador. Loiola responde a processos por crimes do período que presidiu a Câmara, entre 2009 e 2010.

No período, ele foi acusado de comandar esquema de desvio de dinheiro conhecido como “Loiolagate”, com mais de R$ 2 milhões desviados, segundo a Polícia Federal.

O ex-vereador também foi preso em 2012 no Hospital de Base de Itabuna, após tentar escapar de audiência por meio de atestado médico.

Brasil é a terra dos agrotóxicos


A informação é do Inca (Instituto Nacional do Câncer). Desde 2009, o Brasil é o maior consumidor mundial de produtos com agrotóxicos. Chamados também de defensivos agrícolas ou agroquímicos, eles são utilizados na agricultura para eliminar insetos ou ervas daninhas nas plantações, mas fazem mal à saúde. Aos serem pulverizados, eles se espalham, contaminando o solo e a água.

Os agrotóxicos estão presentes em alimentos in natura de origem vegetal como frutas, legumes, verduras, cereais integrais, castanhas e outras oleaginosas, ou minimamente processados, ou ainda ovos, leite e carnes frescas.

O que muita gente não sabe é que os resíduos dos defensivos também podem estar presentes nos alimentos ultraprocessados como biscoitos, salgadinhos, pães, cereais matinais, lasanhas e pizzas, entre outros, que têm como ingredientes o trigo, o milho, a cana-de-açúcar e a soja, por exemplo.

De acordo com o Instituto, regiões com alto uso de agrotóxicos apresentam incidência de câncer acima da média nacional e mundial. O órgão orienta que sempre que possível, as pessoas consumam alimentos agroecológicos ou orgânicos, porque além de serem mais saudáveis, contribuem para a preservação do meio ambiente e para a agricultura familiar.

Já o Ministério da Saúde (MS) informa que o uso contínuo, indiscriminado ou inadequado de agrotóxicos é considerado um relevante problema ambiental e de saúde pública. Os efeitos à saúde humana decorrentes da exposição direta ou indireta aos defensivos podem variar de acordo a toxicidade, tipo de princípio ativo, dose, tempo de exposição e via de exposição.

Os mais vulneráveis são os trabalhadores rurais, de empresas do agronegócio, de fábricas formuladoras e desintetizadoras e de campanhas de saúde pública. Já os mais suscetíveis a esses efeitos são crianças, gestantes, lactentes, idosos e pessoas com a saúde debilitada.

Concurso procura talento feminino para clipe de Luedji Luna


O Music Video Festival oferece a chance de um novo talento feminino do audiovisual assumir a função de co-diretora na realização do videoclipe de uma música inédita de Luedji Luna e Zudzilla. A vencedora do concurso, parceria com a Spcine e Stink Films, exercerá sua função sob a tutela da diretora Ariela Dorf e equipe da produtora Stink Films.

As inscrições estão abertas no site do Music Video Festival e seguem até o dia 11 de agosto. Para concorrer, a candidata deverá ser necessariamente do gênero feminino e não ter realizado nenhum clipe profissional ou trabalho audiovisual comercial até 2 anos antes do anúncio das inscrições. A vencedora será anunciada no site e redes sociais do Music Video Festival no dia 26 de agosto.

Em 2018, o programa deu origem ao clipe ‘Cira, Regina e Nana’, dos artistas Jaloo e Lucas Santtana. “Este será o quinto clipe realizado através do Music Video Festival, com o objetivo de promover a inserção de novos talentos no mercado. Em quase todas as realizações anteriores, os talentos acabaram sendo absorvidos pelas produtoras parceiras, e daí para outros trabalhos, o que nos mostra que as apostas são genuínas”, diz Lia Vissotto, idealizadora e diretora do Music Video Festival.

Saiba mais

www.musicvideofestival.com.br

Texto-base da Reforma da Previdência é aprovado


Foto: Marcelo Camargo
Foto: Marcelo Camargo

A comissão especial que analisa a reforma da Previdência na Câmara dos Deputados aprovou, na tarde de hoje, 04/07, o texto-base da proposta. O parecer do relator Samuel Moreira (PSDB-SP) foi aprovado por 36 votos a 13. O relatório mantém pontos do texto original, como idade mínima de aposentadoria de 65 anos para homens e de 62 anos para mulheres, mas traz várias mudanças em relação à proposta encaminhada pelo governo. A principal delas é a retirada de estados e municípios das novas regras de aposentadoria. O texto também tem regras mais benéficas para professores e avança sobre temas tributários, como o aumento da tributação sobre bancos.

 

Globo terá que reintegrar Izabella Camargo


A jornalista Izabella Camargo recebeu uma ótima notícia. A Justiça determinou que a TV Globo a reintegre ao seu quadro de funcionários. Um oficial levou hoje, 04/07, por volta das 13h30, a notificação ao prédio da emissora, em São Paulo. A cena chamou a atenção de quem estava por perto e a notícia pegou de surpresa os colegas da emissora.

Izabella foi apresentadora da previsão do tempo dos telejornais Hora 1 e Bom Dia, Brasil, que vão ao ar respectivamente de madrugada e pela manhã, durante seis anos. Para entrar no ar, ela precisava trocar o dia pela noite. Após voltar de uma licença médica, ela foi demitida. Ia jornalista contou na época que acreditava que a dispensa ocorreu por possuir burnout, síndrome resultante de excesso de trabalho.

Em depoimento a Revista VEJA, em janeiro, Izabella relatou: “Sofri muita incompreensão. Entre um sintoma e outro, levava laudos para meus chefes pedindo só uma mudança de horário. Voltei de uma licença médica e fui dispensada. Uma doença assim não é bem-vista nas empresas. Algumas preferem até dizer que o funcionário quebrou o pé a confirmar a síndrome”.

França pode não assinar acordo com Mercosul se Brasil deixar pacto do clima


O presidente da França, Emmanuel Macron, garantiu que não firmará nenhum tratado comercial com o Brasil se o presidente Jair Bolsonaro abandonar o acordo do clima de Paris. Isso compromete diretamente as negociações de livre-comércio entre o Mercosul e a União Europeia.

Macron justificou o posicionamento, alegando que o governo francês se preocupa com as práticas ambientais da agroindústria brasileira e a competitividade dos produtores locais. “Estamos pedindo que nossos produtores parem de usar pesticidas, estamos pedindo que nossas companhias produzam menos carbono, e isso tem um custo de competitividade. Então não vamos dizer de um dia para o outro que deixaremos entrar bens de países que não respeitam nada disso”, disse ele, em entrevista a jornalistas divulgada pela agência de notícias Reuters,  nesta quinta-feira (27).

Antes de assumir o mandato, Bolsonaro havia ameaçado deixar o acordo de Paris, a exemplo do que fez o presidente americano Donald Trump, entretanto voltou atrás nos primeiros dias de sua administração.

Na quarta-feira (26), a chanceler alemã Angela Merkel disse que vê “com grande preocupação” a situação no Brasil sob o governo de Bolsonaro, a qual ela descreveu como “dramática”. Merkel, porém, disse que não acha que suspender as negociações de um acordo de livre-comércio entre UE e Mercosul seja uma medida eficaz para evitar “que um hectare a menos de floresta seja derrubado no Brasil”.

Bolsonaro rebateu as críticas de Merkel e disse que o Brasil “tem exemplo para dar para a Alemanha” sobre meio ambiente”.