Ângelo Nunes, diretor e produtor da Monster Movie N´Photo


Aos poucos, as animações e desenhos brasileiros estão conquistando seu espaço. Um bom exemplo é a série Glitter Model! Nossa reportagem conversou com o diretor e produtor, Ângelo Nunes, da Monster Movie N’Photo, que produz o programa. Ele nos revelou informações muito interessantes. Quer saber? Então leia a entrevista abaixo.

Angelo-e-Andre GLITTER MODELS
Ângelo e André Nunes da Monster Movie N’Photo Foto: divulgação

Blog Carvalho News – Como surgiu a ideia de criar a série Glitter Model?
Ângelo Nunes – Glitter Model surge a partir da minha observação de 20 anos cuidando de carreiras de modelos. Pude ver meninas que não acreditavam em seu potencial e não tinham a menor auto estima se transformarem em lindas mulheres, modelos bem sucedidas e conquistarem seu espaço de trabalho onde menos acreditavam que tinham possibilidades: no mercado das modelos.

CN – Este programa é o primeiro da Monster?
Ângelo Nunes – Não. A Monster é uma produtora multifacetada! Nós representamos tanto profissionais da fotografia quanto do audiovisual, além de desenvolvermos projetos de conteúdo. Nossos últimos projetos para tv são: Glitter Model coproduzido com a NBCUniversal e exibido no Disney Channel em toda  a America Latina, Moda-O-Rama coproduzido com a NBCUniversal e Sound-à-Porter coproduzido com a HBO, ambos exibidos no canal E! Entertainment.

CN -Televisão é movida pela audiência. E esse quesito torna o setor muito competitivo. Como vocês lidam com isso?

Ângelo Nunes – Não é a audiência que nos move. É a criatividade, a inovação, levar assuntos relevantes e interessantes a quem está assistindo um programa desenvolvido e produzido por nós. Sempre buscamos ter algum diferencial em nossos projetos !

CN – Fada Manu, Peixonauta e lógico, Glitter Models são alguns dos programas de sucesso produzidos no Brasil. Podemos afirmar que enfim a animação brasileira conseguiu conquistar seu espaço?
Ângelo Nunes – Acredito que é um começo !A cada dia que passa a animação nacional vai ganhando mais e mais espaço, não só no Brasil, mas internacionalmente também. Ainda falta um longo caminho a ser percorrido para que a animação nacional se consagre como um produto reconhecidamente de qualidade, principalmente porque a quantidade de criatividade e talento que temos espalhados por todo o país, ainda não conseguiu se fazer presente ! Há muito talento não utilizado em nosso país.

Glitter-Oficial1

CN -Quantas pessoas trabalham na elaboração da animação?

Ângelo Nunes – Mais de 120 profissionais estiveram envolvidos em Glitter Model.

CN – Quais os desafios que vocês enfrentaram para que o projeto Glitter Models fosse viabilizado?

Ângelo Nunes – Acho que o maior desafio em realizar Glitter Model foi conquistar a confiança de um estúdio gigante como a NBCUniversal para que investissem em uma animação Brasileira, principalmente pelo fato de que a animação nacional ainda engatinha se comparada às animações americanas por exemplo ! E se você levar em consideração o fato de que o único desenho animado produzido antes de Glitter Model ( e não apenas distribuído) pela NBCUniversal, foi o desenho do Pica-Pau na década de 50, dá pra perceber a responsabilidade que tivemos nas mãos. rs

CN – O governo oferece algum tipo de auxilio para produções desse tipo?

Ângelo Nunes – Sim, por meio das leis de incentivo à cultura, através de um rigoroso processo de avaliação do projeto proposto.

CN – Quais os artistas que influenciaram a carreira do Ângelo Nunes?

Ângelo Nunes – Sou movido por música, imagem e corpo. Posso dizer que sou movido diariamente por Bjork, Anohni, CocoRosie, Arnold Schöenberg, Maria Bethania, Ney Matogrosso, Elis Regina, Marina Abramovic, Kazuo Ohno, Sankai Juku, Pina Bausch, Terence Malik, Davyd Lynch, Frida Kahlo, Remedios Varo, Stephan Doitschinoff enfim….poderia passar horas escrevendo porque são muitos os nomes que me influenciam. diariamente.

CN -Quais seus próximos projetos?

Ângelo Nunes -Tenho vários projetos que foram desenvolvidos e estão esperando para serem colocados em execução, dentre eles temos uma peça lindíssima de teatro que conta a historia da tradição das benzedeiras, Um reality show, doc realities e inclusive tenho uma outra animação belíssima sobre crianças e o meio ambiente.

glitter-model
CN -Como é o seu dia a dia?

Ângelo Nunes – Musical. Ouço música da hora que acordo até quando vou dormir. Chego na Monster Movie N’ Photo e a primeira coisa que faço é ligar o som. Aí o dia vai fluindo bem… O dia a dia é muito feliz quando se tem dois filhos inspiradores.

CN – Animações brasileiras. Qual sua avaliação sobre elas comparando com as produções estrangeiras?

Ângelo Nunes – Que não deixamos nada a desejar a ninguém. Profissional bom e história boa tem no Brasil e tem fora do Brasil. Precisamos mostrar ao mundo o quanto os profissionais brasileiros são bons e digo isso em relação ao animador, a roteirista, aos atores que dão vida as personagens fazendo a voz original, ao compositor, aos produtores, ao desenhista enfim…a todos os profissionais brasileiros. Adoraria escrever aqui o nome de todos eles porque foram de uma competência e sensibilidade sem igual. Você só consegue conduzir um monte de animadores homens (vale dizer que senti muita falta enorme de mulheres animando minhas personagens) para um universo feminino e tão sensível se eles forem profissionais o suficiente para fazer esta imersão.
CN -Qual a mensagem que gostaria de deixar aos fãs da série Glitter Models?

Ângelo Nunes – Que toda e qualquer menina é capaz de ser o que desejar ser e que não devem jamais permitir que haja um limite para que conquistem seus sonhos. Todas são capazes, todas são fortes e podem tudo, seja na carreira que for: Modelo, Professora, Médica, Cozinheira, Esportista enfim…tudo! Gostaria de dizer a todas elas que, desde pequenas elas precisam se empoderar de si mesmas. Glitter mostra no primeiro episódio uma menina (Clara) que não acredita na própria beleza e isso fica claro quando o caça-talentos a descobre. Ela não aceita o convite para ser modelo e deixa claro que sofre bullying quando se refere a si mesma como “girafona desengonçada”. Vai de encontro a imagem que ela  tem de si própria mesmo sendo uma menina com uma beleza óbvia. O slogan da série é : “Toda menina tem o seu brilho”. Espero que todas brilhem muito!