Itabuna: 1º Mutirão sobre a Saúde do Homem será sábado


Está confirmado para este sábado (02), uma das mais importantes ações de promoção à saúde do homem, em Itabuna. Trata-se do 1º Mutirão sobre a Saúde do Homem que acontecerá a partir das 8 horas, na Unidade de Saúde Alberto Teixeira Barreto, no bairro Califórnia. A iniciativa é da Prefeitura de Itabuna e executada pela Secretaria Municipal de Saúde.

Durante o evento, serão disponibilizados diversos serviços destinados à população masculina que residem nos bairros Califórnia, Parque Boa Vista, Parque Verde, Loteamento Paraíso, Fátima, Nova Califórnia, Santa Inês, José Soares e Mutuns.

saudehomem2

Entre os serviços estão consulta médica, prevenção às infecções sexualmente transmissíveis (DSTs), aferição da pressão arterial e HGT, atualização do cartão vacinal, avaliação nutricional, confecção do Cartão SUS, e ainda orientações sobre os cuidados necessários para manter uma vida saudável, tudo isso no mesmo local. Para ser atendido, o usuário deverá apresentar documentos de identidade, cartão do SUS (se tiver) e comprovante de residência.

A Secretária de Saúde, Lísias São Mateus, explicou que a ação tem como objetivo colocar em dia consultas e exames e também oportunizar a descentralização  das atividades da Secretaria de Saúde levando serviços à população assistida pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A secretária considera que o mutirão é uma forma  também de estimular nos homens a busca pelo atendimento médico e o compromisso de um acompanhamento para com a saúde, visando prevenir doenças e promover ao mesmo tempo, uma vida mais saudável.

Aposentados baianos para nova perícia médica no INSS


O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) começaram a convocar os 61,6 mil agencia inssbaianos aposentados por invalidez para a realização de perícias médicas. A intenção é fazer um pente-fino nos benefícios concedidos. A economia prevista para o final do procedimento é de R$ 10 bilhões, de acordo com o ministério.Os aposentados serão informados sobre a convocação por meio de cartas enviadas pelos Correios. No primeiro lote, foram enviadas 22.057 cartas para 25 estados e o Distrito Federal, exceto Roraima. Serão convocados aqueles com menos de 60 anos que estão com o benefício sem revisão há mais de dois anos. Ao todo, o governo quer convocar 1 milhão de segurados até dezembro de 2018 na ação que ficou conhecida como pente-fino.

Escritora Cláudia Stocker


Os especialistas são praticamente unânimes ao afirmar que a leitura traz inúmeros benefícios à saúde dos seres humanos. Entre eles podemos destacar a ativação da memória e o alívio do estresse. Ler também nos possibilita adquirir novos conhecimentos. Na contra mão de tudo isso nos chega a informação de que uma parcela significativa de brasileiros não sabe ler. Por que em pleno século XXI isso ainda ocorre? O que pode ser feito para reverter esse panorama? A reportagem do Blog Carvalho News decidiu ouvir a escritora Cláudia Teresinha Stocker, autora do livro “O Incentivo à Leitura – Através da Arte de Contar Histórias”, que falou sobre a importância da figura dos responsáveis para despertar o interesse pela leitura nas crianças e adolescentes, bem como, sobre o Projeto #Eu Leio. Cláudia é formada em Biblioteconomia e Documentação pela Universidade Tiradentes em Aracaju/Se. Pós-graduada em Gestão da Informação pela Universidade Federal de Sergipe e em Educação, Artes, Estética e Museus pela Faculdade Pio Décimo – Aracaju/Se. A escritora é Vice-Presidente da Associação Profissional dos Bibliotecários e Documentalistas de Sergipe – APBDSE. E, atualmente, está na direção da Biblioteca Pública Infantil em Aracaju onde desenvolve atividades de incentivo a leitura junto a comunidade.Ficou curioso (a)? Então aceite o nosso convite e leia essa entrevista.

DSC015295
Cláudia Stocker Foto: divulgação

Blog Carvalho News – Por que o brasileiro não gosta de ler?

Cláudia Stocker – A Pesquisa Retratos da Leitura no Brasil em sua 4.ª edição (2015) apontou que 44% da população brasileira não lê e 30% nunca comprou um livro. Se em 2011 os leitores representavam 50% da população, em 2015 eles passaram a 56%, o que ainda é pouco. O índice de leitura indica que o brasileiro lê apenas 4,96 livros por ano. Portanto, a questão de gostar ou não de ler depende de muitos fatores. As pessoas não leem por falta de interesse, falta de tempo para se dedicar a leitura, alto preço dos livros no Brasil, falta de incentivo, seja em casa ou na escola, e até mesmo pelo não acesso ao livro.

CN – Qual importância das HQs na criação do hábito da leitura nas crianças?

Cláudia Stocker – Incentivar a leitura no público infantil tem sido um desafio diante de tantas opções de lazer e entretenimento nos dias atuais. Os HQ´s sempre atraíram a atenção de leitores e são usados como estratégia para incentivar a leitura em qualquer idade. Não há quem não se divirta ao ler quadrinhos. Os Famosos Tio Patinhas, Pato Donald e demais personagens da Disney, encantaram diversas gerações de leitores de Gibis. Depois veio a Turma da Monica, super-heróis e hoje em dia os Mangás japoneses. Incluir o Gibi como fonte literária para as crianças é muito importante por ser uma literatura de fácil entendimento e divertida e desta forma, a criança pode despertar o gosto pelos demais gêneros literários.

CN – O que a motivou a escrever O Incentivo à Leitura – Através da Arte de Contar Histórias?

Cláudia Stocker – O que me motivou a escrever foi a vivência com a temática, pois como eu estava trabalhando projetos de incentivo à leitura, sempre me deparava com questionamentos a respeito. O Incentivo a Leitura através da arte de contar histórias foi tema de meu TCC de Pós-graduação. O trabalho ficou muito bom e resolvi transformá-lo em livro para compartilhar com as pessoas a minha experiência, já que cito na obra os projetos desenvolvidos e bem-sucedidos no segmento da biblioteca infantil. A contação de histórias tem feito parte do meu fazer profissional a mais de 10 anos, por isto a motivação em escrever sobre o assunto.

 

1d55993e38127a098e2c4f4b8c505c6b

CN – Como pais e responsáveis podem despertar em jovens e crianças o gosto pela leitura?

Cláudia Stocker – É importantíssimo que a criança já tenha contato com a leitura desde o ventre materno, ou seja, contar histórias ou ler para o bebê ainda na barriga, já é um bom início. E como querer ter filhos leitores se em casa não se tem pais leitores? A criança tem nos pais um espelho e exemplo, portanto ver os pais lendo um livro, um jornal ou revista, já incentiva a criança a fazer o mesmo. Assim como ler em família, ter um momento para sentar com a criança e ler para ele, contar uma história, se divertir com a literatura.

CN – Como os professores e demais profissionais de educação podem auxiliar os estudantes a despertarem o gosto pela leitura?

Cláudia Stocker – A iniciação se dá em casa, em família, mas continua na escola. Só que a leitura na escola deve ser prazerosa e não obrigatória e imposta. Sou contra esta palavra de “Leitura Obrigatória”, os livros que a escola escolhe para serem lidos no decorrer do ano. Nada que seja obrigado é prazeroso, portanto, a leitura deve ser de livre escolha para que se crie o hábito e o gosto. Ou se não, estaremos afastando os estudantes da leitura. Eles já precisam ler os livros didáticos para aprender as matérias. Se impormos os livros literários também…o que esperar? Cada pessoa tem seu gosto e estilo literário e isso deveria ser respeitado nas escolas.

CN – Existe alguma forma de tornar o ambiente de uma biblioteca mais convidativo?

Cláudia Stocker – A biblioteca de hoje não é vista mais como um lugar de extremo silêncio onde só se estuda e pesquisa. A Biblioteca hoje é um espaço multicultural que dialoga com as diversas linguagens: música, dança, artes, teatro, etc… Deve ser um espaço atrativo e dinâmico onde as pessoas se encontram e compartilham informações e conhecimentos. Portanto oferecer a comunidade diversos serviços e atrações que vão além da pesquisa e estudo (saraus, contações de histórias, oficinas temáticas, cursos, palestras, exposições, entre outros), pode atrair mais usuários.

18057934_1698505236832507_7192397906453994002_n
Projeto #Eu Leio Foto: divulgação

CN – Fale-nos sobre o Projeto #Eu Leio.

Cláudia Stocker – O Projeto #EuLeio! é um projeto iniciado em Sergipe em parceria com a Rede Ler e Compartilhar (Maceió), programa de circulação de acervos, formação de leitores e orientação para mediação literária por meio de ações colaborativas de circulação de acervos que pretende levar centenas de títulos infanto-juvenis para escolas públicas. Em Sergipe O projeto #EULEIO!, teve acervos doados pela Rede Ler e Compartilhar, e em abril iniciou sua circulação em 6 escolas públicas por meio de sacolas literárias (com 35 livros) que ficarão por 6 meses nas escolas para leitura dos alunos. Depois as sacolas serão trocadas e assim, os alunos terão uma grande variedade de títulos para lerem.

O projeto que tem a escritora Claudia Lins (Maceió) como coordenadora geral, aposta no poder dos livros e da mediação literária orientada como um potencial ilimitado para a transformação social e o acesso à cidadania, desta forma, acredita-se que é possível formar uma grande teia de incentivo à leitura em nosso imenso Brasil, unindo pessoas físicas e empresas em torno de um objetivo: criar ou dinamizar espaços e projetos de leitura beneficiando pessoas e instituições que desejem promover a cultura literária em suas comunidades. Aqui em Sergipe o projeto está sob minha coordenação através da Biblioteca Pública Infantil.

CN – Deseja acrescentar algo?

Cláudia Stocker – Finalizo com a seguinte frase: Leia um bom livro e seja feliz, delicie-se na imortalidade da literatura, viva de páginas, frases e esperanças. Leia mais, um mundo de imaginação espera por você!

 

Lagarto Negro e Capitão R.E.D são lançados pela Editora Kimera


Criada em 2011, com o principal objetivo de publicar obras de autores independentes com qualidade gráfica, a Editora Kimera aposta agora em uma linha de publicações de histórias em quadrinhos com super-heróis brasileiros. As revistas escolhidas para iniciar esta linha são CAPITÃO R.E.D. e LAGARTO NEGRO, com lançamento marcado para a Bienal do Livro 2017 no Riocentro.

Os autores Elenildo Lopes e Gabriel Rocha estarão autografando as revistas CAPITÃO R.E.D. e LAGARTO NEGRO nos dias 01 e 09 de setembro, às 13h e 14h no Estande P16 localizado no Pavilhão Verde da Bienal do Livro.

 

OS PERSONAGENS

O policial Ellano foi escolhido para comandar o Distrito de Emergência e Risco assumindo a identidade de CAPITÃO R.E.D. Trata-se de um programa em parceria do governo do Estado do Rio de Janeiro com a ONU para combater o crime na região.

Lagarto Negro mantém sua identidade real em segredo. Recrutado por uma ONG, ele trabalha num projeto privado de combate ao crime organizado nas ruas do Rio de Janeiro.

OS AUTORES

Gabriel Rocha começou a publicar seus quadrinhos em jornais de bairro da cidade de Niterói, entre 1992 e 1993. Chegou a ilustrar matérias para o Jornal do Brasil antes de se voltar para o trabalho com animações na área do EAD e e-learning. Criou o personagem Lagarto Negro, um super-herói brasileiro, que comemora 20 anos em 2018 com o planejamento de publicações através do selo de quadrinhos da Editora Kimera.

O publicitário e ator Elenildo (Elyan) Lopes iniciou com os quadrinhos em 2007, criando um site voltado ao tema: www.meuheroi.com.br. Em 2012, o site virou selo editorial com o lançamento da revista Capitão R.E.D. nas bancas e lojas do Rio de Janeiro e Região metropolitana. Recebeu o Prêmio da Academia Brasileira das Histórias em Quadrinhos (ABRAHQ) e um Troféu Angelo Agostini com o lançamento da HQ Protocolo: A Ordem.

AS REVISTAS

Lagarto Negro Especial – 36 páginas, em cores, formato americano (17cm x 26cm), papel couchê.

Capitão R.E.D. Especial – 36 páginas, em cores, formato americano (17cm x 26cm), papel couchê.

Página oficial da Editora Kimera: http://www.editorakimera.com

Todas mulheres grávidas das cadeias do país podem ser liberadas


O Supremo Tribunal Federal (STF) recebeu nesta semana, por solicitação do ministro Ricardo Lewandowski,  dados do Ministério da Justiça sobre a população carcerária feminina do Brasil. Os números servirão de balizador para julgamento pela corte de um pedido de habeas corpus que pretende libertar todas as mulheres grávidas, puérperas  (que deram à luz em até 45 dias) ou mães de crianças com até 12 anos de idade sob sua responsabilidade que estejam presas provisoriamente, ou seja, encarceradas ainda sem condenação definitiva da Justiça. De todas as mulheres presas atualmente no país, 43% ainda não tiveram seus casos julgados em definitivo.

A admissão da ação, impetrada pelo Coletivo de Advogados em Direitos Humanos (CADHu), representa uma atitude rara na Corte, pois pretende beneficiar um coletivo de pessoas, não um só indivíduo. Pela extensão de possíveis efeitos, o ministro Lewandowski intimou a Defensoria Pública da União (DPU) para que manifestasse interesse em atuar no caso, o que já ocorreu. “A preocupação da Defensoria é com a proteção que deve ser garantida tanto à gestante quanto às mães que têm crianças pequenas que dependem dela. A prioridade dada nesses casos deve ser ao bem-estar das crianças, a fim de evitar que ela seja criada no ambiente do cárcere”, diz o defensor Gustavo Ribeiro, responsável por representar a DPU perante o STF.

Os dados enviados ao STF indicam que a população carcerária feminina cresceu 698% no Brasil em 16 anos, segundo relatórios mais recentes do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), órgão do Ministério da Justiça. No ano 2000, havia 5.601 mulheres cumprindo medidas de privação de liberdade. Em 2016, o número saltou para 44.721. Apenas em dois anos, entre dezembro de 2014 e dezembro de 2016, houve aumento de 19,6%, subindo de 37.380 para 44.721.

gravidesglobo
Fotos: divulgação

Gestantes encarceradas

Do total de mulheres presas, 80% são mães e responsáveis principais, ou mesmo únicas, pelos cuidados de filhas e filhos, motivo pelo qual os “efeitos do encarceramento feminino geram outras graves consequências sociais”, informa o Depen.

No pedido de informações ao Ministério da Justiça, o ministro Ricardo Lewandowski solicitou que fossem identificadas todas as mulheres grávidas ou mães de crianças no cárcere. Apenas dez estados disponibilizaram os dados, enviando os nomes de 113 mulheres gestantes ou com filhos que as acompanham no cárcere, distribuídas por 41 unidades prisionais. Organizações de defesa dos direitos das mulheres, no entanto, estimam que esse número seja bem maior.

Em um estudo divulgado em junho, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) analisou a situação da população feminina encarcerada que vive com filhos em unidades prisionais femininas no país, tendo entrevistado ao menos 241 mães. A Fiocruz diagnosticou que 36% delas não tiveram acesso adequado à assistência pré-natal; 15% afirmaram ter sofrido algum tipo de violência; 32% das grávidas presas não fizeram teste de sífilis e 4,6% das crianças nasceram com a forma congênita da doença.

Tráfico de drogas
Na comparação entre diferentes países, o Brasil apresenta a quinta maior população carcerária feminina do mundo, atrás de Estados Unidos (205.400 detentas), China (103.766) Rússia (53.304) e Tailândia (44.751), de acordo com dados do Infopen Mulheres, lançado em 2015. Do total de mulheres presas, 60% estão encarceradas por crimes relacionados ao tráfico de drogas. “O tráfico é sempre colocado como uma gravidade imensa, mesmo que a pessoa não tenha condenações, seja ré primária, a grande regra é que ela seja presa”, critica o defensor federal Gustavo Ribeiro.

O Depen aponta que a maior parte das mulheres submetidas a penas de privação de liberdade “não possuem vinculação com grandes redes de organizações criminosas, tampouco ocupam posições de gerência ou alto nível e costumam ocupar posições coadjuvantes nestes tipos de crime”, diz o documento enviado ao STF.

Muitas vezes, acrescenta Ribeiro, essas mulheres entram no tráfico assumindo papéis desempenhados pelos companheiros depois de serem presos ou, no caso do tráfico internacional, por serem aliciadas, mediante pagamento ou mesmo ameaça, para levar droga de um país a outro. O defensor destaca que existem regras nacionais e internacionais, como o as Regras de Bangkok, das Nações Unidas, já ratificadas pelo Brasil, que apontam que medidas não privativas de liberdade devem ser priorizadas no julgamento de casos de mulheres infratoras.

Promova sua imagem da forma correta


E aí, tem cuidado da sua imagem pessoal? Muitos ainda não se deram conta, mas a forma como somos vistos, seja no ambiente profissional, acadêmico ou na vizinhança, é muito importante, podendo influenciar de forma decisiva no nosso progresso como cidadão. Num mundo competitivo como o nosso é necessário ter objetivos definidos e utilizar de estratégias para alcança-los.

O Marketing Pessoal pode nos ajudar bastante nessa tarefa delicada. Ele é uma ferramenta usada para a promoção pessoal de modo a alcançar êxito. Uma estratégia usada para “vender” a imagem, e influenciar a forma como as pessoas olham para quem a utiliza.

Que tal melhorar ainda mais a visão que as pessoas têm de você? Separamos algumas dicas que podem ser muito úteis, fazendo a diferença ao seu favor:

Sua forma de falar – procure não usar gírias, busque o equilíbrio entre uma linguagem formal e a coloquial. Tente sempre pensar um pouco antes de se manifestar para que possa ser entendido da maneira correta, evitando assim mal entendidos ou ruídos na comunicação;

Sua apresentação pessoal – muitas vezes somos julgados pela roupa que estamos usando. Portanto, tenha atenção redobrada nesse quesito.  Procure vestir-se de forma adequada ao local que você frequenta ou irá visitar;

marketing pessoal

Sua relação com colegas e superiores – procure ser sempre cordial e atencioso, evitando se envolver em fofocas e diz que diz que. Lembre-se: uma pessoa que fala mal de outra pelas costas, pode falar em breve de você também;

Tenha humildade – o humilde sabe admitir seus erros e tem a consciência de que dos fracassos podemos adquirir conhecimentos úteis para a vida;

Seja positivo (a) – quanto maior o otimismo, mais motivação haverá para batalhar e atingir seus objetivos. Portanto, aprenda a cultivar o positivismo em você.

Não se exponha nas redes sociais de forma desnecessária– Facebook, Twitter, Instagran e demais mídias sociais chegaram para ficar. Elas fazem parte da nossa realidade sendo uma importante ferramenta de integração e divulgação. Mas tudo isso pode ser uma faca de dois gumes. Por isso, cuidado para não se expor demais nas redes. Algumas empresas, inclusive, costumam visitar perfis de candidatos a vagas que as mesmas estão oferecendo, para ter uma noção de como é o perfil do futuro colaborador. Conheço pessoas que já perderam ótimas oportunidades profissionais por esse motivo.

Lembre-se nosso nome é uma espécie de marca que deve ser implementada e bem promovida e esse trabalho quem deve realizar é você. Portanto, invista em você, estude, trabalhe estabeleça metas claras e conquiste seu valor.

 

Itabuna: Secretário recebe músicos para esclarecer medida sobre regulamentação


O Secretário de Sustentabilidade Econômica e Meio Ambiente, John Nascimento, recebeu em seu gabinete músicos da cidade com o objetivo de esclarecer alguns pontos da campanha educativa que está sendo realizada em bares e espaços de eventos de Itabuna, visando à adequação dos empreendimentos às normas legais de funcionamento. “Nosso trabalho está sendo coordenado pelo Departamento de Indústria e Comércio e realizado por uma equipe de fiscalização, por meio de visitas aos bares e espaços de eventos”, explica o Secretário John Nascimento.

O Diretor de Indústria e Comércio, Tarciso Soares, completa informando que o trabalho encontra-se na primeira etapa. “Já mantivemos contato com dezenas de empresários do setor, mas vale ressaltar que esta medida não interfere no trabalho dos músicos que se apresentam em Itabuna. Nosso foco é adequar os estabelecimentos às normas de funcionamento”.

Secretário-recebe-músicos-para-esclarecer-medida-sobre-regularização-Foto-Pedro-Augus
Secretário-esclarecer-medida-sobre-regularização-Foto-Pedro-Augusto

E frisa citando os itens avaliados para que os bares sigam as referidas normas: “alvarás de funcionamento, da vigilância sanitária e de sonorização; autorização da Sesttran (nos casos de uso da via pública), laudo do CREA (em caso de palco); Nota Fiscal de Serviço de Atração; Relatório do Fiscal de Indústria e Comércio; e Impacto de Vizinhança”.

Para a regularização dos espaços de eventos são necessários além dos alvarás de funcionamento, da vigilância sanitária, de sonorização e do próprio evento a ser realizado, também devem ser apresentados os laudos do Corpo de Bombeiros e do Crea (em caso de palco). Também é exigido o recolhimento do ISS do evento, relatório do fiscal da Indústria e Comércio, além das informações sobre impacto de vizinhança.

DTE/Conquista prende no mesmo dia três traficantes universitários


Os estudantes Joel de Moraes Brandão Neto, 25 anos, Vinícius de Souza Aguiar, 29, e Elias Edson da Silva Júnior, 26, foram presos ontem (22), pela Operação Festival Sem Drogas, da Delegacia Especial de Repressão a Tóxicos e Entorpecentes (DTE) da 10ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior de Vitória da Conquista. Neste final de semana a cidade recebe o Festival de Inverno, evento que reúne centenas de turistas, e também uma circulação maior de drogas.

Com os estudantes de engenharia Joel e Vinícius foram encontrados grande quantidade de maconha pronta para comercialização, balanças para pesar droga, embalagens e dinheiro. Eles foram encontrados no bairro de Candeias, em um apartamento numa rua bastante movimentada por bares e restaurantes em Conquista.

3
Fotos: Alberto Maraus

2A operação seguiu em busca de mais criminosos, e encontrou no apartamento de Elias, que é universitário do curso de direito, mais uma grande quantidade de maconha, uma balança, celulares, dinheiro e embalagens. A casa onde ele guardava todo material fica localizada no Centro da cidade. Em seguida os policiais seguiram para o bairro Renato Magalhães e efetuou a prisão também por tráfico de drogas de Marcos Santos Cardoso, 32. A polícia apura se ele possui ligação com os universitários.

Informações preliminares direcionam para a participação de Marcos, que tem passagem pela polícia por tráfico de drogas, formação de quadrilha, porte ilegal de arma de fogo e corrupção de menores, como distribuidor dos materiais para outros criminosos na região. Com ele a polícia encontrou grande quantidade de cocaína, crack, balança, embalagens, celulares, dinheiro e um veículo modelo Punto. Segundo a investigação, ele integra uma organização criminosa em Conquista, responsável pelo tráfico, roubos e homicídios na cidade.

Segundo o delegado titular da DTE/Vitória da Conquista, Neuberto Costa Souza, os criminosos, a princípio, não tinham ligações um com o outro. “Após apuração chegamos nos quatro criminosos, cada um em sua localidade. Nesse período de festa eles se preparam pois aumenta a procura por drogas”, ressaltou. Ele também informou que as ações de inteligência continuarão sendo realizadas até o final do festival.

PM distribui agasalhos e outras peças de roupa


A Base Comunitária de Segurança de Santa Cruz (BA), dentro do projeto “Inverno Quentinho” e em parceria com a Escola Municipal José Calazans, reuniu pessoas da comunidade para construir o ‘Varal Solidário’, doando agasalhos e outras peças de roupas, com o objetivo de tornar um inverno menos sofrido para as pessoas mais carentes.

Segundo a comandante da BCS/Santa Cruz, capitã PM Sheila Barbosa, os policias conseguiram, com a doação de moradores e comerciantes do bairro e a ajuda da criançada, montar o ‘varal’. “Os meninos adoram fazer parte dos nossos projetos, é um momento de responsabilidade somado à diversão”, ressaltou.

1 35
Foto:divulgação

O “Inverno Quentinho”, projeto executado por todas as bases comunitárias de segurança e que promove doações de roupas, sapatos, cobertores, brinquedos e até móveis para a população carente de Salvador, contribui para uma interação maior entre a polícia e a comunidade.

Árvores plantadas ajudam a reduzir efeito estufa, afirmam estudo


A indústria de árvores plantadas no país pode trazer vantagens para o meio ambiente, principalmente no combate ao aumento da concentração de gases de feito estufa na atmosfera, mostra relatório divulgado hoje (23) pela Indústria Brasileira de Árvores (Ibá).

As árvores plantadas demoram sete anos para serem colhidas, mas o modelo de produção das indústrias permite que todos os anos parte delas seja colhida. A sequência de plantações promove um estoque de carbono, que é removido da atmosfera, equivalente a 200 toneladas por hectare. “A floresta é um reciclador natural do carbono”, disse Fábio Marques, consultor do Ibá.

O plantio de árvores absorve o gás carbônico (CO2), que é um dos gases de efeito estufa, e libera oxigênio (O2), essencial para a vida humana. Fábio explica que a necessidade de redução dos produtos de base fóssil no mundo vai aumentar a demanda por energias renováveis nos próximos anos.

De acordo com ele, uma das formas de evitar a emissão de gases provenientes do produto fóssil é a substituição por biomassa florestal, como fonte de energia. A celulose também pode ser usada no lugar de polímeros, de origem fóssil. “É necessário pensar em mecanismos capazes de estimular a demanda sustentável, como o aumento de estoques de carbono em áreas de restauração, como plantações em um pasto abandonado”, disse.

arvores plantadas

Relatório

O relatório do Ibá revela que as florestas plantadas no Brasil ocupavam 7,84 milhões de hectares em 2016, equivalente a 0,5% de crescimento em relação a 2015. Essas áreas representam menos de 1% do território nacional, sendo que 90% da madeira são usados para fins produtivos.

As árvores resultam em papel, painéis de madeira, celulose, piso laminado, carvão vegetal, entre outros. O setor acumulou receita bruta de R$ 71 bilhões em 2016, respondendo por 6,2% do Produto Interno Bruto (PIB) industrial. Foram gerados 3,7 milhões de empregos direitos e indiretos.

A maior parte das árvores é de eucaliptos, que ocupam 5,7 milhões de hectares. Os principais estados produtores são Minas Gerais (24%), São Paulo (17%) e Mato Grosso do Sul (15%). Outra espécie de árvore, pinus, ocupa 1,6 milhão de hectares, sendo 42% no Paraná e 34% em Santa Catarina.

Segundo Elizabeth de Carvalhaes, presidente da Ibá, o Brasil é o maior produtor de celulose de fibra curta de eucalipto do mundo, devido ao alto grau de desenvolvimento da genética arbórea no país. “As árvores plantadas no Brasil têm a maior produtividade do mundo, de 36 metros cúbicos de madeira por hectare ao ano”, disse a presidente.