Bope liberta grávida de 8 meses e força-tarefa da SSP prende criminoso


Procurado há mais de dois anos pela Força-Tarefa da Secretaria da Segurança Pública por cometer diversos crimes contra instituições bancárias, tráfico de drogas e assassinato de policiais, Juarez Nascimento dos Santos Júnior, 29 anos, conhecido como Cipan manteve a companheira grávida de oito meses, Daíza Daiane Batista de Matos, 20 anos, refém por mais de 19 horas, em uma casa em Porto de Sauípe. Considerado de alta periculosidade, o criminoso entrou em confronto com policiais ao fugir da abordagem e acabou utilizando a esposa sob ameaça durante toda a madrugada.

De acordo com o coordenador da Força-Tarefa, major PM Marcelo Barreto, o Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar foi acionado para comandar a negociação de saída da dupla, que teve início às 16 horas de ontem (30) e só chegou ao fim por volta das 11 horas desta terça-feira (31). Após o resgate de Daíza, que já perdia líquido e apresentava sangramentos, os policiais apreenderam duas pistolas com Cipan.

2 (2)

“A negociação para a libertação de um refém é um trabalho lento e cauteloso, que demanda muito preparo”, destaca o major PM Cledson Conceição Sousa, subcomandante do Bope. Segundo ele, durante a negociação, Cipan apresentava variações de comportamento constantes, entre ameaças e ponderações sobre a possibilidade de rendição. Ainda segundo o major, a energia do imóvel precisou ser cortada. Uma ambulância foi disponibilizada para o atendimento imediato a Júnior, que apresentava um ferimento antigo no joelho, e da refém.

Cipan, que está sendo ouvido na Delegacia Territorial de Entre Rios, já foi condenado por tráfico de drogas, mas respondia em regime aberto concedido pela Justiça em 2012. Nos últimos dois anos, segundo as investigações da força-tarefa, integrava uma quadrilha responsável por diversos assaltos a bancos, entre eles os das cidades de Gandu, Tancredo Neves, Camamu, de uma agência dos Correios da cidade de Grapiúna e de um seqüestro a um empresário do município de Ipiau. Daíza também tem passagem pela polícia por porte ilegal de armas e coletes balísticos e será investigada.