Neymar continua na berlinda


Juridicamente falando, a vida do jogador de futebol Neymar não está fácil. O Ministério Público Federal (MPF) vem investigando novos casos de falsidade ideológica que não foram alvo da primeira denúncia contra o craque do Barcelona. As investigações apontam divergências de assinatura do atacante em documentos firmados com o Santos, como o primeiro contrato que ele assinou com o clube, no momento de sua profissionalização, além de outros vínculos, como para pagamento de salários e direitos de imagem.

A denúncia apresentada pelo MPF na semana passada de sonegação fiscal e falsidade ideológica deve ser analisada nesta quinta ou sexta-feira pelo juiz Mateus Castelo Branco, da 5ª Vara de Santos. O magistrado pode acatá-la, transformando Neymar Jr. , seu pai e dirigentes do Barcelona em réus, ou rejeitá-la, antes da abertura de um processo.

Os investigadores defendem que, as assinaturas foram dadas em documentos com a mesma data, mas são diferentes entre si. Isso leva a suspeita de que foram assinadas em datas retroativas. Essas assinaturas também não conferem com aquela registrada em um cartório em Santos. Os investigadores não divulgaram mais informações, porque a apuração do caso ainda está em curso.

Nesta semana, os advogados de Neymar encaminharam uma petição ao juiz pedindo que a denúncia não fosse aceita argumentando que os processos administrativos que são base da denúncia ainda estão em curso na Receita Federal, impedindo uma ação penal. O MPF respondeu à petição para dar continuidade ao caso.

Neymar: denúncias de sonegação fiscal e falsificação                        Foto: divulgação
Neymar: denúncias de sonegação fiscal e falsificação Foto: divulgação