Coronavírus deixa 4.800 em estado grave na China


Segundo informações oficiais, o número de mortes confirmadas na China, pelo coronavírus, subiu para 636, após o registro de 73 novos falecimentos. Uma atualização diária do balanço da Comissão Nacional de Saúde da China indica que, nas últimas 24 horas, apenas na província de Hubei, epicentro do surto do coronavírus, 69 pessoas morreram. Segundo o relatório, também foram diagnosticados 3.143 novos casos da doença, elevando a 31.161 a quantidade de portadores do vírus no país. Entre os contaminados no território chinês, mais de 4.800 estão em estado grave. Fora da China, há dois óbitos confirmados: um nas Filipinas e outro em Hong Kong, elevando o número de mortos no mundo pela doença para 638.

O número de diagnósticos positivos deve crescer significativamente, pois a comissão afirma que há mais de 26.000 pessoas com suspeita de terem contraído o vírus.

As autoridades chinesas estão lutando para conter o surto. Apesar dos apelos para que milhões de pessoas não deixem suas casas e evitem ambientes fechados em um número crescente de cidades, os hospitais estão sobrecarregados com o crescente número de doentes.

Em Zhumadian, província limítrofe com Hubei, apenas uma pessoa por casa pode sair a cada cinco dias. Também foram oferecidas compensações econômicas para quem denunciar pessoas procedentes de Hubei.

Paralisada pelas restrições e o virtual isolamento do mundo, a economia chinesa pode sofrer as consequências durante muito tempo.

A epidemia do coronavírus surgiu na capital da província de Hubei, em Wuhan, em dezembro, e depois se espalhou para o resto da China e mais de duas dezenas de países, levando a Organização Mundial da Saúde a declarar uma emergência global.

Várias companhias aéreas suspenderam os voos para a China continental. United Airlines e American Airlines também cancelaram os voos para Hong Kong e a Indonésia bloqueou milhares de turistas chineses em Bali ao suspender as conexões aéreas.