Curso com Gabriel Marinho na Casa das Artes


Gabriel Martinho (RJ) já foi membro da equipe técnica do DOCTV para a TV Brasil e jurado do festival CILECT. Agora, como profissional experiente da área audiovisual, passa por Belém para ministrar o curso “Documentário Contemporâneo”, composto por três oficinas, sendo a primeira delas “Estratégias da Memória: Rastros e Registros Documentais”. As inscrições estão abertas até o próximo dia 10 (quarta-feira), no site da Fundação Cultural do Pará (www.fcp.pa.gov.br), com 15 vagas disponíveis.

Atualmente, qualquer situação está na iminência de ser registrada por tecnologias de gravação e reprodução audiovisual. Os registros se tornaram uma das principais vias de intervenção do cotidiano, a ponto de banalizar nossa relação com a memória. Para um documentarista, que zela pelo tempo, saber o momento, a duração, e a forma de realizá-los tem sido uma tarefa desafiante.

“Afinal, o que registrar e o que fica desse momento? Como fazer com que esses materiais intrigantes se transformem em filme? De quais modos, com que procedimentos, a partir de quais estratégias?”, instiga Gabriel Martinho.

A oficina pretende provocar uma aproximação entre os participantes e os eventos da vida pública e pessoal de seu interesse para pensar em como registrá-los. Ela é destinada aos realizadores do audiovisual, estudantes de cinema e de outras áreas convergentes à prática do documentário, como a antropologia, o jornalismo e as artes visuais.

Curso Documentário Contemporâneo inicia dia 15
Curso Documentário Contemporâneo inicia dia 15

 

Conteúdo Programático

Os temas serão abordados a partir de exercícios realizados na oficina, de dúvidas com relação a projetos pessoais dos participantes e de textos e filmes propostos em aula. A oficina ajuda seus participantes a se familiarizar com a pesquisa como um processo criativo, através de ferramentas de investigação audiovisual coletiva e individual; e de propostas estéticas para desenvolver um ponto de vista sobre um tema.

Também aborda a relação entre a tecnologia e os eventos, os territórios audiovisuais, as políticas de representação documental – tendo como base a obra do diretor Glauber Rocha –, sonoridade e outros aspectos. Na página que dá acesso à inscrição no site da Fundação Cultural do Pará é possível ainda encontrar a lista com a filmografia básica da oficina, que inclui clássicos como “Entusiasmo” (1930), de Dziga Vertov, “Eu, um Negro” (1958), de Jean Rouch, e “F for Fake” (1973), de Orson Welles, assim como produções brasileiras, entre elas, “Jogo de Cena” (2007), de Eduardo Coutinho.

SERVIÇO

Oficina “Estratégias da Memória: Rastros e Registros Documentais”, com Gabriel Martinho (RJ)

Quando: 15 a 19 de Fevereiro; das 09h às 12h30 e das 14h às 18h;

Inscrições: www.fcp.pa.gov.br / Valor: R$ 20.

Informações: (91) 4006-2924.

Fonte: Ascom Fcptn