Daniel


Ele é um dos artistas mais queridos do cenário nacional. José Daniel Camillo, ou simplesmente Daniel, possui um lista considerável de sucessos, como por exemplo a canção “Eu Adoro Amar Voce”. Ele também se aventurou pelas artes cênicas com participações na novela ‘Paraíso’, da Rede Globo, e no filme ‘O Menino da Porteira’, “do qual fui protagonista”, acrescenta, com simplicidade. Daniel falou ao blog Carvalho News sobre família, carreira, projetos, bem como do DVD ‘Daniel in concert em Brotas”. Boa leitura!

daniel-0079

Blog Carvalho News – Seu trabalho mais recente é o “Daniel in concert em Brotas”. Quanto tempo foi necessário para produzi-lo?

Daniel – Foi muito rápido entre a concepção do show e a realização dele, cerca de dois meses, e na verdade nem seria um DVD, seria um show apenas, mas depois decidimos registrar.

CN – Você decidiu restaurar o Cine São José, um cinema da década de 1950, no centro de Brotas que permaneceu 20 anos fechado. Hoje é o único cinema em funcionamento em Brotas. O que o levou a tomar essa iniciativa?

Daniel – Este lugar sempre teve algo de especial para mim, pois ali me apresentei pelas primeiras vezes em festivais, e também era onde funcionava a rádio Brotense, onde eu tinha um programa junto com meu pai, ainda na infância. Além de ter um histórico emocional com esse prédio, eu queria devolver o cinema à cidade e também ter um espaço cultural onde pudessem acontecer apresentações, shows, peças de teatro, e graças a Deus consegui realizar esse sonho. O primeiro filme exibido após a restauração foi “O Menino da Porteira”, do qual participei como protagonista.

 CN – No “Daniel in concert em Brotas” você canta de Guilherme Arantes a Raul Seixas, sem abandonar seus próprios sucessos. Encontrou alguma dificuldade no momento da escolha do repertório?

Daniel – Neste projeto eu queria cantar músicas que sempre cantei mas que nunca havia gravado, canções que fazem parte da minha memória afetiva, e quando comecei a listar, cheguei em 60. Impossível um show e um projeto com tantas músicas, então fomos cortando até chegar em 29 canções.

CN – São mais de 30 anos de carreira. Você se considera um cantor amadurecido artisticamente?

Daniel – Acredito que com o passar dos anos é impossível a gente não amadurecer, adquirir experiências que nos fazem saber aquilo que gostamos ou não, descobrir nosso próprio estilo, enfim, eu acredito que sim mas isso não significa que esteja fechado para novos desafios, pelo contrário, tenho vontade de fazer muitas coisas, de me reinventar sempre, não podemos parar no tempo.

CN – Quais os artistas que influenciaram a sua arte?

Daniel – São muitos, porque eu sempre ouvi de tudo. Este mais recente DVD mostra um pouco isso, sou eclético, ouvia Tião Carreiro e Pardinho, Liu e Léo, Milionário e José Rico, e também Jerry Adriani, Jessé, Raul Seixas e tantos outros. A influência na minha música vem de todos os lados.

CN – Você conquistou um Grammy Latino com a trilha sonora do filme, O Menino da Porteira.Também já foi agraciado com outros prêmios. De que forma esse reconhecimento impactou sua vida?

Daniel – Sou muito grato por esse reconhecimento, não só os prêmios mas o carinho do público principalmente, você fazer um show e as pessoas cantarem suas músicas, isso nos faz ver a responsabilidade que temos em nossa carreira.

CN – Como é o seu dia a dia?

Daniel – Muito normal, agora tenho as minhas tarefas de pai também, tão prazerosas, e quando não estou viajando para compromissos, procuro participar de tudo na vida delas.

 CN – O que o Daniel costuma ouvir, quando está em períodos de folga?

Daniel – De tudo, ouço muita coisa, de moda de viola a música internacional, novas duplas, gosto de ouvir o que está tocando no rádio também.

CN – Lara e Luiza são suas filhas. Planeja ser pai mais uma vez? O que a família representa para você?

Daniel – minhas jóias raras, agradeço a Deus por essa oportunidade de ser pai, e por enquanto não pensamos em aumentar a família. Família é tudo para mim, minha base, meus pais sempre nos mostraram isso, que não há nada mais importante do que a família.

CN – Quais as parcerias musicais que gostaria de firmar?

Daniel – Ah eu sou aberto a parcerias, nunca me fechei para isso, mas a parceria que eu mais gosto e que me faz muito completo, é com meu pai. Cantar com o pai é um privilégio que tenho e enquanto puder, vou levá-lo comigo para termos esses momentos juntos nos palcos.

CN  – Quais seus projetos?

Daniel – Apesar de o DVD In Concert em Brotas ser recente, já estou em produção de um novo álbum, desta  vez com músicas inéditas. Este projeto deve sair no segundo semestre e estou bem contente com esse início de gravações.