França pode não assinar acordo com Mercosul se Brasil deixar pacto do clima


O presidente da França, Emmanuel Macron, garantiu que não firmará nenhum tratado comercial com o Brasil se o presidente Jair Bolsonaro abandonar o acordo do clima de Paris. Isso compromete diretamente as negociações de livre-comércio entre o Mercosul e a União Europeia.

Macron justificou o posicionamento, alegando que o governo francês se preocupa com as práticas ambientais da agroindústria brasileira e a competitividade dos produtores locais. “Estamos pedindo que nossos produtores parem de usar pesticidas, estamos pedindo que nossas companhias produzam menos carbono, e isso tem um custo de competitividade. Então não vamos dizer de um dia para o outro que deixaremos entrar bens de países que não respeitam nada disso”, disse ele, em entrevista a jornalistas divulgada pela agência de notícias Reuters,  nesta quinta-feira (27).

Antes de assumir o mandato, Bolsonaro havia ameaçado deixar o acordo de Paris, a exemplo do que fez o presidente americano Donald Trump, entretanto voltou atrás nos primeiros dias de sua administração.

Na quarta-feira (26), a chanceler alemã Angela Merkel disse que vê “com grande preocupação” a situação no Brasil sob o governo de Bolsonaro, a qual ela descreveu como “dramática”. Merkel, porém, disse que não acha que suspender as negociações de um acordo de livre-comércio entre UE e Mercosul seja uma medida eficaz para evitar “que um hectare a menos de floresta seja derrubado no Brasil”.

Bolsonaro rebateu as críticas de Merkel e disse que o Brasil “tem exemplo para dar para a Alemanha” sobre meio ambiente”.