Google leva processo por monopólio ilegal em buscas e anúncios on-line


A situação do Google pode se complicar daqui para frente. O Departamento de Justiça dos Estados Unidos entrou com processo contra a mega empresa, acusando-a de manter um monopólio ilegal sobre buscas e anúncios. Trata-se do maior desafio legal do governo americano relacionado a uma empresa de tecnologia em uma década, de acordo com funcionários da agência.

No processo, o governo americano acusa o Google de manter ilegalmente seu monopólio sobre a pesquisa por meio de vários contratos comerciais exclusivos e acordos que impedem a concorrência, disseram os funcionários. que não foram autorizados a falar oficialmente, segundo fontes com conhecimento do assunto.

Tais contratos incluem o pagamento de bilhões de dólares pelo Google à Apple para colocar o mecanismo de pesquisa do Google como padrão para iPhones.

Os criadores do Google Larry Page_e_Sergey Brin
Os criadores do Google Larry Page_e_Sergey Brin. Foto: divulgação

A agência argumentará que o Google, que controla cerca de 80% das consultas de pesquisa nos Estados Unidos, fechou acordos com fabricantes de telefones que usam o sistema operacional Android, da Alphabet, para pré-carregar o mecanismo de pesquisa em seus telefones e dificultar a entrada de mecanismos de pesquisa rivais.Segundo o Departamento de Justiça, ao usar contratos para manter seu monopólio, a competição e a inovação foram prejudicadas.

O processo reflete a resistência contra o poder das maiores corporações do país, especialmente gigantes da tecnologia como Google, Amazon, Facebook e Apple. Conservadores como o presidente Trump e liberais como a senadora Elizabeth Warren têm criticado fortemente a concentração de poder em um grupo restrito de gigantes da tecnologia.

O processo pode se estender por anos e desencadear uma enxurrada de outros processos antitruste apresentados por procuradores-gerais estaduais. Cerca de quatro dezenas de estados e jurisdições conduziram investigações paralelas e devem trazer queixas separadas contra o controle da empresa sobre a tecnologia para publicidade on-line.