Ilhéus: castrações de cães e gatos estão suspensas temporariamente


Devido a pandemia do novo Coronavírus, que resulta na doença Covid-19, estão suspensas todas as cirurgias de castrações realizadas de forma gratuita nos cães e gatos do município de Ilhéus. A  Unidade de Vigilância a Zoonoses (UVZ) informa que essa suspensão ocorre para reduzir as possibilidades de contato e propagação do vírus. Procedimentos agendados e denúncias devem ser feitas pelo telefone (73) 98837-7791.

A Prefeitura Municipal comunica que durante a pandemia foram redobrados todos os cuidados necessários para manter as inspeções sanitárias. Serão priorizados neste momento, apenas as situações mais críticas, caso o animal esteja com risco iminente de morte. A Unidade de Vigilância a Zoonoses chama a atenção da população que neste período de crise, efetuem somente denúncias de extrema relevância à saúde pública.

De acordo com a coordenadora da unidade em Ilhéus, Paula Rocha, a ação faz parte do Programa de Controle de Populações que visa conter zoonoses transmitidas potencialmente por animais errantes e semi domiciliados.

“A prioridade do serviço deve ser para aqueles animais resgatados de rua, e animais que proliferam descontroladamente, aumentando a população, e por consequência, o risco de transmissão de Zoonoses”, disse.

Felinos – Paula reforça que a suspensão destes serviços segue o decreto editado pelo prefeito Mário Alexandre, suspendendo os serviços não essenciais como medida de controle da doença. Ela aponta que “a existência de grandes populações se dá exatamente por causa da reprodução descontrolada, principalmente dos felinos, em pontos já identificados como a Central de Abastecimento do Malhado, no Jardim Atlântico, Hernani Sá e em Olivença.

A Unidade de Vigilância a Zoonoses entende que o fato de não haver ONGs – Organizações Não Governamentais, na cidade que atuem na proteção desta espécie específica, apesar de já terem o conhecimento da existência de diversas protetoras de animais que se dedicam a captura, cuidados e doação, dificulta o controle destes, justamente por se tratar de uma espécie que tem alto poder reprodutivo.

Diante destas circunstâncias, a UVZ cria estratégias de controle como:

•             Parceria com protetoras que capturam e levam esses animais para castração na unidade;

•             Desenvolvimento de protocolo anestésico e procedimento cirúrgico para filhotes (castração pediátrica), a partir de 2 meses (felinos) com objetivo de evitar a cruza no 1º cio;

•             Realização de procedimento minimamente invasivo (técnica do gancho) desenvolvido pelas veterinárias dra. Carina Barbosa e dra. Paula Rocha, com sutura intradérmica, o que possibilita a soltura destes animais no pós-operatório mediato. O procedimento é chamado de Projeto CED (Captura, esterilização e devolução) e é realizado em diversas capitais e está em implantação em Ilhéus.