Ilhéus: município disponibiliza vacina contra sarampo


Após a suspeita do caso de um jovem do sexo masculino que reside em São Paulo e chegou a Porto Seguro no mês de junho, quando apresentou febre e tosse, evoluindo com exantema no início de julho, deixou em alerta a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), que emitiu alerta para todos os municípios baianos. Em Ilhéus, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) informa que a vacina contra o sarampo está disponível no serviço de rotina dos postos de saúde, mas esclarece que o município não está em campanha.

Por recomendação do Ministério da Saúde, o Setor de Imunização da Sesau está intensificando a vacinação contra a doença. O jovem de 19 anos, que citamos no início, diagnosticado, não vacinado, atuava como monitor numa excursão de estudantes em Porto Seguro. Mais dois casos com o mesmo perfil, todos relacionados ao Estado de São Paulo, onde o município apresenta recente surto. Os resultados de sorologia foram confirmatórios pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Estado da Bahia (LACEN).

Diante da confirmação desses três casos importados, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica do Estado da Bahia alerta para o risco de ocorrência de novos casos associados à importação do sarampo, o que torna essencial a manutenção de uma vigilância ativa para detecção oportuna de casos suspeitos e adoção de respostas rápidas para prevenção de surtos. A chefe do Setor de Imunização, Walkiria Cardeal salienta que “mesmo não estando em campanha, a população pode contar com as vacinas disponíveis nos postos de saúde”.

Atualização da carteira

Walkiria Cardeal explica ainda que é indispensável a apresentação da carteira de vacinação, e que a mesma deve estar atualizada. “Recomendamos que as pessoas busquem o serviço de rotina nas unidades e se imunizem preventivamente, se antecipem a uma possível campanha ou surto da doença. Com isso, fechamos as portas para a entrada do vírus, e a vacina é preventiva, pois é a única forma de prevenir a ocorrência do sarampo no município.

A população deve procurar as salas de imunização para receber as 2 doses da vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) em pessoas com idades de 1 a 29 anos. Já em pessoas com idades de 30 a 49 anos, devem receber 1 dose da vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola). O risco da doença para indivíduos suscetíveis permanece, em função da circulação do vírus do sarampo em várias regiões do mundo e no Brasil, e da intensidade dos deslocamentos aéreos e terrestres.