Itabuna: Viuva Negra é presa


Na última segunda-feira (11/06), uma equipe da delegacia de homicídios de Itabuna cumpriu o mandado de prisão preventiva contra Wane Brenda, acusada de matar dois namorados envenenados.

A acusada tinha relacionamento com Edvaldo Araújo, que morreu em abril de 2017 no Hospital de Base de Itabuna. Na ocasião, a causa da morte teria sido “infarto agudo do miocárdio, cardiopatia isquêmica, hipertensão arterial sistêmica”.

A família de Edvaldo tinha dúvidas sobre a causa da sua morte, pois segundo depoimentos nos autos, ele não estava satisfeito com o relacionamento, alegando que Wane era ciumenta e possessiva e por isso queria por fim ao namoro, fato que era do conhecimento dela.

Já em novembro de 2017, Wane já estava namorando com Evandro Bonfim de Sousa, que passou mal após ingerir uma medicação dada por ela, sendo encaminhado ao Pronto Atendimento da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna. Lá, o médico informou que os sintomas que Evandro apresentava se assemelhavam aos de envenenamento por substância conhecida por “chumbinho”.

Evandro já estava melhor, com perspectiva de alta médica, quando em uma madrugada ele teve uma parada cardíaca, estando acompanhado da acusada. Tentaram a reanimação, colocaram uma sonda gástrica, por onde saía um material escuro parecido com “chumbinho”. Em virtude desta situação família de Edvaldo, o primeiro namorado morto, juntou-se à família de Evandro, buscando o esclarecimento da causa da morte de ambos.

Após autorização judicial, realizou-se a exumação do corpo de Edvaldo e encaminhadas pela Polícia Técnica amostras para exames em Salvador. Os resultados dos exames “pesquisa de psicotrópicos, psico-estimulantes e venenos” nos corpos de Evandro e Edvaldo foram comparados e obtiveram o mesmo resultado, comprovando ter sido o mesmo tipo de chumbinho nas duas mortes. A presa foi submetida ao exame de integridade física e apresentada em audiência de custódia.