Marinho revela: “Bolsonaro é homofóbico, despreza o ser feminino e é incapaz de agradecer”


Na entrevista que concedeu à jornalista Mônica Bergamo, o empresário Paulo Marinho, suplente de Flávio Bolsonaro, fez revelações importantes sobre o caráter de Jair Bolsonaro, além da bomb sobre a fraude eleitoral de 2018. “As piadas eram sempre homofóbicas. Os asseclas riam, mas elas não tinham nenhuma graça. E, no final, ele realmente despreza o ser feminino. Tratava as mulheres como um ser inferior. Não tinha uma mulher na campanha dele. Nunca houve”, diz Marinho.

“Eu olhava o capitão, com aquele jeito tosco dele, e algumas coisas me chamavam a atenção. Por exemplo: ele era incapaz de agradecer às pessoas. Chegava uma empregada minha, servia a ele um café, um assistente entregava um papel, e ele nunca dizia um obrigado”, afirmou.