Banda Delittus


Uma banda de Rock gaucha com dez anos de estrada, um número considerável de fãs e muita disposição para superar dificuldades. Assim podemos definir a Banda Delittus. Os músicos, que participaram recentemente do Holiday Rock Festival, realizado na cidade de Sapucaia do Sul, Rio Grande do Sul, estão em estúdio preparando seu mais novo EP. “Depois do lançamento daremos início a turnê apresentando o novo trabalho”, adianta Fell Rios integrante da Delittus. Conheça melhor o trabalho desses jovens de talento, lendo a entrevista a seguir.

Blog Carvalho News – A Banda Delittus possui dez anos de estrada. Quais as dificuldades que enfrentaram para chegarem até aqui?

Burn – Enfrentamos dificuldades desde o início da carreira, assim como a maioria das bandas independentes. A falta de incentivo e investimento são os fatores que mais levam as bandas a desistirem no meio do caminho. Nunca tivemos investidores, nem projetos do governo aprovados, porém, não desistimos e continuamos trilhando a estrada da música, dia após dia, show após show. Houveram momentos em que as dificuldades superaram o que normalmente se é suportado, mas nos mantivemos de pé, seguindo em frente. Já ficamos dias sem ter o que comer, logo quando fomos morar em São Paulo. Já fizemos shows para duas pessoas: O garçom e o segurança. Já fomos tocar em espeluncas, indo e voltando de trem com os instrumentos pendurados. Já fomos expulsos do palco, pois estávamos ultrapassando nossos 30 minutos de show. Já tocamos em um palco cuja iluminação era feita por essas lâmpadas amarelas antigas, que víamos nas casas dos avós. Já viajamos mais de 700 km, de carro, para ficarmos um dia inteiro numa pocilga com mais de 20 bandas mal e porcamente executando covers, para, na hora do nosso show, tocarmos para 4 pessoas, pois todo o público havia ido embora após a sua trupe ter tocado. Poderia ficar dias listando algumas das adversidades que tivemos, e certamente iria me esquecer de algumas. Mais de dez anos de estrada nos trazem muitas experiências, boas e ruins. O lado bom de toda a dificuldade é o crescimento, e o que crescemos é imensurável, desde o início da Delittus. A nossa maior recompensa é ver e ouvir pessoas cantando, chorando, se emocionando com as nossas músicas. É isso que ainda nos move.

CN – Vocês tocam Rock e já afirmaram que gostam do Hard Rock dos anos 80. Quais as bandas que mais influenciaram seu estilo?

Burn – Nossa música sempre foi essencialmente o Rock, vindo de várias vertentes. Até 2011 tínhamos uma maior influência do Rock contemporâneo, de 2000 em diante. A partir de 2011 começamos a expor nossas influências do Rock dos anos 80 e 90 como Bon Jovi, Guns, Pearl Jam, mas sem deixar de seguir nossa raiz do pop/rock de 2000. Essa maior influência do hard rock pode ser percebida a partir do álbum Gênesis de 2014.

CN – Fale-nos um pouco da Tour o Impossível?

Burn – A tour impossível foi uma idéia que tivemos para reunir integrantes antigos da banda, e tocar músicas do primeiro trabalho, comemorando os 10 anos de estrada. Essa união acabou trazendo o Matt para fazer alguns shows com a gente, e ele acabou ficando.

CN – Vocês mesmos compõem as musicas da banda? Como é o seu processo criativo?

Burn -Todas as músicas são da Delittus. Cada trabalho teve sua peculiaridade na composição, porém todos seguiram a mesma essência. Para o novo trabalho, estamos trazendo esboços para dentro do estúdio e lapidando em ensaios.

CN – Como é a relação da Delittus com seus fãs?

Burn – Sempre foi uma boa relação. Nossos fãs são muito críticos e exigentes. Aprendemos a lidar com isso com o tempo. Aceitamos e absorvemos as boas críticas, mas passamos a não dar mais bola para ignorância e ofensas. Tem gente que enche a boca (ou os dedos), pra dizer que a banda tinha que ser de tal jeito, mas sequer sabe o nome de um álbum, ou sequer sabe que o Matt voltou para os vocais. Esse tipo de gente nós ignoramos. Nosso foco é aquela galera que está sempre nos ouvindo, nos elogiando, e até nos criticando, mas de uma forma construtiva.

CN -Como vocês avaliam o atual cenário musical brasileiro?

Burn – Dominado pelos sertanejos, e eles estão fazendo o certo. Se unem, se ajudam, apoiam a cena. Se o rock fizesse metade do que eles fazem no Brasil, teríamos um cenário muito mais forte. O problema das bandas de rock, é que elas querem tudo pra si. Não enxergam um palmo a frente. Enquanto for assim, a grande massa do nosso país vai continuar consumindo apenas sertanejo e funk.

Banda Delittus
Banda Delittus Fotos: divulgação

CN – O que os membros da banda costumam ouvir e apreciar?

Burn – Cada um tem suas próprias influências. Sei que o Matt ouve bastante bandas contemporâneas, e bandas de rock underground internacionais. Eu (Burn) ouço bastante hard rock (Bon Jovi, o projeto solo do Richie Sambora, Mr. Big, Joe Bonamassa…). Mas também gosto de rock e blues contemporâneos (John Mayer, Kings of Leon, Foo Fighters). O Fell é muito fã de Pearl Jam e Guns, mas sei que também curte bastante Kings of Leon. O Ivan gosta de uns sons mais virtuose, pelo que eu sei. Os guris que me corrijam depois se eu estiver errado.

CN – Podem revelar alguma novidade que vem por ai?

Burn -Estamos em estúdio preparando nosso novo EP. A princípio será um EP de 4 faixas, com lançamento previsto para o segundo semestre na internet e nas rádios do sul. Depois do lançamento daremos início a turnê apresentando o novo trabalho. Claro, com os sons antigos no repertório do show, também.

CN – Qual a mensagem que gostaria de deixar para os seus fãs?

Burn – Obrigado a todos que continuam acompanhando a Delittus. O que nos move é o carinho e o retorno de vocês. Pedimos para que divulguem nosso trabalho, sempre. Nas rodinhas de violão, nos churrascos com amigos, na internet. Para uma banda independente, isso é o mais importante. Contamos com vocês.

Saiba mais:

www.delittus.com

https://www.facebook.com/Delittus/