Oposição e caminhoneiros em apoio à greve dos petroleiros


Em sua segunda semana, a greve dos petroleiros angaria apoio de partidos de oposição e outras categorias, como os caminhoneiros. Segundo a FUP (Federação Única dos Petroleiros), a adesão já passa de 21 mil empregados e afeta 122 unidades da Petrobras. As 11 grandes refinarias do país teriam aderido ao movimento –a estatal não comenta os dados. O ministro do Tribunal Superior do Trabalho Ives Gandra declaou a greve ilegal e estabeleceu multa de até R$ 500 mil em caso de descumprimento da ordem de suspendê-la. A Petrobras opera com equipes de contingência, formadas por empregados com cargo de confiança, aposentados e terceirizados, e informa que a produção não foi afetada até o momento.