Oscar Pilagallo da Folha de São Paulo ministra curso sobre a Ditadura Brasileira


Muito se fala sobre a o período de Ditadura que ocorreu em nosso país. Entretanto, ainda há uma parcela da população que, erroneamente, afirma que a mesma não ocorreu. Tal fato só comprova o quando nossos cidadãos ignoram a própria história. Tentando reverter esse quando o Jornal A Folha de São Paulo, lançará no próximo domingo (28) um curso online gratuito com quatro aulas, de uma hora de duração cada, sobre a ditadura brasileira. As aulas serão ministradas peloo jornalista e escritor Oscar Pilagallo.

Segundo informações do veículo, o objetivo é explicar didaticamente as várias fases do período autoritário de 1964-85, dos antecedentes do golpe de 31 de março de 1964 até a transição para a democracia. As inscrições podem ser feitas em oquefoiaditadura.folha.uol.com.br.

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 54,2% da população brasileira nasceu após o ano de 1985, quando o regime militar terminou. Somando os que eram crianças de até 10 anos nessa data, o percentual sobe para 69,4%.

Ou seja, 7 em cada 10 brasileiros não viveram a ditadura, ou eram muito jovens para terem fixado na experiência o que foi aquele momento.

Jornalista e escritor Oscar Pilagallo. Foto|:divulgação
Jornalista e escritor Oscar Pilagallo. Foto:divulgação

Em quatro aulas, Pilagallo falará sobre a armação do golpe, a escalada autoritária, o endurecimento do regime a partir do Ato Institucional nº 5 (1968) e a retomada da democracia (1985).

Ele explicará ao que significou a ausência de eleições presidenciais diretas, a interferência do regime nos Poderes Legislativo e Judiciário, a censura e repressão violenta à oposição, com assassinatos e tortura como políticas de Estado. A semente para hiperinflação, o aumento da desigualdade e endividamento externo, o caminho Da corrupção em grandes obras públicas.

Segundo o jornalista, o discurso de justificar o golpe e a repressão da ditadura para evitar um mal maior, no caso uma suposta ameaça comunista, tem crescido nos últimos anos, propagado sobretudo por Jair Bolsonaro e seus aliados.