Festa da Lavadeira retorna para a Reserva do Paiva em 2019


A Festa da Lavadeira surgiu em 1987 e, posteriormente, foi decretada por lei como patrimônio imaterial do povo pernambucano. Hoje, a tradicional festa que há 30 anos é realizada na Reserva do Paiva, no município do Cabo de Santo Agostinho, vem tornar público, que o Ministério Público de Pernambuco, por meio de audiência realizada no último dia 12 de abril de 2018, decidiu acabar com a realização da Festa Profana da Lavadeira, permitindo que, a partir de 2019, volte a ser realizada, apenas, a Festa Religiosa durante todo 1º de maio.

festa da lavadeira 2
Festa da Lavadeira de 2014 Foto: divulgação

“A essência da Festa da Lavadeira é religiosa, então, a organização da festa fica contente em saber que a partir do ano que vem, apesar das restrições do TAC de 2011, a Festa da Lavadeira retorna para a Reserva do Paiva. Acreditamos na sua 32ª edição que se realiza, inclusive, com o apoio da Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho e do Ministério Público de Pernambuco, uma grande vitória para todos nós”, destacou o fundador da Festa da Lavadeira, Eduardo Melo.

 Em dezembro de 2010, uma lei do município do Cabo de Santo Agostinho impediu a realização da Festa da Lavadeira na Reserva do Paiva, no Litoral Sul, alegando que havia transformado a área em zona especial de turismo, lazer e moradia, o que impediria a instalação de estruturas como barracas e arquibancadas na área, além de proibir a instalação de palanques, som ou a comercialização de bebidas alcoólicas.

 em 2011, a Festa da Lavadeira foi dividida em Religiosa e Profana, por meio de um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) durante audiência pública realizada no Ministério Público de Pernambuco.

 

curso de inglês gratuito e com certificado reconhecido pelo Mec


O Ministério da Educação (MEC), em parceria com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), oferece aulas de inglês gratuitas, no Curso My English Online, para estudantes oriundos de instituições de ensino superior públicas e privadas no Brasil.

A plataforma on-line foi criada com o objetivo de preparar os estudantes para participar do programa Ciências Sem Fronteiras. Sendo assim, alunos de graduação ou pós-graduação podem participar. Primeiro você precisa checar se a sua instituição está entre as credenciadas.

O usuário terá acesso a livros interativos, leituras graduadas (National Geographic), exercícios de gramática (com correção imediata), dicionários, atividades para prática oral e testes de acompanhamento. Além disso, os materiais podem ser impressos para prática posterior, sem necessidade de consulta ao computador.

O curso é dividido em cinco níveis de aprendizado. Cada nível contém três partes (que deve concluída em até 60 dias) abrangendo atividades com e-Book, vídeo, gramática e leituras. A duração máxima de cada etapa é de 180 dias. Ao final de cada parte, o usuário deverá fazer um Teste de Progresso como preparação para a Prova Final do nível.

Para iniciar o curso, o estudante deve se cadastrar na plataforma e assinar o Termo de Compromisso. Depois disso, o usuário tem até 45 dias para começar os estudos. Clique aqui para de cadastrar!

Caso queira verificar as instituições credenciadas, acesse: Aqui

Fonte: Catraca Livre

Fabrício Gomes mostra a você: Manaus


Por Fabrício Gomes

Para chegar a Manaus, seus acessos se dão por vias aéreas no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes; terrestre através de nossas rodovias, e por hidrovias. Nossos rios no Porto Rodway, caminhos de vida, a travessia de sonhos, caminho de muitos no nosso estado.

Muitos são seus atrativos turísticos. Ao chegar a Manaus, você se fascina com cada canto e cada lugar. Nossa culinária, as iguarias dos peixes, nossos artesanatos e muito mais.

O Mercado Municipal Adolpho Lisboa, conhecido por muitos como Mercadão, guarda muita historia. Ele é considerado símbolo da arquitetura do Período Áureo da Borracha, tombado pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional ao nível Nacional.
Local de chegada e partida, para quem vem e sai de barco no Porto de Manaus Rodway, que é o principal meio de locomoção para visitantes e moradores.

Conheça também o Imponente Teatro Amazonas, localizado no Centro da cidade. A construção foi inaugurada no ano de 1896. Ele é palco de inúmeras obras literárias, representando a cultura de nosso Estado.

Além de muitos outros lugares a se conhecer chegando a Manaus, cidades próximas que revelam toda beleza que o Amazonas possui, recantos de muita paz e descanso. É garantia de contato total com a natureza. Eu garanto: há inúmeras aventuras que você pode conferir vindo ao Amazonas.

E ai? Posso contar com você na próxima viagem? Espero que sim!

fabriciogomes2018

 

Amazonense de Manaus, Fabrício Gomes, é fotógrafo,

administrador da Gomes TURISMO,

amante da Natureza e das Belezas Amazônicas

Pesquisa aponta crescimento de Joaquim Barbosa


O ex-ministro, Joaquim Barbosa ocupa o segundo lugar na lista dos presidenciáveis mais competitivos, com 16,3% dos votos. Os dados constam na pesquisa do DataPoder360 de intenção de votos para presidente da República publicada no último dia (21). O pré-candidato Jair Bolsonaro (PSL) lidera a lista, com 22,4%.

O cenário ainda é embaralhado para as eleições de 2018. O DataPoder360 avaliou a possibilidade da disputa ocorrer entre os 7 candidadatos cuja exposição indicasse intenção de voto acima de 5%. A soma de brancos e nulos com aqueles que ainda não possuem candidatos ou não responderam fica na casa dos 25%.

Sem Lula nos testes, a pesquisa traz uma disputa embolada para a 3ª posição. Diferentemente do que foi refletido no último Datafolha, há um crescimento potencial do possível herdeiro político e partidário do ex-presidente. Fernando Haddad (PT) tem 7,4% das intenções de voto e empata com Ciro Gomes (PDT), com 8,4%, Marina Silva (REDE), 8,2%, e Alvaro Dias (PODEMOS), 6,3%.

O tucano Geraldo Alckmin aparece abaixo com 5,5% das intenções de voto. Nos cenários do teste, Bolsonaro ganharia com folga do candidato do PSDB em um possível 2º turno.

O estudo foi realizado entre os dias 16 e 19 de abril e contou com 2.000 entrevistados em 278 cidades brasileiras. A margem de erro do levantamento é de 2,2 pontos percentuais. A pesquisa pode ser consultada através do site do Poder360 .

O cantor Jerry Adriani In Memoriam


jerry_adriani_reduzido
Jerry Adriani Foto: divulgação

No dia 23 de abril, do ano passado, o cantor Jerry Adriani (Jair Alves de Souza) nos deixava, pouco tempo depois de ser diagnosticado com câncer. Jerry é um dos ícones do Movimento da Jovem Guarda e com mais de meio século de carreira, colecionou inúmeros sucessos. Ele nasceu em São Paulo, mas morava no Rio de Janeiro. A entrevista a seguir foi gentilmente concedida por Jerry Adriani, ao Carvalho News, poucos dias antes do artista ter descoberto que possuía a doença. Essa é nossa singela homenagem ao nosso querido Jerry Adriani. Boa leitura!

CN – Fale-nos um pouco de sua amizade com o Rauzito.

IMG_4131 1
Foto: Hugo Leonardo

Jerry Adriani –  Raul Seixas foi um amigo muito querido para mim. Foi um daqueles episódios de estar no lugar certo na hora certa. Travamos uma amizade que durou uma vida inteira. Era o Rauzito meu amigo que morava na Bahia e tinha uma banda, que acabou casualmente me acompanhando, nasceu de minha parte o interesse que eles tocassem comigo e a partir daí foi só amizade. Gravei a primeira música do Raul, daí comecei a batalhar pelo Raul produtor. Foi uma luta muito grande na época, pois o Evandro Ribeiro, diretor da CBS não era de acordo. Ele que produzia e temia que as coisas não dessem certo. Finalmente ele acabou concordando e o Raul produziu três discos meus.  Aí basicamente foi o início da carreira dele como produtor, depois ele começou a escrever várias músicas. A partir daí que viria a nascer o Raul Seixas.

CN – Como você definiria a Jovem Guarda?

Jerry Adriani – A jovem guarda foi uma época de transição não só musical mas também social. Houve o movimento Woodstock , shows contra a Guerra do Vietnã… Foi um período em que tudo estava em ebulição. A jovem guarda foi um momento de transição, uma consequência de varias coisas de fora.

CN – Qual a melhor lembrança que você tem dessa época?

Jerry Adriani – Era muito interessante começar a realizar os sonhos. A aparecer artisticamente… A jovem guarda foi uma realização de um sonho. É difícil de dimensionar. Não tínhamos nem noção do que significava aquilo.

CN – O Jerry Adriani  é politizado?

Jerry Adriani – Não sou partidário, mas sou um fruto disso tudo. Como cidadão brasileiro possuo minhas convicções. Agora transformar isso numa bandeira profissional é outra coisa. Não sou um ativista político, mas não me negaria, por exemplo, a assinar um abaixo assinado contra a censura. Como não me neguei.  Eu não participava daquilo ou disso, por não ser o meu círculo e tudo era circulo.  Hoje não se pode ficar totalmente alheio ao que esta ocorrendo.

CN – Você também atuou como ator em produções como “Malhação”, “74.5   Uma esperança no Ar”, fez filmes para o cinema. Como foi essa experiência?

Jerry Adriani –  Foi maravilhoso atuar. Foi mais uma vivencia importante na carreira. Nunca tive a pretensão de me tornar um ator, mas sim de dar conta do recado ao interpretar um personagem.  Acho que de uma certa forma eu consegui.  Em “Malhação” fui para ficar uma semana e permaneci três meses, em 74.5 fui elogiado pela minha atuação.  A vida artística é um grande desafio, a gente tem que ir tocando conforme a musica, se adaptando.

DSC_150
Foto: Hugo Leonardo

CN – Como você avalia o cenário musical atual?

Jerry Adriani – O cenário musical mundial está muito mais contestador. A música negra americana, por exemplo, sempre achei que era uma das mais apuradas em termos de qualidade. Sempre fui fã de Quince Jones, dos artistas da gravadora Motown… Entretanto, hoje, houve um declínio musicalmente falando.  Atualmente, a música de rua que retrata um momento social. Mas musicalmente falando há uma perda. A música é uma mensagem, um desagravo, um discurso com ritmo. No Brasil, por exemplo, os gêneros musicais tradicionais, como por exemplo, a música sertaneja de raiz sofreu uma plástica. As pessoas estão tentando adequá-la a uma realidade social. O que acontece é que as formulas vão sendo criadas, uma receita de sucesso. Foi mais ou menos o que ocorreu na época da Jovem Guarda. É mais ou menos uma fórmula matemática e isso acaba ficando meio repetitivo. Hoje tudo segue uma espécie de cartilha e isso aconteceu com todos os gêneros musicais.  Do samba raiz veio o pagode e assim vai. Entenda eu não sou contra nada.  Não faço campanha contra ninguém, absolutamente, pois respeito todos os estilos… Estou falando no estilo musical. Se você complicar muito uma melodia hoje, ela não vai fazer sucesso.  Nesse ponto eu acho muito ruim. Deveria haver um pouco mais de cuidado. Num disco deveria ter ao menos duas musicas com qualidade musical. Na década de 70 quando havia o arranca rabo da Jovem Guarda com a Bossa Nova, mas havia um contra ponto. No Rio de Janeiro, por exemplo, uma rádio de nome MPB FM saiu do Ar. E foi um absurdo, não estou fazendo apologia a essa rádio que por um acaso, jamais tocou uma musica minha. Mas é uma emissora que fará falta para muita gente.

CN – Como anda a sua autobiografia?

Jerry Adriani – Já temos 300 páginas escritas, falando até o Jair se tornar Jerry… Estou começando a contar o Jerry. Nessa parte, vou fazer alguns comentários, algumas crônicas, algo similar ao livro  “As crônicas de bob Dylan”. Vamos fazer um levantamento por décadas na vida do Jerry Adriani e transformar isso num grande dicionário. Com perguntas e respostas onde vou poder focalizar todos os assuntos e fazer algumas crônicas. Por exemplo, minha ligação com Raul Seixas, minha ligação com Renato Russo, minha saída da CBS. No final terá alguns contos depoimentos e pronto.

CN – Quais os seus passatempos?

Jerry Adriani – Amo a leitura, gosto de cinema, documentários, sou aficionado por ufologia, sou adepto da ginástica, herdei isso do Raul. A meu ver, o homem vai ter que se habituar a esses fenômenos.

CN – Sobre o seu novo cd, pode nos adiantar algo?

Jerry Adriani – Vai ser um trabalho em conjunto com o livro e vou gravar canções do Rauzito. Vou gravar as músicas de raiz do Raul Seixas. Vai ser muito interessante esse trabalho. Se Deus quiser isso vai sair ainda esse ano de 2017.

CN – Qual a mensagem que gostaria de deixar para seus fãs?

Jerry Adriani -Quero agradecer a galera que segue a minha carreira, que é muito fiel. Espero que estejamos agindo da forma que atenda a expectativa deles. E para o pessoal novo estou me apresentando agora e espero que a gente consiga criar uma relação.

Protestos na Nicarágua já tem saldo de 27 mortos


Um órgão de Direitos Humanos da Nicarágua informou, neste domingo, que pelo menos 27 pessoas morreram durante os violentos protestos contra a reforma da Previdência do país nesta semana. Segundo o Centro Nicaraguense de Direitos Humanos (Cenidh) o número de vítimas ainda é incerto, mas já teriam sido confirmadas pelo menos 20 mortes.

A Nicarágua completou, neste domingo, o quinto dia de violentos protestos contra a reforma do sistema de segurança social, na crise mais profunda desde que Daniel Ortega voltou ao poder.

Supermercados da capital Managua foram saqueados neste domingo. De acordo com a agência de notícia Reuters, a Cruz Vermelha confirma sete mortes nas regiões em que estava presente. Até sexta-feira à noite o governo confirmou quase uma dúzia de mortes.

No sábado, a imprensa local informou que um jornalista de televisão foi morto a tiros enquanto fazia uma transmissão ao vivo sobre os protestos de Bluefields, uma cidade na costa caribenha afetada pelos tumultos.

Diante do crescente descontentamento com a reforma, que elevará a contribuição de trabalhadores e empregadores e reduzirá as aposentadorias futuras, Ortega prometeu revisar a reforma no sábado. No entanto, a repressão pela polícia contra os manifestantes e barreiras para alguns meios de comunicação nos últimos dias têm alimentado mais críticas ao presidente, que tem reforçado gradualmente seu controle sobre as instituições do país desde que voltou à presidência em janeiro 2007.

protestos nicaragua
Protestos com a reforma da previdência na Nicarágua já duram quatro dias Fotos: divulgação

A Nicarágua tem sido um dos países mais estáveis da América Central, evitando em grande parte a turbulência política ou a violência do narcotráfico que atingiu Honduras, El Salvador e Guatemala nos últimos anos.

Ortega presidiu a um período de crescimento estável com uma mistura de políticas socialistas e capitalismo. Mas os críticos acusam Ortega e sua esposa, a vice-presidente Rosario Murillo, de tentar estabelecer uma ditadura familiar.

Como líder da Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN), Ortega esteve à frente da última revolução armada na América Latina, em 1979. Eleito presidente em 1985, quando os sandinistas enfrentavam os “contras”, reação armada patrocinada pelos Estados Unidos, ele acabou derrotado quando tentava se reeleger, em 1990. Há 11 anos, Ortega voltou ao poder em aliança com setores da direita e hoje cumpre seu terceiro mandato consecutivo.

Nos últimos dias, seu governo endureceu a repressão contra as centenas de manifestantes que se opõem às mudanças no regime de pensões e aposentadorias. Com as novas medidas, a contribuição dos trabalhadores passa de 6,25% para 7% do salário, enquanto os empregadores pagarão 22,5% (antes contribuíam com 19%). Os aposentados terão que contribuir para o INSS com 5% do valor que recebem.

O setor empresarial rejeitou os decretos de Ortega, que afirma que o objetivo é sanar as finanças do INSS. O presidente atende a uma recomendação do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Fonte: Jornal O Globo

São Paulo: prefeitura vai oferecer curso de português para 300 venezuelanos


 Uma parceria entre a Prefeitura de São Paulo e o Centro Universitário Ítalo-Brasileiro vai oferecer curso de português a refugiados. Serão disponibilizadas 50 vagas no campus da instituição em Santo Amaro, na zona sul. A cidade deve receber 300 estrangeiros como parte do programa de interiorização dos imigrantes que cruzaram a fronteira em Roraima para escapar da crise econômica e política na Venezuela. Até o momento, 161 venezuelanos estão na capital paulista.

Segundo o secretário municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Felipe Sabará, os participantes do curso serão selecionados a partir do processo de documentação. Aqueles que tiverem a situação resolvida poderão participar das aulas. “Todos terão direito a cursos, mas nesse primeiro momento, a triagem vai ser baseada naqueles que tem a documentação mais finalizada”, disse após o anúncio. O curso de português terá uma carga total de 30 horas.

Além das aulas, o prefeito Bruno Covas ressaltou que a administração municipal está tentando forma de incluir os imigrantes no mercado de trabalho. “A prefeitura está buscando espaço no mercado de trabalho com empresas de call center que, inclusive, precisam de pessoas que falem o espanhol para poder atender em espanhol”. Os venezuelanos estão sendo abrigados em Centros Temporários de Acolhimento, voltados para o atendimento da população em situação de rua.

Venezuelanos-no-Brasil-800x420
Venezuelanos entrando no Brasil Foto: divulgação

Processo de aprendizagem

Para o fundador do Instituto Adus, organização não governamental que trabalha com integração de refugiados, Marcelo Haydu, o processo com os venezuelanos tem sido melhor do que com os haitianos, durante a crise migratória de 2014. “Diferente do que foi feito com os haitianos, que praticamente foram escorraçados lá do Acre. Dessa vez, teve uma ação um pouco mais bem estruturada”, avaliou.

A ideia de trazer os estrangeiros, atualmente concentrados em Roraima, para São Paulo também é acertada na opinião de Haydu. “Eu acho que São Paulo deveria acolher a maior parte dessas pessoas. Não sei se, na prática, isso vai se concretizar, mas eles deveriam ir para as cidades e estados mais bem estruturados. E São Paulo, dentro do Brasil, é o estado mais bem estruturado para receber refugiados e imigrantes”.

Sobre o curso de português oferecido pela parceria da prefeitura, o diretor da ONG disse não ter condições de fazer uma análise específica, por não conhecer a metodologia.  Ele comparou com os resultados obtidos pelo Adus. “Geralmente, em um módulo de três meses com quatro horas por semana, essas pessoas saem com um nível razoável. As pessoas conseguem entender bem o que está sendo dito, se comunicar”.

O domínio da língua costuma chegar, no entanto, segundo Haydu, com um pouco mais de estudo. “Em seis meses, a pessoa estando no país em contato com brasileiro, sai com nível, pelo menos de audição e oral, bem satisfatório”, disse ao explicar o método de trabalho da ONG. O instituto tem uma metodologia voltada para o aprendizado de pessoas em situação de refúgio com dois módulos de três meses de aulas.

Haydu disse que as condições de aprendizagem variam muito para cada pessoa, dependendo da dedicação e do contato com a língua. “O desenvolvimento dessas pessoas que aprendem um idioma, vai muito de cada um, depende da situação que essa pessoa se encontra”.

De acordo com a Casa Civil da Presidência da República, cerca de 32 mil venezuelanos já pediram refúgio ou residência temporária no Brasil desde 2015, quando começou o fluxo migratório para o país. Mas o fluxo na fronteira é ainda maior, já que muitos deles voltam à Venezuela para buscar parentes ou levar dinheiro para quem ficou. Por dia, entram de 600 a 800 venezuelanos no Brasil, mas eles não necessariamente se estabelecem no Brasil.

Encceja: inscrições já estão abertas


Interessado em participar do Encceja desta ano?As inscrições para o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja Nacional) já estão abertas. O prazo para fazer a inscrição termina no dia 27 de abril. As provas serão realizadas no dia 5 de agosto. O sistema de inscrição pode ser acessado na página http://enccejanacional.inep.gov.br/encceja/ .

O exame é direcionado aos jovens e adultos que não concluíram os estudos na idade apropriada para cada nível de ensino. Os participantes devem ter, no mínimo, 15 anos completos na data de realização do exame, para quem busca a certificação do ensino fundamental. Quem busca a certificação do ensino médio tem que ter, no mínimo, 18 anos completos na data de realização do exame. A participação é voluntária e gratuita.

Durante a inscrição, o participante deve ficar atento à seleção das áreas de conhecimento. Quem quer o certificado de conclusão do ensino fundamental ou do ensino médio precisa ter proficiência nas quatro áreas do conhecimento e na redação. Mas o participante que já tem alguma declaração parcial de proficiência, obtida em edições passadas do Enem ou do próprio Encceja, fica liberado de fazer a prova da área na qual já tem proficiência comprovada. Na inscrição, o participante também precisa escolher a instituição na qual pretende solicitar a certificação ou a declaração parcial de proficiência.

Os resultados individuais do Encceja permitem a emissão de dois documentos: a certificação de conclusão do ensino fundamental ou do ensino médio, para o participante que conseguir a nota mínima exigida nas quatro provas objetivas e na redação, e a declaração parcial de proficiência, para o participante que conseguir a nota mínima exigida em uma das quatro provas, ou em mais de uma, mas não em todas.

Também  serão realizados neste ano o Encceja para quem mora no exterior, para adultos submetidos a penas privativas de liberdade e para adolescentes sob medidas socioeducativas que incluam privação de liberdade.

Rio: cidade pode ter dia de luta contra encarceramento da juventude negra


A partir deste ano, a data de 20 de junho poderá marcar, no Rio de Janeiro, o Dia Municipal de Luta contra o Encarceramento da Juventude Negra. O projeto de lei que institui a data foi aprovado na última quinta-feira (12) pela Câmara Municipal e aguarda agora sanção do prefeito Marcelo Crivella (PRB). A proposta é assinada pela bancada do PSOL e tem como primeira proponente a vereadora Marielle Franco (PSOL), cujo assassinato em 14 de março completa um mês hoje.

De acordo com dados do Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Infopen), divulgado em dezembro pelo Ministério da Justiça, os pretos e pardos representam 72% da população carcerária do Rio de Janeiro. Ao todo, são 50.555 presos no estado, número 85,6% superior à capacidade das unidades prisionais do estado.

“Temos uma população carcerária que cresce absurdamente ano a ano. E a maior parte dessa população é negra, formada por presos provisórios que sequer foram julgados. Muitos poderiam estar cumprindo penas alternativas, e o Estado brasileiro não consegue resolver. Temos presídios superlotados que não resolvem a situação e são na verdade fábricas de moer gente e de ampliar o crime”, diz o vereador Tarcício Motta (PSOL), também signatário do projeto.genocídio-da-juventude-negra

Segundo ele, a ideia é ter um dia para estimular a reflexão sobre essa situação e organizar a luta. “Caberá aos movimentos sociais, à Câmara Municipal, à prefeitura ou a outras entidades e instituições dar um sentido para essa data no calendário oficial da cidade. A partir dela nós teremos, por exemplo, legitimidade para propor debates em escolas ou eventos nas praças”, acrescentou.

O projeto de lei que institui a data foi votado em dois turnos. No primeiro deles, apenas o vereador Carlos Bolsonaro se posicionou contra. Na segunda votação, a aprovação ocorreu com 23 manifestações favoráveis e sete contrárias.

Rafael Braga

O 20 de junho faz referência ao dia em que Rafael Braga foi preso em 2013. Jovem negro, ele trabalhava como catador de material reciclável e foi condenado a cinco anos de prisão após ser detido com dois frascos de plástico contendo desinfetante, durante uma manifestação. Policiais alegaram que o produto seria para fabricar coquetel molotov.

Em outubro de 2014, ele progrediu para o regime semiaberto e passou a usar tornozeleira eletrônica até que, em janeiro de 2016, foi novamente preso, desta vez por portar 0,6 grama de maconha e 9,3 grama de cocaína. Com base no depoimento do policial que o prendeu, Rafael recebeu uma nova condenação, de 11 anos e três meses de reclusão por tráfico e associação ao tráfico. Em dezembro do ano passado, desembargadores da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio negaram a apelação da defesa.

Desde sua primeira prisão, ativistas de direitos humanos e representantes de movimentos sociais se mobilizam em uma campanha para a libertação de Rafael Braga. Eles refutam as acusações de tráfico e associação ao tráfico, argumentando que sua tornozeleira era monitorada e que não há indícios de atividades criminosas para além do depoimento policial. A defesa do jovem alega que as provas foram forjadas e, ainda que não fossem, a pena seria incompatível para um flagrante de menos de 10 gramas de drogas.

Itabuna: Prefeitura garante reforma e manutenção de escolas municipais


Assegurar condições dignas de trabalho e de aprendizado aos professores e
alunos da Rede Pública Municipal é uma das propostas de melhoria da qualidade de
ensino estabelecidas como metas da Secretaria da Educação (SEC). Para tanto,
a Prefeitura de Itabuna está assegurando a reforma e manutenção de todas as
escolas que integram a rede municipal.

alunos na escola

Segundo a secretária Anorina Alves Smith Lima, um diagnóstico situacional
aponta para a necessidade de intervenções emergenciais em quase todas as
unidades escolares. Diante deste quadro, esclarece a secretária, foi preciso
priorizar aquelas cujo comprometimento estrutural poderia colocar em risco a
segurança da comunidade escolar. Ela explicou ainda que os serviços estavam
previstos para serem executados no período de férias, porém, por conta da contenção
de despesas adotada com a crise enfrentada pelo município, não foi possível realiza-
los.

“Com a equipe de engenharia elaboramos um planejamento para que sejam
atendidas de imediato sete unidades escolares, com intervenções na parte elétrica,
hidráulica e pintura”, disse Anorina.  A secretária informou ainda que nesta primeira
etapa serão atendidas as escolas municipais Flávio Simões, Imeam, Marechal
Castelo Branco, Genival Correia, Frederico Smith e Maria Creuza, além da conclusão
da reforma da Escola Lúcia Oliveira. Posteriormente, demais escolas serão
beneficiadas.