Itabuna: Gomes promete antecipar 13º, se professores porem fim a greve


Segundo o prefeito de Itabuna, Fernando Gomes, caso os professores encerrem a greve, o município se compromete a antecipar o pagamento do 13º salário dos professores e a regularizar o pagamento dos salários dos grevistas. Segundo Fernando Gomes, o município atravessa uma grave crise financeira. “A nossa arrecadação está cada dia caindo, tenho que pagar os funcionários e nossos prestadores, mas a receita que entrou essa semana foi pouco mais de R$ 100 mil, precisamos de mais de R$ 2 milhões”, esclarece.

Em greve há mais de 60 dias, os professores alegam ser solidários aos poucos mais de 130 professores em desvio de função, que estão com seus salários atrasados. “Nossa secretaria já fez um acordo com o sindicato para colocar esses professores até janeiro na folha do Fundeb, pois como eles estão em desvio de função, estão recebendo salário com recursos próprios do município, mas a situação da prefeitura é de falência. Essa semana mesmo, demitimos mais de 500 funcionários, e deveremos demitir mais gente ainda”, garante Gomes.

Itapetinga deve demitir até 300 contratados


O período de demissões de contratados tão comum nos finais de ano já teve início. Em Itapetinga, por exemplo, aproximadamente 300 pessoas perderão seus empregos. Há informações, de que a prefeitura teria recebido uma citação para que pague à receita federal, o valor correspondente a R$ 3 milhões, até o último dia de outubro.

O valor seria decorrente do não recolhimento das contribuições da gestão do ex-prefeito José Carlos Moura(PT), comprometendo assim a receita do município. Já a oposição alega que um dos motivos da crise e das demissões foi a festa de São João realizada pela prefeitura, que foi muito cara, atrapalhando o planejamento financeiro da gestão.

Encontro em Ilhéus promove boas práticas


O objetivo é disseminar boas práticas da gestão fiscal municipal e criar uma rede de troca entre municípios da região Sul da Bahia. Esta é a proposta da Oficina de Boas Práticas – Melhoria do Equilíbrio Fiscal Municipal, que será realizada nos próximos dias 6 e 7, das 9 às 17hs, no auditório do Sebrae. O evento é destinado à apresentação de boas práticas em desenvolvimento nos municípios da região, em parceria com a empresa Mouve Brasil, além de um momento prático de oficina com técnicos, secretários e prefeitos para elaboração de um Plano de Ação para a Melhoria Fiscal.

De acordo com a gestora do projeto na Bahia, Anna Deniz, na oficina, todos os municípios presentes receberão um diagnóstico da situação fiscal local personalizado pela Mouve e poderão elaborar soluções para problemas de arrecadação e otimização de despesas. “Os municípios possuem muitas questões em comum e soluções compartilhadas que podem ser aplicadas para que eles possam prosperar no equilíbrio financeiro”, destacou Anna.

O evento é uma realização em conjunto com a Associação dos Municípios do Sul, Extremo Sul e Sudoeste Baiano – Amurc, que investe na troca de experiência exitosas entre os municípios, realçando as melhores práticas de cada um. Além da Amurc, a Oficina de Boas Práticas é uma realização em parceria com o Sebrae e o Instituto Arapyaú.

Itabuna: professores e prefeitura não chegam a acordo


O impasse entre professores e a Prefeitura de Itabuna continua. Já são 60 dias de paralisação. A classe apresentou uma solicitação de reajuste de 6,81%, mas o município apresentou uma contraproposta, que foi rejeitada pelo sindicato. A categoria também reivindica o pagamento imediato dos mais de 150 professores que estão em situação de desvio de função. De acordo com a prefeitura, caso  reajuste seja realmente dado causará um impacto de mais de R$5 milhões na folha de pagamento do município.

 

Jair Bolsonaro e suas propostas de governo


Em uma das eleições mais concorridas e polêmicas de todos os tempos, Jair Messias Bolsonaro foi eleito neste último domingo (28/10) presidente da República Federativa do Brasil. O candidato do PSl conquistou pouco mais de 55% dos votos válidos, contra 44,85% de Fernando Haddad (PT).

O capitão reformado será o chefe do Poder Executivo pelos próximos quatros anos e receberá a faixa presidencial no dia 1º de janeiro de 2019. Ele será o 38º presidente do país.

Muito se falou dos projetos de Bolsonaro. Algumas propostas do presidente eleito com base no programa apresentado ao TSE e entrevistas concedidas durante a campanha são as seguintes:

Segurança e direitos humanos

Bolsonaro defende a liberdade de escolhas “desde que não interfiram em aspectos essenciais da vida do próximo”. Segundo ele, essa liberdade deve alcançar escolhas afetivas, políticas, econômicas ou espirituais e acrescenta que uma nação mais fraterna e com menos excluídos é mais forte. Em seu programa de governo, diz que a política de direitos humanos será redirecionada com prioridade para a defesa das vítimas da violência, como a reforma do Estatuto do Desarmamento e o direito de as pessoas terem armas para usar em “legítima defesa”. Ele também defende a redução da maioridade penal para 16 anos, é contrário à progressão de penas e as saídas temporárias de presos em datas especiais, os chamados saidões.

Economia

Uma das principais propostas é a privatização ou extinção de estatais. Segundo Bolsonaro, a ideia é reduzir o pagamento de juros, que custaram R$ 400,8 bilhões em 2017, com a venda de ativos públicos. Em relação à reforma da Previdência, defende a implantação, no país, de um modelo privado de capitalização do setor. Como proposta para o sistema tributário do país, o programa  fala em unificar impostos e simplificar o sistema de arrecadação de tributos. Uma das promessas é reduzir de forma gradativa os impostos, por meio da eliminação e unificação de tributos, “paralelamente ao espaço criado por controle de gastos e programas de desburocratização e privatização”. O assessor econômico de Bolsonaro, Paulo Guedes, que deve assumir como ministro da Economia, disse, em conversa com investidores, que a intenção é criar uma alíquota única de 20% no Imposto de Renda, que passaria a incidir sobre quem ganha acima de cinco salários mínimos.

Bolsonaro pretende criar um novo tipo de carteira de trabalho, batizada de “carteira verde e amarela”, que seria voltada ao jovem quando ingressasse no mercado de trabalho. Por essa carteira, o contrato individual de trabalho teria prevalência sobre a CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas), mas sem violar dispositivos trabalhistas previstos na Constituição. Pretende instituir uma renda mínima para todas as famílias brasileiras, em valor acima do benefício pago pelo programa Bolsa Família.

Saúde

Bolsonaro diz que as ações planejadas terão como foco “eficiência, gestão e respeito com a vida das pessoas” e que é possível fazer mais com os recursos atualmente disponíveis. Outra proposta é adotar o chamado Prontuário Eletrônico Nacional Interligado em postos, ambulatórios e hospitais para reduzir os custos ao facilitar o atendimento futuro por outros médicos em diferentes unidades de saúde, além de permitir cobrar maior desempenho dos gestores locais. Defende também o credenciamento universal de médicos e instituição de carreira de Estado para médico.

Em relação ao Mais Médicos, o plano de governo prevê que “nossos irmãos cubanos serão libertados” e que suas famílias poderiam imigrar para o Brasil desde que os profissionais sejam aprovados no Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeira (Revalida). Os médicos cubanos passariam a receber integralmente o valor pago pelo governo brasileiro e que, atualmente, é redirecionado, via convênio com a Organização Pan-americana da Saúde (Opas), para o governo de Cuba.

Meio ambiente e Agricultura

No programa de governo apresentado à Justiça Eleitoral, Bolsonaro não fez menção direta ao tema meio ambiente, mas apontava caminhos para agricultura. O novo presidente pretende criar uma “nova estrutura federal agropecuária”, que vai englobar diversas pastas. Durante a campanha, defendeu a junção dos ministérios do Meio Ambiente e da Agricultura, mas nos últimos dias admitiu que poderá manter o Ministério do Meio Ambiente. O candidato do PSL também disse que pode flexibilizar a legislação que regula a exploração econômica de áreas verdes preservadas, inclusive na Amazônia, e não concederá novos territórios para indígenas e quilombolas. Na área de agricultura, a proposta é atender as demandas de “segurança no campo; solução para a questão agrária; logística de transporte e armazenamento; uma só porta para atender as demandas do agro e do setor rural; políticas especificas para consolidar e abrir novos mercados externos e diversificação”.

Educação

O plano de governo diz que educação básica, do ensino infantil ao médio, será prioridade. Defende a educação a distância para o ensino fundamental como alternativa “para as áreas rurais onde as grandes distâncias dificultam ou impedem aulas presenciais”. Para o ensino superior, Bolsonaro diz que as universidades precisam gerar avanços técnicos para o Brasil, por meio de parcerias e pesquisas com a iniciativa privada. Em entrevistas, defendeu a diminuição das cotas raciais em universidades e concursos públicos. Bolsonaro quer que conteúdo e método de ensino “precisam ser mudados. Mais matemática, ciências e português, sem doutrinação e sexualização precoce”. Ele pretende resgatar a disciplina de Educação Moral e Cívica e Organização Social e Política Brasileira nas escolas.

Ciência e tecnologia

Para Bolsonaro, o modelo de pesquisa e inovação no Brasil está “esgotado”. Em vez de os recursos do setor serem organizados por Brasília, defende o fomento de “hubs” tecnológicos nos quais universidades se aliam à iniciativa privada “para transformar ideias em produtos”. Os programas de mestrado e doutorado deverão ser feitos “sempre perto das empresas”. Propõe investimento na exploração de energia renovável solar e eólica no Nordeste e pesquisa e desenvolvimento em grafeno e nióbio.

Política externa

Defende que o Ministério das Relações Exteriores precisa estar a serviço de valores que sempre foram associados ao povo brasileiro. A outra frente, diz o programa, será fomentar o comércio exterior com países que possam agregar valor econômico e tecnológico ao Brasil, como os Estados Unidos. No âmbito regional, o plano de Bolsonaro prevê aprofundamento da integração “com todos os irmãos latino-americanos que estejam livres de ditadura” e países “sem viés ideológico”. Sobre o Mercosul, afirmou que não se pode “jogar para o alto” o acordo. “O que não pode é continuarmos usando acordos como esse em função de interesses ideológicos como o PT fez”, criticou.

Fonte: Agência Brasil

Justificativa do voto deve ocorrer até dezembro


Se você é um dos eleitores que não compareceram ao seu local de votação, no último domingo (28), e não justificou a ausência no segundo turno ainda podem regularizar a situação eleitoral até 27 de dezembro. Quem não votou no primeiro turno tem até dez de dezembro para se justificar.

A justificativa pode ser feita mediante o preenchimento de um requerimento disponível no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que deve ser entregue pessoalmente em qualquer cartório eleitoral ou enviado por via postal ao juiz da zona eleitoral na qual é inscrito. Além do formulário, o eleitor deve entregar documentação que comprove a impossibilidade de comparecimento na votação.

Pela internet, o eleitor pode justificar a ausência usando o Sistema Justifica nas páginas do TSE ou dos tribunais regionais. No formulário online, o eleitor deve informar seus dados pessoais, declarar o motivo da ausência e anexar comprovante do impedimento para votar.

O requerimento de justificativa gerará um código de protocolo que permite ao eleitor acompanhar o processo até a decisão final do juiz da zona eleitoral. A justificativa aceita será registrada no histórico do eleitor no Cadastro Eleitoral.

Consequências

O Tribunal Superior Eleitoral explica que a não regularização da situação com a Justiça Eleitoral deve pagar multa (por cada turno). O valor é definido pelo juiz eleitoral da região e varia de R$ 3,5 a R$ 35,10.  O eleitor faltoso também pode sofrer outras sanções, como impedimento para obter passaporte ou carteira de identidade para receber vencimentos, remuneração, salário ou proventos de função ou emprego público.

A não justificativa impede ainda que o eleitor participe de concorrência ou administrativa da União, dos estados, Distrito Federal e municípios, além de inscrever em concurso público ou tomar posse em cargo e função pública.

Ibicaraí: Faculdade Montenegro é descredenciada pelo Mec


A Faculdade Montenegro foi descredenciada pelo Ministério da Educação (MEC). A determinação consta em portaria publicada na edição da última sexta-feira (26/10) do Diário Oficial da União. A instituição, localizada na cidade de Ibicaraí, no sul da Bahia, teve desativados dos cursos de Pedagogia, Educação Física, Secretariado Executivo e Turismo.

Em 2017, o MEC já havia determinado a suspensão, em caráter liminar do ingresso de novos alunos na instituição. De acordo com o MEC, uma faculdade que é descredenciada deixa de ser considerada uma Instituição de Educação Superior (IES), mas não impede ela de existir como ofertante de cursos livres.

As determinações ocorreram, conforme o MEC, por conta de irregularidades na instituição como, por exemplo, o oferecimento de educação superior sem autorização do MEC, terceirização de atividades, incluindo cursos livres equivocadamente caracterizados como de extensão, diplomação de estudantes cuja formação ocorreu em desconformidade com a legislação educacional e expedição de diplomas para alunos não declarados no Censo da Educação Superior.

Ainda segundo a publicação, a faculdade tem até 45 dias, a partir da publicação da portaria, para enviar ao MEC uma lista dos alunos com data de previsão da conclusão do curso. O MEC esclarece que, na hipótese de constatação da impossibilidade de transferência dos estudantes para outra instituição, a Faculdade Montenegro continuará a ofertar os cursos até a conclusão dos estudantes. Foto: divulgação

Com informações do G1

Prêmio Cubo de Ouro vai reconhecer grandes nomes da cultura geek no Brasil


Quem são as principais personalidades e os principais projetos da cultura geek de 2018 no Brasil? O Prêmio Cubo de Ouro é a primeira premiação brasileira a celebrar diversas vertentes do universo geek, uma das culturas mais crescentes no país. As categorias vão englobar games nacionais, literatura, personalidades, projetos sociais, fandoms, entre outros temas e tribos relacionadas.

São sete categorias de júri popular e seis de júri técnico. A votação e avaliação será realizada durante o mês de outubro. Já a revelação dos vencedores está marcada para o dia 2 de novembro, durante a Megacon 2018, evento gratuito, em Curitiba, que reúne fãs geeks de diversos segmentos.

O Cubo de Ouro é uma iniciativa da revista eletrônica Sintonia Geek Magazine e chega na sua segunda edição após um teste de sucesso em 2014, como conta Lucio Woytovicz Jr, editor-chefe do site. “Naquele ano fizemos tudo de forma orgânica, com o objetivo de valorizar a cultura geek no Brasil. A resposta do público e dos indicados foi muito boa, com mobilizações e reconhecimento de todos”.

Em 2018, a premiação irá abranger ainda mais temas. “Nesta segunda edição, o prêmio está mais estruturado, o mercado nacional geek está ainda maior e contamos com parcerias, como a da Megacon, que conversa com todas as tribos desse universo, sem preconceitos. Esse espírito agregador também faz parte do Cubo de Ouro”.

Categorias e inscrições
Estão abertas as inscrições, no site oficial, para as seis categorias avaliadas pelo júri
técnico e para uma categoria de júri popular. São elas:
– Melhor Literatura Geek;
– Melhor Game Brasileiro;
– Melhor Jogo de Mesa;
– Melhor Filme Geek;
– Melhor Projeto Musical Geek;
– Melhor Cosplay;
– Melhor Projeto Social Geek (Votação popular).

Podem inscrever projetos pessoas físicas ou jurídicas, com materiais para análise do corpo
técnico, conforme regulamento .
A categoria de Melhor Projeto Social Geek contará com votação popular, que vai valorizar
as iniciativas que unem a cultura geek ao impacto social.
As categorias de votação popular terão divulgação de indicados e votação aberta apenas
em outubro. São elas:
– Personalidade Geek do Ano;
– Fandom do Ano;
– Canal, Programa ou Podcast Geek do Ano;
– Evento Geek do Ano;
– Comércio de Produtos Geeks do Ano;
– Imprensa Geek do Ano.

Mais detalhes no www.SintoniaGeek.com.br/CuboDeOuro .

 

3ª Megacon Brasil será no início de novembro


A 3ª Megacon  Brasil será realizada no dia 2 de novembro, em parceria com a Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR.  O evento, que celebra a arte, cultura e a amizade, reúne as mais diversas representações artísticas nas áreas de literatura, ciência, cinema, teatro e outras atividades afins nos temas da ficção científica, fantasia e tecnologia. A primeira edição, realizada em 2014, reuniu aproximadamente cinco mil pessoas.

Essa edição conta com o apoio da PUCPR, que incluiu a Megacon entre os seus eventos de extensão universitária, por acreditar que é preciso diversificar o ambiente acadêmico e promover a pluralidade cultural entre os alunos.

Por meio de mini eventos, dos mais variados formatos, porém, com temáticas similares, diversos grupos e fã clubes mostram suas atividades como palestras, oficinas, filmes, games, quadrinhos, comércio e exposição de memorabilias, com atividades lúdicas distribuídas nos ambientes da instituição. Para esse ano já está confirmada a participação de vários escritores, quadrinistas e grupos como o Conselho Jedi Paraná – Star Wars; Federação dos Planetas Unidos – Star Trek; Loja Paraná do Conselho SteamPunk; Whovians PR – Doctor Who; Toca-PR – J. R. R. Tolkien; Ministério da Magia – Harry Potter; entre outros.

Também  serão realizados junto com a Megacon, a entrega do Prêmio Cubo de Ouro, a Woman Game Jam Curitiba, o evento de E-Sports MegaCup e a feira literária Literatiba 2018.

O evento será realizado das 09h às 19h, com entrada gratuita.

MEGACON 2018
Data: 02/11/2018
Horário: 9h às 19h
Local do Evento: PUCPR
Preço: entrada gratuita

Informações
http://megaconbrasil.com/
https://www.facebook.com/megaconbrasil

A Sabrina voltou


O mundo sombrio de sabrinaNova série da Netflix e Warner dá uma

repaginada numa personagem

bem conhecida da gente

É incrível como a programação da TV Aberta está ruim e desinteressante. Poucos programas se salvam, o que nos leva a procurar refúgio nas tvs por assinatura, que também deixam a desejar em vários aspectos e na Netflix. Está última tem nos oferecido várias opções, a maioria delas bem interessantes. E, felizmente, é isso que tem salvado os que não têm condições de fazer um programinha fora de casa.

Algumas séries estrearam nesta plataforma esta semana, entre elas: “Chilling Adventures of Sabrina” ou no português “O mundo sombrio de Sabrina”. Podemos dizer que este programa é um remake de “Sabrina, the Teeenage Wich”, para nós “Sabrina, aprendiz de feiticeira”, que teve como estrela a atriz americana Melissa Joan Hart. A bruxinha já havia sido retratada na telinha, através do desenho produzido pela Filmation, Sabrina. Essa produção fez um enorme sucesso na década de 1970 e é considerada um spin-off do seriado de Melissa.

Mas, vamos ao “O mundo sombrio de Sabrina”, que é, desculpe a expressão, ‘trevoso mesmo’. A atração foi idealizada para ser uma espécie de irmã da elogiada Riverdale. A personagem principal ganha traços mais realistas, bem diferente das suas antecessoras. Temas como bullying, discriminação, adultério e segredos familiares são utilizados como ingredientes para enriquecer o já denso enredo. O perfil psicológico dos personagens também chama a atenção. Em especial os das tias de Sabrina, Hilda e Zelda, sendo a primeira doce e quase infantil. Já a segunda, dominadora e um tanto cruel. Há também o primo afro americano, Ambrose, que é bissexual. E o gato Salem, que abandonou de vez aquele ar fofinho. A série vale com certeza uma conferida, entretanto, pode chocar um pouco aos religiosos de plantão. Fotos: divulgação