Faltosos devem procurar cartório eleitoral para regularizar situação eleitoral


O prazo para quem não votou nem justificou a falta em pelo menos três votações seguidas regularizar sua situação começa nesta quinta-feira (7). Para isso, é preciso pagar as multas referentes às ausências, bem como comparecer a um Cartório Eleitoral para apresentar, além do título, um documento com foto e um comprovante de residência.

Para somar as três faltas, são contados também os turnos de votação. Também são contadas as eleições suplementares, convocadas quando o pleito oficial é anulado devido a irregularidades. Segundo informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mais de 2,6 milhões de pessoas podem ter o título cancelado caso não resolvam a situação.

Os nomes dos faltosos começaram a ser divulgados em 20 de fevereiro e podem ser consultados nos cartórios eleitorais de todo o país. O prazo para a regularização vai até 6 de maio.

O cancelamento do título pode acarretar uma série de problemas. A pessoa fica, por exemplo, impedida de obter passaporte e carteira de identidade, de receber salário de função ou emprego público e/ou de participar de concorrência pública ou administrativa estatal.

O faltoso fica ainda impossibilitado de obter empréstimos em instituições públicas, de se matricular em instituições de ensino e de ser nomeado em concurso público.

Não terão os títulos cancelados aqueles que não são obrigados a votar, sendo seu comparecimento às urnas facultativo, como as pessoas entre 16 e 18 anos e acima de 70 anos. Também não estão sujeitos à medida os portadores de deficiência a quem seja impossível ou extremamente oneroso o cumprimento das obrigações eleitorais.

 

 

Presidente Bolsonaro pede ´sacrifício´ dos militares para aprovação da Reforma da Previdência


“Peço também o sacrifício porque entraremos, sim, na nova Previdência, que atingirá os militares. Mas não deixaremos de lado e não esqueceremos as especificidades do cargo de vocês. Temos um ministério firmado por pessoas comprometidas com o futuro do Brasil, que nos ajudam a conduzir essa grande nação”, afirmou o presidente Jair Messias Bolsonaro durante cerimônia comemorativa dos 211 anos do Corpo de Fuzileiros Navais, realizada no dia 07 de março, hoje, na Fortaleza de São José, na Ilha das Cobras, no Rio de Janeiro.

O projeto de lei específico para o regime das Forças Armadas deve ser enviado ainda este mês ao Congresso para tramitar junto com a reforma do sistema previdenciário geral. Um ponto relativo aos militares entrou na proposta de emenda à Constituição enviada no dia 20 de fevereiro ao Congresso.

O governo quer aumentar o tempo de contribuição dos militares de 30 para 35 anos, assim como aumentar a alíquota única dos militares de 7,5% para 10,5%. A nova alíquota deve ser cobrada também no pagamento das pensões para dependentes de militares, benefício atualmente financiado exclusivamente pelo governo federal.

O governo quer que militares temporários – que ficam até oito anos nas Forças Armadas e não prosseguem na carreira militar – contribuam para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). De acordo com o governo, os temporários correspondem atualmente a 60% do contingente militar.

Ministro do Turismo Marcelo Álvaro se complica ainda mais


A situação do ex-ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, se complica ainda mais. “Uma candidata a deputada estadual pelo PSL em Minas Gerais apresentou denúncia ao Tribunal Regional Eleitoral do estado (TRE-MG), dia 19 de setembro, na qual o acusa de tê-la chamado para ser “laranja” na eleição de 2018.

De acordo com ela, havia o compromisso de devolver à legenda parte do dinheiro público que seria destinado à sua candidatura. O jornal Folha de São Paulo publicou a denúncia na edição de hoje, 07/03.

Segundo a reportagem da Folha, Zuleide Oliveira é a primeira a implicar diretamente Álvaro Antônio ao caso. Como resposta à denúncia, ela recebeu uma mensagem automática por e-mail TRE-MG de que a apuração seria “devidamente encaminhada”. No dia 20, uma outra candidata supostamente envolvida, a aposentada Cleuzenir Barbosa, entregou ao Ministério Público mensagem em que um assessor parlamentar do hoje ministro cobra a devolução de verba pública de campanha para destiná-la a uma empresa ligada a outro assessor do político.

Além do texto da denúncia encaminhada à Justiça Eleitoral, a Folha informou ter tido acesso a emails e mensagens de áudio trocados por Zuleide com cinco dirigentes do PSL mineiro, comandado à época por Álvaro Antônio, incluindo um recado escrito por Rodrigo Brito, então assessor parlamentar do ministro, com o endereço do escritório do político em Belo Horizonte.

Zuleide teve posteriormente o pedido de registro de candidatura indeferido pela Justiça Eleitoral. Ela se tornou ficha suja, após uma condenação em 2016, transitada em julgado, por uma briga com outra mulher. “Eles já sabiam que minha candidatura não ia dar em nada”, disse ela à Folha. Segundo ela, a proposta feita por Álvaro Antônio era de um repasse de R$ 60 mil, dos quais ela teria de devolver R$ 45 mil.

Bolsonaro quer resolver os problemas da Educação


Através de sua conta pessoal no Twitter, o presidente Jair Bolsonaro reafirmou hoje (04), que há “fortes” indícios de que recursos públicos destinados à educação são usados para objetivos que não interessam ao país. Bolsonaro disse que sua equipe anunciará medidas para solucionar o problema nos próximos dias.

Há quase um mês, o governo anunciou o início da operação Lava-Jato da Educação para investigar possíveis desvios como favorecimentos indevidos no Programa Universidade para Todos (ProUni), desvios no Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), envolvendo o sistema S, concessão ilegal de bolsas de ensino a distância e irregularidades em universidades federais.

“Há algo de muito errado acontecendo: as prioridades a serem ensinadas e os recursos aplicados. Para investigar isso, o Ministério da Educação junto com o Ministério da Justiça, Polícia Federal, Advocacia e Controladoria Geral da União, criaram a Lava-Jato da Educação”, afirmou o presidente.

Dicas para aproveitar melhor o seu período de carnaval


Que o Carnaval é uma das maiores festas populares todos nós já sabemos. O evento atrai milhares de pessoas de várias partes do mundo, movimentando a economia e o turismo. Mas, esse período exige que tenhamos atenção especial em relação a segurança e a saúde. Afinal, é importante que tudo inicie e termine bem para que as lembranças dessa folia sejam as melhores possíveis.

Separamos algumas dicas que podem ser úteis para ter um carnaval mais agradável. Anote aí

  • Beba bastante água. Entre uma cerveja e outra, não se esqueça de beber água para amenizar os efeitos do álcool. Seu corpo agradece e você garante a folia no dia seguinte. Imagina que chato perder um dia de carnaval para a ressaca…
  • Use e abuse do filtro solar. Passe o protetor antes de sair de casa e reaplique caso esteja exposto ao sol. Você não quer as queimaduras estragando seus looks divos carnavalescos. Dica: a purpurina gruda na pele logo depois de passar o filtro.
  • Guarde bem seus pertences. Celular no bolso jamais, mochila nas costas nunca. Uma tendência dos últimos carnavais é a pochete, que voltou em formatos diferentes.
  • Cartões e bilhetes do metrô. Se você pretende curtir o carnaval de rua nas grandes cidades, carregue seus cartões de metrô e ônibus com saldo suficiente para durar o feriado inteiro. Assim você circula com mais facilidade, evitando filas e transtornos com dinheiro e troco.
  • Confira a programação de blocos antes de sair de casa, assim você já sabe para onde ir e tem um plano B, C, D… Vale a pena consultar os amigos entendidos de carnaval sobre os blocos que têm mais o seu estilo, para saber se enchem muito, se têm um clima mais “família”, o tipo de música que tocam etc.
  • Respeite seu corpo e faça paradas estratégicas para descansar e se alimentar. Entre um bloco e outro, procure restaurantes, casa de amigos, shopping com ar-condicionado.
  • Se alimente bem. Para segurar um dia inteiro de folia, saia de casa alimentado e escolha pelo menos um momento para comer, seja uma refeição, um sanduíche ou churrasquinho.
  • Marque pontos de encontro. Isso vale para encontrar os seus amigos com facilidade e principalmente para famílias que vão levar as crianças para blocos. Ao chegar no local, combine um ponto de fácil acesso para se encontrarem caso alguém se perca do grupo.
  • Azaração. A paquera durante a folia ainda é valida, mas lembre-se, respeita a opinião do outro. E, atenção marmanjos, quando a mulher diz não, é não mesmo.

Enem será em novembro


O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) deste ano já tem datas fixadas: 3 e 10 de novembro. Segundo cronograma divulgado, recentemente, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Pelo calendário, as inscrições estarão abertas de 6 a 17 de maio.

Entre 1º e 10 de abril os estudantes poderão pedir isenção da taxa de inscrição. Nesse mesmo período, o Inep vai receber as justificativas dos que faltaram às provas em 2018. O edital do Enem, conforme o instituto, será publicado no próximo mês.

No ano passado, 5,5 milhões de pessoas se inscreveram para fazer o Enem, mas 4,1 milhões compareceram aos dois dias de provas. Nos dois domingos de exame, os estudantes precisam desenvolver conhecimentos de linguagens, incluindo redação, ciências humanas, ciências da natureza e matemática.

Os resultados do Enem podem ser usados em processos seletivos para vagas no ensino superior público, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para bolsas de estudo em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni), e para obter financiamento do curso pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Em 2019 o Sisu ofereceu 235,4 mil vagas, distribuídas em 129 universidades públicas de todo o país. Além de universidades brasileiras, os estudantes podem se inscrever em 37 instituições portuguesas que têm convênio com o Inep.

 

Fake news colabora com o crescimento de casos de HPV


Um dos maiores empecilhos para o aumento da cobertura vacinal do HPV, são as fake news. A afirmação é do Ministério da Saúde (MS). Para ampliar o número de adolescentes vacinados e esclarecer a importância da vacina, o órgão pretende aproveitar o início das aulas nas escolas para conscientizar jovens e responsáveis. A recomendação é que eles estejam atentos à atualização da caderneta de vacinação.

O problema das fake news não é apenas do Brasil. No início do mês, o Centro Internacional de Pesquisas sobre o Câncer (CIIC) vinculado à Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgou um comunicado alertando para o problema e afirmando que a vacina é segura e indispensável para eliminar o câncer de colo do útero.

O HPV é uma doença transmitida pelo papiloma, vírus humano que causa cânceres e verrugas genitais, atingindo meninos e meninas. A vacina só é administrada na adolescência, daí a importância da conscientização.

“O reinício do período escolar é um momento importante para que pais e filhos fiquem atentos à atualização da caderneta de vacinação. A medida evita a ocorrência de doenças entre os adolescentes”, diz o ministério. O MS esclarece que os falsos rumores são um dos fatores que impedem uma maior cobertura vacinal. Outro fator é que muitos acreditam que não precisam da vacina.

Cobertura

As doses da vacina são ofertadas pelo Ministério da Saúde, durante todo o ano, nas Unidades Básicas de Saúde do Sistema Único de Saúde (SUS). A vacina é voltada para meninas com idade entre 9 e 14 anos e meninos de 11 a 14 anos. Eles devem tomar duas doses, com intervalo de seis meses entre elas.

A meta do ministério é vacinar, com as duas doses, 80% dos adolescentes, tanto meninas quanto meninos. De acordo com a pasta, entre 2014 e 2018, foram vacinadas na faixa etária de 9 a 14 anos, 5,9 milhões de meninas com a segunda dose da vacina, o que representa 49,9% do público-alvo. Em relação à primeira dose, a cobertura vacinal nas meninas é de 70,3%. Já entre os meninos, a cobertura é de 20,1% do público-alvo.

Masp (SP) recebe a exposição Djanira: a memória de seu povo


O Museu de Arte de São Paulo (Masp) recebe, a partir de hoje (1º), a exposição Djanira: a memória de seu povo, que traz trabalhos de toda a trajetória da artista, do início dos anos 1940 ao final dos anos 1970. A mostra faz parte de um esforço para reposicionar Djanira da Motta e Silva no cenário artístico brasileiro do século 20, além de marcar 40 anos de sua morte.Djanira

Com pouco estudo formal em artes e um desenvolvimento principalmente autodidata, Djanira trouxe diversas influências para suas obras. “Ela vai buscar uma série de referências plásticas tanto em uma tradição mais ocidental da história da pintura, quanto na própria visualidade popular brasileira. Aí está essa fricção, essa dificuldade de reduzir Djanira a um lugar só”, explica um dos curadores da exposição, Rodrigo Moura.

Mulheres

A exposição abre o ciclo Histórias das mulheres, histórias feministas, que trará a produção de várias artistas para a programação do museu ao longo de 2019. Em abril, serão abertas mostras dedicadas à modernista Tarsila do Amaral e à arquiteta Lina Bo Bardi, responsável pelo projeto do Masp.

A exposição Djanira de fica em cartaz no Masp, na Avenida Paulista, região central da capital, até o dia 19 de maio.

Mais agrotóxicos são liberados pelo governo Bolsonaro


Em seus primeiros 47 dias de existência, o atual governo liberou a utilização de 54 novos agrotóxicos. Isso dá uma média superior a um novo produto licenciado por dia. O Ministério da Agricultura alega que todos os ingredientes já eram comercializados no Brasil, e que a novidade seria a aplicação desses produtos em novas culturas, o sinal verde para que novos fabricantes possam comercializá-los, e que novas combinações químicas entre eles sejam permitidas.

Ilhéus promove segunda edição do Projeto Educar


A Praia do Jardim Atlântico (Posto 3), na zona sul de Ilhéus, recebe a segunda edição do projeto ‘Educar para não afogar’, no próximo sábado (2), a partir das 8 horas, com a finalidade de conscientizar os banhistas sobre os riscos de afogamento durante o banho de mar. Durante o dia, o projeto vai aborda temas como a cadeia de sobrevivência do afogamento, suporte básico de vida, técnicas de salvamento e emergência aquática.

O verão de Ilhéus reúne altas temperaturas e um maior número de banhistas que desejam curtir um belo dia de sol na praia. Só no município, na estação mais quente do ano, o fluxo de pessoas à beira-mar chega a aumentar pelo menos 50%, segundo estimativa do setor de Salva-vidas da Prefeitura Municipal, o que aumenta os riscos de afogamentos. Por isso, toda atenção é pouco para quem pretende se divertir no litoral nesse período.

Salvar vidas – O idealizador da iniciativa, Domingos Madureira, explica que o projeto presta um serviço essencial para os banhistas. “Explicamos com teoria e prática, medidas preventivas, educacionais, de orientação e salvamento em ambientes aquáticos. Uma dica importante que deixo ao banhista. Vá em praias monitoradas por salva-vidas, que são treinados e estão aptos a indicar os melhores pontos de banho, onde há corrente, buracos e outros perigos”, recomenda.