Sucuri de 3 metros interrompe abastecimento de água em cidade


Os moradores de Cordeirópolis (SP) foram surpreendidos no início da tarde desta terça-feira (21), quando as torneiras de algumas áreas da cidade secaram. O motivo por trás da falta de água foi o que chamou a atenção. A interrupção no abastecimento não foi causada por uma manutenção ou problema rotineiro, mas por uma sucuri de 3,70 metros.

spsucuri
Funcionários retirando sucuri Foto: prefeitura de Cordeirópolis (SP)

A cobra estava dentro de uma tubulação na represa do Cascalho. Já morto, o animal foi encontrado por equipes do Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) da cidade.

O presidente da Saae, Luiz Carlos Borges Machado da Silva, disse à rádio Rápido no Ar que a sucuri ficou presa pelo rabo por um dos equipamentos de captação de água e acabou morrendo. “Era de se esperar, porque é de conhecimento de toda Cordeirópolis o grande número de sucuris nessa represa.”

Luiz ainda disse que é comum encontrar peixes ou troncos de árvores bloqueando a captação de água, mas uma sucuri é novidade. A distribuição de água em Cordeirópolis deve ser regularizada gradualmente.

Fonte: Folhapress

Rio: dois envolvidos em estupro coletivo são condenados


Dois envolvidos em um estupro coletivo contra uma adolescente de 16 anos, no Morro do Barão, na Praça Seca, Zona Oeste do Rio, foram condenados a 15 anos de prisão nesta segunda-feira. Inicialmente, Raí de Souza e Raphael Assis Duarte Belo terão que cumprir a pena em regime fechado, além de pagar 306 dias-multa.

De acordo com relatos, 30 pessoas teriam participado do crime em maio do ano passado. No entanto, após a perícia, esse número não foi confirmado e sete pessoas foram indiciadas. Sérgio Luiz da Silva e Moisés Camilo de Lucena, conhecido como Canário, também foram denunciados pelo Ministério Público. No entanto, Canário continua foragido.

Raí e Raphael foram enquadrados nos crimes previstos no artigo 217- A, §1.º, do Código Penal (estupro de vulnerável) e artigo 240 do Estatuto da Criança e do Adolescente (produzir, reproduzir, dirigir, fotografar, filmar ou registrar, por qualquer meio, cena de sexo explícito ou pornográfica, envolvendo criança ou adolescente).

acusados de estupro coletivo no rio
Acusados de estupro coletivo no Rio de Janeiro Foto:divulgação

Celular foi fundamental no caso

O celular de Raí foi fundamental para resolução do caso. Segundo a delegada Cristiana Bento, foi através da perícia no aparelho que o caso foi desvendado.

Na fim do mês de maio, um vídeo que mostrava uma jovem de 16 anos desacordada aparentemente após ser vítima de estupro foi publicado no Twitter e chocou os internautas. Devido a repercussão das imagens, que geraram comoção nas redes sociais e campanhas repudiando a violência contra a mulher, o caso passou a ser investigado pela polícia.

Fonte: Jornal O Dia

 

Conquista: cidade integrará CIB de Assitência Social do Estado


A vice-prefeita e secretária de Desenvolvimento Social Irma Lemos tomou posse nesta segunda-feira, 20, em Salvador, na Comissão Intergestora Bipartite- CIB, que é coordenada pela Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social – SJDHDS. Vitória da Conquista é um dos seis municípios baianos a integrar a Comissão, que é responsável pela pactuação e fortalecimento de ações integradas dentro do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) no Estado.

A CIB é composta por três membros titulares e seus respectivos suplentes representando o Estado, indicados pelo secretário estadual de Justiça, direitos Humanos e Desenvolvimento Social. E seis representantes dos municípios de pequeno porte I e II, médio, grande e a capital do Estado e seus respectivos suplentes, indicados pelo COEGEMAS – Colegiado Estadual dos Gestores da Assistência Social.

cib2017
Posse da CIB de Assistência Social BA   Foto: divulgação

A representação de Vitória da Conquista na Comissão mostra importância do município nas estratégias de desenvolvimento das ações do SUAS na região Sudoeste e também para o Estado, já que o município polariza toda uma região servindo como centro de qualificação para os serviços ofertados pelo SUAS em outras cidades. Para Irma este é um momento muito importante para cidade, “estamos muito felizes pela participação de Conquista na comissão, porque quase íamos ficando de fora, o que não era justo por Conquista ser uma cidade de grande porte. A vaga foi conquistada depois de muita luta junto ao colegiado, esperamos representar bem toda nossa região”, esclareceu Irma Lemos.

Após a posse, que contou com a presença do secretário estadual Carlos Martins, os gestores municipais discutiram as parcerias entre o SUAS e a Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização (Seap), a partir do projeto de Proteção Social Básica do Estado, que trata do atendimento a pessoas em cumprimento de medidas restritivas de liberdade.

Prazo para a adesão ao Brasil Alfabetizado termina em 6 de março


Com o objetivo de auxiliar prefeituras e estados com dificuldade de acesso à internet, o Ministério da Educação prorrogou até o dia 6 de março o prazo de adesão ao programa Brasil Alfabetizado. A decisão contempla novos gestores que assumiram as secretarias de educação este ano.

Os interessados devem enviar, para o email [email protected], os seguintes documentos: ofício para primeiro acesso do gestor local; ofício para alteração de gestor local; e ofício para vinculação de gestor à entidade. Até o momento, mais de 700 localidades, entre estados e municípios, já fizeram inscrição no programa.

5-giro-cidades-brasil-alfabetizado
Inscrições do Brasil Alfabetizado encerram em 6 de março Foto: divulgação

O Brasil Alfabetizado vai atender 250 mil pessoas a partir de 15 anos de idade, este ano. O programa é considerado pelo governo federal como porta de acesso para a alfabetização de jovens, adultos e idosos, com atendimento prioritário a municípios que apresentam alta taxa de analfabetismo – 90% deles na Região Nordeste.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que, no Brasil, 12,8 milhões de jovens e adultos com 15 anos de idade ou mais não são alfabetizados. O número representa 8% de toda a população nessa faixa etária.

Sistema prisional receberá R$100 milhões


O presidente Michel Temer abriu hoje (21) crédito extraordinário de R$ 100 milhões para o Ministério da Defesa. Os recursos serão usados para apoio logístico às Forças Armadas no sistema penitenciário e nas ações de segurança pública nos estados.

Em janeiro, o governo federal autorizou a atuação das Forças Armadas nos presídios para fazer inspeção de materiais considerados proibidos e reforçar a segurança nas unidades. A segurança interna, entretanto, continua sob responsabilidade dos agentes penitenciários e policiais.

A cooperação entre os entes locais e federais no combate ao crime organizado e na modernização dos presídios é um dos pontos do Plano Nacional de Segurança Pública, lançado pelo governo federal em janeiro, em meio à crise no sistema prisional em diferentes estados, que já resultou na morte de mais de 100 detentos.

prisao1
Celas superlotadas são uma realidade em nosso país Foto: divulgação

O apoio do Ministério da Defesa será dado mediante demanda dos governadores. Para isso, eles devem solicitar ao presidente um decreto de garantia da lei e da ordem, o instrumento legal que vai determinar o envio dos militares. Nesse caso, o comando da operação fica a cargo das Forças Armadas.

Os militares só entrarão nos estabelecimentos prisionais depois que as forças policiais locais garantirem que não há risco. Os militares não terão contato com os presos, que deverão ser retirados das celas e demais dependências durante a inspeção em busca de armas, drogas e aparelhos celulares. As Forças Armadas também vão oferecer treinamento para que as próprias forças de segurança pública estaduais façam inspeções regulares.

 

Casos de violência contra a imprensa cresceram 65%


Vida de jornalista não é nada fácil aqui no Brasil. Além dos baixos salários e de ver seus postos de trabalho sendo ocupados em sua grande maioria por pessoas sem a qualificação necessária. Outro problema ainda tira o sono desses especialistas em comunicação sócia, são os casos de violência que vem aumentando anualmente.

Segundo relatório divulgado no dia 21, pela Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), o total de atos de selvageria contra profissionais de imprensa registrados em 2016 foi 65,51% superior ao de 2015.

Para se ter ideia, o total de casos de violações à liberdade de expressão no Brasil saltaram de 116 para 192 ocorrências, atingindo diretamente a 261 trabalhadores e veículos de comunicação.

violencia-contra-jornalistas
Foto: Sindicato dos Jornalistas do Mato Grosso do Sul

Com 67 ocorrências – contra 64 registradas no ano passado -, as genericamente chamadas “agressões” são a forma mais comum de violência registrada contra os jornalistas. Sobretudo contra os empregados de emissoras de TV. Em seguida vêm os casos de ofensas (22); ameaças (19); condenações/decisões judiciais (18) que impedem jornalistas de apurarem um assunto ou divulgar suas descobertas; intimidações (17); ataques/vandalismos (17); censura (12); detenções (7); atentados (6); roubos e furtos (4) e um caso de assédio sexual.

Segundo a entidade, a maior parte das agressões é cometida por agentes públicos, principalmente por policiais, guardas municipais e outros agentes de segurança. “A maioria dos ataques aconteceu durante manifestações [políticas] e, infelizmente, partiu de autoridades públicas, sobretudo de agentes de segurança, que aparecem como os grandes responsáveis por esse tipo de violência contra os profissionais de imprensa”, disse o presidente da Abert, Paulo Tonet de Camargo, defendendo a necessidade das autoridades de segurança capacitarem as forças policiais para lidar com jornalistas no exercício de suas funções.

jornalistas-mortos-em-serviço-Foto-P-Braz
Foto: P Braz

Os participantes dos protestos políticos, seguidos por políticos e detentores de cargos públicos, também figuraram entre os grupos que mais ameaçaram, intimidaram e agrediram profissionais de comunicação no ano passado. “Alguns setores da sociedade têm uma dificuldade de compreender o real papel dos meios de comunicação no Estado Democrático de Direito. O papel da imprensa não é o de ser, em nenhum momento, o protagonista do processo que está em discussão, mas sim reportar os fatos que estão acontecendo”, acrescentou Camargo.

Os assustadores dragões de komodo


dragao de komodo3

Eles são literalmente assustadores. Os dragões de komodo, também conhecidos como crocodilos da terra habitam em algumas ilhas da Indonésia (Ásia). Esta espécie de lagarto é a maior conhecida, chegando a atingir 40 cm de altura, entre dois e três metros de comprimento e 110 kg de peso, podendo viver até 50 anos. Estima-se que existem mais de 3 mil dragões de komodo.

Esses animais foram descobertos por cientistas ocidentais em 1910. Eles estão protegidos pela lei da Indonésia, tanto que um parque nacional (Parque Nacional de Komodo) foi fundado para ajudar os esforços de proteção.

A dieta dos dragões de komodo é composta, principalmente, de carniça. Entretanto, eles também caçam e fazem emboscadas a presas como, por exemplo, javalis, macacos.búfalos, cavalos, insetos e até seres humanos. Com seu faro, podem localizar uma carcaça de animal a quilômetros de distância, sendo capaz de devorá-la por completo.dragao de komodo2

A saliva dessas criaturas merece destaque, pois nela há bactérias letais que provocam infecções. Para se alimentar de animais vivos, o dragão derruba a sua vítima com a  cauda e depois corta-o em pedaços com os dentes. Se o animal for grande, como um búfalo, por exemplo, ele o ataca sorrateiramente com uma mordida e espera que este morra pela infecção produzida pelas bactérias. O lagarto segue a vítima durante algum tempo até que a infecção se encarrega de prostrá-la, quando é então calmamente devorada. Costuma comer primeiro a língua e as entranhas, suas partes preferidas.

Não há nenhum antídoto específico para as mordeduras de dragões. Todavia, é normal sobreviver, se a área afetada for higienizada e o paciente tratado com antibióticos. Caso o atendimento médico não ocorra de forma imediata, pode ocorrer a gangrena em volta do local ferido, podendo levar a amputação.

Como estes lagartos parecem ser imunes aos seus próprios micróbios, muita pesquisa tem sido feita à procura da molécula antibacteriana na esperança que seja útil para a medicina humana. Em março de 2009, um pescador morreu ao ser atacado por um dragão e dois anos antes uma criança de nove anos morreu em circunstâncias similares. (Fonte: Discovery Channel/Fotos: divulgação)

 

Valentina Sampaio é a primeira transgênero capa da Vogue Paris


Valentina Sampaio é a primeira transgênero a ser capa da Vogue de Paris. A cearense é o destaque da edição de março e foi fotografada por Mert Alas e Marcus Pigot, em Londres.

“Este mês, estamos orgulhosos de celebrar a beleza transgênero com modelos como Valentina Sampaio, que está posando para sua primeira capa da Vogue. Estamos mudando a cara da moda e desconstruindo o preconceito”, anunciou editora chefe da Vogue Paris, Emmanuelle Alt.

“Tão orgulhosa e muito feliz!”, comemorou a modelo no Instagram.  O fotógrafo Mert Alas também usou a rede social para falar sobre a capa. “Tão orgulhoso de fotografar a primeira capa da revista Vogue com uma modelo transgênero! Trata-se de quebrar regras e tentar iluminar algumas mentes obscuras”, escreveu Alas.valentina-4

A modelo brasileiraValentina, 21 anos, foi um dos destaques da última edição da São Paulo Fashion Week (SPFW) e é uma aposta da agência Joy Model. Em entrevista ao ‘Estadão’ durante a semana de moda paulista, a modelo disse que o rótulo de transgênero é importante para enfrentar o preconceito. “É um momento em que estamos tendo essa visibilidade e precisamos falar disso agora para que no futuro isso não seja mais necessário. Espero que um dia não existam mais esses rótulos, pois todos nós somos seres humanos e exigimos respeito”, afirmou.

A modelo, que tem 1.77m de altura, começou a carreira de modelo aos 16 anos de idade. Em 2016, ela se tornou a primeira transexual a representar a  L’Oréal Paris no Brasil. Ela nasceu em Aquiraz, litoral do Ceará, e é filha de um pescador e uma professora

 

Livro conta calvário de vítima de padre pedofilo 40 anos depois, com aval do papa


“Mon Père, je vous pardonne” (Padre, eu te perdoo), da editora Philippe Rey, publicado na quinta-feira, foi escrito por um ex-monge, atualmente casado e pai de seis filhos.

Daniel Pittet, 57 anos, morador do cantão suíço de Friburgo, revela que semanalmente, durante quatro anos, foi violentado por um padre na Suíça. Mais de 40 anos depois, Pittet conta seu calvário e sua luta pela verdade em sua publicação com prólogo do papa Francisco.

Francisco, com um gesto inédito, aceitou escrever o prólogo de seu livro e destacou que “testemunhos como o seu lançam luz sobre uma zona terrível de sombra na vida da Igreja”, abalada por vários escândalos de pedofilia.

“Como pode um padre, a serviço de Cristo e de sua Igreja, chegar a causar tanta dor?”, escreveu o papa após recordar que algumas vítimas chegaram a se suicidar.livro daniel

“Estas mortes pesam no meu coração, na minha consciência e na de toda a Igreja. Às famílias envio meus sentimentos de amor e de dor, e, humildemente, peço perdão”, destacou.

O autor descreve os abusos que sofreu entre 1968 e 1972 – dos 9 aos 13 anos – pelo padre Joël Allaz, um suíço da ordem dos capuchinhos.

Pittet sofreu quase “200 atos de violação”, no silêncio de um convento, segundo conta em entrevista à AFP. Mas basta apenas uma violação “para destruir a vida de uma pessoa”. E Daniel Pittet calcula em “mais de 100” as vítimas prováveis do padre Joël.

Somente uma minoria ficou conhecida. “Para uma vítima de violência é muito difícil falar”, diz Pittet, que sofreu de depressão e outras doenças.

 

“Falta de provas”

Daniel Pittet esperou quase 20 anos antes de denunciar o padre Joël Allaz à justiça eclesiástica, depois de ouvir sobre uma nova vítima. O sacerdote foi transferido imediatamente para a França, a uma diocese de Grenoble (leste).

Em 2003, após novas suspeitas, o padre Allaz foi transferido para a irmandade dos capuchinhos de Bron, perto de Lyon (leste), donde dirigia um “serviço administrativo sem ministério”.

Mas foi necessário esperar novas revelações para que a polícia iniciasse uma investigação. Em 2008 eram computados 24 casos de vítimas de abuso sexual – a maioria prescritos – cometidos entre 1958 e 1995 na Suíça e na França.

Joël Allaz foi condenado em dezembro de 2011 a uma pena de dois anos de prisão com suspensão condicional da sentença, após um julgamento em que duas vítimas se constituíram a parte civil.

daniel
Daniel Pittet entrega ao papa Francisco um exemplar de seu o livro (fotos: Divulgação)

Daniel Pittet foi reconhecido como uma vítima pela diocese de Friburgo e pela congregação dos capuchinhos. Mas a justiça da Igreja não condenou o agressor. Uma investigação eclesiástica aberta em 2002 em Grenoble foi fechada por “falta de provas”.

O padre “nunca foi reduzido ao estado laical”, lamenta Pittet. O capuchinho, agora com 76 anos, continua vivendo na Suíça. “Me disseram que ele está recebendo ajuda, espero que esteja certo. Mas pode sair do convento”, conta a vítima, convencido de que um “pedófilo continua sendo pedófilo por toda a vida”.

O agressor concordou em falar em julho de 2016 em uma entrevista publicada no epílogo do livro de Pittet. Joël Allaz reconhece ser “este pedófilo monstruoso que deixou uma série de vítimas”, mas garante que não tem mais “este tipo de impulso”.

Daniel Pittet o encontrou novamente em novembro do ano passado. “Não falamos de pedofilia. Não me pediu perdão, mas já havia feito isto em uma carta”, conta sobre o homem que, segundo ele, “nunca deveria ter sido padre”.

Atualmente, este católico comprometido fala “por todos aqueles que não poderão falar jamais”. Não culpa a Igreja – embora critique sua “ingenuidade” – por uma praga que pode ocorrer “em todas as famílias”. “Poderia ter sido meu tio, foi um padre”.

Suzane é aprovada pelo Fies


21866_suzane-von-richthofen
Suzane foi bem no ENEM Foto: divulgação

Lembra da Suzane von Richthofen? Sim. Aquela que planejou a morte dos pais e é condenada a 39 anos de prisão pelo assassinato dos pais. Bem, ela pode sair da prisão para fazer um curso superior com financiamento do governo federal. Suzane está na lista dos candidatos aprovados pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e pode obter recursos do programa para custear a faculdade.

Ela se cadastrou para o curso noturno de administração na faculdade católica Dehoniana, que é privada e presencial, ou seja, ela precisa comparecer às aulas. A detenta entrou na lista do Fies graças ao desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), prestado em dezembro, na Penitenciária Feminina de Tremembé, onde cumpre pena desde 2006. 

Em 2015 ela passou para o regime semiaberto e, em outubro, a justiça autorizou a frequentar faculdade. Suzane tem até o dia 20 para confirmar a inscrição no curso.