Ilhéus: profissionais se atualizam sobre dengue, zika e chikungunya


Curso atualização no manejo clinico da dengue, zika e chikungunya, em Ilheus-foto Gidelzo Silva Secom Ilheus (3)
Curso de atualização no manejo clínico Foto: Gidelzo Silva

 

A Secretaria de Saúde (Sesau) de Ilhéus, por meio do Departamento de Vigilância à Saúde, promove curso sobre manejos clínicos em pacientes com Arbovirose, grupo de infecções virais, relacionado à febre chikungunya, dengue e zika vírus, doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. A atividade foi iniciada nesta quarta-feira, 16, e segue até esta quinta, 17, e tem como público alvo os profissionais que trabalham diretamente no atendimento aos pacientes.
 O curso é ministrado pelos médicos infectologistas Júlio Guzmán e Edmundo Patury.  De acordo com o chefe da Vigilância à Saúde, Antônio Firmo, vão assistir às aulas médicos e enfermeiras da atenção básica, profissionais de alta e média complexidades e aqueles que estão atendendo nos Pronto Atendimentos, localizados no Nae (Núcleo de Assistência Especializada) e na antiga clínica Sacro, ambos no bairro Cidade Nova.
Firmo ainda ressalta que os profissionais já possuíam prática nos manejos em relação à dengue, mas com a atual situação, foi necessária a capacitação desse público para os cuidados relacionados à chikungunya e zika vírus. “Essa é uma das demandas determinadas pelo Plano de Contingência do Município”, explica.

A Cia. Thaetro apresenta o espetáculo “A Princesa Travessa”


princesa2 (1)
A princesa travessa                    Fotos: divulgação

O espetáculo “A Princesa Travessa” da Cia. Thaetro de Performances e Espetáculos faz parte da programação de 145 anos da Biblioteca Pública Arthur Vianna e será apresentado em sessão gratuita no próximo domingo, 20, às 18h, no Teatro Waldemar Henrique, Belém do Pará.

Voltado principalmente para o público infantil, o espetáculo é uma releitura do clássico conto da Cinderela. Com linguagem atual e figurino rico em cores e acessórios, a peça traz ao palco sete personagens: Micaela, Cinderela, Príncipe Felipe, Madrasta, Grabriela, Professor de Música e o Corcunda.

“O espetáculo foi criado para atender todos os públicos e alavancar muitos risos da plateia. E traz em seu elenco nomes do cenário teatral da cidade, como Dél Ventura, Zeffa Magalhães (que também integra a equipe da Biblioteca Arthur Vianna), Wilson Trindade, Caio Tosmam, Jadylson de Araújo e Leyde Trindade”.

Cia. Thaetro – Formado em 1995, o grupo tem como proposta o aprimoramento artístico e estético de seus integrantes na arte de representar, além da tentativa de enriquecer a expressão cênica paraense e brasileira. A partir de 1997, o grupo reduziu o número de componentes e se reestruturou, mas não como grupo e sim, como Companhia Thaetro de Performances e Espetáculos.

Assista:

Espetáculo “A Princesa Travessa”

Quando: Dia 20 (domingo), às 18h.

Onde: Teatro Waldemar Henrique (Praça da República)

Quanto: Gratuito

Entrevistas:

Joseffa Magalhães / Atriz : 98216-0624

Caio Tosmam/ Ator: 98242-4596

Adélia Boaventura / Produtora Cultural: 98155-3845

Distribuição de peixes em Ilhéus está suspensa


O Prefeito Jabes Ribeiro torna público que acolheu a recomendação do Ministério Público Estadual, a pedido da APPI – Associação Profissional dos Professores de Ilhéus – e determinou a suspensão da tradicional distribuição do “peixe” no período que se aproxima à “Semana Santa” para a população carente do Município.

A distribuição de alimentos é parte integrante de programas sociais previstos na Lei 3.763/2015, que atualizou regras estabelecidas em normas anteriores, que tem como objetivo prover a população carente de alimentos em períodos tidos como fundamentais, a fim de proporcionar um mínimo de dignidade às pessoas que não têm condições financeiras.

peixes

A determinação de suspensão acata Recomendação de nº 03-03/2016 do Ministério Público do Estado da Bahia, expedida em função de solicitação da APPI/APLB, Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Ilhéus, representada pelos diretores Osman Nogueira Júnior e Enilda Mendonça.

Convicto de que não há qualquer ilicitude no procedimento realizado, tendo em vista a expressa previsão legal e sendo a distribuição pautada por critérios objetivos e impessoais, a decisão tem por objeto atender ao Ministério Público Estadual, diante das inverdades colocadas pela direção da APPI, por motivações políticas que acabam por prejudicar a população.

Por fim, lamenta profundamente não poder atender a parcela da população mais carente, sobretudo nesta quadra de graves dificuldades econômicas, mas certo de que continuará lutando em prol deste benefício importante para os mais necessitados.

Educadores da Bahia e entidades fazem ato em Salvador


aplb 2

Contra o parcelamento de salários, pelo cumprimento da Lei do Piso, Contra a terceirização, Contra a militarização de escolas públicas são algumas das reivindicações dos educadores baianos que participam, hoje, de uma grande caminhada do Campo Grande até a Praça Municipal de Salvador. A ação, que reúne cerca de cinco mil pessoas, faz parte da Agenda da Greve Nacional promovida pela Confederação Nacional Trabalhadores de Educação e que acontece também nos dias 16 e 17 de março. A caminhada conta com participantes das redes estadual, municipal de Salvador e municipal com diversas caravanas do interior da Bahia. A Associação dos Professores de Itapé marcou presença sendo representado pelos professores Sandro Lyra e Tilda Tammá.

aplb
Fotos: Aplb Salvador

 

Segue agenda da Greve Nacional:

  • Quarta-feira, 16 de março – Às 9h, seminário sobre a EJA. Às 14h, debate sobre a reserva da jornada de trabalho (educação infantil, ensino fundamental I e ensino fundamental II).
    Local: Hotel Fiesta
  • Quinta-feira, 17 de março – Dia Municipal de Luta em Defesa da Educação Pública de Qualidade, com as seguintes bandeiras de luta:
    Universalização da reserva;
    Fortalecimento e defesa da EJA;
    Contra o fechamento do turno noturno de escolas;
    Concurso público;
    Contra o “loteamento” de terceirizados, sem perder de vista a luta contra o PL 4330/2004 que regulamenta contratos de terceirização no mercado de trabalho.

Após a Greve Nacional, os educadores se juntam à sociedade e os movimentos sociais para atos em defesa da democracia:

Sexta-feira, 18 de março – Às 15h, Caminhada da Frente Brasil Popular, em defesa da democracia e contra o golpe, com saída do Campo Grande em direção à Praça Municipal. (Fotos no slides: Sandro Lyra)

Veja como foi o evento: https://www.youtube.com/watch?v=BnG3S6pj3Sk

 

E aí? Já reciclou seu lixo hoje?


tres R 1 br

Somos o terceiro país no mundo que mais gera lixo (Estados Unidos estão em primeiro lugar, seguidos da China). Estatísticas falam em 220 milhões de toneladas/dia, em torno de 1,2 quilo diário por pessoa. E os estudos mostram que só 58,% do lixo recolhido têm destinação adequada; 41,7% vão para 1.569 lixões e “aterros controlados” em 3.344 municípios. São Paulo gera 18 mil toneladas diárias de resíduos.

O que fazer com o lixo produzido diariamente nas cidades? Esse continua sendo um dos grandes desafios da humanidade. Uma saída inteligente é investir na reciclagem, que pode gerar renda e empregos além de uma melhor qualidade de vida para população.

Reciclar é transformar objetos e materiais usados em novos produtos para o consumo. Esta necessidade  foi despertada pelos seres humanos, a partir do momento em que se verificou os benefícios que este procedimento trás para o planeta Terra.

cores-da-reciclagem6

No processo de reciclagem, os materiais mais recuperados são o vidro, o alumínio, o papel e o plástico. Esta ação contribui para a redução significativa da poluição do solo, da água e do ar. Muitas indústrias estão reciclando materiais como uma forma de reduzir os custos de produção.

Um outro benefício da reciclagem é a quantidade de empregos que ela tem gerado nas grandes cidades. Muitos desempregados estão buscando trabalho neste setor e conseguindo renda para manterem suas famílias. Cooperativas de catadores de papel e alumínio já são uma boa realidade nos centros urbanos do Brasil.

O alumínio, por exemplo, pode ser reciclado com um nível de reaproveitamento de quase 100%. Derretido, ele retorna para as linhas de produção das indústrias de embalagens, reduzindo os custos para as empresas. De acordo com informações da  Associação Brasileira do Alumínio – ABAL e a Associação Brasileira dos Fabricantes de Latas de Alta Reciclabilidade – ABRALATAS, reciclamos 289,5 mil toneladas de latas de alumínio para bebidas, das 294,2 mil toneladas disponíveis no mercado em 2014, crescimento de 12,5% em relação ao ano anterior. Com isso, o índice de reciclagem de latas de alumínio para bebidas atingiu 98,4%, mantendo o Brasil na liderança mundial desde 2001. Segundo dados das duas entidades, foram recicladas no ano passado 22,9 bilhões de embalagens, o que corresponde a 62,7 milhões/dia, ou 2,6 milhões/hora.reciclagem (1)

Muitas campanhas educativas têm despertado a atenção para o problema do lixo nas grandes cidades. Cada vez mais, os centros urbanos, com grande crescimento populacional, tem encontrado dificuldades em conseguir locais para instalarem depósitos de lixo. Portanto, a reciclagem é uma solução viável economicamente, além de ser ambientalmente correta. Nas escolas, muitos alunos são orientados pelos professores a separarem o lixo em suas residências. Outro dado interessante é que já é comum nos grandes condomínios a reciclagem do lixo.

Aborto em caso de microcefalia terá pena maior


650x375_zika-microcefalia_1617136

Autor do projeto do Estatuto da Família, já aprovado na Câmara dos Deputados, o deputado federal Anderson Ferreira (PR-PE) apresentou outra proposta polêmica à Casa. O projeto aumenta a pena no caso de aborto cometido em razão da microcefalia ou outra anomalia do feto.

Para o deputado, não é o aborto que resolve os problemas da sociedade, mas sim o Estado dar condições para uma vida digna. “Sou autor do projeto Estatuto da Família, que já foi aprovado na Câmara dos Deputados. A intenção foi justamente criar um instrumento para as famílias poderem cobrar e ter acesso às políticas públicas. Quando uma criança nasce tem direito à saúde, educação, segurança, alimentação. Está na Constituição”, diz Ferreira.

O Projeto de Lei 4.396/2016, que altera o artigo 127 do Código Penal, prevê o aumento da pena em um terço até a metade quando o aborto for cometido em razão da microcefalia ou qualquer outra anomalia do feto, provocado ou consentido pela própria gestante ou por terceiros, com ou sem o aval da mulher.

A apresentação do projeto, segundo Ferreira, é uma reação “à tentativa de um movimento feminista, que quer se aproveitar de um momento dramático e de pânico das famílias, para retomar a defesa do aborto em nosso país”. A circulação do vírus Zika no Brasil e a associação da infecção em gestantes a casos de microcefalia em bebês reacendeu no país o debate sobre o aborto. Mas, para o deputado, a melhor forma de evitar o surto de microcefalia é combater o mosquito Aedes aegypti com medidas efetivas e criar mecanismos de prevenção junto à sociedade.

Um grupo composto por advogados, acadêmicos e ativistas prepara uma ação, a ser entregue ao Supremo Tribunal Federal (STF), que cobra o direito de a mulher de interromper a gravidez em casos de infecção pelo vírus Zika. “O que queremos garantir é que haja o acesso ao aborto livre de estigma, combinado ao acesso à informação sobre a infecção e a epidemia, para que as mulheres possam tomar a melhor decisão para si”, disse a antropóloga e pesquisadora Debora Diniz, que está à frente do trabalho.

Segundo ela, a ação está sendo preparada e deve ser proposta em breve, mas os detalhes sobre como seria estruturado o atendimento ao aborto legal nesses casos devem ser definidos pela política pública de saúde, assim como é hoje para as demais situações. O aborto é permitido no Brasil nos casos de anencefalia do feto, estupro ou se a gestante corre risco de vida.

Para o deputado Anderson Ferreira, o movimento não leva em conta que o diagnóstico da microcefalia só ocorre do sexto ao oitavo mês de gestação, quando a criança já está formada. “Há vidas em jogo. em vez de querer matar o mosquito, os defensores do aborto querem matar a criança. E acrescentei no projeto outras anomalias porque há vários outros tipos de problemas que afetam os fetos.”

Segundo ele, há vários casos de crianças que nasceram com microcefalia e hoje levam vida normal. “Quem defende aborto nestes casos defende uma seleção de seres humanos, que só tenha direito a nascer quem for perfeito fisicamente.”

A tentativa do deputado é inibir o aborto. “Quis deixar de uma forma clara o crime gravíssimo que são [os abortos] em casos de microcefalia e outras anomalias, por haver ausência deste termo no Código Penal. E para que não haja interpretação nova no STF, justamente pela ausência da clareza”, disse o parlamentar.

Débora Diniz destacou que, além de dar o direito de escolha às gestantes infectadas pelo vírus Zika, a ação no STF vai pedir, para as mães de bebês com deficiência, políticas sociais mais abrangentes, a fim de aumentar o apoio às necessidades de saúde, de educação, de inclusão social das crianças.

Para a antropóloga, o deputado age de má-fé ao propor aumentar a pena para aborto em caso de “qualquer outra anomalia do feto”. “O projeto de lei ignora deliberadamente o direito ao aborto legal em caso de anencefalia garantido por decisão do STF. O deputado pretende retroceder ainda mais no acesso ao aborto legal sem dizê-lo abertamente. Propostas como essas só evidenciam que o Congresso Nacional não está comprometido com a defesa dos direitos das mulheres. Nós acreditamos que o STF, diferente do Congresso, será capaz de analisar a questão sob a ótica de proteção de direitos, como é sua função”, disse.

Além da maior punição a quem pratica o aborto, o deputado Anderson Ferreira defende que haja a ampliação do Benefício de Prestação Continuada (BPC) para a pessoa com deficiência, para que mais famílias possam ser atendidas pelo programa. Famílias de crianças com microcefalia com renda até um quarto de salário mínimo per capita têm direito ao benefício. Segundo Ferreira, também tramita um projeto na Câmara dos Deputados prevendo indenizações para os casos de microcefalia.

Sobre os casos de mulheres que morrem ao recorrer a clínicas clandestinas para conseguir o aborto, o deputado disse que isso é caso para a polícia.

O Código Penal prevê pena de detenção de um a três anos para a mulher que causar aborto em si mesma ou consentir que outra pessoa provoque a interrupção da gestação. Se o aborto for provocado por terceiros sem o consentimento da gestante, a pena é reclusão de três a dez anos. Se houver consentimento, a pena é reclusão de um a quatro anos.

Manobrista é atropelado após cobrar R$6


Reprodução do Facebook
Reprodução do Facebook

O manobrista Marcílio Cardoso, 28 anos, foi atropelado por uma cliente que se recusou a pagar o estacionamento do Hospital Cárdio Pulmonar na avenida Garibaldi, na noite desta sexta-feira, 11. O serviço de estacionamento do hospital é administrado pela Well Park.

O atropelamento aconteceu após Marcilio informar a cliente que ela havia ultrapassado o limite de 15 minutos de tolerância do estacionamento, tendo de pagar a diferença de R$ 6. A mulher se negou a pagar, alegando que excedeu o tempo por causa de um outro cliente, que demorou de efetuar o pagamento. Quando ultrapassou a cancela, atingiu o funcionário com o veículo.

Os primeiros atendimentos à vítima foram prestados por uma equipe do hospital. Segundo o gerente de operações do estacionamento Well Park, André Siqueira, a mulher não teria demonstrado arrependimento. “Em todo momento que estive ao lado da mulher, ela esteve fria o tempo todo”.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado por uma testemunha, que encaminhou o manobrista ao Hospital São Jorge (Pan de Roma). Marcílio já teve alta e está em casa.

A cliente prestou depoimento na delegacia e foi liberada. O caso está sendo investigado pela 7ª Delegacia, no Rio Vermelho.

Ba x vi já tem 20 mil ingressos já foram vendidos


Cerca de 20 mil torcedores já possuem ingressos para o clássico Ba-Vi de domingo, 13, na Arena Fonte Nova, às 16h. O Bahia tem direito a 90% dos 44.700 bilhetes. Nesta sexta-feira, 11, informou que havia vendido mais de 12 mil, fora os 2,7 mil sócios do programa Arena Tricolor e outros 2,7 mil ingressos dados a patrocinadores.

Já o Vitória comercializou cerca de 2,6 mil de suas 4.470 entradas. As vendas seguem nas lojas Casa do Tricolor  (Bonfim, Pau da Lima, Salvador Norte Shopping, Bela Vista, Paseo Itaigara e Villas do Atlântico) para a torcida do Bahia, e na Fonte Nova para ambas.

650x375_venda-de-ingressos-bavi_1617008
Venda de ingressos do Bavi                       Foto: Luciano da Matta

Mara não vê problemas em ter filho gay


Depois da polêmica com os gays, durante uma entrevista em 2013, a cantora Mara Maravilha agora diz não ver problemas caso seu filho seja gay. Ao site Ego, ela contou que o que importa é o caráter.

“Quando a gente ama, a gente ama. Hoje o ser humano tendo saúde, já é uma grande graça de Deus. O problema do ser humano é no caráter. Eu tenho amigos que são gays e que têm um supercaráter, mas tem outros que não têm. O problema não é ser gay ou não, é ter ou não caráter. Aceito toda escolha do meu filho, só não aceito mau-caratismo”, disse.

Sobre a declaração polêmica do passado – onde chegou a criticar o beijo que a cantora Daniela Mercury deu em Malu Verçosa durante a Parada Gay de São Paulo -, Mara afirmou terem distorcido suas palavras, mas manteve sua posição.

“Eu continuo com a mesma opinião. Não acho que seja bacana um casal que seja heterossexual ou homossexual ficar se agarrando em público. Se o que falei foi deturpado, fizeram furdunço… me entenderam mal. Todo bibinha é mara. Eu sou arco-íris, sou supercolorida”, completa.

mara
Mara “o importante é ter caráter”                                Foto: Divulgação

Cachoeira: um rio que pede socorro


Ele se forma no Município de Itapé, na confluência do Rio Colônia com o Rio Salgado. Se você acha que estou me referindo ao Rio Cachoeira, acertou! Esse curso de água é um dos mais importantes do Sul da Bahia, pois abastece a 12 cidades. Entretanto, sofre com o descaso de nossos governantes e com os maus tratos por parte de empresas e população.

Geógrafa Eliana Trindade avalia condições do Rio Cachoeira Foto: Eliane Trindade
Geógrafa Eliana Trindade avalia condições do Rio Cachoeira Fotos: Eliana Trindade

 

Segundo os especialistas, o Cachoeira sempre foi rico em diversidade de peixes, com destaque para robalos e pitú (um crustáceo raro que existe apenas em alguns rios do Brasil). Infelizmente, o panorama atual é outro. Em seu estudo a biogeoquímica, Maria Pinheiro Lima, alerta que as atividades ligadas ao manejo florestal e agrícola e a urbanização alteram os ciclos biogeoquímicos dos ecossistemas aquáticos. A especialista afirma que as principais atividades impactantes no Rio Cachoeira estão associadas às atividades agro-industriais e ao lançamento de esgotos domésticos e resíduos sólidos.

A geógrafa, Eliana Trindade, também lamenta a atual situação do Cachoeira. “Serviços de lavagem de veículos, construções nas margens do rio, ausência de mata ciliar, extração de areia, lançamento de lixo e esgoto in natura e outras ações ao longo dos anos são provas da desinformação e do descaso por parte da população e das autoridades locais com o rio”, justifica a também professora.

A especialista defende que o rio é um espelho de como a população cuida do meio ambiente. “O Cachoeira já foi caudaloso e limpo, servindo como fonte de renda e lazer para os habitantes do seu entorno. Hoje, após tantos maus tratos, ele teve o seu volume diminuído consideravelmente e está a cada dia mais poluído. As baronesas e os urubus presentes em suas  águas são evidências concretas de que a população itapeense e circunvizinha precisam de educação ambiental”, finaliza Eliana.