Paralela: novos retornos serão criados para organizar trânsito durante obras


A partir desta sexta-feira (12), a paisagem da Avenida Paralela vai ficar um pouco diferente. O canteiro central será ocupado por operários vestindo uniformes laranjas, máquinas de terraplanagem e equipamentos de topografia. Exatamente um ano depois da viagem inaugural do metrô de Salvador, em 2014, o governador Rui Costa assinou, ontem, na sede da Procuradoria- Geral do Estado, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), a ordem de serviço para o início das obras da segunda etapa da Linha 2 do sistema. Na solenidade, o prefeito ACM Neto entregou 12 alvarás de construção – um para a linha e outros 11 para terminais e estações que serão construídos. “Vamos ter, além do metrô, uma Paralela completamente livre para ir e voltar mais rápido do trabalho, da escola e dos afazeres. Cada um de nós botou um tijolo nessa casa. Nos alegra bastante porque, além do impacto do projeto de mobilidade, teremos geração de renda e emprego para milhares de famílias”, disse o governador, referindo-se aos operários que vão trabalhar na construção da linha. Segundo a concessionária CCR Metrô Bahia, 5 mil pessoas vão trabalhar nas obras da Linha 2. As intervenções, que começam hoje, devem seguir até o segundo semestre de 2017. Agora, já serão instalados novos canteiros de obras a partir da região de Pernambués e uma Central de Concreto na altura de Pituaçu, com capacidade de produzir 60m³ (60 mil litros) de concreto por hora. Logo em seguida, os técnicos e operários da CCR vão iniciar o trabalho de topografia, limpeza de terrenos e terraplanagem. Leia mais no Correio*.