Pernambuco cresce mais do que o Brasil em geração de empregos


O segundo estado que mais gerou emprego com carteira assinada no Brasil neste mês de setembro foi Pernambuco. Segundo dados do Caged, houve a geração de 17,6 mil empregos formais neste mês em Pernambuco, uma variação positiva de 1,43%, maior que a do Brasil (0,40%). Em termos quantitativos, a indústria de transformação pernambucana foi a que mais gerou empregos neste mês, 10.781 (5,69%). Essa área envolve a indústria de alimentos, bebidas e álcool etílico; a metalúrgica; a mecânica; a de material elétrico e de comunicações; a química e farmacêutica, entre outras.

 

A agropecuária propiciou outro bom desempenho nos postos de trabalho, com a criação de 4.580, uma variação de 7,97 pontos percentuais neste mês, especialmente na área do corte da cana-de-açúcar e da fruticultura.

 

O Nordeste apresentou o maior saldo positivo de postos de emprego em setembro, com a oferta de 57.035 postos. Em segundo lugar ficou o Sudeste (+56.833 vagas) e em terceiro, o Sul (+23.870). O Centro-Oeste ficou em quarto lugar em setembro (+10.073 vagas) e o Norte, em quinto (+9.352). Os Estados que mais geraram empregos em setembro foram São Paulo (+36.156 postos), Pernambuco (+17.630) e Alagoas (+16.529).

 

De acordo com o secretário do Trabalho, Emprego e Qualificação, Alberes Lopes, o crescimento se deve ao empenho do governo Paulo Câmara em trazer novos empreendimentos para Pernambuco e também reflete a safra do período da cana-de-açúcar, o que os números do Caged mostram destacando municípios da Mata entre os que mais fizeram contratações, como Sirinhaém, Moreno e Ribeirão.