Rio: ciclovia de R$ 44,7 milhões desaba


A ciclovia Tim Maia na Avenida Niemeyer, na altura do Castelinho, foi interditada após o desabamento de parte da estrutura a cerca de 800 metros da Praia de São Conrado. A via desabou, na manhã desta quinta-feira, em um trecho de mais de 50 metros. A prefeitura informação da prefeitura é a de que a ressaca teria provocado a ruptura. A Avenida Niemeyer está fechada nos dois sentidos.

A Secretaria Municipal de Saneamento e Recursos Hídricos (SMAR) informou que o buraco em trecho da Praia de Sao Conrado se formou em função da maré alta e das fortes ondas no local, que foi interditado e isolado. Os serviços de reparo só poderão ser feitos quando houver recuo do mar, condição para que sejam realizados com segurança. Após o desmoronamento de novo trecho ontem, a SMAR solicitou a Defesa Civil a interdição do local para garantir a segurança dos banhistas.

A ciclovia foi inaugurada em janeiro deste ano. Com 3,9 quilômetros de extensão, a via foi construída sobre o costão rochoso da Avenida Niemeyer, na Zona Sul do Rio de Janeiro, na beirada do mar. As obras começaram em junho de 2014, e foram investidos R$ 44,7 milhões no projeto.

ciclovia-01

Segundo a Prefeitura do Rio divulgou na ocasião essa ciclovia é “um projeto audacioso, idealizado pela Fundação Geo-Rio, órgão vinculado à Secretaria Municipal de Obras, que tem tudo para se tornar o novo cartão-postal da cidade”. Cerca de 300 pessoas atuaram na obra, que é a primeira fase do Complexo Cicloviário Tim Maia que, futuramente, ligará, por ciclovias, as praias do Rio de Janeiro do Leme ao Pontal.

Agentes da CET-Rio chegaram há alguns minutos no local, que ainda não foi isolado. Inaugurada em meados de janeiro, a ciclovia Tim Maia liga o Leblon a São Conrado.

A ciclovia Tim Maia liga Leblon a São Conrado. A via tem 3,9 quilômetros de extensão e dispõe de 11 acessos.

Com 3,9 quilômetros de extensão, a via foi construída sobre o costão rochoso da Avenida Niemeyer, na Zona Sul do Rio de Janeiro, na beirada do mar. As obras começaram em junho de 2014, e foram investidos R$ 44,7 milhões no projeto.

Segundo a Prefeitura do Rio divulgou na ocasião essa ciclovia é “um projeto audacioso, idealizado pela Fundação Geo-Rio, órgão vinculado à Secretaria Municipal de Obras, que tem tudo para se tornar o novo cartão-postal da cidade”. Cerca de 300 pessoas atuaram na obra, que é a primeira fase do Complexo Cicloviário Tim Maia que, futuramente, ligará, por ciclovias, as praias do Rio de Janeiro do Leme ao Pontal.
Ainda segundo a prefeitura informou, foram utilizados 5.300 metros cúbicos de concreto, 3.220 metros cúbicos de corte de rocha, além de 6.750 metros de guarda-corpo. A obra contou com 150 blocos fincados no costão e 152 tabuleiros de concreto ancorados, visando o melhor aproveitamento técnico das condições existentes.
O guarda-corpo da ciclovia contém peças de madeira plástica, oriundos de reciclagem e que, segundo a prefeitura, dispensam manutenção.