Seguranças envolvidos na morte de jovem em supermercado no Rio são denunciados


O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) denunciou os dois vigilantes envolvidos na morte de Pedro Henrique de Oliveira Gonzaga,  — o jovem não resistiu após ser estrangulado na porta de um supermercado na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, em fevereiro deste ano. A acusação é de homicídio qualificado e o órgão divulgou a informação nesta quinta-feira.

Segundo a denúncia, Davi Ricardo Moreira Amancio estrangulou o jovem. As lesões provocaram sua morte. Edmilson Felix Pereira, também vigilante, observou a ação do colega, quando “deveria ter tentado impedir o crime cometido pelo primeiro denunciado”, ainda de acordo com o MP. Os dois prestavam serviço para o supermercado Extra, na ocasião.Davi Ricardo Moreira Amâncio define em sua rede social que “ser um segurança é conviver com a morte e não se abalar”.

Ainda conforme a denúncia, o crime foi praticado com o emprego de asfixia. Davi continuou a aplicar o golpe que impedia a vítima de respirar, mesmo após ela já ter sido dominada. O laudo de exame de necropsia apontou que as lesões foram as responsáveis pela causa da morte do jovem. O documento do MP requer que ambos respondam pelo crime de “homicídio qualificado com emprego de asfixia”. A pena prevista pode chegar a até 30 anos de prisão.