Um talento baiano


A emoção de dançar ao lado de Áquila Silva

“Foi meio que por acaso… Áquila é uma menina que nasceu normal, mas em fase de crescimento pegou uma virose que a deixou com uma série de sequelas… inclusive um coágulo no cérebro. Ela é assistida pelo CRAS local e, ano passado, uma amiga em comum me convidou para realizarmos uma festa de aniversário para ela. Como toda menina gosta.. e teria uma dança.. então um dos facilitadores do CRAS seria o parceiro de dança de Áquila… mas ele faltou.. e de última hora me colocaram.. já que eu havia dançado eu um espetáculo. Topei por que Áquila é muito especial cativante. Fizemos tanto sucesso, que depois fomos convidados a nos apresentarmos em diversos eventos, inclusive em municípios vizinhos.. foram umas seis apresentações e esse ano já fizemos duas! O que a gente passa com nossa apresentação é que tudo pode ser superado.. você pode romper limitações com amor, carinho e dedicação”, Antônio Carlos Moura.