Você quer morar sozinho?


Com disciplina, força de vontade e organização tudo fica bem mais fácil

Já pensou em ter seu próprio espaço? Não estou falando do seu quarto não meus amigos (as) leitores (as). Refiro-me a um apartamento ou casa que seja só sua. Independente de ser própria ou não. Onde você ficará responsável pelas despesas, manutenção etc. Bem, acho que poucos são os que não sonham ou já pensaram em morar só. Mas, essa inciativa é tão simples como se pensa? Podem ter certeza que não meus caros leitores.solteiro

 

Quando o assunto é morar sozinho, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nos mostra que, em 2014, eram 70 milhões de brasileiros, detalhe 43,4% dessas pessoas tem mais de 60 anos. Em 2004, eram 56,2 milhões de brasileiros que moravam sós. Ainda segundo o Instituto, ao longo de dez anos, a proporção de jovens entre 20 e 29 que mora só caiu de 1,4% para 9,6% em 2014. Já na faixa etária, entre 25 e 34 anos, essa proporção subiu ao passar de 21,2% em 2004, para 24,3% em 2014.

Estatísticas a parte, ao decidir pela moradia solitária é importante se preparar tanto financeiramente como psicologicamente. Uma pessoa oriunda de uma família relativamente grande vai estranhar com certeza uma casa vazia. Se com o passar do tempo, ela vai se adaptar a nova realidade aí já é outra história.

Falando no campo monetário é importante se organizar para conseguir arcar com os gastos com aluguel e até de condomínio. Lembre-se que também haverá gastos com alimentação e até com diarista, isso se você não gostar muito de serviços domésticos. Ou seja, você terá que manter as finanças bem controladas.

Para colaborar com esse divisor de águas, separamos algumas dicas que serão bem úteis. Veja abaixo:

  • Respeite seu lar – cuide bem do seu cantinho e reserve um tempo na sua agenda para se dedicar a ele, ou seja, mantenha-o sempre limpo, arejado e bem iluminado;
  • Cuidado com estranhos – não convém levar pessoas estranhas para a sua casa. Lembre-se que a violência está maior a cada dia e nunca se sabe o que vai ao coração e na mente dos outros;
  • Não abuse dos fast foods da vida – esses alimentos são extremamente gordurosos, não alimentam e podem gerar doenças como úlceras, gastrites etc. Dê preferência a comidas mais saudáveis como, por exemplo, saladas, bifes grelhados e sopas;
  • Evite se isolar – morar sozinho (a) não precisa ser sinônimo de abandono e solidão. Você pode, por exemplo, escolher um dia da semana para convidar os para um almoço ou jantar em sua casa. Ou, então, tirar um dia para ir até a casa dos seus pais, por exemplo, para matar a saudade e por os assuntos em dia. O que acha da ideia?
  • Cuide da saúde – Estipule horários para alimentação, descanso, passeios, estudos etc. Essa rotina ajuda muito ao organismo manter-se saudável.

Seja por pura necessidade ou apenas por opção, morar sozinho pode ser uma experiência enriquecedora. Basta criar algumas regras básicas e agir com disciplina. Assim as possibilidades de êxito são maiores.

 

Marcelo Carvalho é jornalista profissional especializado em Marketing Empresarial e Comunicação Corporativa.