Ar-condicionado: 5 sinais de que está na hora de trocar o seu


Segundo um relatório da ONU, publicado em 2020, ter um ar-condicionado eficiente pode evitar a emissão de gases causadores do efeito estufa

Marcelo Carvalho

A tecnologia de refrigeração tem se tornado cada vez mais importante para o mundo em razão das variações climáticas. Ela protege, por exemplo, as pessoas do calor extremo, ajuda a conservar alimentos frescos e é fundamental para armazenar vacinas e remédios. Mais do que conforto, o ar-condicionado virou um item essencial para o bem-estar humano. Mas, afinal, como saber o momento certo de trocar o aparelho?

Segundo um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU), publicado em 2020, ter um condicionador de ar com eficiência energética e amigável ao meio ambiente pode evitar a emissão de até 460 bilhões de toneladas de gases causadores do efeito estufa pelos próximos 40 anos. Atualmente, de acordo com o documento, estima-se que haja 3,6 bilhões de aparelhos em uso, número que pode subir para 14 bilhões até 2050.

A opção por trocar ou não o equipamento por um novo vai além de questões técnicas e sinais de falhas. Trata-se de pensar também na sustentabilidade do planeta, na melhora da qualidade de vida e na economia que um aparelho eficiente pode gerar. 

Veja, a seguir, cinco sinais de que está na hora de trocar o seu!

1. O ar-condicionado tem mais de dez anos?

Isso pode parecer óbvio, mas se o ar-condicionado está ficando ultrapassado, é importante começar a se preparar para a compra de uma nova unidade. Esses produtos costumam ficar expostos a temperaturas extremas ao longo do ano, o que pode reduzir a sua durabilidade.

A vida útil também pode ser afetada pela frequência com que você usa o equipamento, se faz ou não a manutenção adequada, o quão quente e úmido ele fica na área em que você mora e se a unidade foi ou não dimensionada corretamente no momento da aquisição. Quem reside em cidades litorâneas, por exemplo, precisa redobrar os cuidados, em virtude das maresias que podem danificar o produto.

Agora, para quem mantém o ar-condicionado em boas condições ao longo da vida útil, o prazo para substituí-lo pode variar, em média, de dez a 15 anos.

2. O condicionador de ar quebra frequentemente? 

Quebras frequentes também são sinais de que pode estar na hora de trocar o produto. Aliás, com o aumento dos custos com consertos, pode ser mais econômico comprar uma nova unidade.

Geralmente, os gastos com reparos costumam ser altos, especialmente se a garantia do aparelho tiver expirado. Caso a peça danificada seja um compressor, por exemplo, é provável que a aquisição de um novo ar-condicionado seja mais viável.

Mas antes de tomar uma decisão, é fundamental consultar um técnico para uma análise detalhada.

3. O ar-condicionado está fazendo mais barulho do que antes?

Outro sinal importante pode estar relacionado ao aumento do barulho. Ou seja, caso o aparelho passe a emitir ruídos altos, é necessário também obter a avaliação de um técnico qualificado para identificar se há algum problema.

Pode ser sujeira no filtro, mal desempenho de alguma peça, desgaste do produto com o passar do tempo, entre outras questões. E, dependendo da análise do profissional, pode ser que tenha chegado a hora de substituí-lo por um novo modelo.

Problemas no equipamento podem, inclusive, causar outros prejuízos, como consumo elevado de energia elétrica.

4. Os valores das contas de luz aumentam drasticamente?

A menos que haja alguma mudança repentina no uso de energia na casa ou uma atualização dos valores pelo poder público, é comum que a conta de energia elétrica fique no mesmo valor todos os meses, flutuando um pouco no verão.

Mas se o boleto mensal teve uma elevação financeira drástica, talvez seja hora de considerar a aquisição de um novo ar-condicionado.

Isso porque contas de energia mais altas podem indicar que o aparelho esteja com defeito ou perdendo eficiência. O aumento do consumo de energia ocorre à medida que o produto envelhece, de modo que os dois problemas podem estar relacionados. 

5. O ar-condicionado não está mais funcionando como antes?

Um dos principais sinais de que o ar-condicionado precisa ser trocado é quando se percebe que ele não resfria mais o ambiente como antes. Apesar de a sensação de conforto em relação à temperatura ser algo muito pessoal, é possível perceber se o aparelho está com mal desempenho.

Nesses casos, quando o aparelho é split e não gela o suficiente, o problema mais comum é a falta de gás, decorrente de um pequeno vazamento no sistema de refrigeração. Outras causas possíveis podem estar relacionadas a:

  • Pane elétrica;
  • Filtros sujos;
  • Saídas de ar obstruídas;
  • Capacidade inadequada para a refrigeração do ambiente;
  •  Portas e janelas do ambiente abertas.

Além de identificar problemas que podem indicar que está na hora de trocar o ar-condicionado, é fundamental marcar a visita de uma empresa qualificada antes de comprar um novo aparelho. Na avaliação do local, normalmente é indicado o modelo e capacidade mais adequados para as suas necessidades.

É o tipo de cuidado que contribui com a do seu bolso, do equipamento e do planeta.

Brasileiros passam a valorizar o turismo regional durante a pandemia


Segundo da FecomercioSP, o turismo brasileiro perdeu mais de R$ 50 bilhões

Thais Paim

Com o cenário de pandemia e a adoção de diversas restrições, o turismo foi um dos segmentos que mais registrou quedas. Segundo a Organização Mundial do Turismo, a crise ainda persiste em 2021: vários destinos ao redor do mundo receberam 180 milhões a menos de turistas entre janeiro e março, se comparado ao primeiro trimestre de 2020, quando a pandemia ainda não tinha ganhado forças. 

Os dados apontam que os prejuízos ao longo dos últimos meses foram muitos: a perda total de receitas de exportação do turismo internacional, incluindo o transporte de passageiros, totalizou quase US$ 1,1 trilhão.

Quando falamos do Brasil, um estudo realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) apontou que o turismo brasileiro perdeu mais de R$ 50 bilhões.

Foto: JL Rosa

Adaptação e novas oportunidades 

Mas um outro lado da crise que pôde ser observado após a flexibilização do isolamento é de que o turismo nacional registrou um crescimento, um movimento específico: as pessoas estão viajando mais pelo brasil. Isso porque, há mais de um ano, os brasileiros não podem entrar em vários países ao redor do mundo.

Um outro motivo para essa mudança é o fato de que o isolamento aumentou a quantidade de pessoas trabalhando em regime home office e, consequentemente, mais gente está em busca de lugares fora dos centros urbanos para descansar e trabalhar.

Levantamos já apontam que essa nova onda pode ter chegado para ficar. Segundo o Booking.com, 55% das pessoas pretendem conhecer um destino novo na região em que moram.

Dados do Portal do Empreendedor de 2020 revelaram que de março a dezembro de 2020 houve um aumento de 13,23% de MEIs registrados, resultando um total de 1,49 milhão de novas formalizações. Isso somado às mais de 7,5 milhões de micro e pequenas empresas que também nasceram nesse período.

Diante deste cenário, foi graças às tendências que surgiram e ao desejo de promover experiências que atendessem às novas necessidades dos brasileiros, que pequenos empreendedores da área de turismo começaram a enxergar uma oportunidade em meio à crise da Covid-19. 

Novo cenário 

Com esse “novo normal” veio uma nova maneira de se fazer turismo também e as inovações e adaptações fazem toda a diferença na hora de implementar um negócio de sucesso. Empresas como a Travelum, que iniciaram as atividades durante a pandemia, já nasceram com passeios pensados e projetados de acordo com os protocolos de segurança para que a saúde e o conforto dos turistas venham em primeiro lugar. Isso significa o uso obrigatório de máscaras e passeios apenas com grupos reduzidos para evitar aglomerações.

Com a alta do dólar e restrições para brasileiros viajarem para destinos internacionais, é bem provável que a tendência do turismo nacional continue em alta mesmo após o fim da pandemia. 

Empresário lança marketplace para viagens curtas no Brasil


Cenário de pandemia auxiliou nessa decisão

Thais Paim

Foi pensando em encontrar uma solução para aproximar viajantes e destinos em viagens de fim de semana, que  o empresário Rodrigo Rocha criou o meufindi. Atualmente, a plataforma conta com mais de 100 destinos até 300 quilômetros de São Paulo, que também se ampliam entre Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo.

A inspiração para criar o projeto veio após observar que existiam muitos outros lugares a serem explorados, principalmente próximo à capital de São Paulo e que o cenário atual torna essas possibilidades mais próximas muito mais atrativas. 

Rodrigo conta um pouco de como foi o seu processo de decisão e análise do mercado e explica: “O meufindi surgiu em um momento em que as viagens curtas e próximas ao endereço residencial estão muito em evidência, devido às restrições referentes à covid-19, já que as viagens de avião para outros estados e países foram muito prejudicadas”.

Foto: Tadeu_Bianconi

Além disso, ele também destacou a dificuldade atual para o turismo em outros países. “Alguns países, por exemplo, estão fechados para brasileiros (sem prazo de abertura). Por outro lado, o Turismo de viagens curtas no fim de semana ao redor das capitais sempre foi a grande fatia do Turismo doméstico”, destacou ele. 

Além da hospedagem, o cliente também pode já programar todo o roteiro do fim de semana no destino dentro do site, que inclui pousadas, resorts, bares, restaurantes, passeios, Turismo rural e experiências locais. Segundo o fundador, a meta para este ano é ampliar o site para toda a região Sudeste.

Você sabe qual variante é a versão mais poderosa do Loki?


Fãs especulam sobre possibilidades da série para o futuro

Thais Paim

Quem acompanha a série já percebeu que além das várias versões de Loki que já apareceram no seriado, tudo indica que muitas ainda irão surgir. Mas, qual será entre elas a mais poderosa? Quantas existem? 

Criada com base nos quadrinhos, uma dessas variantes do holograma era o Loki na era dos vikings. Época que ele usava capacete de ossos e ficava na sua forma meio gigante. Nessa fase, o personagem era bem malvado, assim como o Loki clássico.

Mas ele ainda iria aprender muita coisa no futuro, passar por muitas batalhas, aprender novas magias, ficar ainda mais ‘casca grossa’. Da mesma forma que o Thor dessa época viking ainda não era tão forte, não tinha o Mjolnir e usava um machado.

Tom Hiddleston é Loki. Foto: Marvel

Loki e suas versões 

A versão do Loki Hulkzado é forte, sobretudo, fisicamente. Ele apareceu quando o Loki atual da Marvel fez uma magia para invocar todas as suas contrapartes, todas as formas que ele já teve, inclusive, diferentes reencarnações. Ele fez isso pra lutar contra Jane Foster, que nessa fase era a Poderosa Thor.

Mas um evento não esperado fez com que as outras versões do Loki se desentendessem entre si.

Afinal, o Loki atual da Marvel é um herói, uma coisa bem diferente das outras várias versões dele – que são vilões supermaléficos.

Apesar de ser mais forte que os outros fisicamente, o Loki Hulk tem menos cérebro. E o cérebro é a principal arma do Loki, que sempre usa a malícia e a magia nas lutas. Afinal, é o Deus da Trapaça. Sendo assim, o Loki Hulk já está em desvantagem se comparado aos outros.

Quem já acompanhou todos os episódios, pode concluir que, ao menos até agora, parece que Sylvie está acima de Loki. Ela é o Loki mais forte por enquanto. Mesmo comparando com os outros Lokis, até porque ela conseguiu fugir da AVT e matar vários deles – enquanto os outros foram capturados.

Porém, essa hierarquia pode mudar! A série deve trazer várias variantes de Loki, versões aterrorizantes e megapoderosas do Deus da Trapaça.

Sem público: ato simbólico na Lapinha celebra Independência da Bahia


O tema da solenidade neste ano é “Chama da Esperança”

Thais Paim

Por conta da pandemia da Covid-19, esse é o segundo ano em que o tradicional desfile em comemoração à Independência da Bahia não acontece. Apesar do cenário atual, há um evento simbólico para celebrar a data.

Pensando no distanciamento social, não há presença de público no ato. A celebração ocorreu na Lapinha, com apresentação da Orquestra Sinfônica da Polícia Militar (PM-BA), e uma representação de Maria Quitéria, um dos símbolos da guerra que culminou em 1823 na expulsão dos portugueses de Salvador, um dos últimos redutos dos ex-colonizadores no Brasil.

O local escolhido para realizar o evento também não foi ao acaso. Na Lapinha encontra-se a imagem do caboclo, símbolo de independência baiana. O local foi um dos principais pontos de batalha entre brasileiros e lusitanos, assim como a Soledade, Pirajá e nas ilhas do Recôncavo.

Neste ano, em homenagem aos profissionais da saúde, o tema da solenidade é “Chama da Esperança”.

 

Lapinha. Foto: Bruno Concha

02 de julho 

Para os baianos, esta importante data é considerada como sendo a Independência do Brasil na Bahia. O motivo? É nela que celebramos a vitória dos brasileiros na guerra travada na então província da Bahia, por mais de 17 meses contra as tropas portuguesas. Foi através desse importante passo que consolidou-se a separação política do Brasil de Portugal.

O interesse por parte de Portugal era dividir o país em duas regiões: o sul e o sudeste permaneceriam sob a direção de Pedro; e o norte, sob o domínio português. Mas os planos não saíram como planejados após as tropas portuguesas serem expulsas definitivamente no dia 2 de julho de 1823.

Fonte: Adriana Oliveira TV Bahia

Itapé: prefeito Naeliton anuncia mais obras de pavimentação


Desta vez os moradores contemplados são dos Bairros Luís Viana Filho e do Jorge Amado

Marcelo Carvalho

Os moradores das ruas Bela Vista e Boa Vista, ambas no Bairro Luís Viana Filho, e os da Rua D, no Jorge Amado, têm motivos para comemorar. Na manhã de hoje (1º) o prefeito do Município de Itapé, Naeliton Rosa Pinto, assinou a ordem de serviço das obras de Pavimentação destas três vias. Segundo o gestor municipal, as obras serão iniciadas em oito dias.

Prefeito de Itapé, Naeliton Rosa Pinto discursa durante o evento. Foto: divulgação

As informações foram divulgadas durante evento realizado, pela manhã, no Bairro Luís Viana Filho, que também contou com a participação do vice-prefeito, André Jatobá, de vereadores, como por exemplo, Eduardo de Badalo, Gidalva Paixão Evangelista (Índia Evan, Ericlisson Menezes De Souza (Lico), Ive de Reinaldo (Ive Cléia Alves Pinto De Almeida) e Tiara Silva Araújo Alves (Tiara de Fredo), da Secretária da Educação, Luzinete Miranda, da Presidente do Conselho Municipal de Educação, Célia Alcântara, da diretora do Centro Educacional de Itapé, Adriana Trindade, além de membros da equipe da Prefeitura de Itapé e a comunidade.

Obras irão beneficiar centenas de moradores. Fotos: Marcelo Carvalho

Rosa Pinto destacou o auxílio dos deputados Carlos Robson Rodrigues da Silva (Robinho) e Ronaldo Carletto responsáveis pelas emendas que possibilitaram que as obras saíssem do papel. “Desde 2018 insistimos em solicitar, reivindicar e por fim conquistarmos investimentos para darmos início às obras de pavimentação”, comemora o gestor municipal.

Agências do Trabalho de Pernambuco reúnem 325 vagas de emprego para a próxima terça-feira (29)


Ao todo, 17 municípios oferecem as oportunidades         

Marcelo Carvalho   

A partir desta terça-feira (29), 325 vagas de emprego para a população pernambucana estarão disponíveis, concentradas nas cidades de Araripina, Bezerros, Cabo, Caruaru, Garanhuns, Goiana, Ipojuca, Nazaré, Paulista, Pesqueira, Petrolina, Recife, Salgueiro, Santa Cruz do Capibaribe, São Lourenço da Mata, Serra Talhada e Vitória. Apenas em Paulista, estão 103 do total de oportunidades. No Cabo, estão disponíveis 87 chances.

As áreas de maior destaque no quadro de vagas são para caldeireiros de manutenção (35), com salário aproximado de R$2,5 mil, e encanadores industriais (30), com pagamento médio de R$ 2,5 mil. Os dois trabalhos estão sendo oferecidos no Cabo.

Dentre as vagas citadas, 80 correspondem a reservas para pessoas com deficiência, distribuídas pelas cidades de Igarassu, Paulista, Petrolina, Salgueiro e Recife. As opções para PCD têm ênfase em auxiliar de linha de produção (27) e operador de empilhadeira (20). Ainda, 21 das oportunidades são exclusivamente temporárias, estando o ofício de auxiliar operacional de logística (15) em evidência. Essas chances estão dispostas no Cabo e no Recife.

Para consultar presencialmente uma das unidades das Agência do Trabalho e se candidatar para uma vaga, é preciso realizar um agendamento prévio por meio do site da Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação de Pernambuco (https://www.seteq.pe.gov.br/). Essa medida tem o objetivo de evitar aglomerações, protegendo os funcionários e a população do contágio com o vírus da Covid-19. A SETEQ solicita o uso de máscara durante a visita.

Os atendimentos presenciais nas instalações das Agências de Igarassu e Palmares estão suspensos temporariamente. É  possível estabelecer contato com qualquer uma das Agências citadas para tirar dúvidas, através de ligações e e-mais. Confira os telefones e endereços de e-mail de cada:

IGARASSU

(81) 3183-7276 / [email protected]

PALMARES

(81) 3661-8412 / [email protected]

Confira as vagas disponíveis: Agências do Trabalho de Pernambuco reúnem 325 vagas de emprego para a próxima terça-feira (29) – [email protected] – Gmail (google.com)

                                          

Veja como os pratos típicos são oportunidade de negócio durante todo o ano


Senai está oferecendo minicursos on-line 

Thais Paim

Se você está sem uma fonte de renda ou já tem um negócio do setor de alimentos, o São João em casa pode representar uma oportunidade para todo o ano. Em 2020, foi registrado recorde no número de novos Microempreendedores Individuais (MEIs) em cinco anos: 2,6 milhões. Desses, 106 mil são do setor Fornecimento de Alimentos para Consumo Domiciliar, o terceiro setor com maior crescimento em comparação com 2019. 

Pensando em ajudar os empreendedores de todas as regiões do país a se profissionalizarem e não perderem a ocasião, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) está com minicursos on-line e gratuitos de comidas típicas em uma nova plataforma de capacitação em vídeos, chamada SENAI Play.

Sobre a plataforma 

Além das receitas, o aluno também aprende boas práticas de fabricação e mise en place – etapa importantíssima do preparo, de organização dos ingredientes nas quantidades corretas. Os cursos têm de duas a 19 horas de duração e incluem até um momento de perguntas e respostas para garantir que o futuro chef esteja preparado.

Na lista dos cursos oferecidos na plataforma do SENAI Play, também aparecem ingredientes e pratos dignos de polêmica. Quem nunca entrou em uma discussão “é macaxeira, mandioca ou aipim?”, que também tem o nome de castelinha, uaipi, mandioca-doce, mandioca-mansa, maniva, maniveira, pão-de-pobre, mandioca-brava e mandioca-amarga. E se apresenta como um ingrediente versátil e capaz de render diversos pratos.

O milho, por exemplo, é ingrediente obrigatório no cardápio junino. E tem uma explicação: junho é o mês da colheita de cereal – e quem ajuda nessa missão, garantindo as chuvas no período que antecede, é São Pedro, um dos três santos homenageados no período, ao lado de São João e Santo Antônio. Pamonha, canjica, cuscuz, pipoca, milho cozido e bolo de milho são alguns dos doces e salgados mais consumidos.

Símbolo da cultura nordestina, o forrozeiro Genival Lacerda cantava sobre “o mungunzá bom danado”, uma das iguarias que migrou da região e recebeu outros nomes, como manguzá, mukunza, mucunzá, canjica e chá de burro.

Fonte: Portal da Indústria 

Um dia especial para refletir


Dia do Orgulho Gay é comemorado em meio a um período conturbado onde a discriminação e o desrespeito pelo outro é estimulado por parte de alguns governantes

Murillo Torres

O Dia Internacional do Orgulho Gay é comemorado anualmente em 28 de junho em todo o mundo. Também conhecido como Dia Internacional do Orgulho LGBTIA +(Gays, Lésbicas, Bissexuais, Transexuais, Pessoas Intersexo e Assexuada), ou simplesmente Dia do Orgulho Gay, esta data tem o principal objetivo de conscientizar a população sobre a importância do combate à homofobia para a construção de uma sociedade livre de preconceitos e igualitária, independente do gênero sexual.

O Dia do Orgulho Gay também é um reforçopara lembrar a todos os gays, lésbicas, bissexuais e pessoas de outras identidades de gênero, que todos devem se orgulhar de sua sexualidade e não sentir vergonha da sua orientação sexual.

Origem do Dia do Orgulho Gay

O Dia do Orgulho LGBT foi criado e é celebrado em 28 de junho em homenagem a um dos episódios mais marcantes na luta da comunidade gay pelos seus direitos: a Rebelião de Stonewall Inn.

Em 1969, esta data marcou a revolta da comunidade LBGT contra uma série de invasões da polícia de Nova York aos bares que eram frequentados por homossexuais, que eram presos e sofriam represálias por parte das autoridades.

A partir deste acontecimento foram organizados vários protestos em favor dos direitos homossexuais por várias cidades norte-americanas.

A 1ª Parada do Orgulho Gay foi organizada no ano seguinte (1970), para lembrar e fortalecer o movimento de luta contra o preconceito.

A Revolta de Stonewall Inn é tida como o “marco zero” do movimento de igualdade civildos homossexuais no século XX.

Triste realidade do público LGBT

A celebração do “Orgulho Gay” deve ser usado para uma reflexão sobre a real situação desses cidadãos e cidadãs ontem e hoje. É claro que houve avanços, leis foram criadas, mas ainda há um caminho muito longo a ser percorrido para que essas pessoas se considerem aceitas pela sociedade ou melhor, respeitadas como seres humanos que são.

Para se ter uma ideia, só no ano de 2020, 237 LGBT+ (1ésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) tiveram morte violenta no Brasil, vítimas da homotransfobia: 224 homicídios (94,5%) e 13 suicídios (5,5%). Essa informação consta no É o que mostra o Relatório: Observatório de Mortes Violentas de LGBTI+ no Brasil.

Outro dado triste é a informação de que, de 1980 para cá, é pela primeira vez, que as travestis ultrapassaram os gays em número de mortes: 161 travestis e trans (70%), 51 gays (22%) 10 lésbicas (5%), 3 homens trans (1%), 3 bissexuais (1%) e finalmente 2 heterossexuais confundidos com gays (0,4%).

O relatório mostra ainda que, comparativamente aos anos anteriores, observou-se em 2020 surpreendente redução das mortes violentas de LGBT+: de 329 para 237, diminuição de 28%. O ano recorde foi 2017, com 445 mortes, seguido em 2018 com 420, baixando para 329 mortes em 2019.

Devemos respeitar e aprender a conviver com o diferente. Só assim poderemos nos considerar sociedade. Todo e qualquer tipo de preconceito deve ser abolido. Mais amor e menos ódio!

Inscrições para curso online e gratuito sobre educação financeira estão abertas; veja como participar


Oportunidade é apenas para mulheres 

Thais Paim

A Jornada da Independência Financeira Feminina tem como foco mulheres com pouco ou nenhum conhecimento em finanças e tem o objetivo de ajudar e educar essas mulheres na gestão de gastos e na melhor utilização de recursos. 

O curso é on-line e totalmente gratuito, beneficiando até 10 mil mulheres. As inscrições podem ser feitas no site do curso e tem previsão para que as aulas sejam realizadas entre os dias 1 de julho e 6 de agosto.

A Aline Rezende, CEO da PouPay+, será responsável por ministrar o curso que contará com sete módulos com uma hora de duração cada. A palestrante possui experiência em carreira, empreendedorismo, coaching e inteligência emocional. A especialista irá começar os trabalhos pelo reconhecimento do perfil financeiro e dos padrões pessoais das participantes.

Sobre o curso 

Temas como identificar os gastos, gestão financeira, recursos para investimentos, planejamento financeiro profissional e alcance de objetivos financeiros também serão abordados nos módulos. 

As aulas serão liberadas semanalmente, sempre às 8h das segundas-feiras, ficando disponíveis para acesso a todas as mulheres cadastradas durante o período do curso, permitindo que voltem ao conteúdo a qualquer momento e revejam as aulas para tirar dúvidas ou reforçar o aprendizado.

Curso é exclusivo para mulheres. Foto: divulgação

PouPay+

A formação é uma realização da PouPay+, fintech responsável pelo aplicativo homônimo de gestão financeira exclusivo para mulheres. Para realizar a sua inscrição é só acessar academia.poupay.app.

A PouPay+ é a primeira assistente financeira inteligente desenvolvida exclusivamente para ajudar mulheres a atingirem a liberdade e independência financeira. Mesclando os conceitos de inteligência artificial e open banking, o aplicativo auxilia na organização mais efetiva de finanças, na economia de gastos e na realização de pagamentos com descontos exclusivos e organizações de metas financeiras de curto, médio ou longo prazo.

Fonte: WSCOM