Brasileiros passam a valorizar o turismo regional durante a pandemia


Segundo da FecomercioSP, o turismo brasileiro perdeu mais de R$ 50 bilhões

Thais Paim

Com o cenário de pandemia e a adoção de diversas restrições, o turismo foi um dos segmentos que mais registrou quedas. Segundo a Organização Mundial do Turismo, a crise ainda persiste em 2021: vários destinos ao redor do mundo receberam 180 milhões a menos de turistas entre janeiro e março, se comparado ao primeiro trimestre de 2020, quando a pandemia ainda não tinha ganhado forças. 

Os dados apontam que os prejuízos ao longo dos últimos meses foram muitos: a perda total de receitas de exportação do turismo internacional, incluindo o transporte de passageiros, totalizou quase US$ 1,1 trilhão.

Quando falamos do Brasil, um estudo realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) apontou que o turismo brasileiro perdeu mais de R$ 50 bilhões.

Foto: JL Rosa

Adaptação e novas oportunidades 

Mas um outro lado da crise que pôde ser observado após a flexibilização do isolamento é de que o turismo nacional registrou um crescimento, um movimento específico: as pessoas estão viajando mais pelo brasil. Isso porque, há mais de um ano, os brasileiros não podem entrar em vários países ao redor do mundo.

Um outro motivo para essa mudança é o fato de que o isolamento aumentou a quantidade de pessoas trabalhando em regime home office e, consequentemente, mais gente está em busca de lugares fora dos centros urbanos para descansar e trabalhar.

Levantamos já apontam que essa nova onda pode ter chegado para ficar. Segundo o Booking.com, 55% das pessoas pretendem conhecer um destino novo na região em que moram.

Dados do Portal do Empreendedor de 2020 revelaram que de março a dezembro de 2020 houve um aumento de 13,23% de MEIs registrados, resultando um total de 1,49 milhão de novas formalizações. Isso somado às mais de 7,5 milhões de micro e pequenas empresas que também nasceram nesse período.

Diante deste cenário, foi graças às tendências que surgiram e ao desejo de promover experiências que atendessem às novas necessidades dos brasileiros, que pequenos empreendedores da área de turismo começaram a enxergar uma oportunidade em meio à crise da Covid-19. 

Novo cenário 

Com esse “novo normal” veio uma nova maneira de se fazer turismo também e as inovações e adaptações fazem toda a diferença na hora de implementar um negócio de sucesso. Empresas como a Travelum, que iniciaram as atividades durante a pandemia, já nasceram com passeios pensados e projetados de acordo com os protocolos de segurança para que a saúde e o conforto dos turistas venham em primeiro lugar. Isso significa o uso obrigatório de máscaras e passeios apenas com grupos reduzidos para evitar aglomerações.

Com a alta do dólar e restrições para brasileiros viajarem para destinos internacionais, é bem provável que a tendência do turismo nacional continue em alta mesmo após o fim da pandemia.