Ceará: o estado do futuro


A “Terra da Luz” é a terceira força do nordeste, e promete muito mais para o futuro, graças ao turismo e desenvolvimento da indústria

André Lucas

Em primeiro lugar, nós do Carvalho News damos os nossos parabéns ao Ceará e a todo o povo cearense. Pois, no dia 17 de janeiro, a “Terra da Luz” comemora 222 anos desde sua emancipação,  que ocorreu em 17 de janeiro de 1799, quando se tornou um estado livre. 

De lá para cá, muita coisa mudou e o Ceará se tornou um dos estados mais importantes do Brasil. Vamos conhecer um pouco mais desse estado rico em belezas naturais, história e cultura. 

Atualmente, o Ceará é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está situado no norte da Região Nordeste e tem por limites o Oceano Atlântico a norte e nordeste, Rio Grande do Norte e Paraíba a leste, Pernambuco ao sul e Piauí a oeste.

Tem como sua capital a cidade de Fortaleza. Sua área total é de 148 920,472 km 2 ou 9,37% da área do Nordeste e 1,74% da superfície do Brasil. A população cearense  é de 9 075 649 habitantes, conforme estimativas do IBGE, em 2018, sendo o oitavo estado mais populoso do país. 

História da emancipação 

O Ceará esteve ligado institucionalmente pela Coroa Portuguesa ao Estado de Pernambuco por 119 anos, entre 1680 e 1799. Neste período, tudo o que era produzido em solo cearense obrigatoriamente passava pela capitania pernambucana antes da exportação, aumentando os custos de frete, impostos e alongando também o tempo de distribuição. 

 Em 17 de janeiro de 1799, a Rainha Maria I decidiu pela emancipação do Siará – como se escrevia antigamente -, tendo sido ridicularizada pela escolha. 

A importância do povo Cearense para o Brasil

A importância histórica e cultural desse estado se dá por conta de pessoas incríveis que deixaram seu legado na história do país. Como por exemplo, Francisco José do Nascimento, o dragão do mar, símbolo da resistência contra a escravidão, e que ajudou ao cerara a ser a primeira província a abolir a escravidão quatro anos antes da leia áurea.

 Maria da Penha Maia Fernandes, líder de movimentos de defesa dos direitos das mulheres das mulheres, inspiração para a criação da lei Maria da Penha e um grande símbolo da luta contra o feminicídio. 

O Alberto Nepomuceno, cantor e compositor que fez parte de um movimento de nacionalização da música, e marcou seu legado com a frase “não tem pátria um povo que não canta em sua língua”. 

Além de Casimiro Montenegro Filho, o fundador do Instituto Tecnológico de Aeronáutica, e o Departamento de Ciências e Tecnologia Aeroespacial. 

Raquel de Queiroz não pode ficar fora dessa lista de nomes importantes que vieram do Ceará, ela foi a primeira mulher a entrar na academia de letras. 

O Ceará é o berço do humor brasileiro, por isso não podemos deixar de citar, Renato Aragão, Tom Cavalcante, Chico Anísio, Tiririca, Ceará, entre outros. 

Ainda temos a dona Francisca Celsa dos Santos, que foi validada pelo Gerontology Research Group (GRG), ou Grupo de Pesquisa em Gerontologia, em tradução literal, como a pessoa mais velha do Brasil e a terceira do mundo, fazendo com que o estado do Ceará ganhasse espaço na mídia mundial.

A economia atual do país

A economia cearense é a terceira mais forte do Nordeste, sua participação no Produto Interno Bruto (PIB) regional é de 14,5%, atrás dos estados da Bahia (31,5%) e Pernambuco (17,9%). Para o PIB nacional, o Ceará contribui com 1,9%. O PIB per capita cearense é de 6.149 reais.

O estado vem apresentando melhoras na economia, os incentivos governamentais para a instalação de indústria (isenção de impostos e doação de terrenos) e a mão de obra barata atraíram mais de 600 empresas nacionais e estrangeiras para o Ceará num período de seis décadas (1950 a 2010). 

Nos últimos anos o estado vem fazendo um bom trabalho na educação, que é o caminho da transformação e do desenvolvimento. O estado do Ceará tem uma das  melhores educação pública do Brasil, em 2018, o estado tinha 18 das 24 melhores escolas do Brasil, e 82 das 100 melhores pontuadas no estudo do INDEB. 

Ainda desfruta de ter o melhor IDH da região Nordeste do País. Boas condições de vida e a educação pública com qualidade existente hoje no Ceará, é o caminho para em um futuro próximo, o estado se transformar em uma grande potência.  

O turismo botou o Ceará no mapa do Mundo

Turistas do mundo inteiro visitam o estado todos os anos, as lindas praias e a paisagem maravilhosa são os motivos das visitas. Os principais cartões portais do país são: 

A Praia da Cona Quebrada não dá para dispensar. Situada em Aracati, distante 182 km de Fortaleza, a praia de Canoa Quebrada é aquele lugar que você vai uma vez e quer voltar sempre!  Se você quer mesmo se esquecer do mundo e relaxar, a Lagoa da Jijoca é o lugar perfeito. 

Só ali você poderá apreciar um dos mais lindos picos do Nordeste, deitado em redes instaladas na fantástica lagoa do Paraíso e na Lagoa Azul. Pedra Furada em Jericoacoara.

A Pedra Furada é um fenômeno da natureza que atrai visitantes do mundo todo. Esculpida pelas ondas do mar, se transforma em uma obra de arte natural nos meses de julho e agosto, quando o sol se encaixa bem no meio do furo da pedra. 

A Praia de Ponta Grossa fica em Icapuí, na fronteira com o Rio Grande do Norte, a 50 km de Canoa Quebrada. Grutas e formações rochosas incríveis surpreendem o visitante. 

 Praia do Futuro, situada a 10 km da capital Fortaleza, possui 30 km de extensão muito agitados pelos inúmeros turistas que vêm de todos os lugares do mundo para conhecer suas maravilhas.

  Morro Branco em Beberibe. Um dos principais cartões postais do Ceará, a Praia de Morro Branco fica em Beberibe, a 80 km de Fortaleza.

Além das praias maravilhosas,  não podemos deixar de lado o Centro Dragão do mar de arte e cultura, o Teatro José de Alencar, referência na arquitetura lírica brasileira, o Parque do Ronco, e a Catedral Metropolitana. São esse os principais atrativos do estado, que dar ao Ceará as 10 primeiras colocações em ranking de destino de turistas gringos, a principal procura é a linda capital, Fortaleza.  

A cultura enraizada do estado

A culinária cearense é um dos aspectos culturais mais marcantes do estado. A cozinha do estado do Ceará já ganhou o Brasil inteiro, como resistir ao maravilhoso Baião de dois, e aquela suculenta carne de sol, ainda os peixes e frutos do mar, buchada de bode, panelaço, paçoca Cearense, tudo isso vem do Ceará eu sei, mas a principal exclusividade de culinária local, é o cream cracker com refrigerante Delrio. 

Além da culinária, a religiosidade do povo Cearense é muito tradicional. 78% da população cearense são católicas. Uma grande influência para o Estado do Ceará é o Padre Cícero. No ano de 1889, Padre Cícero ganhou notoriedade no Nordeste, quando  durante uma missa na igreja de Juazeiro (Ceará), a hóstia consagrada por ele transformou-se em sangue na boca de uma mulher.

A partir daí a população local passou a considerar este fato como um milagre atribuído ao Padre.

A Igreja Católica, no entanto não concordou, e  proibiu o padre de exercer o sacerdócio. Passados dez anos do episódio, padre Cícero viajou, em 1898,  para Roma onde conseguiu a absolvição do Papa Leão XIII. Porém, continuou proibido de celebrar missas. Esse enredo transformou o Padre em um grande influenciador da época, e o responsável pela grande tradição religiosa existente  hoje no estado. 

Os cearenses são mesmo apaixonados pela “Terra da Luz”.  O corretor de imóveis, Aurineudo Gomes é um deles. Segundo ele, o estado é sinônimo de tranquilidade. Sobre as belezas da região, Gomes destaca o litoral. 

O corretor de imóveis, Aurineudo Gomes. Foto: reprodução do Instagran

Uma das características que mais chama a atenção entre os nordestinos é o jeito caloroso e receptivo. E no Ceará não é diferente. “Nosso povo é muito acolhedor e divertido”, garante Gomes, que define seus conterrâneos como muito resistentes. “O povo resiste a tantas injustiças sociais. São vários trabalhadores e trabalhadoras que buscam a cada dia, apesar das adversidades, seu lugar ao sol”, orgulha-se.

Sobre o preconceito contra o Ceará e os demais estados nordestinos, o corretor de imóveis acredita que está menor. “ Já foi maior. Porém estamos mostrando que não só o cearense, mas como todo nordestino, temos fibra para irmos em busca dos nossos sonhos e isso podemos ver a cada dia. Exemplos: os primeiros lugares no ITA, nossos humoristas ganhando espaço, nossos artistas entrando no circuito nacional”.

Obra-prima da Amazônia: Belém do Pará completa 405 anos sendo uma cidade única e diversa


Culinária, diversidade cultural e natureza são destaques da capital

Thais Paim

Há quem diga que a paixão pela terra de origem indígena começa à primeira vista, com todas as cores, sabores e até mesmo o seu clima particular. Sendo uma das cidades mais antigas do Brasil, Belém do Pará completa 405 anos nesta terça-feira (12), com muitas histórias, tradições e uma natureza exuberante. 

Histórico da cidade

Conhecida pela alegria do seu povo, é preciso voltar muitos anos na história para compreender um pouco mais sobre a capital do Pará e suas particularidades. Anteriormente ocupada pelo povo tupinambá, foi em 1616 que Francisco Caldeira Castelo Branco, com medo de que outros estrangeiros da Europa pudessem acabar invadindo a região Norte do país, decidiu fundar o Forte do Castelo do Senhor Santo Cristo do Presépio de Belém.

Foi a partir dessa fortificação que a cidade começou a se desenvolver e acabou se tornando a primeira capital da Amazônia, sendo que a intenção inicial era apenas de proteger o Rio Amazonas de possíveis invasões. Um fato curioso sobre esse período é que Belém do Pará, no século XVIII, estava sendo preparada para receber a corte de Portugal, mas eles acabaram optando por se fixar no Rio de Janeiro. 

Mercado Ver-o-Peso - Belém

Mercado Ver-o-Peso Foto: William Costa 

Terras sem igual 

Se você busca conhecer mais sobre as origens do Brasil, sem dúvidas a capital é uma parada obrigatória. Não só por ser conhecida como uma das mais exóticas do país, mas por toda riqueza encontrada em seu território. 

Um dos primeiros pontos de destaque é o clima, definido por muitos como imprevisível. Conhecida por alternações de chuvas e sol forte, o calor intenso e ventos se misturam no cotidiano do município. 

Para quem procura novas experiências e percepções, Belém do Pará parece ser o destino certo.  E nada mais especial para começar a desbravar o desconhecido, do que ter bons anfitriões. Nesse quesito, os paraenses se destacam e são conhecidos pela grande hospitalidade e alegria com que tratam os visitantes. 

Culinária 

Claro que não poderíamos falar de pontos fortes da capital sem mencionar a culinária tão característica e famosa de Belém. Diversos são os exemplos que comprovam e exemplificam a grande riqueza dessa terra, o prêmio da “Cidade da Gastronomia” entregue pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) é um exemplo disso. 

Considerado o maior mercado a céu-aberto da América Latina, o Ver-o-Peso existe desde 1625 e representa muito mais do que apenas um comércio e entrega uma imersão cultural a quem se permite. Sendo um dos principais cartões-postais da cidade, é uma parada obrigatória para aqueles que desejam conhecer tudo que Belém do Pará tem para oferecer. 

Com estrutura trazida da Inglaterra no século 19, o Mercado Ver-o-Peso abre das 6h às 14h, mas a feira livre, ao lado, acontece o dia inteiro

Mercado Ver-o-Peso Foto: Dorival Moreira

Nele, podem ser encontrados todos os ingredientes típicos da região, jambu, mandioca brava, surubim, filhote, curimata, açaí e tantos outros. Para além dos alimentos, também é possível encontrar diversas benzedeiras, conhecidas por suas loções e banho de ervas para curar todo tipo de mal. 

Muito mais do que o açaí, Belém possui uma infinidade de sabores exóticos e experiências culinárias únicas. Maniçoba, filhote no tucupi, vatapá paraense (comida muito popular no Nordeste) são pratos de destaque e com grande excentricidade no sabor. Nas frutas, o bacuri pode ser diferente de tudo que você já experimentou. Além dele, uxi, pupunha, buriti e tucumã também estão nessa lista. 

Pontos turísticos 

A união de belezas naturais e também construções históricas é marca registrada da capital. Localizada as margens do rio Guamá, representa uma das principais portas de entrada para a floresta amazônica. 

O Parque Estadual Utinga é o destino ideal para quem deseja conhecer fauna e flora da região. Sendo considerado uma das mais importantes reservas ecológicas de Belém do Pará, encanta pela sua beleza natural e conta com diversos espaços e atrações 

Parque do Utinga terá programação especial em julho - Crédito: Agência Belém

Parque Estadual Utinga  Foto: Agência Belém 

Já o mar de água doce, Outeiro, representa um encanto a parte para aqueles que querem desfrutar da natureza exuberante dessa região. Bastante procuradas pelos turistas, as praias do Amor, Brasília e a Praia Grande são destaques entre os visitantes. 

Praia Amor (Agua Boa) (Belém) - ATUALIZADO 2021 O que saber antes de ir -  Sobre o que as pessoas estão falando - Tripadvisor

Praia do amor Foto: Reprodução da internet

Quem busca um pouco de descanso, mas sem abrir mão de contemplar uma bela vista, a Estação das Docas pode ser a escolha certa. O espaço mistura gastronomia, cultura e moda. Além disso, é possível apreciar a orla fluvial, o que traz um toque especial para essa experiência. 

Não poderíamos também deixar de falar do Centro Histórico, composto pelos bairros Campina e Cidade Velha. Diversos passeios podem ser feitos para desbravar as peculiaridades desse local que conta com o Theatro da Paz e Basílica de Nossa Senhora de Nazaré como referências, não só no município, como no estado. 

Para aqueles que amam arte, a Casa das Onze Janelas, que foi um dia uma casa de senhor de engenho, foi reformada e se tornou um charmoso espaço com exposições de grandes artistas, pode tornar ainda mais particular a visita aos pontos turísticos. 

Um amor por Belém

Despertando a paixão daqueles que visitam e descobrem seus encantos, Belém do Pará é considerada por muitos uma cidade ainda não descoberta pelo Brasil. O motivo? A falta de reconhecimento mais amplo pelas riquezas existentes nesse território que já encantou e roubou o coração de muitos.

O famoso escritor, Mário de Andrade se declarou para a cidade ao dizer: “Quero Belém como se quer um amor. É inconcebível o amor que Belém despertou em mim”. 

Seja pela culinária exótica, a cultura diversa e intensa que se espalhou pelo país com grandes sucessos, pela natureza exuberante na qual ela faz parte e também está envolta ou simplesmente pelo sentimento acolhedor transpassado pelos moradores da capital, Belém tem cada vez mais se mostrado como um destino a ser vivenciado. 

Rio Branco, Património histórico e cultural brasileiro


Vamos conhecer um pouco dessa cidade rica em história e pontos turísticos

André Lucas

Hoje, 28 de Dezembro, é o aniversário de Rio Branco, capital do Estado do Acre. Atualmente, de acordo com IBGE( Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o município tem uma população de 413.418 pessoas, com extensão territorial de 8 834,942 km², e um PIB de R$8 192 366 milhões, tendo sua Renda Per Capta de R$22 510, 95.  A capital é o centro financeiro, corporativo, político e cultural do estado. Sendo a capital mais ocidental do Brasil, à 3 030 quilômetros de distância de Brasília, capital federal, Rio Branco localiza-se às margens do Rio Acre. 

Um pouco da historia da Cidade

Inicialmente o Acre não fazia parte do Brasil. A Bolívia cedeu a área, em 1867, para o nosso país. O governo brasileiro, por sua vez, cedeu pequenas extensões de terra no Mato Grosso, pagou 2 milhões de libras esterlinas como indenização e se comprometeu a construir uma ferrovia que ligasse o Brasil à Bolívia ( ferrovia Corumbá-Santa Cruz de La Sierra). Foi a partir daí que a cidade de Rio Branco passou a ser território nacional.

O nome Acre origina-se de Aquiri, transcrita pelos exploradores desta região da palavra Uwakuru do dialeto dos índios Apurinã. Fundado pelo cearense Neutel Maia em 28 de dezembro de 1882. A expedição de Gálvez declarou o Acre como uma República independente em 1899. Mas o Brasil reconhecia o Acre como território boliviano, enviou então uma tropa para dissolver a Revolução Acreana que duraria 4 anos. Terminada a Revolução Acreana, após a assinatura do tratado de Petrópolis em 17 de novembro de 1903, e a anexação definitiva do Acre – agora Território Federal do Acre – ao Brasil, Rio Branco foi elevada à categoria de vila, tornando-se sede do departamento do Alto Acre. Somente em 1962, durante o governo do Presidente João Goulart, é que o Acre foi elevado à condição de estado, esse fato ocorreu em razão da região ter atingido o nível de arrecadação fiscal exigido pela constituição de 1946.

O ciclo da borracha foi importantíssimo para a construção do cenário da cidade do Rio Branco. O período em que no mundo despertava a paixão pelos carros, e para existir carros precisava dos pneus que são feitos de borrachas, a borracha vem das seringueiras, e o Acre era rico  dessa matéria prima. Refugiados da seca do nordeste, e outras pessoas que fugiam da fome, em busca de oportunidades, foram para o Nordeste acreditando na promessa de que o grande investimento e o grande mercado de látex, gerariam empregos e riquezas.        

O Rio Branco hoje é a capital do Acre, um estado no Nordeste dentro da República Federal do Brasil. A prefeita Socorro Neri é a chefe do executivo da cidade.

Os pontos turísticos

Rico em história, Rio Branco não podia ser outra se não uma paraíso dos pontos turísticos. Lugares lindos, com contato com a natureza áreas de lazer e muito conteúdo histórico que mostra a origem dessa grande cidade.

Parque Ambiental Chico Mendes – Uma excelente opção para contato com a Floresta Amazônica e com as tradições dos seus povos. Antigo seringal, o Parque Ambiental Chico Mendes, em Rio Branco funciona como um centro de preservação natural, educação ambiental e de convivência. Com uma vegetação exuberante e várias espécies de animais nativas como onças, macacos e serpentes, o Parque oferece também opções de trilhas na mata, mirante, academia ao ar livre e um memorial dedicado ao seu patrono, Chico Mendes.

Praça da revolução coronel Plácido de Castro–  em homenagem os heróis anônimos que lutaram na Revolução Acreana em defesa do Acre, foi construído um monumento de 12 metros de altura, além de uma estátua de Plácido de Castro. A praça está localizada na parte Central de Rio Branco, com cerca de 11.250 m², bastante arborizada com diferentes espécies nativas da região, o cenário é usado também para as apresentações musicais, espetáculos teatrais, feira de animais, feira de artesanato, entre outras manifestações culturais. Lugar onde turistas gostam de tirar fotos.

Passarela Joaquim Macedo – A passarela Governador Joaquim Macedo, em Rio Branco, foi inaugurada há dois anos e hoje é um dos principais cartões-postais da capital do Acre. A obra simboliza as transformações urbanas pela qual a cidade vem passando desde o início dos anos 2000. Outro lugar ótimo para as fotos, A recomendação é que o passeio seja feito em duas vezes: pela manhã e pela noite. São dois momentos diferentes onde a beleza da passarela e seu entorno podem ser admiradas e fotografadas!

Conhecida como a cidade de ar mais puro na América do Sul, Natal (RN) comemora 421 de fundação


O lugar é considerado um dos mais belos litorais do Brasil

Júlia Vitória

A capital do Rio Grande do Norte foi fundada no ano de 1599, às margens do Rio Potengi. Com uma população de 817.590 habitantes, Natal é considerada uma cidade com belezas naturais, dunas e praias. A capital também chama atenção pelo sol praticamente o ano todo. A cidade também tem de ser conhecida pelo ar mais puro da América do Sul e um dos mais belos litorais do Brasil.

Uma das praias mais badaladas da cidade, é ponta negra com águas boas para banhos e uma vida noturna bem agitada. As praias vizinhas são bem paradisíacas e ao sul da capital também tem Barra de Tabatinga e as dunas de Genipabu ao norte. A partir de Natal é possível conhecer os mais belos lugares do Estado do Rio Grande do Norte.

Dunas de Genipabu, Natal. Foto: divulgação.

A história de Natal começa ainda com as Capitanias Hereditárias, na época o rei de Portugal dividiu o Brasil  em lotes e as terras que hoje é o estado do Rio Grande do Norte ficaram com João de Barros e Aires da Cunha. Anos depois uma expedição para  tentar colonizar as terras aconteceu porém os franceses já estavam nas terras para contrabandear o pau Brasil, e isso fracassou na primeira expedição.

Em 25 de dezembro de 1597 uma nova expedição aconteceu. E construíram um forte chamado João de Barros e Aires da Cunha, Concluído o forte, logo se formou um povoado que, segundo alguns historiadores, foi chamado de Cidade dos Reis. Depois, Cidade do Natal. O nome que a cidade ganhou é explicado de duas formas: dia que a esquadra entrou na barra do Potengi ou a data da demarcação do sítio, realizada por Jerônimo de Albuquerque no dia 25 de dezembro de 1599.

Natal possui um dos mais belos litorais do Brasil. Foto: divulgação

Natal teve um crescimento lento durante os anos, contudo no final do século dezenove a cidade já possuía mais de 15 mil habitantes.  Desde  1922 Natal tem ganhado um ritmo acelerado com o aparecimento das atividades urbanas. No período de guerra serviu como base militar. E logo depois da guerra teve um desenvolvimento notável.

O aniversário da cidade é comemorado no dia 25 de dezembro. E enquanto o mundo celebra o nascimento de Jesus a cidade de Natal comemora também o seu aniversário. Neste ano com a pandemia do novo coronavírus as festividades serão diferentes, o espetáculo um presente de Natal este ano será de forma virtual.

O espetáculo foi gravado e transmitido pelas digitais às 20h no dia de Natal. A cidade comemora 421 anos. E o roteiro do espetáculo tem como direção de Diana Fontes e músicas de de Danilo Guainais O espetáculo tem ainda textos adicionais de Racine Santos, figurinos e adereços de Marcos Leonardo e cenário de Igor Fortunato e Diana Fontes.

O espetáculo de 2020 foi feito com as medidas de segurança contra a covid 19, com um elenco menor, e todos os ensaios e gravações foram feitos em uma quadra aberta. No dia ainda estiveram presentes atores e bailarinos, também conhecidos como presenteiros, máscaras, álcool gel, tapetes sanitizantes, distanciamento social e adaptações em algumas cenas para evitar aglomerações. O projeto integra a programação do Natal em Natal 2020 e conta com o patrocínio da Prefeitura Municipal do Natal, Programa Djalma Maranhão e Colégio Cei Romualdo, além do apoio da Rio Center e da Escola Estadual Professor Luís Antônio.

O site Carvalho News (CN)felicita aos natalenses pela data tão importante para o Brasil. 

Belo Horizonte completa 123 anos


Capital brasileira dos bares e de vida noturna intensa, BH também se destaca por sua arquitetura única

Julia Vitória

BH, Belzonte, capital de Minas. Esses são alguns dos apelidos que a cidade de Belo Horizonte carrega. Criada há cerca de 150 anos depois da cidade de Mariana, Belo Horizonte conquista a todos que a visitam e moram, com um charme especial! Este ano Belzonte completa 123 anos de idade. Começou a ser habitada ainda sem o nome oficial, em 1701, pelo bandeirante João Leite Ortiz. Em suas terras, nasceu o Arraial de Curral Del-Rei, e em 1893, se tornou a capital do Estado de Minas Gerais. 

Minas Gerais fica no sudeste do Brasil fazendo fronteira com Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo. BH é um dos lugares mais visitado. Planejada e inspirada nos modelos urbanos de Paris e Washington. A capital é cercada pela Serra do Curral, que é representada em diversas formas na sua paisagem urbana. O conjunto arquiteto da Pampulha e da Praça da Liberdade são representações disto. 

Durante o governo de Juscelino Kubitschek, a Pampulha foi erguida, entre os anos de 1942 e 1943. A Igreja de São Francisco de Assis é um dos principais cartões postais da cidade. Esse é um do principais trabalhos de Oscar Niemeyer, além de Brasília. O Palácio da liberdade fica no conjunto da praça liberdade, sede do governo mineiro ele foi erguido entre 1895 e 1897. 

A cidade possui vários bairros que têm diversos tipos de comércios do popular ao de alto luxo. Ganhou o apelido “a capital brasileira dos bares”, por causa da vida noturna intensa na cidade. E pelos diversos estabelecimentos espalhados por lá que agitam a noitada. Belo Horizonte é uma capital movimentada devido aos pontos turísticos e a vida noturna agitada da cidade. 

O Estádio do Mineirão, o Mercado Central, o Museu Histórico Abílio Barreto são outros pontos turísticos de Belo Horizonte. Ainda há o Palácio das Artes e a Praça do Papa – de onde se tem uma excelente vista panorâmica da cidade. Hoje há 2,4 milhões de habitantes na cidade mineira, considerada a sexta capital mais populosa do Brasil, só ficando atrás de São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Fortaleza. A região metropolitana da capital, possui trinta e três municípios. 

Completando 123 anos, BH que é agitada todos os dias não poderá contar com as festas presenciais, por causa da situação de pandemia que o país se encontra. A prefeitura preferiu não fazer nenhuma programação para prevenir a aglomeração. Mas a data não passará em branco, mais ou menos três equipamentos do Circuito Liberdade prepararam atividades especiais para celebrar o aniversário da cidade, mas respeitando as normas de segurança, sem aglomerações, distanciamento e o uso de máscaras. 

O novo projeto do Espaço do Conhecimento UFMG, é um dos que terá atividades. O local ainda permanece fechado e as atividades serão onlines, com lives e vídeos e intervenções por todas as regionais de BH, por meio de projeções, faixas e cartazes. Ás 18h será a realizada uma solenidade de lançamento do projeto com live no YouTube. E ainda no mesmo dia só que mais tarde terá primeira projeção de conteúdo na Fachada Digital do Espaço do Conhecimento. E até o dia 20 deste mês, o painel ficará aberto para a projeção de projetos da UFMG.

Além disto, o Museu das Minas e Metal também terá programação. Inaugurando o “Im.Fusion” um projeto artístico que faz parte do circuito nacional. E também o Memorial Minas Gerais preparou diversas programações presenciais no dia do aniversário da cidade. Além destas programações a orquestra filarmónica fará um concerto dedicado a Beethoven. O evento acontecerá presencialmente, mas também será transmitido pelas redes sociais. 

Em uma Live gratuita o cantor e compositor de Belo Horizonte, Mário Noya se unirá à cantora Ju Tavares e ao projeto instrumental “No Stress”. A live começará as seis da tarde E trará sucessos nacionais e internacionais. Além de músicas autorais ele também apresentará composições de artistas consagrados. A transmissão será feita pelo YouTube e trará artistas convidados também. 

Toda essa programação é para celebrar o aniversário da cidade querida para os mineiros. Belo Horizonte, famosa pelo sua arquitetura, mas também pela sua região acolhedora e história.

Beleza de Brasília completa 33 anos como Patrimônio da Humanidade


A capital federal completou, na última segunda-feira (7/12), 33 anos como Patrimônio Cultural da Humanidade, título concedido pela Unesco. Compositora do hino oficial da cidade, Neusa França ganhou homenagem pelo centenário de nascimento

Júlia Vitória

Brasília completou 33 anos nesta segunda dia 7 de dezembro. Tendo o titulo de patrimônio cultural da humanidade concedido pela Unesco. Mesmo sem a bagagem historia de grandes cidades como Paris ou Atenas tornou-se suficiente para ser reconhecida no mundo inteiro. Brasília tem um charme que encanta a quem conhece de perto.

A capital Federal com sua ousadia em primeiro plano entrou aos 27 anos para o grupo de patrimônios culturais da Unesco, esse reconhecimento aconteceu a 33 anos atrás em sete de dezembro de mil novecentos e oitenta e sete. Os projetos urbanísticos da cidade contem varias tendências d século vinte e dezenove, agregando andares do urbanismo de cidades como Barcelona e Paris.

Para Emilia Stenzel representante do conselho de monumentos e sítios e arquiteta os projetos de o urbanismo e arquitetura de Lucio costa e Oscar Niemeyer sobre a cidade alcança uma expressão nova e brasileira, trazendo uma qualidade estética e urbanista em vista de outros projetos do mesmo período. “A maioria deles foi experimentos de habitação social no pós-guerra”, afirma a arquiteta.

Na inauguração da cidade em 21 de abril de 1960, com apenas 16 anos a professora doutora Cosete Ramos Gebrim participou das solenidades importantes, como o baile de Jucelino e Sarah Kubtschek. Ela se sente privilegiada por ter participado de uma parte da historia e tem orgulho de ter escolhido Brasília como cidade do coração.

Ela se apaixonou pela cidade quando ainda não havia nem asfalto. “peguei um rodamoinho que levantou minha roupa e meus cabelos, tomei um banho de Brasília. De poeira e de serrado”. Sem saber o que fazer teve que ir a casa tomar banho  e se arrumar novamente para ir ao baile, se formou na turma das nove primeiras professoras de Brasília, tendo como paraninfo Jucelino Kubtschek.

Para lembrar o centenário da pianista Neusa França compositora do hino de Brasília, familiares e amigos se reuniram para homenagear seu nascimento, a compositora morreu em dói mil e dezesseis, aos 95 anos e ficou conhecida por sua generosidade e talentos no ramo musical. Na noite desta segunda feira, em um bloco da quadra 305, onde a pianista viveu se reuniram um grupo de pessoas para relembrar momentos da artista.

Entre os que homenageavam Neuza estavam colegas de prédio, professores e alunos. Em homenagem especial o afinador e técnico de piano Rogério Resende se lembrou da amiga que era mais do que uma cliente assídua era uma grande amiga de coração. Musicista e amiga de Neusa, Beth Ernest Dias recordou momentos que passou com a pianista. “Tenho lembranças gostosas e divertidas junto dela”. Ela lembra que cada vez que iam tocar juntas, Neusa colocava bombons na mesa dos músicos. 

Beth fala que o esforço para homenageá-la é merecido por tudo de bom que ela deixou.  Neusa viveu em Brasília cerca de 55 anos. Ao longo da carreira atuou como professora, e a paixão por piano começou quando ela ainda tinha sete anos de idade. Formou-se em musica e na universidade federal do Rio de Janeiro. Em 2016 a pianista sofreu um acidente vascular cerebral e não resistiu. 

Elevador Lacerda completa 147 anos nesta terça-feira


Equipamento é considerado patrimônio histórico nacional

Thais Paim

No dia de Nossa Senhora da Conceição, o primeiro elevador que serviu de transporte público no mundo e um dos cartões-postais mais populares do Brasil, o Elevador Lacerda, completa 147 anos nesta terça-feira (8).

Símbolo de Salvador e com capacidade para transportar 900 mil passageiros por mês, o equipamento já foi considerado o mais alto elevador urbano do mundo e, em condições normais (sem restrições de uso), tem capacidade para transportar cerca de 28 mil pessoas por dia.

Devido à pandemia do novo coronavírus, entre março e agosto deste ano, o meio de transporte ficou fechado. Em agosto, voltou a funcionar com 30% da capacidade.

História por trás desse patrimônio histórico

Localizado próximo à sede da Prefeitura de Salvador, o empreendimento foi criado para solucionar um problema de desnível existente na cidade. No início do Século 17, o único recurso para transportar cargas entre as chamadas “Cidade Alta” e “Cidade baixa”, em Salvador, era o uso de guindaste.

A locomoção era difícil e as pessoas se deslocavam em longas escadarias e ladeiras íngremes. Depois da fundação, além de um meio de transporte, o elevador se tornou um cartão postal e atração turística. Dos seus 72 metros de altura, é possível avistar a Baía de Todos-os-Santos e o Mercado Modelo.

O elevador já passou por várias reformas até chegar ao modelo atual. A primeira delas foi feita em 1906, aproximadamente 33 anos depois da inauguração, quando começou a funcionar movido à eletricidade e teve a base alargada. Uma segunda torre e mais duas cabines foram acrescentadas em 1930.

Atualidade

Dada a sua importância e destaque na capital, o Elevador Lacerda também é utilizado para chamar atenção para campanhas sociais.  

Este ano, voltando ao funcionamento depois das restrições da pandemia, o equipamento precisou passar por mais intervenções para implantação de climatização e estabelecimento de protocolos de segurança para ser utilizado pelos cidadãos.

O seu funcionamento é de segunda a sexta, das 7h às 22h, e aos sábados das 8h às 22h. Aos domingos, permanece aberto ao público das 8h às 15h. A tarifa custa R$ 0,15.

Niterói


Hoje Niterói faz 445 anos. A cidade já foi capital do Estado do Rio de Janeiro, antes da fusão do Rio com o então estado da Guanabara, atual cidade do Rio de Janeiro. Niterói foi fundada no ano de 1573 quando o governador Estácio de Sá (1520-1567) presenteou às terras à direita da entrada da Baía de Guanabara ao chefe indígena dos temiminós, Araribóia.

A terra de Araribóia possui aproximadamente 600.000.00 habitantes. Já foi considerado o quarto município do Brasil em qualidade de vida. Atualmente, como toda grande cidade, enfrenta problemas como desemprego, altos índices de violência e uma sensação de insegurança crescente.

Mas nem isso é capaz de ofuscar o brilho desse maravilhoso lugar. Em Niterói você tem muitas opções de entretenimento. Entre eles, o Teatro Oscar Niemeier, o Museu de Arte Contemporânea (MAC), o Parque da Cidade de Niterói, passear e comer na orla de São Francisco, visitar a Praia de Itacoatiara, almoçar frutos do mar fresquinhos no Mercado São Pedro. Parabéns NIterói!

Um pouco de Wildhaus


Dificilmente, você ouviu falar de Wildhaus-Alt St. Johann. Um município da Suiça, que foi formado a partir de uma fusão entre os municípios de Wildhaus e Alt St. Johann. Wildhaus era a aldeia mais alta do cantão. Encontra-se entre os Santis (ponto mais alto com 2.502 m) e o maciço de Churfirsten ao longo da estrada principal 16 em um passe a 1095 m de altitude na estrada de Gams no vale do Reno, par a Unterwasser e Wattwil em Toggenburg.Wildhaus3

O município tem pouco mais de 34 km2 e cerca de 1200 habitantes. No oeste do centro da vila real encontra-se a parte da aldeia Lisighaus . Em Wildhaus há uma expansão urbana muito forte: especialmente na direção de bairros subaquáticos como Lee ou Befang emergiram nos últimos anos, que estão a vários quilômetros do centro da vila. Muitos desses novos bairros consistem principalmente em segundas residências. Wildhaus tem a maior proporção de segundas residências no cantão de St. Gallen, bem mais de 50%.

Nosso contato na Europa, Paulo Segura reside no local e preparou um vídeo para que os leitores do Blog possam conhecer um pouco desse paraíso de gelo. Trata-se de uma visão bem refrescante para nós que já enfrentamos temperaturas bem quentes nessa Primavera.