Meninas de Itinga aprendem Ginástica Rítmica em projeto de BCS


Apoio: O esporte é ensinado por professores voluntários na sede da base para garotas de até 13 anos.

Com movimentos sincronizados e suaves, cerca de 35 meninas, com idades entre 3 e 13 anos chamam a atenção de quem assiste a uma das aulas do Projeto Fonte da Vida, ministrado na Base Comunitária de Segurança (BCS) Itinga, na Região Metropolitana de Salvador, às segundas e quartas-feiras, às 17 horas.

As lições de Ginástica Rítmica (GR) – categoria que mistura movimentos corporais combinados com movimentos do balé, dança, teatro em harmonia com a música e com o uso de equipamentos como bola, arco e fita – são realizadas em tatames arrumados na área lateral da BCS e iniciadas sempre com movimentos de alongamento para evitar distensões musculares e lesões nas crianças. As meninas desenvolvem firmeza, leveza, flexibilidade e atenção, além do bem-estar fruto de qualquer exercício físico.

“Estique mais a ponta do pé, Isabela”, fala Ângela de Jesus Bispo de Araújo, professora e ginasta voluntária no projeto, para a pequena Isabela Costa dos Santos, 8 anos, que tentava fazer a abertura. Ela pede o máximo de atenção e empenho das meninas que, em um grupo tão grande e jovem, surpreendem pela dedicação com a qual realizam os passos.

“A ginástica me ajudou. Eu fui uma criança da comunidade, meus pais não tinham condição de pagar um esporte ou escola e tive a oportunidade de praticar GR, amei. Me formei em licenciatura e bacharelado em Educação física e fisioterapia, tudo em prol do esporte. E, agora, estou podendo colaborar com a minha comunidade, pois acredito muito no poder transformador do esporte, ele mudou minha vida e vai mudar a vida de muitas crianças”, explicou a professora.

Ângela ministra as aulas com mais dois auxiliares, que passam entre as meninas e observam se os movimentos são realizados corretamente. Eles são observados de longe pelas mães, enquanto aguardam.

A dona de casa Odenice de Jesus Costa é uma delas. Moradora de Itinga e mãe de Isabela, Val, como gosta de ser chamada, garante que a BCS ofereceu uma oportunidade única. “Minha vizinha contou sobre o projeto e minha filha se interessou, insistia muito para se matricular. Ela está amando”, confirmou, observando a menina que aguardava o início da aula brincando com as colegas.

Quem também está satisfeita com o projeto é a comandante da Base Comunitária de Itinga, unidade de policiamento comunitário, tenente Luana Queiroz. “Iniciamos com 15 crianças e hoje temos mais de 35. Não tenho dúvida que é um projeto importante para a sociedade, para as mães que veem o desenvolvimento de suas filhas e para essas futuras mulheres que serão mais conscientes da capacidade do seu corpo”, explicou.

A aproximação da comunidade com a PM também é fator importante ressaltado pela oficial. Para ela, essas meninas que, agora e no futuro, compreendam como a Polícia Militar está perto da comunidade, sem medo ou receio de solicitar a ajuda da PM caso seja preciso”, detalhou a Luana.

Outras iniciativas

A BCS também oferece outros projetos para públicos variados. Entre as aulas que mais chamam a atenção da comunidade está o curso de Defesa Pessoal, ministrado para mulheres de Itinga pelo soldado Rogério Santos.

Durante a capacitação, as mulheres aprendem técnicas do Krav Magá para torná-las mais fortes e menos vulneráveis em casos de violência doméstica e de gênero.

Existe ainda o curso de Jiu Jitsu – que ocorre das 8h às 9h30 e das 10h às 11h30, nas terças e quintas, e das 14h às 15h30, nas sextas-feiras, na sede da Base – para crianças e adolescentes da comunidade.

Luana também listou as aulas de boxe, cujas inscrições estão abertas com aula inaugural  prevista para segunda-feira (21), de Teatro e de Rotinas Administrativas.


Enem terá questões discursivas


O candidato terá prova por área a partir de 2024

O Conselho Nacional de Educação (CNE) aprovou na última segunda-feira (14) parecer que define como será o novo Enem a partir de 2024, com provas diferentes por áreas de conhecimento. Também está prevista a inclusão de questões discursivas, e não só de múltipla escolha.

O parecer traça diretrizes para que o exame se adeque ao novo ensino médio, cuja implementação começa este ano. A nova legislação prevê uma flexibilização curricular em que os estudantes veem um conteúdo básico, articulado com a Base Nacional Comum Curricular, e escolhem uma área do conhecimento para se aprofundar.

Com as mudanças, o Enem segue essa mesma disposição por áreas. Os candidatos farão uma prova de formação básica geral (alinhada a conteúdos da Base Nacional e de caráter mais interpretativa) e uma segunda etapa para avaliar os itinerários formativos.

Quando se inscrever no Enem, o candidato deverá escolher uma entre quatro áreas para fazer a prova.

A ideia é que essa prova esteja de acordo com o itinerário formativo que o estudante teve acesso no ensino médio e com a área do curso de ensino superior que ele almeja. As quatro áreas do Enem serão:

1) Linguagens, Ciências Humanas e Sociais Aplicadas; 2) Matemática, Ciências da Natureza e suas Tecnologias; 3) Matemática, Ciências Humanas e Sociais Aplicadas; e 4) Ciências da Natureza, Ciências Humanas e Sociais Aplicadas.

“A complexidade do Enem reside na segunda etapa do exame que avalia a parte diversificada, os itinerários formativos. É nela que o novo ensino médio enfrentará o seu maior desafio em relação aos objetivos de flexibilidade e diversificação do sistema”, diz o texto do CNE, aprovado por unanimidade, com voto favorável também dos membros do MEC (Ministério da Educação) que compõem o conselho.

Agora, caberá ao Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) construir as matrizes de referência das duas etapas da prova. É a partir das matrizes de conhecimentos que as questões da prova são elaboradas.

Essas matrizes devem ser construídas ainda este ano para que no próximo haja o esforço para criação de um novo banco de itens. Nesse processo será também definido quantas questões discursivas integrarão cada parte da prova.

A ideia é que a primeira etapa da prova tenha entre 80 a 90 itens no total. O MEC defende que metade dessa prova seja com questões discursivas.

Ainda não há decisão sobre o tamanho da prova da segunda etapa (por área). Não está descartado que toda ela seja discursiva.

Esse desafio mais contundente na parte da prova por áreas ocorre também porque a Base Nacional do ensino médio não definiu diretrizes curriculares desses itinerários, mas somente da parte de conhecimentos gerais.

Com a reforma do ensino médio, os chamados itinerários formativos foram divididos em cinco áreas: linguagens, matemática, ciências humanas, ciências da natureza e ensino técnico. As redes têm implementado o novo ensino médio e há experiências, como a de São Paulo, de itinerários integrados.

O Enem é a principal porta de entrada para o ensino superior. Assim, ele deve continuar com as mudanças e as instituições deverão definir quais áreas da prova se adequam para a seleção de seus cursos.

Desde 2009, a prova é organizada em dois dias, com 45 questões de cada área (linguagens, matemática, ciências humanas e ciências da natureza), além da redação. A exigência de redação permanecerá no novo Enem, a ser aplicada na primeira fase.

Atualmente, a prova toda, com exceção da redação, é elaborada e corrigida com base em um modelo matemático chamado TRI (Teoria de Resposta ao Item) que garante, por exemplo, a comparabilidade de dificuldade das provas.

Segundo Maria Helena, o novo Enem manterá a TRI mesmo com a inclusão de questões discursivas, para as quais deve ser adotado modelo de correção por inteligência artificial. “O Pisa [avaliação internacional] já tem experiências nesse tipo de correção”.

A adoção da TRI na segunda etapa da prova ainda não está definida porque depende das matrizes que serão desenvolvidas.

O parecer do CNE ainda preconiza a transição do Enem para realização totalmente digital, o que favorece a aplicação de mais de uma prova por ano. O Inep já aplicou duas edições de projeto piloto do Enem digital, direcionado para poucos inscritos.

A mudança do Enem a partir de 2024 já era esperada desde o governo Michel Temer (MDB). Como o novo ensino médio passa a ser ofertado a partir deste ano, em 2024 haverá, em tese, a primeira geração que cursou toda a etapa no novo formato.

Sisu abre inscrições a partir de hoje


Marcelo Carvalho

O Sisu 2022, programa que oferece vagas no ensino superior público do Brasil, começa a receber inscrição nesta terça, dia 15. Confira que horas abre e como fazer

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) 2022 programa que oferece vagas em instituições de ensino superior públicas do país – começa a receber inscrição nesta terça-feira, dia 15 de fevereiro (15/02). Assim como no Sisu 2021, o horário de abertura das inscrições também deve ocorrer a partir de meia noite. O encerramento será no dia 18 de fevereiro, até as 23 horas e 59 minutos.

Durante esse período, serão ofertadas 221.790 vagas para instituições federais e estaduais e mais de 6 mil cursos, cabendo ao estudante escolher a opção que lhe dará mais chances de aprovação.
Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Quem pode fazer a inscrição

Para se inscrever no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) 2022, é necessário ter participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021, que teve resultado conhecido no último dia 9. No entanto, a seleção só é válida para participantes que não obtiveram nota zero na redação ou aqueles que fizeram o exame na condição de treineiro — isto é, no segundo ano do ensino médio. 

Passo a passo de como fazer a inscrição

  1. Para se inscrever na página do Sisu, clique em “Fazer inscrição”. Em seguida, você será direcionado para uma próxima tela. Quando estiver nela, clique em Entrar com GOV.BR ou fazer cadastro.
  2.  Confirme seus dados para o Sisu entrar em contato com você. Depois da atualização, você está pronto para começar sua inscrição.
  3. Direcionado para a tela de inscrição, você pode escolher até duas opções de curso. As vagas podem ser pesquisadas pelo nome do município, nome da instituição ou nome do curso. 
  4. No resultado da busca você conhece os cursos pesquisados. Clique no curso para ver mais detalhes e as modalidades disponíveis. Leia atentamente as modalidades disponíveis para o curso, escolha uma das opções para a qual pretende concorrer e clique em “Escolher esta modalidade” para continuar.
  5. Confira os dados do curso e modalidade de vaga que você escolheu, a documentação que será exigida pela instituição na matrícula e clique em “Confirmar minha inscrição”.
  6. Após confirmar sua inscrição, você voltará para a tela “Minha inscrição” e poderá conferir as informações da opção escolhida. Você pode alterar suas opções durante o período de inscrições. É nesta tela que você vai acompanhar sua inscrição durante todo o processo.

Cronograma de data 

Ficar atento as datas do processo seletivo são essenciais. Sendo assim, acompanhe abaixo o cronograma completo do Sisu 2022:

  • 15 a 18 de fevereiro: período de inscrições
  • 22 de fevereiro: resultado da chamada regular
  • 23 de fevereiro a 8 de março: matrícula da chamada regular
  • 22 de fevereiro a 8 de março: prazo para participar da lista de espera
  • A partir de 10 de março: convocação dos candidatos em lista de espera pelas instituições a partir desta data

Nota de corte e pesos diferentes

A nota de corte de cada curso é calculada pelo Sisu uma vez ao dia. O cálculo se baseia no número de vagas disponíveis e no total dos candidatos inscritos naquele curso, por modalidade de concorrência. Por meio da nota de corte, o candidato consegue acompanhar a sua classificação parcial na opção de curso escolhido. A lista de selecionados só é divulgada ao fim do período de inscrição.

Vale ressaltar que algumas instituições participantes do Sisu adotam pesos diferentes para as provas do Enem. Sendo assim, quando o candidato se inscreve para curso que tenha peso diferente, o sistema faz automaticamente o cálculo, de acordo com as especificações da instituição, e uma nova nota é gerada.

Erro bilionário em cálculo inviabiliza a privatização da Eletrobrás


Gabinete de ministro do TCU identificou subavaliação expressiva na outorga, definida em R$ 23 bi

Saulo Santos

A informação é do Jornal Monitor Mercantil. A notícia de que o Tribunal de Contas da União (TCU) teria descoberto um erro bilionário no cálculo de outorga da Eletrobras pode inviabilizar a privatização da empresa.

Segundo um jornal, um “erro metodológico” nos estudos técnicos revelou uma subavaliação “gigantesca” no valor da outorga que deverá ser paga ao governo pelos novos donos da empresa.

Segundo a publicação, o gabinete do ministro Vital do Rego, que pediu vista sobre os valores envolvidos no processo, teria identificado erros e os exporia quando o processo voltasse a ser debatido pelo TCU, o que pode acontecer na sessão do próximo dia 9 ou ficar para março. As ações da estatal começaram a cair após a notícia.

Mesmo assim, analistas da Ativa Investimentos mantiveram, por ora, a recomendação de compra para Eletrobras (ELET3; ELET6), enquanto se espera a apreciação da matéria no TCU.

No ano passado, Associação dos Empregados da Eletrobras (AEEL) apresentou denúncia formalizada ao TCU, CGU, Casas Legislativas, CVM e SEC. A entidade destacou 13 irregularidades, entre as quais renúncia de receita da União na chamada “descotização” das usinas da Eletrobras. “As usinas em cotas tinham contratos já assinados até 2042, o que faz com que esta lei imponha à União uma gigantesca renúncia de receita em prol dos outros [acionistas] ordinaristas e preferencialistas a preço de banana”.

Num cálculo rápido feito pela AEEL, com receita anual de R$ 1,5 bilhão até 2042, seriam R$ 83,2 bilhões. Considerando um aumento anual do preço de 5%, o valor chegaria no fim da concessão a R$ 230 bilhões.

Asilo onde ocorreu a 1ª morte causada pela variante Ômicron registra mais quatro casos


Marcelo Carvalho

O Brasil registrou na data de ontem (06/01), a primeira morte decorrente da variante ômicron da Covid-19. A vítima foi um homem, de 68 anos, que estava vacinado com três doses da vacina contra o vírus e tinha uma doença pulmonar obstrutiva crônica pré-existente e hipertensão arterial.

Ele estava internado em um asilo na cidade de Aparecida de Goiânia, em Goiás, e novas informações da Secretaria de Saúde da cidade indicam que a instituição hospitalar apresentou outros 52 testes positivos para COVID-19 entre pacientes.

De acordo com informações do Portal G1, dos 52 testes positivos, cinco foram sequenciadas e confirmaram a contaminação pela variante ômicron. Vale lembrar que Aparecida de Goiânia é uma das poucas cidades do Brasil que faz o sequenciamento genético em laboratório, trabalho este que determinou que mais de 90% dos casos de COVID-19 na cidade, são da variante ômicron. 

Apenas dois dos moradores do asilo precisaram ser internados, um deles foi o homem de 68 que morreu, mas sobre a segunda internação ainda não se sabe seu estado de saúde. Os outros 50 idosos receberam alta, de acordo com a secretaria. 

No boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde de Aparecida de Goiânia divulgado na tarde de ontem, 42 novos casos de COVID-19 foram registrado na cidade. Ao todo, são 167 casos ativos, que estão hospitalizados ou monitorados pela Telemedicina, oxímetros e exames. “De 93.161 casos confirmados, 91.228 estão recuperados e 1.766 vieram a óbito por COVID-19, com um óbito confirmado nas últimas 24h”, afirma o boletim. 

Na cidade, a taxa de ocupação de leitos de UTI para tratamento da COVID-19 na rede pública de saúde está em 52% e as enfermarias têm ocupação de 50%.

O advogado Carlos Eduardo Sodré é agraciado com Comenda 2 de Julho


Marcelo Carvalho

A decisão foi unânime. A Assembleia Legislativa da Bahia aprovou a concessão da medalha Comenda 2 de Julho, ao subsecretário da Secretaria de Administração Penitenciaria e Ressocialização (Seap), Carlos Eduardo Sodré. O projeto é de autoria do deputado Roberto Carlos (PDT).

Sodré é advogado militante, procurador federal e conselheiro federal (CNPCP e CONSEJ), subsecretario de Estado (Agricultura e Seap), escritor e cônsul da Costa do Marfim na Bahia.

Ele também já atuou como líder estudantil, repórter de jornal e rádio, secretário de vários municípios –  inclusive de Salvador -, professor e dirigente partidário.

A solenidade de entrega da condecoração ocorrerá em sessão especial da Assembleia, no primeiro semestre de 2022, em data a ser marcada pelo presidente da Casa, deputado Adolfo Menezes (PSD).

Temporais castigam sul baiano


Marcelo Carvalho

Itamaraju e Jucuruçu são as mais afetadas e decretaram calamidade pública

Os temporais vieram mesmo para ofuscar o brilho das celebrações natalinas na Bahia. A região sul do estado foi uma das mais castigadas, deixando um melancólico saldo de quase 4,2 mil desabrigados, 11,2 mil desalojados, além de 286 feridos e 17 mortos. Esses números são da Defesa Civil do estado.

Já a população atingida chega perto de 380 mil pessoas de 66 municípios. Entre eles, Ilhéus, Prado, Vitória da Conquista, Porto Seguro, Itamaraju, Floresta Azul, Ibicaraí, Itororó, Itabuna e Itapé.

Vale destacar, que a situação em Itamaraju e Jucuruçu está ainda mais crítica. Ambos os locais decretaram estado de calamidade pública. O fornecimento de água nestas cidades está interrompido por tempo indeterminado. Importante ressaltar que toda essa chuva tem a ver com o La Ninã, o fenômeno climático que deve permanecer influenciando o estado até os primeiros meses de 2022.

Saiba Mais

Vídeos de Itamaraju compartilhados pelo servidor público Sílvio Mendonça.

Vídeos de Floresta compartilhados pelo servidor público José Alves.

Mais de 50% da população brasileira adulta já recebeu as duas doses da vacina contra Covid


Marcelo Carvalho

O sistema do Ministério da Saúde já computa mais de 222 milhões de doses das vacinas contra a Covid-19 aplicadas na população brasileira. De acordo com a pasta, o país alcançou nesta segunda-feira (20) a marca de 50% da população adulta, estimada em 158 milhões de pessoas, com o esquema vacinal completo com as duas doses ou a dose única da vacina Covid-19. O número corresponde a 80,5 milhões de brasileiros.

Na última semana, o Ministério da Saúde recomendou a redução do prazo entre as duas doses da Pfizer, de 12 para oito semanas. Com a medida, deve acelerar o processo de imunização da população.

Segundo o Ministério, a visão é de que com cada vez mais brasileiros protegidos, o sistema de saúde fica menos sobrecarregado, podendo atender com mais eficiência pacientes com outros tipos de enfermidades. Mais de 22 estados apresentaram taxa de ocupação abaixo de 50%, parâmetro considerado como dentro da normalidade.

Desde o começo da campanha, em janeiro deste ano, cerca de 141 milhões de pessoas já tomaram a primeira dose da vacina, o que equivale a quase 90% da população maior de 18 anos.

É MEI? Confira prazo máximo para regularização de dívidas


Emissão de guia de pagamento pode ser feita pelo Portal do Simples Nacional

Thais paim

Se você é um microempreendedor individual (MEI) e está devendo impostos têm o prazo de até 31 de agosto para regularizar suas dívidas. Após essa data, a Receita Federal encaminhará os débitos apurados nas Declarações Anuais Simplificada dos MEIs para inscrição em Dívida Ativa. Essa dívida será cobrada na justiça com juros e outros encargos previstos em lei.

A regularização pode ser feita utilizando o Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS), ou parcelamento. Tanto a emissão do DAS para pagamento, como a realização do parcelamento, pode ser efetuada diretamente no Portal do Simples Nacional. O DAS também pode ser emitido pelo App MEI, disponível para celulares Android ou iOS.

Os débitos em cobrança podem ser consultados na página PGMEI, com certificado digital ou código de acesso.

Ministério do Trabalho e Previdência explica que, ao regularizar sua situação até 31 de agosto, o MEI com débitos evitará consequências como:

deixar de ser segurado do INSS, perdendo assim os benefícios previdenciários, tais como aposentadoria, auxílio doença, dentre outros;

ter seu Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) cancelado;

ser excluído dos regimes Simples Nacional e Simei pela Receita Federal, Estados e Municípios;

ter dificuldade na obtenção de financiamentos e empréstimos;

Inscrição em Dívida Ativa da União, Dívida Ativa Municipal e/ou Estadual, com acréscimo de encargos.

Sobre o MEI

Se você quer começar um negócio e não sabe como, o Microempreendedor Individual (MEI) é a modalidade mais simples para quem quer começar um negócio. Com a sua formalização, o trabalhador tem acesso ao Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) e pode emitir notas fiscais.

A formalização do MEI é gratuita, mas existe uma taxa mensal a ser paga. Seu valor varia de R$ 56 a R$ 61, dependendo da atividade exercida, e é recolhido por meio do DAS – Documento de Arrecadação do Simples Nacional.

Fonte: G1 

Intelectuais judeus acusam governo Bolsonaro de nazismo


Manifesto não é o primeiro direcionado ao presidente

Thais Paim

Apesar das polêmicas recentes, não é a primeira vez que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se envolve em críticas relacionadas ao seu posicionamento e afinidade com os ideais nazistas. O presidente foi alvo no mês de maio de mais um manifesto contrário ao governo dele.

Por meio de uma carta, assinada por 230 profissionais e intelectuais judeus, o presidente é apontado no texto com “fortes inclinações nazistas e fascistas’”. “É preciso chamar as coisas pelo nome”, afirma o documento.

Os termos usados e relacionados ao nazismo e ao holocausto em alusão ao governo de Bolsonaro – não referendados por entidades judaicas -, tem lugar nesse documento assinado pelos profissionais e intelectuais judeus por que, conforme a carta, “é chegada a hora de nós, intelectuais, livres-pensadores, judeus e judias progressistas, descendentes das maiores vítimas do regime nazista, nos posicionarmos, como atores sociais diante do debate público, sobre o atual momento nacional”.

O texto também destaca que “é perceptível que o governo encabeçado por Jair Bolsonaro tem fortes inclinações nazistas e fascistas”.

Confira a carta na íntegra:

“É preciso chamar as coisas pelo nome. É chegada a hora de nós, intelectuais, livres-pensadores, judeus e judias progressistas, descendentes das maiores vitimas do regime nazista, posicionarmos, como atores sociais diante do debate público sobre o atual momento nacional. É perceptível que o governo encabeçado por Jair Bolsonaro tem fortes inclinações nazistas e fascistas. É preciso chamar as coisas pelo nome. Perspectivas conspiratórias e antidemocráticas produzem, tal qual o fascismo e o nazismo, inimigos e aliados imaginários. Se não judeus, como o caso do Terceiro Reich, esquerdistas; se não ciganos, cientistas; se não comunistas, como na Itália fascista, feministas. A ideia de uma luta constante contra ameaças fantasmagóricas continua. Porém há mais. As reiteradas reportações racistas e nazistas do governo B olsonaro, o uso de símbolos fascistas e referência à extrema-direita não podem deixar dúvidas. O projeto de poder avança. Genocídio, destruição das estruturas democráticas do Estado e práticas eugênicas estão escancaradas. Cabe a nós brasileiros e brasileiras impedir que cheguemos a uma tragédia maior. O Fora Bolsonaro deve ser o chamado uníssono da hora. É o chamado contra o genocídio.”

Fonte: Estado de Minas