Fumaça de queimadas tem potencial cancerígeno revela estudo da USP


Marcelo Carvalho

Além do desastre ambiental e potencial de prejuízo patrimoniais, as queimadas que atingem áreas em diversos estados do Brasil também trazem riscos à saúde das pessoas. Além dos já conhecidos problemas pulmonares e cardíacos, os compostos resultantes das queimadas causam a morte de células e têm potencial cancerígeno. A constatação foi feita por pesquisadores da USP e foram trazidas em reportagem do jornal Estadão.

Pesquisa foi conduzida em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. Os cientistas identificaram elevada concentração de hidrocarbonetos policíclicos aromáticos no ar respirado pela população da cidade.

Para chegar aos resultados, amostras do material particulado do ar e a exposição de células do fígado às substâncias fixadas no extrato da filtragem foram coletadas e filtradas. De acordo com o Estadão, o resultado impressionou as pesquisadoras. Em 72 horas de exposição, houve a morte de parte das células. Em apenas quatro horas, já havia danos ao DNA, revelando o potencial de câncer.

O estudo foi conduzido pela professora Maria Lúcia de Arruda Moura Campos e a pesquisadora Caroline Sacaramboni, ambas da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo (USP) em Ribeirão Preto.

Conforme a reportagem, os resultados vão compor a tese de doutorado de Caroline e mostram que a concentração desses hidrocarbonetos, uma classe de mais de cem substâncias químicas conhecidas pela sigla HPA, se torna muito elevada quando a cidade está imersa em uma nuvem de neblina e fumaça por causa das queimadas.

Agentes promovem ações de fiscalização durante o período de andada do caranguejo-uça


Marcelo Carvalho

Com o início do primeiro período da andada do caranguejo-uça, agentes de fiscalização ambiental de Vitória, Capitania dos Portos, Polícia Federal e técnicos da Secretaria de Meio Ambiente (Semmam) participam nesta quarta-feira (30) de um mutirão de fiscalização no manguezal de Vitória.

Até 5 de janeiro, ficam proibidos captura, manutenção em cativeiro, transporte, beneficiamento, industrialização, armazenamento e comercialização. Também não poderão ser vendidas as partes isoladas do crustáceo, como quelas, pinças, garras ou desfiado provenientes de qualquer origem.

Tem início o período de andada do caranguejo-uça. Foto: divulgação

Os agentes da Semmam farão ações fiscalizadoras em vários pontos da cidade, em dias e horários alternativos. Além da fiscalização por água e terra, também serão monitorados comércios, restaurantes, bares, feiras livres e vendas nas redes sociais.

Segundo informações do secretário da Semmam, Ademir Barbosa Filho, as multas para quem infringir a lei federal 9605/1998 varia de R$ 700 a 100 mil.

Andada

A andada é o período reprodutivo em que os caranguejos machos e fêmeas saem das suas galerias (tocas) e andam pelo manguezal para acasalamento e liberação de ovos.

Segundo a portaria nº019-R de 11/12/19/Seama, serão quatro períodos:

  • 1º período: de 30/12/2020 a 05/01/2021
  • 2º período: 28/01/2021 a 03/02/2021
  • 3º período: 27/02/2021 a 05/03/2021
  • 4º período:. 28/03/2021 a 03/04/2021