Submetralhadora e cocaína são encontradas com suspeitos de tráfico em Santo Amaro (BA)


O material foi localizado com um grupo de homens armados, após o encerramento dos festejos juninos na Praça Riachuelo, na cidade de Santo Amaro.

Murillo Torres

Uma submetralhadora calibre 9mm de fabricação artesanal, um tablete de cocaína, um carregador e munições  foram apreendidas por policiais da 20ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Santo Amaro), na manhã desta segunda-feira (27). O material foi localizado após denúncias de homens armados na Praça Riachuelo, situada no bairro Trapiche de Baixo, em Santo Amaro.

Conforme o comandante da unidade, major Roberto Castro, o flagrante aconteceu horas depois do encerramento dos festejos juninos no local. Um grupo com quatro homens foi surpreendido pelos PMs e reagiu a tiros. No revide, um dos suspeitos acabou ferido. Socorrido para o Hospital Santa Casa de Misericórdia de Santo Amaro, ele não resistiu aos ferimentos.

“A suspeita é que os criminosos estariam aguardando a chegada de algum carregamento de drogas. Por conta dessa situação, o policiamento foi reforçado na cidade, a fim de localizar os demais envolvidos”, concluiu o major.

O caso foi registrado da 1ª Coordenadoria Regional do Interior (Coorpin/Feira de Santana).

Ex-ministro da Educação é preso em operação da Polícia Federal na manhã de hoje


Pastores Milton Ribeiro e Gilmar Santos são presos pela Operação Acesso Pago,

Marcelo Carvalho

A casa literalmente caiu para o pastor presbiteriano e ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, que foi preso, preventivamente, pela Polícia Federal, na manhã desta quarta-feira (22), em Santos Litoral Paulista.

Ribeiro é investigado por corrupção passiva, prevaricação, advocacia administrativa e tráfico de influência por suposto envolvimento em um esquema para liberação de verbas do Mec.

O mandado é resultado da operação “Acesso Pago”. A operação mira também um grupo de pastores. Ao menos um dos pastores, Gilmar Santos, também foi preso.

Segundo a PF, a operação tem o objetivo de investigar a prática de tráfico de influência e corrupção para a liberação de recursos públicos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), vinculado ao Ministério da Educação (MEC).

Momento em que o ex-ministro Milton Ribeiro foi preso. Reprodução da internet

Operação “Acesso Pago” 

Além do mandado preventivo destinado ao ex-ministro, outros 13 mandados de busca e apreensão e quatro mandados de prisão foram expedidos. As determinações foram distribuídas pelos estados de Goiás, São Paulo, Pará e Distrito Federal. 

Estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão nos endereços do ex-ministro e dos pastores Arilton Moura e Gilmar Santos. A justiça determinou, ainda, medidas cautelares que proíbem o contrato entre investigados e envolvidos. 

De acordo com a Polícia Federal, a investigação teve início após autorização do Supremo Tribunal Federal (STF), em razão do foro privilegiado de um dos investigados. A operação corre sob sigilo. 

“O crime de tráfico de influência tem pena prevista de 2 a 5 anos de reclusão. São investigados também fatos tipificados como crime de corrupção passiva (2 a 12 anos de reclusão), prevaricação (3 meses a 1 ano de detenção) e advocacia administrativa (1 a 3 meses)”, explicou a PF em nota. 

A prisão ocorre depois da divulgação, em março deste ano, pelo jornal Estado de S. Paulo, de áudios de Milton Ribeiro em que ele falava sobre o favorecimento de municípios que negociavam verbas com pastores, que não tinham cargos no governo. Dias depois, a Folha divulgou um áudio em que Ribeiro falava que o pedido vinha diretamente do presidente Jair Bolsonaro (PL). Na época, ele negou, em nota, que Bolsonaro tivesse feito esse pedido. Dias depois, ele pediu demissão da pasta.

O mandado, assinado pelo juiz federal Renato Borelli, determina que Ribeiro seja levado para a Superintendência da Polícia Federal em Brasília. A audiência de custódia deve ser realizada ainda hoje.  

Como tudo começou

Em março, um inquérito foi aberto após o jornal “O Estado de S. Paulo” revelar  a existência de um “gabinete paralelo” dentro do Mec controlado pelos dois pastores. Dias depois, a Folha divulgou um áudio de uma reunião em que Ribeiro afirmou que, a pedido de Bolsonaro, repassava verbas para municípios indicados pelo pastor Gilmar Silva.

Após a revelação do áudio, Ribeiro deixou o comando do Ministério da Educação. Registros do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) apontam dezenas de acessos dos dois pastores a gabinetes do Palácio do Planalto.

Bolsonaro defendeu Ribeiro

Em vídeo, Bolsonaro chegou a dizer que botava a “cara no fogo” por Ribeiro e que as denúncias contra o ex-ministro eram “covardia”. (Já nesta quarta, questionado sobre a prisão do ex- ministro pela PF, Bolsonaro afirmou que Ribeiro é quem deve responder por eventuais irregularidades à frente do MEC.

“Ele responde pelos atos dele”, afirmou Bolsonaro em entrevista à rádio Itatiaia. O presidente disse ainda que “se a PF prendeu, tem motivo.”

Polícia Federal descobre exploração ilegal de jazidas de areia no Estado do Rio de Janeiro


A operação, batizada de “Operação Mineralis”, tem dois mandatos para ser executado em Duque de Caxias e Belford Roxo, cidades localizadas na Baixada Fluminense.

William Gama

Hoje (15), será realizada uma operação da Polícia Federal (PF), em cumprimento de mandatos de busca e apreensão contra exploração e aquisição ilegal em jazidas de areia no estado do Rio de Janeiro.

A operação, batizada de “Operação Mineralis”, tem dois mandatos para ser executado em Duque de Caxias e Belford Roxo, cidades localizadas na Baixada Fluminense. O areal localizado em Duque de Caxias, vem sendo explorado ilegalmente, o que despertou a ação da polícia. 

Segundo as informações apuradas pela Agência Brasil, em marco de 2021, a PF vinha investigando o caso. Tudo começou com a prisão em flagrante do administrador do areal e de um dos transportadores da areia extraída.

O vigia do local, era considerado o olheiro, e era o responsável em repassar informações de pessoas suspeitas que apareciam no ambiente e que poderiam atrapalhar as retiradas de areia. Policiais que se aproximassem também eram informados aos seus superiores, e assim procuravam uma forma de desviar a atenção desses agentes.

Pagamento de propina

Com o decorrer das investigações, a PF constatou que existia a participação de agentes públicos, para que não denunciassem a prática ilegal de extração nesse areal. Estes soldados recebiam o pagamento de propina, através dos donos dessas empresas. Por este motivo, nunca eram registradas as denúncias de contrabando nessas jazidas.

“Com o avanço da investigação, foram obtidos elementos que indicam corrupção policial para tolerar a extração irregular de areia e o significativo dano ambiental produzido pela atividade predatória do meio ambiente”, afirmou a PF, a equipe de reportagem do portal G1 RJ, da Globo. 

Retirar areia de locais públicos, sem autorização, é crime ambiental e patrimonial previstos por lei. Pois se trata de um patrimônio que pertence a União. O Superior Tribunal Federal (STF), destaca que as Leis nº 8.176/91 e Lei nº 9.605/98, são leis de proteção e que regem a Constituição Federal.

Crimes contra o meio ambiente

A primeira cuida de crimes praticados contra ao patrimônio público, que trata sobre exploração de bens ou matéria-prima que pertençam à União. Ou seja, tata de questões relacionadas a exploração sem autorização ou que se encontrem em desacordo com os trâmites legais previstos por esta lei.

A outra trata de crimes que estão relacionadas diretamente ao meio ambiente. Para realizar qualquer tipo de procedimento que envolvam áreas de meio ambiente, precisam antes procurar os órgãos de proteção do meio ambiente, e assim solicitar a autorização prévia, e seguir as orientações da pasta, para que não estejam praticando nenhum tipo de delito contra a natureza. 

A polícia federal afirma que explorar areia sem autorização é crime de usurpação contra à União e causa danos ambientais. As pessoas que foram investigadas e presas não tiveram seus nomes divulgados pela polícia para não atrapalharem as investigações.

Eles irão responder por crimes de usurpação, crime ambiental, corrupção ativa e associação criminosa. Esses delitos variam com penas máximas somadas de aproximadamente 20 anos de reclusão, caso sejam condenados após o julgamento de suas sentenças. 

Fontes: Agência Brasil, G1 RJ, STJ.

William Gama é formado em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) e Mestrando em História (UNICAP). Gosta de produzir matérias de diferentes nichos em Mídias e Redes Sociais. Instagram: williamgama.

j

Dois procurados pela justiça são inseridos no Baralho do Crime


Marcelo Carvalho

Procurados por organização criminosa e tráfico de drogas, atuantes em Salvador e no município de Simões Filho, na Região Metropolitana (RMS), foram inseridos no Baralho do Crime da Secretaria da Segurança Pública. Os dois novos alvos passam a integrar, nesta terça-feira (6), a lista dos mais procurados da Bahia.

O novo representante da carta ‘Dez de Espadas’ é Pablo Ribeiro de Moura, conhecido como ‘Amarelo’. Ele é investigado pelos crimes de organização criminosa e tráfico de drogas e apontado como o principal líder de um grupo criminoso com atuação nos bairros da Palestina, Valéria, localizados em Salvador, e no município de Simões Filho.



Já Fabio dos Santos Nascimento, o ‘Fabão’ ou ‘Jiboia’, foi inserido na carta ‘Oito de Espadas’ e também é indiciado por organização criminosa. De acordo com a denúncia do Ministério Público da Bahia, Fábio atua em Vila Canária, Castelo Branco e nas localidades Lavrador e Rua do Sossego, na região de Valéria.

Ao reconhecer esses ou outros integrantes da ferramenta, o cidadão pode transmitir informações para as forças policiais por meio do 181 ou através da plataforma on-line  do ‘Denuncie Aqui’ encontrada no site: disquedenuncia.com. O sigilo é garantido!

Três são capturados em menos de duas horas com auxílio do reconhecimento facial


Marcelo Carvalho

Dois procurados por prática de roubo e um por furto foram capturados, em menos de duas horas, com o auxílio do Sistema de Reconhecimento Facial da Secretaria da Segurança Pública, em fase de expansão para diversas cidades do estado. Os flagrantes aconteceram na manhã desta segunda-feira (6).

Às 7h30 a tecnologia emitiu o primeiro alerta, após homem com mandado de prisão por roubo qualificado passar por um dos pontos monitorados pela ferramenta. Ele foi alcançado pelos policiais da 5ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/ Vera Cruz).

Vinte e cinco minutos depois, em outro ponto de Salvador, os profissionais do Centro Integrado de Comunicação (Cicom) acionaram equipe da 1ª CIPM (Pernambués) para capturar um homem com mandado definitivo.

A tecnologia emitiu um alerta de 98% de similaridade para o procurado por prática de roubo.

A ferramenta também apontou 97% de correspondência ao flagrar o rosto de um homem que passou por uma das câmeras do Reconhecimento Facial. O último foragido, alcançado pelas equipes da 26ª e 58ª CIPMs, era procurado por furto.

Dois dos criminosos foram encaminhados à Coordenação de Polícia do Interior (Polinter) e um seguiu para a Delegacia Territorial de Vera Cruz.

Expansão

O Sistema de Reconhecimento Facial está em fase de expansão e chegará a mais de 70 cidades. A tecnologia já é empregada em Salvador, mas chegará na Região Metropolitana e no interior do estado.

Duzentas e cinquenta e cinco pessoas, homens e mulheres, com mandados de prisão expedidos foram alcançados e retirados do convívio com a sociedade entre homicidas, latrocidas e traficantes.

Mais de R$ 15 milhões em drogas são apreendidos na Salvador e interior


Além das apreensões de entorpecentes realizadas pelas polícias Militar e Civil, nesse período, também foram erradicados cerca de 410 mil pés de maconha, na região Norte.

Marcelo Carvalho

Pouco mais de R$ 15 milhões em drogas (maconha e cocaína) foram apreendidos pelas polícias Civil e Militar, nos últimos 30 dias, em diferentes ações ocorridas em Salvador e interior do estado. Durante esse período, as forças de segurança também erradicaram pés de maconha, em diversos municípios da Bahia.

Entre as ocorrências que resultaram em grandes apreensões estão os  R$  4,6 milhões em pasta base de cocaína encontrados, na última terça-feira (24), em um piso falso no bairro de Itacaranha, pela Rondesp BTS. A ação teve início com uma tentativa de abordagem a um homem que dirigia uma Spin, placa PLC-5A70, e entrou em uma residência para escapar do cerco.

Trinta quilos de entorpecentes avaliados em R$ 2 milhões apreendidos pela 66ª Companhia Independente da PM, que interceptou um ônibus, no último domingo (22), em Feira de Santana, foi mais uma ação que resultou em prejuízo para o crime organizado.

Já em Paulo Afonso, uma ação entre o 20º Batalhão da PM e a Polícia Rodoviária Federal resultou na apreensão 70kg de entorpecentes (pasta base de cocaína e maconha) avaliados em R$ 6,7 milhões. Os materiais ilícitos foram encontrados com um casal durante abordagem a um veículo modelo Jeep.

A descoberta de um laboratório para refino de cocaína e a apreensão de 50 quilos da droga, avaliados em R$1,5 milhão, deram continuidade às ações contra o  tráfico.  A ação, que ocorreu em uma casa localizada no bairro de Santa Cruz, em Salvador, foi fruto de ações investigativas da Polícia Civil. O flagrante foi feito pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa e Coordenação de Operações Especiais, com apoio do Departamento de Polícia Metropolitana, por meio da 28ª Delegacia Territorial  do Nordeste de Amaralina.



Equipes da Coordenação de Narcóticos do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), com a utilização dos cães Sonic e Jade, da Coordenação de Operações Especiais (COE), evitaram que R$ 500 mil em drogas chegassem até criminosos de Salvador, cidades do interior e outros estados, como São Paulo, Minas Gerais e Ceará.

O flagrante aconteceu no Centro de Tratamento de Cartas e Encomenda, na BR-324, nas proximidades de Simões Filho, e as investigações apontaram que os entorpecentes fossem distribuídos na capital baiana e  outras  localidades.

Plantações de maconha

Nos últimos 30 dias, aproximadamente 414 mil pés de maconha foram destruídos por equipes da Polícia Militar nas cidades de Sento Sé, Curaçá e Casa Nova, na região Norte do estado. Nesses flagrantes, que ocorreram com ajuda de denúncias anônimas, uso de drones e patrulhamento de rotina, os policiais perceberam que as plantações possuíam sistema de irrigação vinculada ao Rio São Francisco, o que facilitava o cultivo

Maior parte dos pés de maconha já estava em tamanho para colheita. As equipes da PM reforçam as ações ostensivas e a Polícia Civil segue com as investigações para levantar os possíveis responsáveis pelos plantios.

Violência contra jornalistas aumenta assustadoramente no Brasil


Marcelo Carvalho

No último dia 14, um fato lamentável chocou a população e deixou em evidência a situação que parte dos profissionais de imprensa e comentaristas, seja do youtube, ou dos veículos de mídia, vêm enfrentando já há alguns anos. Me refiro ao ataque sofrido pelo repórter da TV Globo, Gabriel Luiz.

O jovem, de 28 anos, foi atacado por dois homens, sendo esfaqueado por várias vezes, sofrendo ferimentos no pescoço, no abdômen, no tórax e na perna. Em investigação, a 3ª Delegacia de Polícia, no Cruzeiro, já encontrou a arma usada no crime.

A Polícia Civil ainda procura informações que possam explicar a motivação do crime. Vale destacar que o repórter havia feito uma reportagem sobre um determinado clube de tiro. O celular da vítima foi encontrado e a sua carteira recuperada. A polícia prendeu dois suspeitos do crime.

Sobre o assunto, a TV Globo liberou uma nota afirmando que lamenta profundamente o ocorrido. A empresa estaria aguardando as investigações da polícia e prestando toda ajuda ao nosso repórter e aos familiares. A Globo repudia veemente todas as formas de violência e espera que o caso seja esclarecido o mais rapidamente possível”, afirma o comunicado.

Refletindo sobre os acontecimentos

Tudo isso nos leva a uma reflexão envolvendo a emissora carioca. É sabido por todos que a grande mídia tenta a todo o custo persuadir a população em geral, fazendo com que a mesma compre o discurso vendido por eles. A Globo, por exemplo, ainda possui um grande poder de influência no país, podendo destruir reputações, ajudar decisivamente a eleger esse ou aquele político, entre outras coisas pouco éticas.

Vale lembrar que a “vênus platinada” colaborou fortemente com a ditadura, além de apoiar a famigerada Operação Lava Jato, criando no povo a imagem de que o ex-juiz Sérgio Moro e o ex-procurador Deltan Dallagnol eram a pessoas mais éticas e isentas do universo.

É lamentável que tal posicionamento tem trazido tanto perigo e prejuízo aos seus profissionais que vêm sendo agredidos e desrespeitados pelo Brasil. Resta saber até quando fatos como esse que ocorreu com o repórter Gabriel Luiz irão ocorrer. Sinceramente torcemos para que não ocorram e que a população tenha mais cuidado com as informações que consomem, para não acabar sendo massa de manobra de gente inescrupulosa que só pensa em se locupletar. Fiquemos ainda mais atentos!

Adolescente é apreendido após roubar dois veículos em Salvador


 Um adolescente foi apreendido, na manhã desta terça-feira (29), por equipes da 12ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Rio Vermelho), após roubar dois veículos. O jovem de 17 anos é suspeito também de envolvimento na morte de duas pessoas, no último domingo (27), no bairro de Boca do Rio.

Conforme detalhou a comandante da 12ª CIPM, major Érica Patrícia, antes de serem interceptados, o garoto e um comparsa haviam roubado um carro modelo Sentra, de cor preta, placa PKO 2I32, na Rua Nelson Galo, e usariam para cometer outros crimes.

“Quando eles perceberam que o veículo desligaria automaticamente, pois possuía chave presencial, desceram e abordaram um motorista por aplicativo que passava pela Rua Alexandre de Gusmão”, explicou a oficial.

A segunda vítima, que usava um carro modelo Ka, placa PKA 9354, após ser roubada, visualizou o seu veículo, na Rua da Paciência. Rapidamente ela acionou guarnições da 12ª CIPM que realizavam o moto patrulhamento na região.

“Nós interceptamos os criminosos na Rua Oswaldo Cruz, próxima ao Largo da Mariquita. Eles saltaram do carro, correram, mas conseguimos alcançar o adolescente. O outro homem fugiu”, informou a oficial, lembrando que o menor estava com uma pistola calibre 380 e três munições.

O suspeito foi encaminhado, junto com os carros e materiais apreendidos, à Delegacia para o Adolescente Infrator (DAI), onde foi ouvido por equipes da unidade e do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) por suspeita de envolvimento no duplo homicídio ocorrido no bairro de Boca do Rio, no último domingo (27).

“Ele nega a participação no crime, mas possuímos informações que indicam o envolvimento dele com o caso. Estamos na fase inicial de apuração”, contou a titular da DH/Atlântico, delegada Pilly Dantas. O garoto segue na unidade à disposição do Ministério Público. 

Novo golpe promete descontos em faturas para atrair vítimas; saiba mais


Mensagens enganosas estimulam usuários a transferirem dinheiro  

Thais Paim

Um novo golpe que envolve o nome do PIX está  espalhando, por SMS, mensagens para atrair vítimas em busca de um suposto desconto em faturas de cartão de crédito e celular. A fraude foi identificada pela empresa de segurança digital Kaspersky.

De acordo com informações, a mensagem afirma que operadoras de cartão de crédito se uniram em uma campanha para oferecer desconto caso o pagamento da fatura seja feito com o novo método de pagamento.

Para receber o suposto benefício, a vítima precisa acessar um site e informar dados como bandeira do cartão, CPF, os quatro últimos dígitos do cartão e o valor total da fatura.

Depois disso, a página informa uma chave do PIX para qual o valor com desconto deve ser enviado. O destino do dinheiro, porém, não tem relação com instituições financeiras.

As tentativas de fraude não param por aí. Outro golpe, iniciado em julho, usa o nome de operadoras de telefonia para espalhar a promessa de um desconto na fatura do celular.

O analista sênior da Kaspersky no Brasil, Fabio Assolini, destaca que golpes por SMS ocorrem há muito tempo, mas aponta que criminosos estão usando a popularidade e a rapidez do pagamento por PIX para promover mensagens enganosas.

“Isso ocorre desde o lançamento do sistema, mas agora os golpistas estão se valendo dessa popularidade para aplicar golpes usando engenharia social e phishing”, explica.

SMS enviado por números curtos

Para Assolini, um dos pontos que chamam a atenção é que as mensagens de alguns golpes são enviadas por um número curto, parecido com o que bancos e operadoras usam para se comunicarem com clientes. Os criminosos fazem isso ao contratarem serviços de envio de SMS em massa.

Veja como se proteger

A orientação para evitar cair neste tipo de prática é consultar canais oficiais das empresas, como site e telefone, para verificar se uma determinada promoção realmente existe.

O link na mensagem de texto também pode indicar que o conteúdo não é verdadeiro. Verifique se o endereço é o mesmo usado pela empresa. Caso você acesse o site e ainda tenha dúvidas sobre a autenticidade, a melhor decisão é não inserir dados pessoais, nem realizar pagamentos.

Fonte: G1

Idosa descobre que foi vítima de golpe após ver PIX de R$ 24 mil em sua conta


Inazeli Azevedo diz que crime foi muito bem elaborado

Thais Paim

Uma idosa de 78 anos descobriu que foi vítima de um golpe após receber orientações por telefone de uma suposta funcionária de banco em Santos, no litoral paulista. A professora aposentada descobriu o que aconteceu após ver que havia um PIX no valor de R$ 24 mil em seu nome. 

Além do valor retirado de sua conta, ela também percebeu que havia empréstimos, limite do cartão estourado e cheque especial feitos em seu nome, o que fez com que ela denunciasse o caso à Polícia Civil.

Inazeli Azevedo Nóbrega e Silva falou sobre o golpe e lamentou o ocorrido. “Estou inconformada. Tenho 78 anos, nessa idade, uso computador, vou ao banco sozinha, foi um grande progresso. Mas não tenho, evidentemente, o mesmo raciocínio que tem um jovem. Nunca caí em um golpe, mas esse foi muito bem elaborado”. 

Entendendo o caso 

O golpe teve início no fim de julho, quando uma suposta funcionária do banco do qual a idosa é cliente entrou em contato com o filho dela, informando que haviam tentado acessar a conta da aposentada. Apesar de ele poder fazer procedimentos de segurança e mudar a senha, o filho preferiu informar a mãe sobre o caso.

Logo após esse contado, a idosa recebeu a ligação da mulher que se apresentava como funcionária. Durante a chamada, ela informou que tentaram entrar na conta da idosa indevidamente, e que seria necessário trocar de senha e que a aposentada precisava ir em um caixa eletrônico alterar a senha.

Após a tentativa fracassada de alterar a senha pelo caixa eletrônico, Inazeli foi até uma agência bancária e explicou tudo que ocorreu para uma atendente, que achou estranho, segundo conta a idosa.

Mesmo assim, a funcionária procurou no sistema e viu que, de fato, haviam tentado entrar na conta no dia 17 de julho. A idosa, se precavendo, mudou as senhas e registrou a biometria, como orientado pela mulher que conversou com ela ao telefone.

A idosa conta que assim que saiu da agência recebeu outra ligação da suposta funcionária: “Ela disse ‘você não fez o módulo de segurança, tem que fazer, porque a conta continua vulnerável'”, explicou. 

A idosa voltou à agência e seguiu as orientações dadas por telefone sobre quais botões apertar e o que fazer no caixa para ativar o que seria o módulo de segurança e, após alguns minutos, a mulher disse que estava tudo certo, e que, finalmente, o módulo havia sido acionado.

Ao sair do banco, ela passou em uma farmácia e viu que não conseguia efetuar o pagamento no débito nem no crédito. Voltando para casa e abrindo o aplicativo do banco, viu uma transferência via PIX em seu nome, no valor de R$ 24.700. Também descobriu que haviam usado o cheque especial, empréstimos e todo o limite do cartão.

Inazeli fez um pedido de contestação, que foi negado pelo banco. Ela recorreu novamente, e aguarda um posicionamento, para saber como prosseguir diante da situação. Para dar prosseguimento, ela registrou um boletim de ocorrência no 3º Distrito Policial de Santos como estelionato, e o caso será investigado. Entretanto, mesmo tomando todas as medidas, o medo e a frustração são constantes.

Fonte: G1