Doença ‘prima’ do Ebola faz vítima na Guiné e preocupa a OMS


Informação da morte foi confirmada pelas autoridades de saúde 

Thais Paim

O primeiro caso de Marburg na África Ocidental foi confirmado pelas autoridades de saúde da Guiné. A doença é altamente infecciosa da mesma família do vírus que causa o Ebola e provocou grande alerta. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse que o vírus precisava ser “interrompido em seu caminho”. Segundo informações, a doença do vírus de Marburg é transmitida às pessoas por morcegos frugívoros e se espalha entre humanos por meio da transmissão de fluidos corporais. 

O último grande surto em Angola foi em 2005 e os casos são extremamente raros. 

É uma doença grave, geralmente fatal. Entre os sintomas estão dor de cabeça, febre, dores musculares, vômitos com sangue e sangramento.

De acordo com os médicos ainda não existe tratamento para Marburg, mas eles afirmam que beber bastante água e tratar sintomas específicos aumenta as chances de sobrevida do paciente.

Amostras retiradas do paciente guineense, que já morreu, foram testadas em laboratórios do país e deram resultado positivo para o vírus de Marburg. Ele foi identificado em Guéckédou na semana passada, a mesma região onde foram encontrados casos recentes de ebola, em um surto que acabou recentemente.

Posicionamento da OMS 

A diretora da OMS para a África, a botsuanense Matshidiso Moeti, disse que o vírus tem potencial para se “espalhar por toda parte”. Mas aproveitou a oportunidade para elogiar “o estado de alerta e a rápida ação investigativa dos profissionais de saúde da Guiné”.

Autoridades tentam agora encontrar pessoas que possam ter estado em contato com o homem que morreu.

Quatro contatos de alto risco, incluindo um trabalhador de saúde, foram identificados, além de 146 outros que poderiam ter sido expostos ao vírus, diz a epidemiologista Krutika Kuppalli, que tem acompanhado o caso, à BBC.

Os sistemas implantados na Guiné e nos países vizinhos para controlar os recentes surtos de Ebola estão sendo retomados em resposta ao vírus de Marburg.

Na África, surtos anteriores e casos esporádicos foram notificados em Angola, República Democrática do Congo, Quênia, África do Sul e Uganda, afirma a OMS.

O vírus matou mais de 200 pessoas em Angola em 2005, o surto mais mortal já registrado, de acordo com a OMS.