É previsto que as faculdades terão ensino híbrido este ano


Julia Vitoria

Para aqueles que têm o sonho de terminar a faculdade 2020 nunca será esquecido, os estudantes e professores tiveram que se adaptar rapidamente a situação que se alastrou pelo mundo, essa adaptação foi importante para que o ano letivo terminasse sem nenhum prejuízo para os alunos e professores. Nas  faculdades particulares o ensino híbrido já é um pouco comum, eles misturam o ensino presencial com o online para a experiência dos alunos, e na pandemia isso foi crucial para continuarem as aulas. Com a chegada da vacina contra a covid a expectativa da volta às aulas é grande.

Para Sandra Raimundo,  especialista em educação, o principal objetivo do ensino híbrido é a autonomia do protagonismo dos alunos e vai ser essencial para a retomada deste processo de volta às aulas presenciais. 

Já para o estudante  Thiago Dornelas, que tem 22 anos, as aulas remotas devem continuar, pois os estudantes já estão familiarizados com este processo e as funções do online.  Ele conta também que a ainda está receoso por conta da pandemia, e que preferia que o ensino continuasse remoto, devido a situação que o país se encontra, Thiago fala que no início da pandemia ficou com medo de ter que paralisar os estudos, contudo veio o ensino remoto e para ele foi melhor que do esperava. 

A adaptação de Thiago foi graças a preocupação que a instituição teve em entender as dificuldades dos alunos com a migração do presencial para o online, assim buscaram soluções para os problemas que foram surgindo no meio do caminho e dando a oportunidade de os alunos avaliarem o que apresentavam. No decorrer das aulas eles tiveram experiência de fazer de outras formas de realizar atividades que antes eram feitas presencialmente, com exemplo dos trabalhos em grupos palestras entre outros. Um dos pontos fortes detectado pelo estudante Thiago Dornelas é que a faculdade em que ele estuda entrou em contato com os estudantes para saber como estava sendo as aulas.

A faculdade Estácio de Sá irá retomar as aulas dia 22 de janeiro. A instituição tem instituições em todo o país e o diretor da faculdade no Espírito Santo Anderson Paulo da Cruz fala que o período da pandemia teve seu lado positivo, pois a instituição investiu  na infraestrutura para um retorno melhor para os estudantes, reformas nos laboratórios de anatomia, Núcleo de Práticas Jurídicas, Agência Experimental de Publicidade e Propaganda também a biblioteca foi reformada. E algumas implementações foram feitas, o diretor falou também que todos os protocolos de segurança estão sendo seguidos para os alunos retornarem à faculdade.

Os alunos vivenciaram uma nova realidade, principalmente os calouros que iniciaram a faculdade ano passado já tiveram que enfrentar um tremendo desafio, e os veteranos que iriam concluir a faculdade tiveram que terminar o tão sonhado curso remotamente. O estudante de Economia Enzo Dummer irá terminar seus estudos assim ele fala que programou seus último período de estudos para ser remoto, e que nunca imaginou que acabaria por terminar  a faculdade de forma online mas que ficou satisfeito com o ensino. Ele fala também que muita gente irá para o presencial novamente, mas que ele conseguiu se adaptar nem ao remoto e acredita que não há prejuízo nenhum. Para Enzo o ensino remoto atende muito bem.

As aulas presenciais foram suspensas pelo governo do estado em março do ano passado e faculdade fucape conseguiu agir de forma rápida para mover o ensino essencial para o online o que garantiu que os alunos não ficassem prejudicados  com a repentina mudança, as aulas na instituição começam ainda esse mês no dia 25 e o ensino híbrido irá continuar segundo o diretor-presidente da Fucape e doutor em Controladoria e Contabilidade, Valcemiro Nossa, as aulas em estilo híbrido irão continuar pelo menos neste primeiro semestre, eles estão com a ideia de voltar o presencial o mais rápido possível contudo deixarão as salas de aulas híbridas para aqueles que não se sentirem seguros.

A Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), volta com suas atividades remotas o dia 1 de fevereiro, nesta data se inicia o sempre 2020/2 modelo Ensino-Aprendizagem Remoto Temporário e Emergencial (Earte)  esse modelo também se aplica em atividades administrativas exceto aquelas que são previstas  lei.

A Ufes informou que poderão ser realizadas atividades em modelo híbrido ou presencial somente em atividades teórico-práticas e práticas também estágios obrigatórios  curriculares do curso de medicina como fala a Portaria nº 1.030 do Ministério da Educação. Os outros cursos na área da saúde devem continuar com o ensino remoto, mas caso não haja adaptação das disciplinas práticas terão que requerer da concedente a assinatura de termo de observação dos protocolos de biossegurança da Organização Mundial da Saúde e do Ministério da Saúde.