Estado do Rio de Janeiro tem filas com mais de 300 pessoas para vagas na UTI


As filas demoram dias para andar, o número de pacientes triplicou em duas semanas e a situação fica crítica

Por: André Lucas

O Estado do Rio Janeiro é o segundo mais afetado pelo Covid 19, atrás somente de São Paulo, o Rio tem 22.683 mortes, e 357.982 casos, nas últimas 24 horas foram 93 mortes, o Estado vive uma das piores crises sanitárias da história.

Hospitais de campanha no Rio de Janeiro ou já fecharam ou nem abriram, na capital do estado exemplo, dos 7 hospitais de campanha, apenas o do Maracanã foi aberto, e mesmo assim não funcionou com 100% da capacidade, dos 1.300 leitos previstos somente 200 estavam pronto para ajudar no combate do covid 19. Além dos hospitais que não funcionaram, aparelhos também nunca chegaram, como por exemplo os respiradores que o estado comprou  muitos não chegaram, e parte dos que chegaram estavam com defeitos. Corrupção ou incompetência do governo estadual, não importa, a questão é que sem os hospitais de campanha, os leitos existente nos hospitais públicos regulares não estão dando conta da grande quantidade de pacientes, e com filas para entrar nos hospitais a situação é assustadora e aponto um futuro ainda pior. 

O município do Rio de Janeiro tem 271 leitos de UTI em sua rede, nenhuma dessas vagas estão sobrando. Na rede do SUS, que inclui municipal, estadual e federal, 95%  dos leitos estão em uso, a fila para receber atendimento já tem mais de 358 pessoas em espera, o caso é grave, a falta de atendimento aumenta a letalidade do vírus o paciente uma vez que não tem o atendimento necessário aumenta as possibilidades da vítima perder a vida. 

As aglomerações continuam 

No Estado do Rio de Janeiro as aglomerações nunca pararam, durante o pandemia a muitas denúncias e flagras foram feitos na capital e em outros pontos, baile funk, festas em barcos, bar lotado, roda de samba, entre outros. Do dia 16 março ao dia 9 de abril, 6.648 denúncia de aglomerações foram registradas, uma media de mais de 221 denuncias por dia. Mesmo com a multa de 15 a 26 mil reais, as pessoas não param de cometer essa infração gravíssima que pode tirar outras vidas. Agora com as praias liberadas, e o calor forte que faz no fim do ano do Rio de Janeiro, as praias estão lotadas a dias. A aglomeração não só das praias mas também no bares, restaurante e shoppings, podem disparar o contágio, e sem leitos de UTI nos hospitais para atendimentos o numero de mortes pode crescer muito nos últimos dias do ano.