Hospitais lotados no Rio de Janeiro e número de contágio continua subindo


Com filas nas UTIs, número de infectados sobe e preocupa especialistas

André Lucas

O Estado do Rio de Janeiro estar em uma situação grave, além de ser um dos estados mais afetados pelo covid 19, agora sofre com hospitais lotados e leitos de UTI com filas enormes de mais de 400 pessoas. Se a situação já era complicada com os hospitais de campanha sem eles a situação ficou desesperadora.  Especialistas dizem que com as festas de fim de ano o cenário só vai piorar.

Em entrevista à ”BBC”, alguns especialistas comentaram a situação. Para o infectologista Alberto Chebabo, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e diretor do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), disse que o principal fator para a retomada da gravidade da situação é a flexibilização das medidas restritivas.

”O Rio de Janeiro nunca teve controle completo da transmissão do vírus. O estado foi flexibilizando as medidas de isolamento social quando os casos ainda estavam em alta. As pessoas voltaram a se reunir, fazer encontros, os bares voltaram a ficar lotados e houve muitos eventos com aglomeração… Se considerarmos que a curva de casos começou a subir há 3 semanas, é provável que os números de mortes, que estão estáveis, também subam. Muitas pessoas que contraem a doença e apresentam quadro grave acabam morrendo ao longo das semanas”

O Rio estar em uma alta constantes de casos, e com hospitais lotados e as filas nas UTIs o cenário fica caótico. A Prefeitura do Rio junto ao governo do estado decidiu voltar com as medidas de restrição. Foi anunciado nessa sexta feira dia 12 de dezembro, medidas para combate a proliferação do covid-19, as medidas determinadas foram: 

• Escalonamento dos horários de funcionamento da indústria (a partir das 7h); dos serviços (a partir das 9h); e do comércio (a partir das 11h), para evitar aglomeração nos transportes públicos.

• Proibição de estacionamento na orla nos fins de semana e feriados;

• Cancelamento das áreas de lazer nas orlas de Copacabana, Ipanema e Leblon e no Aterro do Flamengo aos domingos e feriados (as pistas, portanto, não serão fechadas ao trânsito de veículos);

• Proibição do uso de áreas comuns de lazer em condomínios, onde não são usadas máscaras, como saunas e piscinas.

. Permissão para shoppings e Centros Comerciais ficarem abertos 24 horas, para evitar aglomerações nos meios de transporte.

A prefeitura informa que as ambulantes legais que ficam na orla receberão cesta básica enquanto as medidas provisórias durarem.

 Na nota oficial fala também que o governador e prefeito estão preocupados com o alto índice de transmissão das ultimas semanas, incentiva a usar máscara e lavar a mão com álcool gel, a nota fala que as medidas postas em prática visa proteger os cidadãos sem por em risco a economia. 

Os números da doença no estado é grande, são 184 mil casos e 13.844 mortes, nas últimas 24 horas o estado registrou 3.298 casos e 84 mortes. Em relação ao combate a doença, o s números são mais graves,  93% das UTIs estão lotadas e 87% das enfermarias. 436 pacientes estao aguardando leitos.