O legado de George Peres para o mundo dos quadrinhos


O artista nos deixou este mês, deixando histórias fantásticas e personagens inesquecíveis.

Vingadores. Os Novos Titãs. Crise nas Infinitas Terras. Superman. Mulher-Maravilha. Desafio Infinito. Novos 52. Reconheceu esses títulos? Com certeza, sim! Não importa se você é um amante das histórias em quadrinhos ou não. Esses nomes são tão lendários que, pelo menos uma vez na vida, todos nós já escutamos algo sobre eles. Lembrando que alguns, inclusive, chegaram ao cinema no melhor estilo Live Action.

    

George Perez nos deixou no início de maio, deixando um legado incrível. Foto: divulgação.       

Mas o que muita gente não conhece, no entanto, é o nome por trás destas e de muitas outras ilustrações: George Pérez. O americano com descendência porto-riquenha que se tornou uma das figuras mais importantes da indústria de HQs. E neste artigo, vamos recordar um pouco de sua história e seu legado para o mundo dos quadrinhos.

Origens

Nascido em Nova York no ano de 1954, George desde sempre se mostrou um menino prodígio. Começou a desenhar com apenas 5 anos de idade. E aos 19 anos, ele iniciou sua carreira profissional ao lado do desenhista Rich Buckler, ocupando o cargo de assistente. E um ano depois, ele já estava produzindo suas próprias artes. E diante do indiscutível talento, o rapaz logo se tornou um membro fixo dentro da Marvel Comics. E foi a partir daí que surgiram alguns dos personagens mais inesquecíveis para os fãs deste tipo de conteúdo, como por exemplo, o Tigre Branco, que é simplesmente o primeiro super-herói porto-riquenho dos quadrinhos, uma óbvia menção à descendência do quadrinista.

Atrevido, George mesmo vivendo um dos maiores auges de sua carreira na Marvel, decidiu assinar contrato com a grande rival da empresa, a DC Comics, em 1980. Lá, ele foi o responsável por criar a ilustração de nada mais nada menos que a Liga da Justiça das Américas, e o sucesso foi tão grande que a parceria com a DC seguiu por mais 4 anos. Foi nesse período, aliás, que ele esteve envolvido nos projetos Mulher-Maravilha e Superman. Em 1991, Perez desenhou Guerra dos Deuses, para a Marvel e ainda ficou responsável por criar as ilustrações para 6 edições de Desafio Infinito.  

M´a fase

Mas o que poderia ter sido mais uma fase repleta de sucesso, acabou se tornando um dos momentos mais difíceis e estressantes para o artista, que pela primeira vez em sua carreira, não conseguiu concluir uma história e optou por se retirar do projeto.

Infelizmente, após esse triste episódio, a reputação de George ficou abalada. Ele passou a ser visto como um profissional que não conseguia cumprir com seus contratos. Por esse motivo, acabou afastado das grandes produtoras de HQ, e experimentou um período trabalhando com editoras pequenas e independentes.

Porém, como o gênio que era, a lenda ainda conseguiu produzir belos trabalhos para as novas histórias do Hulk, Jovens Titãs e o Surfista Prateado. Com o tempo, no entanto, o quadrinista tomou a decisão de se afastar da mídia.

Porém, como uma verdadeira Fênix, assim que tomou a decisão de voltar ao trabalho, George voltou a fazer parte da equipe de criação da série Os Vingadores e durante três anos, arrancou diversos elogios da mídia, da crítica especializada e do público, que exaltou mais uma vez as criações impecáveis do americano.

E após ótimas passagens por mais duas editoras recém-lançadas (Gorilla Comics e CrossGen), ele voltou a ser recontratado pela DC, onde permaneceu até 2011 e acabou saindo por divergências criativas com os demais membros da equipe.

Entre os anos de 2014 e 2016, Perez deleitou seus fãs com uma das maiores criações de sua vida: a Sirens. Uma minissérie-científica, em quadrinhos, claro, que mostrava um grupo de mulheres superpoderosas, em uma luta contra o mal. Revolucionário, além de ilustrar, ele também foi o responsável por escrever essa magnífica história.

O artista já debilitado pela doença. Foto: divulgação.

Aposentadoria

Mas após mais de 42 anos de carreira e com uma das maiores contribuições e legados do mundo dos quadrinhos, em 2019, George anunciou que estava se aposentando devido à problemas de saúde, não divulgados na época. Mesmo doente, ele chegou a participar de diversos eventos dedicados ao HQ, até que em dezembro de 2021, o artista confirmou o diagnóstico de câncer de pâncreas em estágio avançado e uma expectativa de apenas seis meses de vida. E no último dia 06 de maio de 2022, o artista faleceu em casa, ao lado de sua família.

Responsável por dar formas, cores e vidas à personagens tão icônicos, o lendário George Pérez deixou este mundo de forma pacífica e segundo amigos próximos, carregando uma grande alegria por ter feito parte da vida de milhares de pessoas da comunidade Nerd.

Andie Carolina é graduada em Publicidade e Propaganda. E, apaixonada por música, séries, televisão e cinema. Instagram: @AndieCarolinaP