Aquaviário em Vitória


A obra  contará com quatro terminais ao longo da baía de Vitória

Júlia Vitória

Nesta terça-feira, dia 12, o governador do Espírito Santo por  meio da Semob (Secretaria de Mobilidade Urbana e Infraestrutura) divulgou o edital para contratação de empresas para a construção dos pontos de paradas do novo aquaviário de Vitória. A obra custará mais de 6 bilhões de reais segundo a publicação e prevê a construção de quatro terminais ao longo da baía de Vitória. A abertura da sessão da licitação começa dia 11 de fevereiro às 14 h. 

Nas redes sociais, o governador do estado Renato Casagrande falou que os terminais de passageiros estão previstos para serem construídos na Prainha localizada em  Vila Velha, na Praça do papa e no centro de Vitória também será construído em Porto de Santana no Município de Cariacica. Na postagem o governador destacou que esse é um passo importante para retomar um modelo de transporte. O novo aquaviário terá ar condicionado e sistema wi-fi, também terá  um local para as bicicletas, porém o valor será mais caro do que o ônibus transcol. 

As embarcações terão cerca de cem a cento e cinquenta lugares e os terminais contará com sala de espera que os passageiros irão esperar o embarque e para acessar os barcos terá uma ponte que será coberta como abrigo quando chover. A embarcação vai ter sistema interligado com o transcol, ainda não se sabe como irá funcionar, contudo já se sabe que o valor da passagem será mais caro devido o custo de manutenção ser maior que a dos ônibus. A previsão de entrega dos terminais é para novembro de dois mil e vinte e um.

As balsas do sistema começaram a ser utilizadas no estado em 1978, circulou no sistema mais de 400 mil pessoas no mês e tinha os terminais de embarque no centro da capital e em Paul e na Prainha que fica em Vila Velha, contudo por causa do alto custo de de manutenção em 1998, o sistema parou de funcionar e os terminais aquaviários foram desativados. 

Usar a voz para imaginar novos mundos


Julia Vitória

O movimento da literatura indígena vem aumentando desde os anos 90, contudo já existia antes, é um movimento que traz de exemplo a luta pela disseminação do conhecimento e movimento antirrracista. Neste projeto, escritores e pesquisadores usam as vozes para desenhar novos mundos possíveis, fazendo uma ponte de nossas lutas do dia a dia com o espaço para aprendermos novas coisas. 

Fernanda Vieira é uma lutadora de  origem indígena, mas se considera mestiça por ter raízes em Aracaju e subúrbio carioca. Pesquisadora e escritora, ela criou um site onde as literaturas e culturas indígenas que ela está pesquisando ganham espaço. Fazendo doutorado a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), levou as literaturas daqui para pesquisa e conhecimento das causas ativistas.

A pesquisadora faz parte de um movimento maior que está por toda a América, o nome é de origem do povo kuna, que teve origem na Colômbia Abya Yala. Abya Yala, mas para nós significa  “Terra em florescimento” e/ou “Terra madura”. Essa nomeação é utilizada por aliados e ativistas indígenas o nome é para se referir ao nosso continente que tem o nome de América dado pelos invasores segundo eles.

O movimento está ocupando telas, universidades e centros de culturas ocidentais, local onde reconstroem novos entendimentos do mundo e compartilham de saberes. Os perfis nas redes sociais de intelectuais, ativistas e artistas indígenas são diversos, para ajudar em suas lutas. O sistema de mundo hoje faz com que as vozes negras e indígenas fiquem à margem da sociedade, a tentativa de calar foi em vão. A literatura dá o espaço para pensar no cotidiano, reinventar a história, encarar os traumas e dá uma visão de mundo bem diferente. 

À luta antirracista é afro-indígena e a aldeia-quilombo se alarga quando ocupa um espaço na construção do saber. A ancestralidade é bem importante e ela alto, este é o tempos se buscar força e  seguir o caminho dos antepassados para tentar construir um mundo melhor tempo de aumentar as forças para transformar este mundo.  

MEC abre inscrições para o ProUni no Espírito Santo


Mais de 4 mil estudantes podem conseguir bolsa em faculdades através do Prouni eles têm até sexta para se inscreverem

Júlia Vitória

As inscrições para quem quer participar do Programa Universidade Para Todos (Prouni). Começam nesta terça feira dia doze até dia quinze de janeiro sexta feira, só no Espírito Santo são mais de quatro mil vagas a serem concorridas sendo 1.917 bolsas integrais e 2.669 bolsas parciais em faculdades particulares. De acordo com o MEC, as instituições particulares que participam do programa irão  oferecer 162.022 divididas entre integrais e parciais.

As relações das instituições com os cursos oferecidos estão na página do programa, através do site também é possível pesquisar mais sobre a bolsa, cidades que são oferecidos os cursos e se são parciais ou integrais.

Para conseguir a bolsa completa o estudante precisa comprovar sua renda familiar mensal que não pode passar de 1,5 salário mínimo por pessoa. Já para a bolsa parcial não pode passar de 3 salários mínimos por pessoa. O candidato também tem que ter feito o Enem não ter zerado a redação e ter alcançado média de no mínimo quatrocentos e cinquenta pontos.

Além disso, o interessado deve ter completado o ensino médio em escola pública ou ter sido bolsista integral em escola privada. Professores também podem disputar a bolsa, mas neste caso o limite de renda não é exigido. Como este ano o Enem 2020 ter a o resultado oficial somente depois das inscrições, os confinados irão usar a nota da prova de 2019. As provas irão acontecer dia dezessete e vinte e quatro de janeiro na versão impressa, já a versão digital será aplicada nos dias trinta e Um de janeiro e sete de fevereiro. Algumas entidades no entanto como a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), pediram o adiamento da prova em virtude da covid 19.

O resultado da primeira chamada do ProUni será divulgada este mês dia dezenove de janeiro, o programa ainda oferece mais duas chances ao candidato que é a segunda chamada e lista de espera. O cronograma completo também pode ser visto na página do programa.

Obra-prima da Amazônia: Belém do Pará completa 405 anos sendo uma cidade única e diversa


Culinária, diversidade cultural e natureza são destaques da capital

Thais Paim

Há quem diga que a paixão pela terra de origem indígena começa à primeira vista, com todas as cores, sabores e até mesmo o seu clima particular. Sendo uma das cidades mais antigas do Brasil, Belém do Pará completa 405 anos nesta terça-feira (12), com muitas histórias, tradições e uma natureza exuberante. 

Histórico da cidade

Conhecida pela alegria do seu povo, é preciso voltar muitos anos na história para compreender um pouco mais sobre a capital do Pará e suas particularidades. Anteriormente ocupada pelo povo tupinambá, foi em 1616 que Francisco Caldeira Castelo Branco, com medo de que outros estrangeiros da Europa pudessem acabar invadindo a região Norte do país, decidiu fundar o Forte do Castelo do Senhor Santo Cristo do Presépio de Belém.

Foi a partir dessa fortificação que a cidade começou a se desenvolver e acabou se tornando a primeira capital da Amazônia, sendo que a intenção inicial era apenas de proteger o Rio Amazonas de possíveis invasões. Um fato curioso sobre esse período é que Belém do Pará, no século XVIII, estava sendo preparada para receber a corte de Portugal, mas eles acabaram optando por se fixar no Rio de Janeiro. 

Mercado Ver-o-Peso - Belém

Mercado Ver-o-Peso Foto: William Costa 

Terras sem igual 

Se você busca conhecer mais sobre as origens do Brasil, sem dúvidas a capital é uma parada obrigatória. Não só por ser conhecida como uma das mais exóticas do país, mas por toda riqueza encontrada em seu território. 

Um dos primeiros pontos de destaque é o clima, definido por muitos como imprevisível. Conhecida por alternações de chuvas e sol forte, o calor intenso e ventos se misturam no cotidiano do município. 

Para quem procura novas experiências e percepções, Belém do Pará parece ser o destino certo.  E nada mais especial para começar a desbravar o desconhecido, do que ter bons anfitriões. Nesse quesito, os paraenses se destacam e são conhecidos pela grande hospitalidade e alegria com que tratam os visitantes. 

Culinária 

Claro que não poderíamos falar de pontos fortes da capital sem mencionar a culinária tão característica e famosa de Belém. Diversos são os exemplos que comprovam e exemplificam a grande riqueza dessa terra, o prêmio da “Cidade da Gastronomia” entregue pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) é um exemplo disso. 

Considerado o maior mercado a céu-aberto da América Latina, o Ver-o-Peso existe desde 1625 e representa muito mais do que apenas um comércio e entrega uma imersão cultural a quem se permite. Sendo um dos principais cartões-postais da cidade, é uma parada obrigatória para aqueles que desejam conhecer tudo que Belém do Pará tem para oferecer. 

Com estrutura trazida da Inglaterra no século 19, o Mercado Ver-o-Peso abre das 6h às 14h, mas a feira livre, ao lado, acontece o dia inteiro

Mercado Ver-o-Peso Foto: Dorival Moreira

Nele, podem ser encontrados todos os ingredientes típicos da região, jambu, mandioca brava, surubim, filhote, curimata, açaí e tantos outros. Para além dos alimentos, também é possível encontrar diversas benzedeiras, conhecidas por suas loções e banho de ervas para curar todo tipo de mal. 

Muito mais do que o açaí, Belém possui uma infinidade de sabores exóticos e experiências culinárias únicas. Maniçoba, filhote no tucupi, vatapá paraense (comida muito popular no Nordeste) são pratos de destaque e com grande excentricidade no sabor. Nas frutas, o bacuri pode ser diferente de tudo que você já experimentou. Além dele, uxi, pupunha, buriti e tucumã também estão nessa lista. 

Pontos turísticos 

A união de belezas naturais e também construções históricas é marca registrada da capital. Localizada as margens do rio Guamá, representa uma das principais portas de entrada para a floresta amazônica. 

O Parque Estadual Utinga é o destino ideal para quem deseja conhecer fauna e flora da região. Sendo considerado uma das mais importantes reservas ecológicas de Belém do Pará, encanta pela sua beleza natural e conta com diversos espaços e atrações 

Parque do Utinga terá programação especial em julho - Crédito: Agência Belém

Parque Estadual Utinga  Foto: Agência Belém 

Já o mar de água doce, Outeiro, representa um encanto a parte para aqueles que querem desfrutar da natureza exuberante dessa região. Bastante procuradas pelos turistas, as praias do Amor, Brasília e a Praia Grande são destaques entre os visitantes. 

Praia Amor (Agua Boa) (Belém) - ATUALIZADO 2021 O que saber antes de ir -  Sobre o que as pessoas estão falando - Tripadvisor

Praia do amor Foto: Reprodução da internet

Quem busca um pouco de descanso, mas sem abrir mão de contemplar uma bela vista, a Estação das Docas pode ser a escolha certa. O espaço mistura gastronomia, cultura e moda. Além disso, é possível apreciar a orla fluvial, o que traz um toque especial para essa experiência. 

Não poderíamos também deixar de falar do Centro Histórico, composto pelos bairros Campina e Cidade Velha. Diversos passeios podem ser feitos para desbravar as peculiaridades desse local que conta com o Theatro da Paz e Basílica de Nossa Senhora de Nazaré como referências, não só no município, como no estado. 

Para aqueles que amam arte, a Casa das Onze Janelas, que foi um dia uma casa de senhor de engenho, foi reformada e se tornou um charmoso espaço com exposições de grandes artistas, pode tornar ainda mais particular a visita aos pontos turísticos. 

Um amor por Belém

Despertando a paixão daqueles que visitam e descobrem seus encantos, Belém do Pará é considerada por muitos uma cidade ainda não descoberta pelo Brasil. O motivo? A falta de reconhecimento mais amplo pelas riquezas existentes nesse território que já encantou e roubou o coração de muitos.

O famoso escritor, Mário de Andrade se declarou para a cidade ao dizer: “Quero Belém como se quer um amor. É inconcebível o amor que Belém despertou em mim”. 

Seja pela culinária exótica, a cultura diversa e intensa que se espalhou pelo país com grandes sucessos, pela natureza exuberante na qual ela faz parte e também está envolta ou simplesmente pelo sentimento acolhedor transpassado pelos moradores da capital, Belém tem cada vez mais se mostrado como um destino a ser vivenciado. 

Em momento de Pandemia e fim de auxílio, taxação sobre grandes riquezas entra em debate no congresso


Paulo Guedes e a Receita Federal são contra o posicionamento

André Lucas

Propostas para criar um imposto sobre grande fortuna ganha espaço no congresso. A Receita Federal apresentou críticas sobre a ideia, o novo imposto é defendido por parlamentares, porém sofre rejeição do Ministro da economia, Paulo Guedes. 

 Em documento apresentado a Receita Federal não descarta a possibilidade de debater o. O assunto no futuro, mas leva em consideração que existem medidas mais eficaz como por exemplo,  acabar com os programas de refis( parcelamentos com juros muito baixos), taxar a redistribuição de lucros e dividendos e mudar a tributação de capitais. 

O governo diz que a dificuldades de estabelecer critérios para fortunas, como mensurar as riquezas, o património de cada um. Como por exemplo obras de arte e direitos autorais. 

Para a receita o sistema pode ser burlado facilmente, transferido parte do património para fora do país, ou dividindo o património com outras pessoas, uma pessoa pode fugir facilmente da taxação. 

O fisco ainda afirma que a taxação já foi decretada em outros países, e depois foi abandonado. 

Guedes tem o mesmo posicionamento em relação ao debate. 

“ esse tributo poderia gerar fuga de investidores. Isso formaria o capital a ir para países onde não tem taxação, reduzindo as oportunidades de negócios e empregos. 

No ano passado a Argentina aprovou um dispositivo de taxação de grande riquezas que ficou conhecido como impostos sobre grandes riquezas. O dispositivo recolhe tributos de 12 mil pessoas, que tem um renda acima de o equivalente a 12 milhões de reais. 

Visto como uma potencial fonte de arrecadação para o país, o imposto sobre grandes fortunas (IGF) é tema de quatro projetos em tramitação no Senado. Dois deles foram apresentados após o início da pandemia do novo coronavírus — e citam essa calamidade sanitária como motivo de suas medidas. 

Segundo a constituição, o imposto desse tipo, só passa a valer um ano depois de ser posto em prática, o que faz com que mesmo se o dispositivo fosse aprovado durante a pandemia , não teria como recolher recursos imediatos para o combate a covid 19 através desse imposto. Parlamentares defendem que mesmo assim os recursos recolhidos seriam usado para reduzir os impactos sociais pós pandemia. 

O imposto sobre grandes fortunas está previsto na Constituição Federal desde sua promulgação, mas necessita de uma lei que o implemente, algo que nunca foi feito.

Argumentos contra e a favor. 

 O principal ponto contra o IGF trata-se da fuga de capitais. A fuga de capital ocorre quando as pessoas residentes de um país levam seu capital para outro país, ou seja, levam suas fábricas ou aplicam seu dinheiro no exterior. Um dos motivos pelos quais pode ocorrer essa fuga é por conta do pagamento de impostos, pois os proprietários de ativos buscam minimizar os pagamentos para o governo. Além dessa razão, a fuga de capital também pode ser ocasionada por cenários de instabilidade política e desvalorização cambial. Outra crítica ao imposto sobre grandes fortunas é o fato de ser uma medida intervencionista, ou seja, uma interferência governamental na economia do país. 

O economista Pedro Humberto refuta o argumento de fuga do capital e explica os benefícios que o imposto pode trazer a sociedade. “O imposto sobre grandes fortunas como instrumento de redução das desigualdades sociais e regionais, o IGF é um instrumento indispensável e capaz de realizar justiça tributária e social no Brasil, além de ser um imposto que a arrecadação poderia ser aplicada em saúde, educação, infraestrutura básica, programas de incentivo ao emprego e políticas de combate à pobreza, garantindo direitos fundamentais de sobrevivência aos brasileiros.” 

Covas fala sobre pressão que o estado de SP faz sobre o Governo Federal


Diretor do Butantã faz criticas ao ministério da saúde, de Pazuello

André Lucas

O diretor do Butantan disse hoje que o plano de vacinação para o estado de São Paulo colocou pressão no ministério da saúde para apresentar logo um plano nacional de imunização. 

“Essas idas e vindas, de fato, não são favoráveis ao momento que estamos vivendo e isso se refletiu em outras áreas, como o programa nacional de imunização, que não tinha definido a logística de tudo isso. É uma atuação um pouco vicariante e responsiva à pressão que foi colocada pelo programa de vacinação, que levou boa parte dos estados e municípios a buscar o Butantan pela vacina. Exerceu uma pressão muito grande”. Disse Dimas Covas em uma entrevista ao jornal UOL. 

Dimas explicou que o Butantã trabalha para acelerar a vacina. “O quanto antes começarmos, teremos o efeito clínico, diminuições de assistência médica, que é o que precisamos que aconteça neste momento. Esse vai e vem que aconteceu em relação à vacina foi muito complicado. O Butantan é o maior fornecedor de vacina para o Ministério da Saúde, só a da gripe, oferecemos 80 milhões de doses ao ano. É o maior do mundo em vacinação da gripe. Com essa, esperávamos que fosse a mesma coisa”, afirmou.

No sábado, o ministério da saúde anunciou que toda a vacina que o Butantan produz será adquirida pelo governo federal, e distribuída exclusivamente pelo SUS.  

Dimas falou sobre isso. “Todos os estados que entraram em contato com o governo de São Paulo para obter doses da Corona Vac assinaram “documentos de intenção, que virariam contrato, não havendo incorporação da vacina ao programa nacional”. Uma vez que o Ministério da Saúde se responsabiliza pela distribuição, esses acordos são extintos e a responsabilidade passa a ser Federal. Temos contratos com Argentina, Peru, Bolívia, Uruguai, enfim, vários em andamento e vamos cumprir com um esforço enorme e fornecer a todos as doses para que possam reforçar os programas de imunização.”  

O instituto Butantã apresentou resultados de 78% de casos leves e 100% de casos graves, sendo assim uma das mais promissoras vacinas contra o Covid 19.  

O Instituto fez o pedido do uso emergencial nesta sexta-feira, a Anvisa, no mesmo dia a Fiocruz também pediu para a vacina da Oxford , no sábado a Anvisa anunciou que aceitou o pedido da Fiocruz, já o da corona vac a agência pediu mais informações. 

De acordo com um quadro apresentado no sábado pela Anvisa, os resultados dos testes não foram aceitos, “os resultados da análise interna de desfecho primário do estudo clínico de fase 3″, que provam eficácia acima de 50%. De acordo com o Butantan, o imunizante apresentou 78% de eficácia nos testes.   

A falta de informações foi avisada ao instituto Butantã, que só poderá ter sua vacina aprovada quando apresentar todos os documentos faltantes. 

“A submissão dos documentos técnicos previstos é condição necessária para viabilizar a avaliação, conclusão e a deliberação sobre a autorização de uso emergencial das vacinas. O grau de confiança nos resultados gerados por um estudo clínico, também chamado de validade interna, deve ser avaliado por uma autoridade sanitária para permitir concluir pela eficácia e segurança de uma vacina experimental”.

Bolsonaro veta a lei do Profut


Clubes não poderão mais financiar suas dívidas através do governo

André Lucas

O presidente Jair Bolsonaro, a pedido do Ministério da Economia e do Ministério da Cidadania, vetou a suspensão das parcelas dos pagamentos do Profut. Em despacho para o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, Bolsonaro explicou que os vetos ocorreram por contrariedade ao interesse público e inconstitucionalidade. 

O Profut é a lei de responsabilidade no Futebol, que foi aprovada na Câmara em 2015. O objetivo da lei é parcelar as dívidas dos clubes a juros baixos, em troca de comprometimento em não atrasar o salário, investir no futebol feminino, entre outras coisas. 

O projeto desafogou muitos clubes brasileiros com problemas financeiros, principalmente nessa temporada sem receita de bilheteria, o único clube grande que não aderiu o projeto em suas contas, foi o Palmeiras.

Traduzindo de forma mais clara, o veto de Bolsonaro obriga os clubes a pagar suas dívidas durante a pandemia, no caso do projeto de lei do deputado federal Hélio Leite (DEM-PA), seria acrescido ao saldo devedor final do financiamento. 

Isso porque o governo chegou a conclusão que o recurso era um problema para as contas públicas, ainda mais em momento de pandemia. 

No despacho enviado ao congresso, o governo federal explicou o motivo do veto, a falta de estudo sobre o impacto orçamentário como está previsto em lei. 

“Apesar de meritória a intenção do legislador ao conceder o benefício fiscal, os dispositivos encontram óbice jurídico por não apresentarem a estimativa do respectivo impacto orçamentário e financeiro, em violação às regras do art. 113 do ADCT e a Lei de Diretrizes Orçamentárias. Por fim, a implementação da medida causa impacto no período posterior ao da calamidade pública, conforme estabelecido no Decreto Legislativo nº 6, de 2020, sendo necessária a apresentação de medida compensatória exigida pela Lei de Diretrizes Orçamentárias”.  

Além do ministério da economia, o da cidadania também participou do veto. Ministério esse que possui sob seu comando o Apfut (Autoridade Pública de Governança do Futebol), que tem como função fiscalizar se as associações desportivas estão cumprindo as contrapartidas para terem acesso aos juros mais baixos do parcelamento do Profut. Houve também parecer favorável da Advocacia-Geral da União. 

No meio do ano passado, o presidente Bolsonaro, aumentou em 5 até meses o prazo de pagamento das parcelas do Profut (esta ação é independente do projeto de lei elaborado pelo Congresso) dos meses de Maio, Junho e Julho. 

Outro termo importante que foi vetado junto com o Profut, foi o artigo que previa o não recolhimento de contribuições do FGTS e da previdência, durante o período de calamidade pública, e 180 dias depois que ela acabar. 

O governo federal explicou na nota o motivo de vetar o artigo. 

“A proposta, ao pretender regular fatos pretéritos, além de ensejar conduta que estimula o não pagamento do FGTS e de contribuições previdenciárias, gera insegurança jurídica ao possibilitar a revisão de atos e relações jurídicas já consolidadas em potencial ofensa à garantia constitucional do direito adquirido e do ato jurídico perfeito previstos no inciso XXXVI, do art. 5º, da Constituição da República.” 

Bolsonaro deixou na lei promulgada o artigo que permite aos clubes fazerem contratos menores com os atletas, de apenas 30 dias, e também que tenham um prazo de até sete meses para publicar os balanços patrimoniais. Somente sobre o período de calamidade pública causado pela pandemia.

Tradicional festa do Senhor do Bonfim sofre alterações este ano; veja programação


Mesmo com a pandemia, os festejos foram mantidos, mas com adaptações

Thais Paim

A pandemia do novo coronavírus provocou mudanças ou adiamento de diversos eventos, desde o seu início em março de 2020. Neste mês de janeiro, a tradicional festa religiosa na Basílica Santuário Senhor Bom Jesus do Bonfim precisou sofrer alterações para acontecer. 

Aos devotos, a boa notícia é que todas as celebrações estão sendo transmitidas através do canal do Youtube e demais redes sociais (Facebook e Instagram) do Santuário. Celebrações foram iniciadas na última sexta-feira (8) e vão até o dia 17 de janeiro.

O local para receber os fiéis que desejem visitar para acompanhar as cerimônias também foi adaptado pela Basílica.  Para participar presencialmente, o uso de máscara é obrigatório e haverá aferição de temperatura e uso de álcool em gel.

Além disso, restrições como limite de pessoas que poderão entrar na igreja e acesso por ordem de chegada também foram adotadas. 

A celebração desse ano traz o tema “Senhor do Bonfim, abraçar a Sua cruz fortalece a fé, liberta do medo e renova a nossa esperança” e o lema: “Tende coragem! Eu venci o mundo!” (Jo16,33).

Sobre o tema desse ano, o reitor da Basílica Santuário, padre Edson Menezes da Silva, afirmou que “o momento exige renúncias, sacrifícios e criatividade para não deixar de fazer aquilo que se faz”. 

Peregrinação em carro aberto

A Procissão dos Três Pedidos não será realizada este ano. Por isso, o padre recomenda que os fiéis escolham um dia e horário adequados para realizar as três voltas em torno Basílica e fazer os seus pedidos e agradecimentos.

Como mudanças precisaram ser adotadas, a imagem peregrina do Senhor do Bonfim vai sair da Matriz da Paróquia Nossa Senhora da Vitória em carro aberto rumo à Colina Sagrada, seguindo o mesmo percurso do cortejo da lavagem. Após a chegada da imagem, no interior da Basílica, o padre Edson concederá a bênção através das redes sociais e dos meios de comunicação sociais presentes.

Confira abaixo a programação completa: 

11.01.21 – Segunda-feira

16h – Adoração ao Santíssimo Sacramento (Pedindo pela contenção da 2ª onda pandemia da COVID-19). Responsáveis: Vicentinos

19h – 4ª noite da novena

Homenagem aos familiares dos que morreram de Covid 19 e familiares dos trabalhadores dos cemitérios.

Subtema: Confiando na proteção do Senhor do Bonfim, prosseguiremos acreditando na vida eterna e na ressurreição dos mortos (Jo 11,20-27)

12.01.21 – Terça-feira

16h – Adoração ao Santíssimo Sacramento (Pedindo pela contenção da 2ª onda pandemia da COVID-19). Responsáveis: Ministros Extraordinários da Comunhão

19h – 5ª noite da novena

Homenagem aos trabalhadores da área de comunicação

Subtema: Confiando na proteção do Senhor do Bonfim, prosseguiremos protegendo, preservando e defendendo a vida (Jo 10,10-11).

13.01.21 – Quarta-feira

16h – Adoração ao Santíssimo Sacramento (Pedindo pela contenção da 2ª onda pandemia da COVID-19). Responsáveis:* Apostolado da Oração

19h – 6ª noite da novena

Subtema: Confiando na proteção do Senhor do Bonfim, prosseguiremos cultivando o ânimo e a coragem (Jo 16,32-33).

Homenagem às pessoas que viveram com seriedade a experiência do distanciamento social em suas residências.

14.01.21 – Quinta-feira

Missas: 7h20 e 17h

Às 8h a imagem peregrina do Senhor do Bonfim sairá da Matriz da Paróquia Nossa Senhora da Vitória (Vitória), em carro aberto, rumo à Colina Sagrada, passando em frente à Basílica Santuário Nossa Senhora da Conceição da Praia (Comércio), seguindo o mesmo percurso do cortejo da lavagem

Após a chegada da imagem, no interior da Basílica, o padre Edson Menezes da Silva transmitirá a tradicional mensagem proferida todos os anos da janela da Basílica e concederá a bênção através das redes sociais e dos canais de televisão presentes.

19h – 7ª noite da novena

Homenagem às pessoas que contraíram a COVID-19 e fizeram a experiência do isolamento social em suas casas.

Subtema: Confiando na proteção do Senhor do Bonfim, prosseguiremos cultivando ânimo e alegria de viver (Jo 16,20-23).

15.01.21 – Sexta-feira

19h – 8ª noite da novena

Homenagem aos profissionais e trabalhadores da área da saúde

Subtema: Confiando na proteção do Senhor do Bonfim, prosseguiremos acreditando no poder da oração e na atuação da ciência (Mt 21,22).

16.01.21 – Sábado

8h às 17h – Drive Thru Solidário para recolher alimentos não perecíveis, material de limpeza e higiene. Local de entrega: Sede do Projeto Bom Samaritano.

19h –  9ª noite da novena

Homenagem aos trabalhadores da área de segurança pública e privada.

Subtema: Confiando na proteção do Senhor do Bonfim, prosseguiremos experimentando a sua infinita misericórdia

DOMINGO – DIA DA FESTA (17.01.2021)

5h –  Alvorada  –  Apenas repique dos sinos (não haverá alvorada por respeito e atenção aos doentes internados nos hospitais próximos à Colina Sagrada). 

Horário das Missas: 5h40, 7h30, 9h, 10h30, 15h e 17h.

10h30min – Missa Solene presidida pelo Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Cardeal Dom Sergio da Rocha, que, ao final da Celebração Eucarística dará a Bênção Apostólica com Indulgência Plenária. 

15h – Saída da imagem peregrina do Senhor do Bonfim, em carro aberto, da Basílica para percorrer as ruas da Cidade Baixa e ser homenageada ao passar pelas portas das Igrejas católicas que compõem a Forania 4, região de Itapagipe (Nossa Senhora da Penha da França, Nossa Senhora da Boa Viagem, Nossa Senhora da Piedade, Nossa Senhora dos Mares e São Jorge).

Conheça a brasileira que tem sido alvo de ataques no ‘BBB da Itália’; torcidas têm se mobilizado


Modelo conquistou simpatia dos brasileiros

Thais Paim

Apesar da distância, uma brasileira do outro lado do Atlântico: Dayane Mello tem ganhado as redes sociais e o gosto dos brasileiros ao ter polêmicas envolvidas com seu nome em um reality show. 

Gran Fratello Vip, espécie de Big Brother da Itália, já levou a brasileira 8 vezes para a berlinda. Mas a perseguição sofrida por ela não está apenas nas indicações. Comentários misóginos e xenofóbicos, também fazem parte da revolta das torcidas brasileiras. 

Recentemente começaram a circular, nas redes sociais, vídeos em que os participantes do reality fazem comentários sobre ela. Em uma ocasião, ao ver a roupa que a brasileira estava vestindo, Francesco Oppini, um dos participantes, disse:

“Em Verona (cidade italiana), ela seria estuprada”, disse. Ao perceber o desconforto do outro brother, ele acrescentou: “Mas no bom sentido”, como se tivesse “bom sentido”.

Esse e outros comentários provocaram uma disputa entre os telespectadores brasileiros e italianos. 

Inconformados com o tratamento dado à modelo, os brasileiros subiram a tag “Dayana Merece Respeito” no Twitter, que se tornou um dos assuntos mais comentados da rede social no Brasil. Foi também esse apoio que resultou em 8 retornos dos paredões do reality. 

Agora, esse apoio parece ter provocado uma briga entre brasileiros e italianos. Revoltados com o fato de que alguns dos seus “queridinhos” foram eliminados, eles prometem revidar a situação. Em uma postagem da Globo sobre o BBB 21 no Twitter, eles ameaçaram sabotar os paredões do programa, previsto para estrear em 25 de janeiro. 

“Brasileiros, viemos para desfazer cada casal”, comentou um italiano. “Estarei com a lista de seus favoritos em mãos, pronto para tirá-los um por um”, publicou outro. 

História cheia de dificuldades 

Mesmo não sendo famosa no Brasil, Dayane Mello já é conhecida entre o público italiano. Antes do Gran Fratello VIP, ela participou de outros quatro reality shows, entre eles o Monte Bianco, versão italiana do Dança dos Famosos, e o Ilha dos Famosos, que lembra o nosso No Limite. 

Durante sua participação no programa, a modelo revelou detalhes sobre sua infância, que ela diz ter sido pobre e marcada pela ausência da mãe. Natural de Joinville, Santa Catarina, ela tem 31 anos e trabalha como modelo desde os 16.

“Minha mãe teve 10 filhos. Morávamos em uma pequena casa com três outros irmãos e ficávamos sem comer por uma semana. Ela era uma prostituta. Vivíamos cheios de piolhos, sujos e magros”, contou ela. 

Além disso, Dayne contou que chegou a roubar supermercados para ter o que comer. “Lembro-me vagamente de que minha mãe vinha uma vez por semana, cada vez com um homem diferente, e nos trazia comida. Depois foi embora”, acrescentou.

Aos 17 anos, ela se mudou para o Chile, onde começou a fazer trabalhos internacionais. Em 2014, ela foi para Milão e desde então já participou de campanhas publicitárias, videoclipes e programas de televisão. Dayane é mãe de Sofia, de seis anos, fruto de seu relacionamento com o também modelo Stefano Sala.

Aviso polêmico do WhatsApp provoca disparada de downloads do Signal


Novos termos de uso do aplicativo desagradaram alguns usuários

Thais Paim

Com o anúncio recente feito pelo WhatsApp sobre seus termos de uso, aplicativos como Signal e Telegram registraram um grande aumento no número de downloads. A polêmica tem provocado uma mudança na utilização dos serviços de mensagens instantâneas. 

O Signal, que lidera ou está muito bem posicionado em rankings tanto em lojas de app para Android quanto para iOS, está aproveitando a fama repentina. Atualmente, ele é considerado como uma das melhores alternativas para quem não deseja ter os dados das conversas compartilhados. 

De acordo com o site Android Police, o Signal lidera a lista de downloads da Google Play Store em diversas regiões, incluindo Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, Líbano e França. O mesmo acontece na App Store, do iPhone.

Já no Brasil, o aplicativo é o segundo colocado na lista de “Principais apps gratuitos” e na categoria “Em Alta” do Android. O Telegram também aparece, mas ocupa uma posição inferior. O Wire, outro mensageiro seguro com foco em utilização corporativa, também tem ganhado certo destaque. 

Sobre as listas, é importante lembrar que as lojas digitais de aplicativos fazem atualizações com frequência e indicam aplicativos com alta taxa de downloads em um determinado período. Por isso, o WhatsApp, já bastante popular, pode não estar tão bem posicionado. 

Qual o motivo? 

O que tornou o Signal popular de forma tão repentina foi o anúncio de que o WhatsApp vai obrigar usuário a compartilhar dados com o Facebook, inclusive bloqueando quem recusar o envio.

A sugestão de uso do mensageiro por celebridades como Elon Musk, ajudou a fazer os downloads do serviço dispararem.