Jardim Botânico do Rio de Janeiro comemora hoje seus 214 anos


O instituto esteve fechado para cumprir regras e medidas de segurança de isolamento social promovidas pelo governo. 

William Gama

Nesta segunda-feira (13), o Jardim Botânico do Rio de Janeiro (JBRJ) completa 214 anos de sua existência. Durante a pandemia, o instituto esteve fechado para cumprir regras e as medidas de segurança de isolamento social, promovidas pelo governo para evitar o contágio por covid-19.

Após as chegadas das vacinas e com a diminuição do número de novos casos da doença, o JBRJ pretende recuperar o público que vinha visitando o centro de pesquisas antes do período da pandemia.

Em março de 2020, o local foi fechado para visitação e foi reaberto em julho do mesmo ano. Porém, diminuiu a frequência do número de transeuntes nos entornos das áreas de lazer do ambiente.

 

Entrada principal do Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Foto: divulgação.

Fundação

Inaugurado em 13 de junho de 1808, o JBRJ foi criado por D. João príncipe regente na época, para abrigar as instalações de uma fábrica de pólvora e um jardim com diferentes espécies de plantas de diferentes partes do mundo.

Em 1995, o parque passou a ser o Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, e está vinculado ao Ministério do Meio Ambiente do governo federal.

O instituto atualmente é uma das referenciais mundiais, em que constitui como um dos centros mais importantes e renomados nessa área. São concentradas as pesquisas relacionadas no campo da botânica e sobre a conservação da biodiversidade no mundo.

 

Número de visitante aumentou

De acordo com as informações apuradas pela Agência Brasil, de janeiro até maio desse ano, o JBRJ recebeu 173,1 mil novos visitantes. Esse resultado mostrou que houve um aumento de 51%, em relação ao número de visitantes nesse período em 2021, que foi cerca de 114,6 mil.

Segundo o centro de pesquisas, esse número está baixo em relação as estatísticas divulgadas em 2019, onde 221,7 mil visitantes estiveram no local antes da pandemia. “Esse número de visitação, que ainda não recuperou o patamar pré-pandemia, se deve muito também ao turista estrangeiro. Antes da pandemia, até cerca de 40% do nosso público era formado por pessoas de fora do país”, afirmou a presidente do JBRJ Ana Lúcia Santoro. 

Em comemorações aos 214 anos do JBRJ, foi inaugurada hoje a trilha das palmeiras, onde os turistas terão o auxílio de mapas e de aplicativos e poderão receber informações sobre o local.

Outra atração que está programada para as comemorações dos 214 anos, são a amostra de uma exposição do caule da primeira palmeira-imperial, que foi plantada no país em torno de 1809. A homenagem foi direcionada ao príncipe regente dom João VI. A planta tinha 39 metros de altura e parte dela foi danificada no ano de 1972, por um raio. Hoje, parte de seu caule foi preservada, e poderão serem vistas por turistas que visitam o local. 

Fontes: Agência Brasil, Gov.br

William Gama é formado em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) e Mestrando em História (UNICAP). Gosta de produzir matérias de diferentes nichos em Mídias e Redes Sociais. Instagram: williamgama.j

Ministério da Cidadania informa que beneficiários do BPC estão cadastrados no Cadastro Único do Governo Federal


Todos os idosos e pessoas com deficiência tiveram seus cadastros atualizados pelo programa.

William Gama

Os beneficiários com deficiência que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC), já estão registrados no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico).

De acordo com o Ministério da Cidadania, no mês de maio 98% desses usuários que são oriundos de famílias de baixa renda foram inseridos no cadastro do governo.

Segundo o ministério, essa atualização foi possível através de uma ação conjunta entre prefeituras e o governo federal, onde todos os idosos e pessoas com deficiência tiveram seus cadastros atualizados pelo programa. 

Os recadastramentos foram realizados pela internet ou presencial, de acordo com a necessidade e a disponibilidade de cada beneficiário. Essa atualização de dados também está sendo realizada em parceria com a Rede Cadastro Único e o Sistema Único de Assistência Social (Suas) dos estados, municípios e em Brasília.

No mês de março, foi lançado o aplicativo do CadÚnico, o que contribuiu nesse processo de atualização e no cadastro de novos usuários. O aplicativo pode ser acessado pelos sistemas Android e iOS de telefones celulares. 

Pelo aplicativo, também pode ser acessado serviços como extratos dos benefícios, consulta do número do Número de Identificação Social (NIS) e localização de agências próximas da residência dos beneficiários. Esses e outros serviços, podem ser acessados pelo aplicativo.

O CadÚnico define quem está apto a receber os benefícios oferecidos pelo governo, onde são 28 benefícios e diversos programas as pessoas em situações de risco, pobreza, extrema pobreza e de vulnerabilidade social. 

Segundo as informações da Agência Brasil, os cidadãos cadastrados têm acesso ao Auxílio Brasil, o Auxílio Gás, a Tarifa Social de Energia Elétrica e ao Programa Casa Verde amarela, são alguns desses benefícios. Ao todo, são 11 benefícios. 

Todos esses estão disponíveis, mas existem algumas regras para que todos possam usufruir deles. É que, cada família será avaliada, e de acordo com a sua situação, será concedida a ajuda do governo. 

As pessoas que estão cadastradas no CadÚnico facilitam a obtenção de quem necessita receber o BPC, pois os seus dados já fazem parte do sistema do banco de dados do governo federal.

O BPC é um tipo de benefício que garante ao assegurado o recebimento de um salário-mínimo mensal a pessoas com idade a partir de 65 anos ou mais. Cidadãos que possuem algum tipo de deficiência, também se encaixam nos critérios para recebimento desse auxílio.

A renda familiar desse individuo, não pode ultrapassar um quarto do salário-mínimo, ou seja, tem que ser igual ou menor do que um quarto desse salário, para ter direito de receber a assistência.

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), fará todo o trâmite de avaliação, através da junta médica do instituto. Todas as pessoas com deficiência que solicitaram o BPC, serão submetidas a esta triagem, para que a partir dos resultados da avaliação sejam consideradas aptas ou inaptas ao direito de receber a concessão do benefício. 

As pessoas que necessitam e ainda não se escreveram no CadÚnico, o responsável da família terá que levar os documentos em uma das agências do INSS de sua cidade. Este procedimento presencial, o cidadão terá que levar o RG, CPF, Certidão de Nascimento ou de Casamento, Carteira de Trabalho ou Título de Eleitor.

Para quem deseja optar em fazer pelo aplicativo, o chefe de família fará um pré-cadastramento. Em seguida, vai agendar um atendimento presencial, com prazo máximo de 120 dias, para concluir o processo de cadastramento na agência do INSS. 

Fonte: Agência Brasil

São João Antecipado de Itapé 2022 terá Cavaleiros do Forró


Marcelo Carvalho

Ouça essa notícia.

Chega de suspense! As atrações do São João Antecipado de Itapé 2022 foram reveladas pela Prefeitura. Entre as atrações estão nomes como, por exemplo, Cavaleiros do Forró, Triângulo Baiano, Vem Com a Tia, Terno e Chinela, Caxangá entre outros.

Veja abaixo a programação

17 de junho (Sexta-feira)

Cavaleiros do Forró

Caxangá

Di Souza

Neto Santana

18 de junho (Sábado)

Xamego a Mais

Triângulo Baiano

Ricardo Reis

Sinho Ferrary

19 de junho (Domingo)

Vem Com a Tia

Xamego a Mais

Terno & Chinela

Lordão

Trecho entre Itapé e Itajú passa por restauração


Marcelo Carvalho

Ouça essa notícia

A restauração do trecho da BA-120, que liga Itapé à Itajú do Colônia, foi iniciada. A obra atende aos anseios dos moradores da Zona Rural da Mirabela, Água Preta, Corcovado, Iscas, Graciosa e demais comunidades.

De acordo com informações da Prefeitura de Itapé, já é possível trafegar normalmente pela BA-120. E, os trabalhos continuam sendo executados pela empresa Terquip Engenharia LTDA.

Itapé: calçamento em ruas destruídas pelas chuvas fortes tem início


Marcelo Carvalho

As obras em ruas danificadas por chuvas fortes, durante as enchentes sofridas no fim do ano de 2021, tiveram início em Itapé e estão a pleno vapor. As informações são da Prefeitura, “demos início à recuperação da Rua Bernardo de Andrade e todas às demais localidades danificadas pelas fortes chuvas”, informa a nota.

Ainda segundo o comunicado, muito em breve ainda aplicados aproximadamente 5km de Asfaltamento, deixando a cidade cada vez mais linda, valorizando as vias públicas, promovendo mais segurança e qualidade de vida à população.

Mais novidades

Ainda estão previstas a seguintes obras:

– Construção de uma escola modelo

– Construção de 40 casas populares

– Construção de 42 banheiros residênciais

– Terraplanagem para Construção do nosso novo Estádio Municipal

– Recuperação do trecho que liga Itapé à comunidades da zona rural

– Operação tapa-buracos em vários pontos da cidade

– Capina e limpeza das margens do trecho Itapé ao Entroncamento

– Limpeza e mutirão nos bairros

Além, é claro, do tão aguardado “São João Antecipado de Itapé”!

Piquenique poético envolve estudantes em cultura, arte e poesia


Brunella França

Uma manhã repleta de cultura, arte, representatividade, muita poesia e troca de experiências. A 10ª oficina de experimentação poética, do projeto “Poetizando nos Parques de Vitória”‘, realizada na manhã da última quinta-feira (09), foi um sucesso com os estudantes do 6º e 8º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Neusa Nunes Gonçalves, que fica em Nova Palestina.

O local escolhido para o “piquenique poético” foi o parque Pedra da Cebola. Logo ao chegar, os estudantes deram uma volta no parque, trabalhando a observação e as percepções de cada um, para entrar no clima de toda a experiência poética do dia. Enquanto isso, as professoras Rosemere Resende, Brenda Soares e a bibliotecária Meg Deptulsqui preparavam o cenário do projeto “Nascer poesia”.

O objetivo das oficinas de escrita criativa e poesia é promover a reflexão por meio da arte da palavra, buscando trabalhar a construção de projetos de vida saudáveis, resgatando a autoestima e a identidade dos estudantes. É o que explica o poeta, professor e educador cultural Diego Cavaleiro, que trabalhou ativamente em parceria com a escola para possibilitar o projeto.

“Toda expressão artística é poesia, é sentimento. Esse movimento é muito significativo, talvez hoje a maioria deles ainda não tenha a dimensão do que tem sido essas oficinas e esse trabalho, mas tenho certeza que lá na frente eles vão conseguir elaborar esse sentimento do que estamos vivendo, e que a experiência será um elemento transformador na vida deles, como foi na minha”, disse.

Galeria a céu aberto

A fotógrafa documental Ana Luzes também marcou presença trazendo uma galeria a céu aberto, que foi exposta em varais entre duas árvores do parque, com uma coleção de várias fotos autorais que encantaram estudantes, professores e convidados.

“Eu acho que mais do que uma ação educativa, esse movimento foi um impulsionador de sonhos. Trazendo a arte e um pouco da nossa vivência, acredito que ajudamos os estudantes a pensar no seu futuro e principalmente na forma de se expressar. Temos aqui diferentes linguagens, poesia escrita, falada, pintura, fotografia, isso tudo multiplica as possibilidades e as formas de se expressar”, disse a fotógrafa.

Estudantes da Emef Neusa Nunes Gonçalves prestigiam exposição da fotógrafa Ana Luzes.

Poesia falada e rima

Já confortáveis na grama do parque sob a sombra da vegetação rupestre nativa do local, os estudantes viram uma apresentação dos artistas Santz, Do Carmo e Ed Nigga, que fazem parte do coletivo “Slam Marielle”. Eles fizeram uma demonstração de poesia falada e rima improvisada que cativou os estudantes e ainda trabalhou conceitos de ritmo, rima e poesia.

O estudante Pedro Polese, do 8º ano, aproveitou a oportunidade ao máximo. “Para mim foi muito especial, o que mais gostei hoje. Acompanho freestyle e poesia falada no meu tempo livre em casa, sempre que posso. Gosto de me expressar em rimas, porque aí posso falar de amor, de diversos temas”, disse.

Como o projeto trabalha com as variadas formas de expressão e poesia, o designer gráfico e ilustrador Fel Vint2 foi convidado para trazer um pouco de sua vivência e talento na arte. Inclusive, enquanto as atividades aconteciam, o artista produzia uma pintura em tela, ao ar livre, com o objetivo de representar em arte um pouco do movimento poético.

“Acredito que a arte liberta, ela dá vida. Por isso fiz essa pintura, que traz um arco íris saindo da boca de uma pessoa, que representa os estudantes, pois creio que depois de tudo que vivenciamos aqui, eles espalharão vida, amor, conhecimento e coisas positivas. Foi um momento especial para todos nós aqui e acredito que pode ser transformador na vida deles também”, disse o artista.

Estudantes da Emef Neusa Nunes Gonçalves durante o evento.

Vivenciando a poesia

Os estudantes do 8º ano finalizaram o piquenique poético com uma bela apresentação, declamando poemas de sua autoria e de autores consagrados da literatura brasileira. A estudante Nicolle Guedes, por exemplo, criou um poema em homenagem à irmã, que segundo ela é uma inspiração para sua vida.

“Sorrindo de um lado para o outro,
Querendo viver uma verdade,
Querendo mudar o meu rumo,
Antes que fosse tarde,
Mas depois que te encontrei,
Comecei a amar de verdade
Um sentimento tão puro,
Que a base é a Honestidade”, diz um trecho do poema.

O que os artistas convidados têm em comum é o fato de que, por meio da arte, todos ressignificam o território onde moram, possibilitando um novo olhar sobre a comunidade, ao mesmo tempo em que trabalham o resgate dos valores humanos e da importância dos sonhos.

“O movimento de trabalhar a poesia em si trabalha a escrita, a percepção artística, a criatividade. Além disso, traz uma reflexão sobre a maneira que se enxergam como estudantes, da Grande São Pedro, da cidade da Vitória. Trazer eles a esses parques faz com que eles se sintam pertencentes dos espaços públicos da cidade. A poesia não é apenas o escrito, é o falado, é a pintura, é a fotografia, acho que isso abre o horizonte deles como estudantes e traz novas possibilidades e experiências”, disse a professora Brenda Soares.

Cordel do Fogo Encantado anuncia turnê nacional


Marcelo Carvalho

A espera chegou ao fim! O Grupo Cordel do Fogo Encantado com sua formação original anuncia sua nova turnê! O lendário grupo pernambucano vai cair na estrada e rodar o Brasil com o espetáculo Água do Tempo. A estreia acontece neste final de semana, em São Paulo, com três apresentações no Sesc Vila Mariana.

Água do Tempo narra a brilhante trajetória criativa do Cordel do Fogo Encantado, celebrando suas principais entidades referenciais e evocando seus fundamentos artísticos ligados à poesia, literatura e teatro.

O espetáculo foi cuidadosamente produzido para encantar tanto aqueles que acompanham o grupo desde o inovador disco de estreia, lançado em 2001, como a geração da era do streaming, que terá a oportunidade de assisti-los pela primeira vez ao vivo. “Estamos todos ligados pela água e pelo tempo. É com esse conceito de vitalidade, fertilidade, renascimento, transformação, florescimento, memória e testemunho que vamos para essa nova turnê” – comenta Lirinha.

 

Grupo pernambucano Cordel do Fogo Encantado. Fotos: Fred Jordão

Lirinha (voz e pandeiro), Clayton Barros (voz e violão), Emerson Calado (percussão e voz), Nego Henrique (percussão e voz), Rafa Almeida (percussão e voz) farão um apanhado dos momentos mais marcantes da carreira e também apresentarão coisas novas.

O setlist contém pérolas como “Boi Luzeiro (ou a Pega de Violento, Vaidoso e Avoador)” (Clayton Barros/ José Paes Lira), “Nossa Senhora da Paz (ou o Trapézio do Sonho)” (José Paes Lira), “Na Estrada (ou Quando Encontrei Dean Pela Primeira Vez)” (Clayton Barros/ José Paes Lira/ Rafael Almeida) e “Chover (ou Invocação para um Dia Líquido)” (Clayton Barros/ José Paes Lira), além de uma linda versão para o clássico “Cio da Terra” (Chico Buarque/ Milton Nascimento).

Poesias inéditas, novos textos e um número instrumental de tirar o fôlego também fazem parte do show. E a banda ainda vai contar com a participação especial da cantora Gabi da Pele Preta.

“É o momento de olhar para nossa obra de uma outra maneira. Reprocessar o que criamos e extrair novas sensações. Criar um novo show induz a novos temas, arranjos, poesias e interpretações. Água do Tempo rebusca nossa ancestralidade em diálogo com o horizonte artístico que enxergamos” – declara Clayton Barros.

Depois de São Paulo, a turnê segue para Altinópolis – SP (17/06), Florianópolis – SC (18/06) e Arcoverde – PE (23/06). A agenda completa com todas as datas e locais estará disponível em breve no site oficial da banda.

Serviço

Show: Cordel do Fogo Encantado – Estreia da turnê Água do Tempo
Data: 10, 11 e 12 de junho

Horário: sexta e sábado 21h, domingo 18h
Local: Sesc Vila Mariana – Teatro Antunes Filho
Endereço: Rua Pelotas, 141 – São Paulo – SP
Ingressos: R$ 40 (inteira) l R$ 20 (meia-entrada)  l R$ 12 (credencial plena)
Venda on-line: https://www.sescsp.org.br/programacao/cordel-do-fogo-encantado/
Duração: 90 minutos
Não recomendado para menores de 12 anos

Liquida Goiabeiras reúne ofertas, música e culinária


Marcelo Carvalho

Está acontecendo no bairro de Goiabeiras, em Vitória (ES) mais uma edição do “Liquida Goiabeiras Outlet“. O evento, que iniciou no último dia 8 e vai até o próximo domingo (12), faz parte do “Calendário Oficial de Eventos de Vitória”, sendo realizado nas ruas José Alves e José Vicente Rocha, em frente à faculdade Multivix, das 9 às 22 horas.

Sâo 2,5 mil metros quadrados, divididos entre 200 lojistas e expositores, que estarão vendendo produtos da moda masculina, feminina e infantil, artesanato, calçados, maquiagem e acessórios a preços acessíveis para a população, com descontos de até 80% nas mercadorias.

Mais oportunidades de emprego e negócios

A quarta edição do evento conta ainda com uma praça de alimentação completa, que terá o horário de funcionamento estendido todos os dias até as 23 horas e contará com 30 opções diferentes de alimentação.

A iniciativa das Associações de Moradores e de Empresários de Goiabeiras recebe apoio da Prefeitura de Vitória, por meio da Secretaria de Cultura (Semc) e da Companhia de Desenvolvimento, Turismo e Inovação de Vitória (CDTIV).

“Esse evento vai gerar aproximadamente 800 empregos diretos e indiretos e será muito importante para os lojistas da região da Grande Goiabeiras, que tiveram os dois últimos anos muito difíceis devido à pandemia de Covid-19. Estamos apoiando o desenvolvimento e a recuperação econômica desse setor tão essencial para a economia da cidade, que são os comerciantes”, explicou o presidente da Companhia de Desenvolvimento, Turismo e Inovação de Vitória (CDTIV), Evandro Figueiredo.

De acordo com a organização, a expectativa é que o “4º Liquida Goiabeiras Outlet” movimente aproximadamente R$ 2 milhões nos cinco dias de evento.

Atrações

Além de boas compras, o público poderá desfrutar de momentos de muita animação e música. A programação, elaborada pela Semc, inclui os mais variados ritmos entre samba, pagode, sertanejo, forró, pop e MPB.

“A realização desse evento, além de impulsionar a economia local, vai proporcionar lazer e entretenimento para a população, com uma vasta programação cultural”, afirmou o secretário municipal de Cultura, Luciano Gagno.

As atrações musicais se apresentam a partir das 17h.

Confira a programação:

10/06 – Sexta

17h – Dj Equipe Radical Mix

20h – João Medeiros

11/06 – Sábado
16h – Dj Equipe Radical Mix

18h – Paulo Bruni

20h – Vlad AKS

12/06 – Domingo

14h – Dj Equipe Radical Mix

16h – Velha Guarda Chegou o que Faltava (samba de Raíz)

18h – Bateria da Chegou o que Faltava (samba)

Serviço

4º Liquida Goiabeiras Outlet

Quando: 8 a 12 de junho de 2022 de 9 às 22h

Onde: ruas José Alves e José Vicente Rocha, em frente a faculdade Multivix – Goiabeiras Vitória

Entrada Franca

Mec capacitará professores para atender filhos de refugiados no Brasil


O objetivo é preparar e aprofundar os saberes dos professores a conhecer um pouco mais sobre a inclusão destes grupos e inseri-los ao novo ambiente escolar

William Gama

O Ministério da Educação (MEC) divulgou hoje (9), que promoverá um curso especializado para capacitar docentes a acolher estudantes refugiados de outros países.

O objetivo é preparar e aprofundar os saberes dos professores a conhecer um pouco mais sobre a inclusão destes grupos e inseri-los ao novo ambiente escolar.

A proposta é proporcionar ao novo educando, um atendimento mais humanizado, para que sejam reparadas as perdas emocionais sofridas durante o êxodo de seu país de origem e para que se sintam acolhidos a multiculturalidade brasileira. 

Lugar acolhedor para estudantes

A formação está dividida em dois módulos, com carga horária de 80 horas. O conteúdo didático da capacitação, aborda questões práticas, para que os docentes promovam o processo de ensino-aprendizagem desses alunos de forma integral.

Esse material vai proporcionar elementos de suporte para que esses educadores elaborem novos instrumentos que irão subsidiar a prática docente em sala de aula com essas crianças.

O projeto viabilizará assuntos relacionados aos aspectos educacionais, históricos, políticos e sociais dos alunos imigrantes, que irão oferecer um lugar mais acolhedor para os estudantes. 

Para acessar as aulas, o professor terá que entrar na plataforma ‘Ambiente Virtual de Aprendizagem’ do Ministério da Educação (Avamec). De acordo com o MEC, este curso está alinhado a Operação Acolhida, criado em março de 2018. É uma força tarefa, que foi criada na época para receber refugiados venezuelanos que se instalaram no país. Segundo informações da Agência Brasil, o secretário de Educação Básica do MEC Mauro Rabelo, o curso vai dar novo suporte as escolas e auxiliará professores e gestores “na tarefa de trabalhar o multiculturalismo, o que não é fácil”, afirmou o secretário. 

Segundo Bernardo Laferté, coordenador-geral do Comitê Geral para Refugiados que faz parte do Ministério da Justiça, a transversalidade faz parte desses processos migratórios, pois esse contexto está ligado diretamente a causas que envolvem crises políticas em seus países de origem.

CPF para imigrantes

Ele destaca que essas pessoas buscam uma nova oportunidade, e que precisam se sentirem acolhidas e amparadas. “a política migratória é uma política completamente transversal, que aborda todos os aspectos da vida, inclusive linguísticos”, mencionou. 

Os imigrantes ao ingressarem ao Brasil, eles são registrados no Cadastros de Pessoas Físicas (CPF), recebem carteira de trabalho e de vacina. Ainda segundo Bernardo Laferté, os filhos de refugiados e imigrantes serão considerados brasileiros e integrados 

á sociedade. “Se ele tiver um filho, a criança será brasileira, e precisará ser integrada à sociedade, até por uma questão de política de longo prazo, uma vez que as famílias trazem conhecimentos que o brasileiro não tem. Isso é muito rico. Por isso, não podemos ver como custo. Até porque elas se somaram ao nosso mercado produtivo”, declarou. 

O diretor Renato Brito, que está a frente da pasta de Formação Docente e Valorização de Profissionais da Educação, afirmou que existe 82,4 milhões de pessoas refugiadas em diversos países, em que grande parte, são crianças. “Atualmente, há mais de 57 mil pessoas no Brasil reconhecidas como refugiadas.

Infelizmente, as crianças refugiadas apresentam probabilidade 53% menor de estar na escola em comparação às crianças brasileiras”, frisou. O diretor ainda destacou que existem questões burocráticas que dificultam o acesso ao sistema escolar. Mas, o curso criado, vai proporcionar o acolhimento e inserir esses novos cidadãos a sociedade brasileira. 

William Gama é formado em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) e Mestrando em História (UNICAP). Gosta de produzir matérias de diferentes nichos em Mídias e Redes Sociais. Instagram: williamgama.j

Dois procurados pela justiça são inseridos no Baralho do Crime


Marcelo Carvalho

Procurados por organização criminosa e tráfico de drogas, atuantes em Salvador e no município de Simões Filho, na Região Metropolitana (RMS), foram inseridos no Baralho do Crime da Secretaria da Segurança Pública. Os dois novos alvos passam a integrar, nesta terça-feira (6), a lista dos mais procurados da Bahia.

O novo representante da carta ‘Dez de Espadas’ é Pablo Ribeiro de Moura, conhecido como ‘Amarelo’. Ele é investigado pelos crimes de organização criminosa e tráfico de drogas e apontado como o principal líder de um grupo criminoso com atuação nos bairros da Palestina, Valéria, localizados em Salvador, e no município de Simões Filho.



Já Fabio dos Santos Nascimento, o ‘Fabão’ ou ‘Jiboia’, foi inserido na carta ‘Oito de Espadas’ e também é indiciado por organização criminosa. De acordo com a denúncia do Ministério Público da Bahia, Fábio atua em Vila Canária, Castelo Branco e nas localidades Lavrador e Rua do Sossego, na região de Valéria.

Ao reconhecer esses ou outros integrantes da ferramenta, o cidadão pode transmitir informações para as forças policiais por meio do 181 ou através da plataforma on-line  do ‘Denuncie Aqui’ encontrada no site: disquedenuncia.com. O sigilo é garantido!