Prefeitos são alvos de investigação no estado do Rio de Janeiro


Rodrigo Neves e Marcelo Crivella tiveram que prestar contas com a justiça, Crivella foi preso e foi de viatura para a delegacia

André Lucas

Rodrigo Neves

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, é alvo de investigação da polícia federal e do ministério publico federal. O atual prefeito é investigado por contratos duvidosos e suspeita de desvio de dinheiro público. A polícia cumpre mandato de busca apreensão no Rio e em São Paulo. A operação começou na ultima quarta dia 16 de dezembro, o TRF ( Tribunal Regional Federal) que emitiu os mandatos, ao todo são 11, 8 no Rio de Janeiro e 3 em São Paulo.   

O prefeito da cidade de Niterói está na lista com outros nomes que são suspeitos na, ação essa que mira irregularidades nas obras do BRT Transoceânica Charitas-Engenho do Mato e em contratos de publicidade firmados pela Prefeitura de Niterói. A PF e o MPF, até o momento, não divulgaram mais detalhes da investigação.   

Neves estar nos últimos dias de mandato, ele governou a cidade de Niterói durante 2 mandatos e agora entrega a cadeira para seu colega de partido Axel Grael que foi eleito pelo povo esse ano e será o sucessor de Rodrigo Neves em 2021.  

O prefeito já tinha sido preso em 2018 por conta de uma investigação sobre o desvio de mais de 10 milhões de reais. A polícia federal disse que o prefeito cobrava 20% do retorno do reembolso das gratuidades do ônibus, referente ao consórcio entre empresas e Municípios. Neves ficou 3 messes preso, foi solto em março e reassumiu o cargo chefe do executivo da cidade de Niterói. 

Marcelo Crivella 

Crivella também foi alvo de investigação, o MP do Rio de Janeiro e da polícia Civil, que investiga o caso que ficou conhecido como “QG da propina”, esquema que cobrava propina para liberar contratos do município com empresas que prestam algum serviço de forma terceirizada.

 

No caso do prefeito do Rio de Janeiro, ele foi preso na manhã de hoje e afastado do seu cargo, a 9 dias do fim do seu mandato, em seu lugar assume o presidente da Câmara do vereadores Jorge Felippe, Já que o vice eleito com Fernando Mac Crivela morreu em 2018 por conta de um infarto. 

O caso vem sendo investigado dês do começo do ano no inquérito chamado de Hades  que apura o chamado QG da propina. Ao chegar na delegacia da fazenda o prefeito declarou:  “Fui o prefeito que mais combateu a corrupção na Prefeitura do Rio de Janeiro”, e concluiu dizendo que espera justiça.

Políticos da oposição usaram as redes sociais para comentar o caso.  

Marcelo Freixo: 

“Tenho que me desculpar com meus amigos do Porta dos Fundos [produtora de vídeos no YouTube]. Sempre disse que Crivella terminaria seu governo saindo pela porta dos fundos. Errei! Foi na viatura”, escreveu Freixo no Twitter.  

Martha Rocha:

“Demorou mas Crivella acaba de ser preso a nove dias do fim do seu mandato, e por denúncias graves de corrupção que não são surpresa pra ninguém. Espero que os fatos ligados ao prefeito e o seu QG da Propina sejam apurados e que a justiça seja feita, de verdade.” Escreveu a deputada.

Alessandro Molon: 

“Crivella foi preso. Durante esses quatro anos, quem mais sofreu foi o carioca, que viu o Rio ser sucateado em meio a inúmeras denúncias e escândalos envolvendo a prefeitura. Crivella é mais um prefeito investigado, que prejudicou a população e não honrou nossa cidade. Justiça!”

Joice Hasselmann

“O corrupto apoiado pelos bolsonaristas foi em cana. Muitos apagaram os posts com Crivela, mas os prints são eternos. Aqui Carla Zambelli, Jordy, Márcio Labre, Flavio Rachadinha Bolsonaro e mamãe, Major Fabiana. Só tenho uma coisa a dizer: KKKKKKK. O próximo é o Flávio, talkei”