Prefeitura de Itabuna decreta situação de emergência após mais de 9 meses sem ônibus


Empresas paralisaram suas atividades no início da pandemia

Thais Paim

O cenário de pandemia provocou diversas alterações no nosso cotidiano, mas para os moradores de Itabuna, no sul da Bahia, a dificuldade é ainda maior. A prefeitura precisou decretar situação de emergência por falta de ônibus na cidade. 

Publicada nesta terça-feira (12), a medida tem validade de seis meses e visa a contratação, com dispensa de licitação, de “entidade, empresa, pessoa jurídica ou física com qualificação fiscal, jurídica, econômico-financeira e técnica para prestar os serviços necessários ou fornecimento de bens, durante o prazo de até 180 dias até a conclusão do procedimento licitatório com vistas à contratação da melhor proposta para a administração público municipal”.

Os serviços foram interrompidos pelas empresas no ano passado, no início da pandemia. Ao todo, já são quase 10 meses sem ônibus do transporte público em Itabuna. Para contornar a situação, os moradores estão tendo que utilizar veículos do transporte alternativo.

Atualmente, duas empresas são responsáveis por prestar o serviço na cidade: uma delas entregou carta de acordo com a prefeitura para manter o serviço, enquanto a outra se nega colocar os ônibus na rua, sob alegação de falta de dinheiro.

Ainda não se tem uma previsão exata para que a prestação de serviço seja normalizada no município.