Presidente anuncia suspensão da compra de seringas até preços serem normalizados


A informação foi confirmada através das redes sociais

Thais Paim

As polêmicas envolvendo o processo de imunização no Brasil continuam surgindo.  A mais recente foi provocada pelo anúncio do presidente Jair Bolsonaro de que a compra de seringas foi suspensa até que os preços do material sejam normalizados. 

O posicionamento foi anunciado pela conta no Facebook do presidente, nesta quarta-feira (06). O Ministério da Saúde tomou essa decisão após o preço do produto ter registrado alta, provocada pelo interesse da pasta na aquisição. 

“Como houve interesse do Ministério da Saúde em adquirir seringas para seu estoque regulador, os preços dispararam e o MS suspendeu a compra até que os preços voltem à normalidade”, afirmou Bolsonaro na rede social.

A intenção é de que a pasta aguarde até que os preços possam ser normalizados. As seringas seriam utilizadas para vacinação da população contra a Covid-19. 

O gestor também explicou que no momento essa decisão não afeta o início do processo de imunização. “Estados e municípios têm estoques de seringas para o início das vacinações, já que a quantidade de vacinas num primeiro momento não é grande”, concluiu ele. 

Uma licitação para a compra de seringas e agulhas para a campanha de vacinação contra a Covid-19 foi aberta pelo governo, mas foi possível comprar apenas um pequeno percentual do que estava proposto. 

Diante do fracasso da concorrência, o Ministério da Saúde anunciou que os estoques excedentes dos fabricantes brasileiros desses insumos seriam requisitados, além da adoção de barreiras à exportação desses produtos.