Réveillon cancelado no Rio de Janeiro


Medida foi tomada pensando na segurança de todos e no respeito a todas as vítimas

André Lucas

A Prefeitura do Rio de Janeiro anunciou na última terça feira dia 15, que não vai ter réveillon na cidade do Rio de Janeiro por conta do Covid 19. A prefeitura explica que decisão foi tomada pensando na segurança de todos e no respeito a todas as vitimas.   

O prefeito Marcelo Crivella, em entrevista ao UOL, falou sobre o assunto.  “Esta é uma decisão necessária para a proteção de todos. A festa será a da esperança por bons resultados das vacinas para conter a pandemia. Será ainda um momento de reflexão sobre um ano difícil, de luta, com lamentáveis perdas de tantas pessoas.”  

Antes a tradicional festa da virada estava marcada com grandes mudanças. Não teria queima de fogos e nem encontro na praia. A expectativa da prefeitura era transmitir o Réveillon pelas mídias digitais e TV, fugindo das festas de virada do ano que provocam aglomerações em toda a cidade.  Mudanças que ocorreram em outubro tinham construído mudanças significativas ao criar um padrão de festa sem aglomerações, bem diferente do que o tradicional, preservando a segurança. 

As boas-vindas ao ano de 2021 aconteceriam em um formato diferente do tradicional conhecido por cariocas e turistas. No Réveillon Rio 2021 tremíamos seis palcos espalhados em pontos turísticos emblemáticos da cidade do Rio de Janeiro, porém, sem presença de público, com todas as áreas isoladas. O público poderiam acompanhar os shows pela televisão, por um canal aberto, e pelas plataformas digitais, por meio do canal oficial da Riotur no Youtube.

Além dos shows, este réveillon teria luzes e efeitos visuais inéditos no Brasil, além de uma surpresa emocionante, que só seria conhecida na noite da virada e todos poderiam ver de suas casas, pela televisão e pela Internet. Este novo modelo tinha o objetivo de criar uma atmosfera de respeito, com homenagens às vítimas da Covid-19 e também aos profissionais que estão na linha de frente do combate à pandemia. Além disso, a celebração incluía pela primeira vez, uma integração entre diversos pontos de referência turística do estado do Rio no réveillon carioca.

Os números da doença agravam, já são. 22.256 óbitos e 343.995 casos, UTIs lotadas em quase 90%, informações divulgada pela coordenação da secretaria de saúde do estado do rio de janeiro. Especialista  da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), o aumento de casos no estado “já está provocando grande estresse no sistema de assistência à saúde”. Segundo o documento, é “urgente que as autoridades governamentais implementem ações para o enfrentamento desse novo aumento de casos de covid-19”, incluindo o fechamento das praias e  proibição de eventos presenciais.           

O Prefeito de Niterói Rodrigo Neves seguiu o exemplo de Crivella e cancelou as festas de fim de ano também , em nota a prefeitura explica. “Medida tem como objetivo manter o controle da pandemia da Covid-19 e vale para casas de festa, bares, clubes, restaurantes e comemorações com venda de ingresso, além das festas nas praias do município.”

O prefeito se pronunciou em uma live dizendo: “Nossa orientação é que não haja nenhum tipo de evento de réveillon que não seja o das famílias, com pessoas que já estão convivendo. Nosso objetivo é salvar vidas, evitar a disseminação do novo coronavírus e manter as atividades econômicas abertas e funcionando”