Salvador está entre as dez maiores economias do Brasil, mas perde liderança no Nordeste


Capital baiana é ultrapassada por Fortaleza

Dados divulgados pelo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que Salvador está entre as dez economias mais importantes do país. Atualmente, a capital baiana ocupa a 9ª posição entre as capitais com o maior Produto Interno Bruto (PIB), equivalente a R$ 63,5 bilhões, mas acabou perdendo o posto para a capital do Ceará.

Os dados usados para o levantamento são referentes ao ano de 2018 e foram divulgados nesta quarta-feira (16). Mesmo não tendo mais o maior PIB do Nordeste, a capital ainda concentra boa parte de toda a riqueza produzida na Bahia, com 22,19%, seguida por Camaçari (8,32%) e Feira de Santana (5,13%). 

Segundo o titular da Secretaria de Turismo do Estado da Bahia (Sedur), Sérgio Guanabara, os dados não retratam os investimentos estruturantes realizados pela Prefeitura no âmbito do programa Salvador 360 e que foram imprescindíveis para a transformação da cidade. 

“A Prefeitura criou o maior e mais robusto plano macroeconômico desenvolvido em nossa capital, voltado para a ativação da economia e geração de emprego. Os reflexos desse programa serão revelados mais à frente, no PIB de 2019/2020. Novos vetores de desenvolvimento foram criados em nossa cidade, a exemplo do HUB Salvador, Centro de Convenções e do inovador Polo de Economia Criativa”, afirma Guanabara. 

O motivo para a perda da posição se explica por causa da retração da indústria em Salvador, com a queda de participação do setor de serviços soteropolitanos na Bahia, no Nordeste e no país, segundo o IBGE. 

Outros dados apontados pelo IBGE e que exibem um bom desempenho são: 

Os maiores valores do setor agropecuário em 2018, com destaques para o algodão e a soja, foram registrados nas cidades de São Desidério (R$ 2,5 bilhões) e Formosa do Rio Preto (R$ 1,8 bilhão). 

Quase três em cada 10 cidades baianas tiveram a administração pública representando mais da metade do produto interno bruto: 109 cidades das 417, ou 26,1% do total.