Segunda vacina aprovada contra o covid 19


Julia Vitoria

Mais uma vacina contra o coronavírus  foi aprovada pela agência reguladora de medicamentos da Europa, a vacina moderna. As autoridades estão acelerando a disponibilização de doses para conter a pandemia em meio a preocupação com novas variantes do vírus. O órgão regulador europeu deu um comunicado falando que chegaram num consenso sobre a recomendação da vacina da moderna logo após o Comité de Medicamentos para Uso Humano da EMA (CHMP) ter avaliado ter avaliado os dados sobre a segurança da vacina.

Emer Cook, diretor executivo da EMA, fala que a vacina fornece outra ferramenta para passar por essa crise atual. Para ele a vacina é uma uma prova de empenho e esforço de todos e que tem essa segunda recomendação é vacinado desde que a pandemia começou.

30 mil pessoas contribuíram para o estudo clínico que ocorreu, e a vacina da moderna foi considerada, mostrando um número bem notável de 94,1% de eficácia. A vacina é aplicada em duas doses com 28 dias de intervalo cada uma. 

A vacina teve 90,9 por cento de eficácia também naquelas pessoas que pertencem ao grupo de risco, como as que têm doenças crônicas no pulmão, ansiedade, diabetes e doenças cardíacas. Ursula von der Leyen presidente da comissão europeia reagiu ao anúncio comemorando em seu Twitter falando sobre os esforços para criar mais vacinas contra a covid 19.

O presidente também ressaltou que estão trabalhando em máxima velocidade para aproveitar e tornar disponível a vacina na União  Europeia.

À eficácia da vacina moderna e a da Pfizer são semelhantes, o que muda é o armazenamento. A vacina Pfizer precisa ser guardada pelo menos a menos 80 graus Celsius, enquanto a moderna pode ser armazenada em temperatura de congelamento e ficar entre 2° a 8° graus num período de 30 dias o que facilita todo o transporte e distribuição.

O diretor executivo da EMA em comunicado Disse que vai monitorar de perto os dados sobre a eficácia da vacina para garantir o uso e a proteção continua na União Europeia, ele também ressalta que os trabalhos são orientados pelas provas científicas  pelo compromisso de salvar vidas.