Capital de Alagoas será sede para a primeira Escola Nacional de Turismo


Prefeito e gestores discutiram implementação do projeto

Thais Paim

Após a posse do prefeito João Henrique Caldas (JHC) , a intenção do gestor é transformar Maceió em uma cidade inteligente, criativa e sustentável. Seguindo esses planos, foi anunciado na última terça-feira (19) que a capital alagoana vai sediar a primeira Escola Nacional de Turismo. 

De acordo com as informações da prefeitura, essa novidade é um projeto do Governo Federal e tem como objetivo qualificar ainda mais o turismo local, garantir o desenvolvimento sustentável e reafirmar os valores socioculturais do município. 

Além do prefeito, a Secretaria Municipal de Turismo, Esporte e Lazer (Semtel), representantes do Ministério do Turismo, o reitor da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), o Sebrae e órgãos de turismo no estado estiveram reunidos para discutir a implementação desta escola. 

Cursos para Qualificação Profissional

A ideia é oferecer cursos como atendimento ao público, camareira, garçom, guia de turismo, idiomas, turismo acessível, sustentabilidade, marketing, entre outros. JHC falou sobre a grande expectativa e afirmou que sua implantação em Maceió vai servir de modelo para as demais no país. “Vamos colocar a mão na massa. Como gestor, quero ser um instrumento facilitador e dou todas as garantias”, afirmou ele.

O objetivo é que a experiência de Maceió sirva de referência para a construção de outras escolas no país. “Estamos com uma expectativa muito boa, com uma equipe muito competente para que a gente possa fazer um projeto que atenda e que seja de qualidade, não só aqui, mas que ele possa servir de exemplo para o país todo”, comentou Débora Barbosa, secretária nacional de desenvolvimento e competitividade do Ministério do Turismo. 

Na tarde da segunda-feira (18), as equipes técnicas do município e do Governo Federal realizaram visitas técnicas. O diagnóstico da atividade turística em Maceió e articulações de parcerias fazem parte das primeiras etapas para a implementação do projeto.

“Este é um grande sonho que nós temos há muito tempo que é ter um centro formador e de qualificação de mão de obra para as nossas estruturas”, destacou Marcelo Marques, presidente do sindicato dos representantes de bares, hotéis e restaurantes de Alagoas.

Coronavírus: governador anuncia chegada da vacina nesta segunda-feira em Alagoas


Estoque de seringas e agulhas também está garantido

Thais Paim

Os alagoanos iniciaram a semana com um bom motivo para comemorar. O governador Renan Filho (MDB) anunciou que as doses das vacinas contra a Covid-19 devem chegar em Alagoas nesta segunda-feira (18). O pronunciamento foi realizado através das redes sociais, neste domingo (17). 

“A vacina contra COVID-19 foi liberada pela Anvisa. Recebi convite do Ministério da Saúde para receber as doses correspondentes aos alagoanos nesse primeiro momento. A expectativa é que a vacina chegue em Alagoas amanhã. Ao longo do domingo, passarei todas as informações”, disse Renan Filho.

O governador se pronunciou minutos depois que a Anvisa autorizou por unanimidade o uso emergencial das vacinas Coronovac e de Oxford.

Além disso, no último sábado (16), o governador havia determinado que as forças de segurança de Alagoas participem da distribuição da vacina contra a Covid-19. O Ministério da Saúde ainda não informou quantas doses serão enviadas para Alagoas.

O estado tem estoque de 1 milhão e 250 mil unidades de seringas e agulhas para a vacinação contra Covid-19, segundo o próprio governo. 

Com setor em crise, Alagoas é o único estado do Nordeste que mantém cinemas fechados


Atividades estão paralisadas desde março do ano passado

Thais Paim

Tendo se destacado no início da pandemia pelas medidas adotadas para prevenção do novo coronavírus, agora Alagoas segue uma marcha lenta para a retomada e é o único estado do Nordeste que ainda não reabriu as salas de cinema. 

Alguns setores da economia ainda não retornaram às atividades, desde a suspensão em março de 2020, provocada pela pandemia da Covid-19.  Por essa razão, representantes do ramo se reuniram com a coordenação geral do Gabinete Integrado de Prevenção à Covid-19, da Prefeitura de Maceió, para cobrar medidas da gestão. 

De acordo com eles, as dificuldades financeiras os obrigam a demitir funcionários. Além disso, a crise fez com que custos com aluguel, energia, taxas e folha salarial ficassem ainda mais pesados. 

Negociações 

Durante reunião nesta terça-feira (5), foram discutidos os protocolos de segurança para o retorno dos cinemas na capital. Mesmo não possuindo uma data precisa para a reabertura, o processo corre em celeridade. 

A expectativa é de que as medidas discutidas sejam apresentadas aos órgãos sanitários, e as empresas vão precisar que se adequar às exigências estabelecidas pela prefeitura.

O coordenador geral do Gabinete Integrado de Prevenção à Covid-19, Claydson Moura, falou sobre o encontro e garantiu que a gestão municipal vai fiscalizar e adotar as medidas necessárias para garantir o cumprimento das normas. 

“O prefeito quer que a gente encontre um caminho seguro, mas a tônica dele é tudo para já”, afirmou o coordenador. Moura também destacou que o novo decreto vai ser construído de forma integrada, em consonância com outras secretarias.

A presidente da Fundação Municipal de Ação Cultural (FMAC), Mirian Monte, também participou da reunião e destacou a necessidade de ampliar os cuidados visando à saúde mental da população. 

“O cinema representa um cuidado com a alma, não podemos deixar a população maceioense desamparada nesse sentido, mas claro, vamos tomar todos os cuidados necessários para impedir o curso de contaminação do vírus”, afirmou ela. 

Sesau anuncia criação de grupo técnico para vacinação contra Covid-19 em AL


Decisão foi publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (06)

Thais Paim

A vacinação contra a Covid-19 tem se tornado a cada dia uma realidade mais próxima e foi pensando nisso que a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) instituiu o grupo técnico que vai acompanhar o processo de imunização da população. 

Segundo informações da secretaria, as ações e estratégias para a operacionalização do Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19 em Alagoas serão acompanhadas pelo grupo. É também através dele que serão definidos o público-alvo e grupos prioritários para imunização. 

Além disso, os municípios também vão contar com orientações sobre todo o processo. O grupo foi instituído nesta quarta-feira (06), após a decisão ter sido publicada no Diário Oficial do Estado (DOE), sendo assinada pela gestão da Sesau.

Confira abaixo a composição da equipe: 

Presidido pelo secretário estadual de Saúde, Alexandre Ayres, também terá na sua composição, Herbert Charles Silva Barros (coordenador-geral); Renilda Santos Barreto (representante do Conselho Estadual de Saúde); Rodrigo Buarque Ferreira e Larissa Cândido Guimarães (do Conselho de Secretários Municipais de Saúde); além de Micheline Tenório (Ministério Público Estadual) e Roberta Lima Barbosa Bomfim (do Ministério Público Federal).

De acordo com a portaria, as ações do grupo técnico serão norteadas aos parâmetros apresentados pelas equipes técnicas da Secretaria de Estado da Saúde. Nenhum deles vai receber salário por este trabalho.

Sobre o processo da vacina 

Atualmente, há inúmeras vacinas contra a Covid-19 em estudos de fase III (testes em humanos), e algumas já estão sendo utilizadas emergencialmente em alguns países, embora não haja, ainda, um imunizante registrado na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Recentemente o governador Renan Filho anunciou que o Estado tem a intenção de adquirir 1 milhão de doses da vacina Coronavac, que está sendo desenvolvida no laboratório brasileiro Butantan, em São Paulo, a partir de matéria-prima fabricada em laboratório chinês. O Governo Federal, por outro lado, aposta na vacina de Oxford (do Reino Unido), mas ainda não divulgou uma data precisa para início da imunização.

Prefeitura de Maceió anuncia que orla permanecerá aberta no Réveillon


A Secretaria Municipal de Segurança Comunitária e Convívio Social (Semscs) será responsável pela fiscalização 

Thais Paim

Recentemente algumas capitais do país anunciaram que as orlas teriam os seus acessos fechados durante a virada do ano, a fim de evitar aglomerações. Seguindo uma posição diferente, a Prefeitura de Maceió informou que, até o momento, a orla permanecerá aberta na noite de Réveilon. 

Ainda segundo a gestão, existirão algumas restrições e a Secretaria Municipal de Segurança Comunitária e Convívio Social (Semscs) fará a fiscalização por todo o espaço público para evitar aglomerações.

A informação é de que fiscais de postura e guardas municipais vão realizar o ordenamento na orla, garantindo que as restrições sejam cumpridas. Apesar de o espaço ficar aberto, a Prefeitura restringiu algumas atividades, como o aluguel de cadeiras e mesas. 

Além disso, também está proibida a instalação de tendas por parte da população e dos ambulantes, sob pena de apreensão no momento da constatação da irregularidade. As medidas foram adotadas devido ao aumento de casos do novo coronavírus em Alagoas, principalmente nas últimas semanas. 

A Semscs afirmou que a atuação de fiscalização durante o Réveillon terá foco principal no exercício de atividades econômicas desenvolvidas na área pública por permissionários e ambulantes, uma vez que não haverá queima de fogos. As informações foram confirmadas através de nota emitida pelo órgão. 

Rio de Janeiro e bloqueio da orla 

Como exemplo de capital que acabou escolhendo medidas mais restritivas, está a Prefeitura do Rio de Janeiro que vai bloquear toda a orla da cidade na noite do Réveillon, de quinta-feira (31) para sexta (1º). A intenção é evitar aglomerações. 

A medida na verdade não surpreende muito, já que estende a decisão que já estava prevista para Copacabana, onde, anualmente, acontece a tradicional queima de fogos da cidade, e, agora, vale, também, para as praias da Zona Sul (a partir do Flamengo) até o Recreio. 

Novo decreto do governo determina que bares e restaurantes de Alagoas só podem funcionar até a meia noite


Decisão foi publicada no Diário Oficial desta quinta-feira (24)

Thaís Paim

Um novo decreto do Governo do Estado tem criado polêmica entre o setor da música, que já vem sofrendo com a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. O motivo das insatisfações por parte do setor é a determinação de que restaurantes e bares de Alagoas só podem funcionar até meia noite e sem a realização de músicas ao vivo. 

A medida que visa conter o avanço da Covid-19 no estado, passa a valer a partir dessa quinta-feira (24) e tem validade de 15 dias. O decreto foi publicado em edição suplementar do Diário Oficial do Estado de quarta-feira (23). 

O decreto define que todos os municípios continuam na fase azul do distanciamento social controlado. Os critérios usados para determinar as fases foram os daMatriz de Risco, separada em vermelha, laranja, amarela, azul e verde.

Os serviços de organização de eventos, reuniões, celebrações e comemorações poderão funcionar até as três horas da manhã do dia subsequente. O critério é que estejam previamente autorizados pelo Poder Público e sigam todas as medidas do Protocolo Sanitário.

Já em Maragogi, um dos lugares mais visitados do estado e muito conhecido pelas suas piscinas naturais com águas cristalinas, a partir de domingo (27), os ônibus de excursão ficam proibidos de circular na cidade. 

Segundo as informações da prefeitura, a medida vai ser válida apenas aos domingos, com o objetivo de evitar a disseminação do novo coronavírus na região. O motivo seria o aumento da procura pelos passeios turísticos no final de semana.

Decreto e retomada das aulas presenciais 

O novo decreto também conta com o cronograma de retorno às aulas presenciais, após o governador já ter anunciado que as aulas seriam retomadas a partir de janeiro de 2021.

Educação Infantil: a partir do dia 20 de janeiro de 2021

Ensino Fundamental e Médio: 1º de fevereiro

“Modelo híbrido de aulas, conforme orientação do Conselho Nacional de Educação, para que haja a liberdade de escolha dos pais de alunos e estudantes diante da necessidade de continuidade dos requisitos de segurança sanitária, enquanto uma solução definitiva para a pandemia não aconteça efetivamente”, essa foi a orientação do decreto. 

Fica autorizado ainda as aulas coletivas esportivas e de ginástica para crianças e jovens, bem como de idiomas.

Professores e profissionais da área da educação que estão no grupo de risco da Covid-19 poderão escolher por retornar ou não às suas atividades de forma presencial.

Para o cumprimento do calendário escolar de 2020, as escolas precisam se adequar e montar um calendário especial para a conclusão. Os objetivos de aprendizagem não alcançados em 2020 deverão ser concluídos em 2021.

Coronavírus: relatório divulgado por pesquisadores da Ufal indica formação de segunda onda a partir de Maceió


Capital segue liderando o número de casos em Alagoas

Thais Paim

Nesta segunda-feira (14) foi divulgado um relatório realizado por pesquisadores da Universidade Federal de Alagoas que aponta o início de uma segunda onda de contágio do novo coronavírus a partir de Maceió, capital do estado. 

Segundo informações, os dados utilizados avaliaram a transmissão do vírus em Alagoas e prevê intensificação da contaminação nas próximas semanas. A análise é do Observatório Alagoano de Políticas Públicas para o Enfrentamento da Covid-19.

A incidência de casos da última semana na capital ultrapassou o número de novos casos no restante do estado. Segundo os pesquisadores, esse fenômeno também foi observado nas primeiras semanas da pandemia em Alagoas.

Em trecho do documento eles afirmam que: “Mantido esse comportamento, podemos repetir o fenômeno observado no primeiro semestre, quando a doença se espalhou pelo território alagoano a partir da capital. Além disso, é provável que nas próximas semanas continuemos a registrar aumento no número de óbitos, como observado em outras partes do mundo que registraram segunda onda da Covid-19”.

Segundo os pesquisadores, após o final da 50ª Semana Epidemiológica (6 a 12 de dezembro), Maceió vai seguir liderando o aumento de casos em Alagoas.

Arapiraca, segunda maior cidade do estado, vinha apresentando alta na semana anterior, mas apresentou uma queda no número de casos nesta semana. 

Sobre as mortes provocadas pelo coronavírus, houve registro de aumento na última semana. “O que pode ser interpretado como mais uma evidência do descontrole da transmissão”, aponta trecho do relatório.

O relaxamento das medidas de prevenção, o aumento de aglomerações e uma maior movimentação de pessoas provoca alerta. De acordo com os pesquisadores, “espera-se um aumento do número de novos casos nas próximas semanas no estado. Em média, cada 10 infectados transmitirão o vírus para 13 pessoas. 

Aumento de casos suspeitos

Nas últimas duas semanas, houve aumento no número de casos suspeitos. No último domingo (13), eram 8.163. Esse crescimento seria resultado da grande dificuldade enfrentada pelo Brasil no combate à pandemia, que é a política de testagem, de acordo com os pesquisadores. 

De acordo com o Observatório, a falta de testagem prejudica a avaliação da pandemia e as ações de enfrentamento. Mesmo com um baixo número de testes feitos, os resultados positivos também são utilizados na avaliação. 

“Neste sentido, este indicador também corrobora com a hipótese de expansão da transmissão em Alagoas, já que cerca de 60% dos testes RT-PCR realizados pelo Laboratório Central (Lacen) em dezembro tiveram resultado positivo. Para fins de comparação, entre a 31ª e 35ª SE essa proporção foi de aproximadamente 20”, aponta o relatório.

Outro assunto que os pesquisadores fazem alerta é para a participação da população na prevenção e a manutenção das práticas de prevenção: 

 “Neste contexto, apesar de todos os avanços no tratamento da COVID-19, milhares de pessoas continuam morrendo diariamente pelo mundo. Deste modo, até que tenhamos atingido uma imunidade coletiva, a partir de um robusto programa de vacinação que deverá durar meses, nossas únicas armas na luta contra o novo coronavírus continuam sendo as medidas de proteção amplamente divulgadas nesses últimos meses: higienização das mãos, uso da máscara e distanciamento social. Assim, espera-se que o poder público se empenhe nas conscientização, regulamentação e fiscalização do cumprimento dos protocolos. Mas, acima de tudo, espera-se que cada cidadão e cidadã alagoana faça sua parte”, orientaram os pesquisadores.

Maceió comemora 205 anos neste sábado; conheça mais sobre a história e as belezas da cidade considerada o Caribe brasileiro


Com mais de 1 milhão de habitantes, capital é um dos grandes destinos turísticos do país

Thais Paim

Maceió, conhecida como o Caribe Brasileiro, é a capital do estado de Alagoas e está localizada no litoral Nordeste do Brasil. Neste sábado (05) está comemorando 205 anos e, apesar do cenário de pandemia, é o segundo destino mais procurado para viagens em janeiro de 2021.

De acordo com a empresa de vendas Decolar, a cidade subiu três posições no ranking, no comparativo com o levantamento do mesmo período de 2019, deixando para trás grandes concorrentes no mercado nacional como Recife (PE), Natal (RN), Salvador (BA) e Porto Seguro (BA).

Com mais de dois séculos, desde que Dom João VI assinou carta régia elevando o povoado de Maceió a Vila, em 1815, o município segue encantando os visitantes com suas belezas naturais e culturais encontradas no seu território.

Conheça mais sobre a história desse lugar

Nada melhor para compreender ainda mais uma história, do que começar pelo nome dado a ela. Sendo assim, é importante lembrar que os primeiros índios que habitaram a cidade deram ao riacho que banhava o sítio maceioense, o nome de Massayó ou Massai-ó-k, o seu significado pode ser entendido como “o que tapa o alagadiço”. Algum tempo depois, o nome “Maceió” acabou sendo escolhido para nomear a cidade.

Em 1815, há mais de dois séculos, a Vila de Maceió foi desmembrada da então Vila de Santa Maria Madalena da Alagoas do Sul, atualmente nomeada como Marechal Deodoro. Por este motivo, o dia 05 de dezembro é a data em que se celebra o aniversário da capital.

Historiadores apontam a grande herança indígena da região, como é o caso dos bairros Pajuçara, Ponta Verde, Jatiúca, Guxuma, Jacarecica e Ipioca, que compõem a orla da capital, e teriam sido nomeados pelos ancestrais indígenas.

Conhecida como cidade-restinga por muitos estudiosos, está localizada entre a Lagoa Mundaú e o Oceano Atlântico. Com mais de 1 milhão de habitantes, se apresenta em constante evolução, principalmente quando o assunto é o turismo.

Economia

A capital alagoana é considerada a principal produtora brasileira de sal-gema e se apresenta como o mais importante centro comercial do estado. O porto de Jaraguá é utilizado desde o século XVII para escoar a produção agrícola e mineral da região.

O município conta com um importante polo cloroquímico. Além disso, a maior indústria produtora de clorossoda da América Latina também está em Maceió.

Mas a economia da cidade não para por aí e a produção de açúcar, plásticos, cimento e alimentos fazem parte desse cenário. Além disso, Maceió também possui plantações de cana-de-açúcar na área rural da cidade e produção de cocos e de frutas como caju, manga e jaca.

O turismo recebe um lugar de destaque na economia da capital, principalmente após o ano de 2005, quando foi inaugurado o Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares, o que facilitou ainda mais o acesso de turistas. Com uma diversidade ampla de belezas naturais, praias com águas cristalinas e uma culinária particular, a região tem se apresentado como a primeira opção de muitas pessoas na hora de escolher onde passar as suas férias.

Pontos turísticos e curiosidades

Para os amantes de praia, opções de lugares para visitar não faltam. Pajuçara, Ponta Verde, Jatiúca e Cruz das Almas possuem cenários encantadores, com águas cristalinas e piscinas naturais. Além disso, é possível desfrutar de hotéis, restaurantes, bares, pizzarias, cervejarias e ciclovia. No calçadão, você vai encontrar uma feira de artesanato e muitos lugares com comidas típicas.

A noite é bastante agitada na capital e permite que cada turista escolha uma programação de acordo com suas vontades. Tomar água de coco, comer tapioca, experimentar sorvetes de frutas da estação, conhecer a imensa variedade de barzinhos em diversos estilos diferentes ou simplesmente relaxar ao som das ondas do mar na orla são algumas das atividades que podem ser feitas.

As lagoas de Mundaú e Manguaba também são ótimas opções para momentos mais relaxantes e tranquilos, já que oferecem passeios ao pôr do sol e também possuem bares, restaurantes e lojas de artesãos. Atividade considerada obrigatória para muitos turistas, o ‘Passeio das Nove ilhas’ permite visita a oito ilhas na capital e uma na vizinha e histórica Marechal Deodoro.

Muito além das praias, conhecer o centro histórico de Maceió é uma parada obrigatória. Os principais pontos de visitação ficam no bairro Jaraguá e essa programação pode ser completada durante um único dia. Memorial à República, Museu Théo Brandão e a Catedral Nossa Senhora dos Prazeres fazem parte do roteiro para conhecer um pouco mais sobre a história e cultura da região. 

Para além do turismo, culinária, cultura e muita história. A capital alagoana também é cheia de fatos curiosos e detalhes que deixam a visita ainda mais interessante. Uma das curiosidades de maior relevância é que em Maceió também existe uma Estátua da Liberdade, localizada no bairro histórico de Jaraguá. Mas se você pensa que é simplesmente uma réplica, está enganado. Construída pela fundição Val D’osne, a mesma empresa que construiu a Estátua da Liberdade famosa, a figura é uma das três Estátuas da Liberdade existentes no mundo.

Outra curiosidade é de que a famosa escritora Clarice Lispector morou um curto período de tempo em Maceió e a passagem pelas terras alagoanas foi tão inspiradora que a personagem principal de um dos seus livros mais famosos,  “A Hora da Estrela”, é alagoana e decide se mudar para o Rio de Janeiro em busca de uma vida melhor.