Luciano precisa da sua ajuda


Desemprego, doenças físicas, emocionais e até espirituais. Tantos são os problemas e desafios que enfrentamos diariamente, que, confesso, às vezes, nos sentimos obrigados a “blindar” nossos corações. Triste, não é? Mas esse tipo de atitude deve ser tomada com cautela, pois não dá para fechar os olhos e não ter empatia com a dor do próximo.

Recentemente, recebemos a carta de Mariluce Brito, moradora da cidade de Itapé, Sul da Bahia. Ela conta a história do irmão, Luciano Brito, paciente renal crônico, que sofre com problemas nos rins desde os 26 anos. Atualmente, ele tem 39 anos.

“Meu irmão é casado e, atualmente, reside na cidade de São Paulo, mas é natural de Itapé. Ele sente muita falta dos familiares que ainda moram aqui. Tem 13 anos que ele mora lá e tem muita saudade e desejo de vir visitar a gente aqui e até passar um período. Porém o médico desaconselha uma viagem de ônibus de lá para cá, por ser muito longa e o meu irmão precisar dialisar de dois em dois dias. Ele tem medo de terminar os dias dele em um hospital, sem poder voltar a ver sua família, sua cidade natal e seus amigos que ficaram aqui, pois já teve dois rins rejeitados em transplantes anteriores aos quais foi submetido”, conta Mariluce.

Luciano, sua mulher Tienne e toda sua família garantem que mantém a fé em Deus e a esperança de conseguirem realizar esse sonho. Será que você amigo leitor ou leitora do Carvalho News pode ajudar essa família a tornar o sonho do  Luciano realidade? Ele precisa de passagens aéreas da cidade de São Paulo (SP) para Ilhéus (BA). “As diálises ele pode fazer aqui em Itabuna (cidade vizinha) sem problemas, temos como conseguir”, garante Mariluce.  O povo brasileiro é conhecido internacionalmente por sua alegria, fé e solidariedade. Vamos ajudar essa família? Se você puder auxiliar de alguma forma, pode entrar em contato com Mariluce através do (73)98859-7330 (telefone e WhatsApp), pelos contatos do Carvalho News. Caso queira fazer uma doação é só realizar qualquer depósito na conta poupança  da irmã do Luciano, que é: Banco do Brasil – Agência 2166-0 conta poupança 28342-8 (Mariluce Carlos Brito). Desde já, o nosso sincero, muito obrigado!

Por que algumas despedidas doem tanto?


Deveria existir uma forma menos dolorosa de dizer adeus

Hoje a gatinha de um casal amigo faleceu! A bichinha era idosa, estava debilitada em virtude da operação a qual foi submetida, mas vinha lutando como uma guerreira pela vida. Seus donos não pouparam esforços para ajudá-la nesse período. Entretanto, não houve jeito. Após idas e vindas ao veterinário, a Kit (vou chamá-la assim) se foi. Eles ficaram tão tristes, arrasados mesmo. Deu dó vê-los daquele jeito.

Seus amigos mais chegados também sentiram o abalo. Todos gostavam muito daquela bolinha de pelos amarela e branca, e sabiam da sua importância para o casal e sua filha. Tenho certeza que a Kit foi para o céu dos gatinhos. Ah sim! Acredito que Deus em sua infinita bondade reservou um lugarzinho especial para eles despois que cumprem sua missão aqui na Terra. Afinal, também são filhos do Pai!

349572-Gato+Amarelo+e+Branco+no+Sofa

Esse fato me fez pensar em uma coisa: não estamos preparados para algumas despedidas. A morte é algo que vamos enfrentar querendo ou não. Ela tem ou deve ter a sua função, mas na maioria das vezes é tão dolorosa, cruel, implacável e, por isso, quase nunca é vista como uma amiga.

Você pode até pensar que estou exagerando, pois essa reflexão iniciou a partir do falecimento de um animal de estimação. Tudo bem, não vou censurá-lo por isso. Entretanto, poderia ter acontecido com um pai, um irmão, uma avó, uma mãe, filho… Não importa. O sofrimento iria existir e seria complicado digeri-lo.

Por isso, é tão importante dar o carinho e o valor merecido a quem amamos enquanto temos essa possibilidade. De nada adianta chorar, se descabelar e culpar a sorte depois que aquela pessoa partiu. Faça hoje, agora, diga você é muito importante para mim ou eu te amo. Valorize que é importante em sua vida. Assim ambos terão um incentivo a mais para serem mais felizes.

Marcelo Carvalho é jornalista profissional especializado em Marketing Empresarial e Comunicação Corporativa.

Sempre é hora de ajudar ao próximo


Hoje, 19 de julho, comemoramos o Dia da Caridade. Há quem a considere um sentimento, outros uma virtude. Para falar a verdade, não estou muito preocupado com a definição da palavra. O mais importante é descobrir como podemos exercitar a nossa benevolência diariamente.

Acredito que todas as religiões estimulem atos de solidariedade. E não poderia ser de outra forma. É dever moral de todos os indivíduos compartilhar o bem aos que precisam de nossa ajuda. Sem esperar qualquer tipo de reconhecimento ou retribuição pela ação. Afinal, temos tanto a agradecer a Deus pelas graças que recebemos a todo o momento, mas nem sempre nos damos conta disso.

Artigo Caridade

Irmã Dulce, Madre Thereza de Calcutá, Chico Xavier são algumas referências quando o assunto é caridade, seguindo o exemplo de Jesus. Essas pessoas dedicaram suas vidas ao próximo literalmente e tudo por amor. Isso só vem comprovar a máxima de que o desejo de amar o próximo deve vir de dentro do coração.

De acordo com informações da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), ainda existem 20 milhões de brasileiros que vivem na mais extrema pobreza. Sendo uma oportunidade para por em pratica projetos assistenciais.

Então, que tal exercitar sua solidariedade?  Voce pode começar com pequenas ações. Há um mundo de possibilidades para escolher. Pode ser, por exemplo, visitas a asilos para conversar um pouco com idosos, a hospitais e orfanatos. Garanto que em todos esses lugares, haverá os que aguardam ansiosos por um pouco carinho e atenção. E uma coisa é certa quem ganha é você.

Marcelo Carvalho é jornalista profissional especializado em Marketing Empresarial e Comunicação Corporativa.