Após dois ataques de tubarão em 15 dias, veja por que praia no Grande Recife é perigosa para banhistas


Ataques acontecem em trecho do mar próximo à Igrejinha de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes

Thais Paim

Recentemente um assunto tem se tornado bem atual após acontecer, em 15 dias, dois ataques de tubarão na praia de Jaboatão dos Guararapes, no trecho próximo à Igrejinha de Piedade, no Grande Recife. Além disso, um a cada cinco ataques de tubarão notificados no estado desde a década de 1990 aconteceu nessa área. 

O biólogo Leandro Alberto explicou os motivos desse local ser perigoso para banho de mar e faz alerta sobre os riscos para a população que frequenta esse local. 

“[A praia] tem uma profundidade de mais ou menos dois a três metros, e logo após, passando por essa faixa, nós temos uma área de um canal que tem a profundidade de 5,5 metros a 6,5 metros fazendo com que esses peixes maiores, esses tubarões, possam entrar nessa área e se alimentar”, afirmou.

Ainda segundo o biólogo, os tubarões vêm até áreas mais próximas da faixa de areia devido à ação humana.

“É uma área muito povoada, porque a população utiliza para banho, acontece o descarte de lixo, acontece o descarte de matéria orgânica, de latinhas de alumínio, fazendo com que esses animais tenham essa percepção e, como qualquer animal curioso, vá para o banco de areia”, explicou.

Ataques recentes 

No domingo (25), Everton dos Reis Guimarães, 32 anos, foi atacado e teve ferimentos na parte posterior da coxa esquerda e glúteo. Segundo testemunhas, ele foi alertado pelo Corpo de Bombeiros e por outras pessoas que estavam na praia, mas, mesmo assim, entrou no mar.

Ele foi socorrido para o Hospital da Aeronáutica, também em Jaboatão, e depois foi transferido para o Hospital da Restauração (HR), no Derby, área central da capital pernambucana. Ele passou por cirurgia ainda no domingo e seu estado de saúde é considerado estável na manhã desta segunda-feira (26).

No dia 10 de julho, o auxiliar de serviços gerais Marcelo Rocha Santos, de 51 anos, morreu após ter uma mão arrancada e um ferimento profundo na coxa. Ele foi encaminhado para o HR, mas chegou sem vida na unidade de saúde.

Antes disso, o último caso envolvendo tubarões na Região Metropolitana havia sido registrado em 2018. 

Estatísticas dos ataques

Os dados sobre ataques de tubarão em Pernambuco começaram a ser registrados em 1992, pelo Comitê Estadual de Monitoramento de Incidentes com Tubarões (Cemit). Antes do caso ocorrido no domingo (25), o estado havia contabilizado outras 67 ocorrências.

Na área de Igrejinha de Piedade, foram notificados casos de 13 pessoas atacadas. Do total, 12 eram banhistas e uma era surfista. Ao todo, sete morreram.

Segundo o presidente do Cemit, coronel do Corpo de Bombeiros Valdy Oliveira, é importante respeitar a sinalização e os locais com alertas de incidentes.

O litoral pernambucano conta com placas com orientações para a população. Entre os critérios para um trecho receber a sinalização, estão ser um trecho de mar aberto, canal submarino e local com incidência de animal marinho.

Fonte: G1